recadosdoaarao



Evangelho
Voltar




04/06/2011
Homilia Dominical


Evangelho - Homilia Dominical
4/6/2011 17:46:48

Evangelho - Homilia Dominical


 6º Domingo da Páscoa da Ressurreição



“119º Domingo no Exílio”
Ano “A”
 
At  8, 5-8. 14-17 / Sl 65 / 1 Pd 3, 15-18 / Jo 14, 15-21
  
Domingo da Páscoa da Ressurreição, 29 de Maio de 2011.
 
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
Meus amados! Celebramos o 6º Domingo da Páscoa da Ressurreição, e, no Santo Evangelho de hoje, vemos que Jesus Se despede dos discípulos e lhes promete o Consolador, o Espírito da Verdade. Espírito que mundo não conheceu, pois não aceitou a verdade, mas à Igreja que acolheu seu chamado Ele – o Santificador – dará forças para ir a todos os povos e proclamar a Boa Notícia. Eis a promessa: Eu vos enviarei “o Espírito de verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque habitará convosco, e estará em vós” (Jo 14, 17). É por isso que escutamos nos Atos dos Apóstolos os prodígios realizados, por aqueles que continuam a Missão de Jesus. Os mesmos Apóstolos que o Senhor chamou, consagrou e ordenou: “Ide por todo o mundo...” (Mt 28, 20). A Igreja edificada sobre a fé de São Pedro, chefe dos Apóstolos, se espalha por todos os cantos, e na Samaria Filipe anuncia Cristo, realizando obras para a edificação do Seu Corpo Místico, – a Santa Igreja - testemunhando que o Senhor estava com Ele. “E Filipe, tendo chegado à cidade de Samaria, pregava-lhes Cristo. E as multidões estavam unânimes atentas ao que Filipe dizia, ouvindo-o e vendo os milagres que fazia. Porque de muitos os que tinham espíritos imundos, estes saíam dando grandes gritos. E muitos paralíticos e coxos foram curados” (At 8, 5-8). Nos dias de hoje – infelizmente – somos testemunhas de um combate terrível, contra a verdadeira fé, a fé Apostólica, a fé da Santa Igreja. Mas, como nos tempos dos primeiros cristãos, ainda somos chamados a realizar a vontade de Deus, obedecendo a Sua Lei e Seus Preceitos, anunciando a verdade que nos pode salvar. Portanto, vemos as profecias Bíblicas se realizarem, nos nossos dias, quando é constatada a apostasia generalizada, na “igreja” e em muitos corações, preparando o terreno para a ascensão do ate-Cristo, e o Retorno Glorioso do Senhor. E já vivemos estes tempos! Preparemo-nos!
 
            Meus amados! Mesmo diante dessa realidade dolorosa - porque passa a nossa Nação, o mundo moderno - os nossos corações não devem desanimar, mas, pelo contrário, devemos confiar na promessa que o Senhor fez a Seus discípulos, e que ainda hoje ressoa em nossos corações. “Não vos deixarei órfãos; voltarei a vós” (Jo 14, 18). Não devemos temer os desafios que surgirão, nem as afrontas que cada vez mais se levantarão contra a Igreja, contra aqueles que desejam permanecer na verdade, lutando para viver - neste mundo hediondo - os Mandamentos do Senhor. E como vimos no Santo Evangelho, este é um dos “requisitos” para aqueles que, verdadeiramente, amam o Senhor e O seguem. Não é fácil ser Católico nos dias de hoje, e na verdade nunca foi fácil, em todos os tempos, mas particularmente agora – que são os últimos – onde a Igreja é acrisolada e purificada pelo fogo da provação. Mas tudo isso é sinal de que estamos com a Verdade; verdade que não é minha, não é sua, mas da Santa Igreja, a qual nós devemos proclamar dos telhados, sem temor. Sigamos firmes, confiantes na graça que Deus dispensa a Sua Santa Igreja, que guarda a Tradição, ensina por meio do Magistério e pelas Sagradas Escrituras. Graça manifestada a nós através dos Santos Mistérios, de modo particular no Santo Sacrifício da Missa. Que não é um ato litúrgico simbólico, nem ‘um faz de conta’, imitado pelos protestantes, mas o Verdadeiro Sacrifício expiatório de Cristo, no Altar da Cruz! Corramos com os corações purificados pelo Sacramento da Penitência, para recebermos Aquele que é o motivo da nossa verdadeira alegria – Jesus Sacramentado. “Aquele que retém os meus Mandamentos, e os guarda, esse é que me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei (também),
e me manifestarei a ele” (Jo 14, 21).
 
            Amados! São Pedro continua nos exortando, e hoje ele nos convida a “darmos razão da nossa esperança”... “Mas bendizei Cristo Senhor em vossos corações, prontos sempre para responder a todo o que vos pedir razão daquela esperança que há em vós; mas (fazei isso) com modéstia e respeito, tendo uma boa consciência; para que, naquilo em que dizem mal de vós, sejam confundidos os que caluniam o vosso bom proceder em Cristo” (1 Pd 3, 15-16). Ora, se a nossa esperança é Cristo, e a salvação que Ele nos trouxe, o que devemos fazer, então? Devemos “dar razão da nossa esperança” nos esforçando para testemunhar a verdade, tão atacada e relativizada nos dias de hoje. Vivemos tempos de um cristianismo (Catolicismo) fraguimentado, superficial, e tantas vezes idólatra. Pois Jesus – o centro de tudo e de todos – foi literalmente colocado de lado, em nossas Igrejas e templos, como também em muitos corações, que preferiram os prazeres do mundo a Deus. A Igreja, portanto, vive Sua crise de fé, mas não devemos temer em permanecermos fiéis a Tradição e ao ensinamento da sã Doutrina, pois são elas que nos apontam o caminho do céu. Não tenhamos medo de sermos difamados, ultrajados, zombados, humilhados e lutarmos para defender a Verdade, que é objetiva, e não relativa, como costumam, hoje, pregar. A verdade, segundo os princípios do mundo moderno, é compreendida conforme o gosto de cada um, no intuito de satisfazer suas vaidades e os seus ‘estranhos’ delírios... E assim Cristo é ridicularizado no Seu Corpo Místico, que é a Santa Igreja; Deus é afrontado por leis perversas e diabólicas, através deste governo ateu, comunista e materialista, disfarçado de uma social democracia. Promovem leis imorais que afrontam a dignidade humana, desfiguram a família, que é à base da sociedade e dos valores éticos, morais e religiosos.  Lutam - a exemplo de tantas Nações pagãs e idólatras - para promoverem e aprovarem o aborto, crime terrível contra os nossos inocentes indefesos. E quem levanta a sua voz para defender os nossos pequeninos? Não nos iludamos, pois, amados, o seu objetivo é nos doutrinar no erro (no pecado) – e a prova está ai, diante dos nossos olhos – ao tentarem arrancar a nossa fé, nos afastando definitivamente de Deus, como fizeram os comunistas e os fascistas de tempos tão recentes. O Grande dragão vermelho ainda vive, e, infelizmente, está no meio de nós!
 
            Vigiemos meus amados, pois os nossos dias são maus, nos diz o Apóstolo São Paulo. Mas, não obstante o mal que nos cerca – e ataca a verdadeira Igreja para destruí-La – temos um defensor, “o Espírito de verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque habitará convosco, e estará em vós” (Jo 14, 17). Este, o Espírito da verdade, permanece com a verdadeira Igreja, que é assistida, instruída e animada a perseverar na fé, e a testemunhar Jesus Crucificado. Ainda que para o mundo moderno a Cruz seja um escândalo, para nós, Cristão, Católicos, Ela é, e continua sendo, esperança de salvação. Coragem, amados! Os Santíssimos Corpo e Sangue do Crucificado é a nossa fortaleza, o Alimento da Salvação. Rezemos, portanto, o Santo Terço, o Santo Rosário em família, e confiemos na graça do Coração Imaculado da nossa Santíssima Mãe, que temos a alegria de, particularmente, homenagearmos neste Mês de Maio, que chega ao fim. Mas não deve chegar ao fim o nosso amor sincero por Ela, que sempre esteve ao lado da Igreja, desde o Seu nascimento, confortando, acalentando e animando a continuar firme na fé. E até hoje caminha conosco na provação e na alegria, vivendo conosco a verdadeira alegria, que o Seu Filho Jesus pode nos dar. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
  
“As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo”

 
(Jacinta Marto, Pastorinha de Fátima)
 
Pela intercessão da Bem-Aventurada e Sempre Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, do Seu Castíssimo Esposo, São José, e São Miguel Arc’Anjo nosso protetor...
 
Abençoe-vos, Deus, Todo Poderoso,
 
Pai, Filho † e Espírito Santo. Amém!
† Padre Tarciso Alves Maia Júnior




Artigo Visto: 1637

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.948.093
Visitas Únicas Hoje: 140
Usuários Online: 45