recadosdoaarao



Evangelho
Voltar




13/05/2011
Terceiro Domingo da Páscoa


Evangelho - Terceiro Domingo da Páscoa
13/5/2011 11:39:23

Evangelho - Terceiro Domingo da Páscoa


 
 
3º Domingo da Páscoa da Ressurreição
 
116º Domingo no Exílio”
Ano “A”
 
At  2, 14. 22-33 / Sl 15 / 1 Pd 1, 17-21 / Lc 24, 13-35
 
Domingo da Páscoa da Ressurreição, 08 de Maio de 2011.
 
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
Meus amados! Celebramos o 3º Domingo de Páscoa da Ressurreição e Jesus vem caminhar conosco, como caminhou com os discípulos de Emaús.  Ele vem caminhar conosco, para participar das nossas dores, alegrias, sofrimentos e inquietações, pondo-Se a caminho conosco, desejando saber o que se passa em nossos corações.  Ele deseja, com Suas palavras, nos ensinar, entrar nas nossas vidas e permanecer conosco. Os discípulos partilhavam com Ele, suas inquietações, enquanto seguiam seu caminho... Meus amados! Não é assim que acontece conosco, também?  Nós, também, somos Seus discípulos e vivemos as mesmas inquietações, mas Jesus vem nos ensinar e mostrar que é preciso confiar e esperar nas Suas promessas. “Porventura não era necessário que o Cristo sofresse tais coisas, e que assim entrasse na sua glória? E, começando por Moisés, e (discorrendo) por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se encontrava dito em todas as Escrituras” (Lc 24, 26-27). Sim, Ele vem caminhar conosco, consolar nossos corações e nos dar esperança. Ele vem formar os nossos corações, com a Sua Santa Palavra. “E disseram um para o outro: Não é verdade que nós sentíamos abrasar-se-nos o coração, quando Ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?” (Lc 24, 32).  Amadas crianças, vocês hoje vieram aqui para cantar, e não somente para cantar, mas, sobretudo para rezar! Devem vir todos os domingos, pois vosso primeiro compromisso é com o Senhor! Ele nos chama! Muitos de vocês estão fazendo a catequese, pois catequese é isto, aprender com o Senhor a seguir Seus passos, vê-Lo e ouvi-Lo através da escuta da Sua Palavra, abrindo os nossos corações e silenciando interiormente. Só assim percebemos Ele nos curando, nos purificando das nossas fraquezas e infidelidades. É isso que fazemos ao invocarmos a Misericórdia de Deus, através do Ato Penitencial da Santa Missa. E Deus sai da Sua Casa, vem até a nossa morada para cuidar dos nossos corações e nos salvar!
 
Meus filhos! Sejamos vigilantes em nossa caminhada e vivamos a oração quotidiana, pois o mundo desaba sobre nossas cabeças, ao aprovar leis que ofendem a Deus e ferem a dignidade humana. É hora de empunharmos o nosso Santo Terço, o Santo Rosário e rezarmos em família... Pois, vergonhosamente vimos neste último final de semana o Supremo aprovar uma lei que equipara a “união civil homossexual” ao Matrimônio, a família nuclear, quando sabemos que isto naturalmente e moralmente é impossível. É uma afronta aos Mandamentos do Senhor: “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa só carne” (Gn 2, 24). É na união do homem com a mulher, no amor e na fidelidade, que surge a nova vida, amada e querida por Deus. A pessoa do homossexual é amada, acolhida e respeitada pela Santa Igreja, que não discrimina as pessoas em sua condição, pelo contrário... No entanto, a prática homossexual é um pecado grave que fere a castidade e a dignidade da pessoa. O que esse governo está fazendo é aprovar o pecado, a depravação, pois o que está acontecendo é a institucionalização do pecado da imoralidade. É isso que vem acontecendo neste mundo pagão e sem Deus, e, infelizmente, este governo que ai está, põe suas garras de fora e mostra para que veio -  para a
frontar a Deus e aos Seus Mandamentos. Pois, assim como os casados são chamados a viver a castidade no Matrimônio, sendo fiel um ao outro, na doação da vida conjugal; e nós Consagrados somos chamados a viver nossa castidade, na vida religiosa; também os solteiros, incluindo os homossexuais, são chamados a lutar para viverem fielmente o Mandamento do Senhor, a castidade em seu estado de vida. Essa é a luta de todos nós, até o fim. Lutarmos para viver segundo a vontade de Deus! Por isso nós pedimos como os discípulos de Emaus: “Fica conosco, porque faz-se tarde, e o dia declina. E entrou com eles” (Lc 24, 29). “Fica conosco, Senhor”, pois precisamos da graça do Seu Coração de Pai, para purificarmos nossas fraquezas e ajudar-nos a vencer o pecado e a tentação. “Fica conosco, Senhor”, para que tenhamos a graça de voltarmos para Vós, e vivermos a fidelidade da nossa fé, nos unindo a Vós, ao Celebrarmos os Santos Mistérios. “E aconteceu que, estando sentado com eles à mesa, tomou o pão, e o abençoou, e partiu e lho dava. E abriram-se os seus olhos, e reconheceram-no; mas ele desapareceu dos seus olhos” (Lc 24, 30-31).
 
Hoje escutamos o Apóstolo São Pedro nos exortar: “E, se invocais como pai aquele que sem acepção de pessoas julga segundo as obras de cada um, vivei em temor durante o tempo da vossa peregrinação (sobre a terra)” (1 Pd 1, 17). Segundo o Apóstolo São Pedro, “viver em temor” significa respeitarmos a Deus e redermos glória ao Seu nome... É isso que nós, Católicos, temos feito? Ou será que temos bebido do veneno, que o mundo nos oferece, com suas leis imorais, que zombam e ofendem a Deus? Sim, como esta que há poucos dias foi aprovada, por este governo materialista e ateu; e, dolorosamente, virá também o projeto de lei que descrimina o aborto. Infelizmente, se dão passos largos para aprovar a matança dos inocentes nos seios de suas mães, pois impiedosamente trucidam, esfacelam, arrancam e matam nossas crianças, com este crime horrendo e doloroso – o aborto. Em muitos países esse assassinato frio e perverso já é legalizado... Rezemos pela nossa Nação, para que não sucumba a esse horrível pecado, que clama os Céus! Meus amados! Zombamos também de Deus quando somos indiferentes e aos Seus Santos Sacramentos – de modo particular a Confissão e a Santíssima Eucaristia. Pois é na Confissão que nossos pecados são lavados e encontramos o céu, corramos para abraçar a Misericórdia do Senhor. Corramos também, e mais que depressa, para o Sacrário, pois lá está o Cristo que nós anunciamos, lá está o Senhor que nos dá a verdadeira vida – o nosso Deus! Ao adentrarmos em Sua Casa (a Igreja) visitemos o Dono da casa, pois é assim que fazemos, quando visitamos nossos parentes e amigos. Não deve ser diferente, quando vamos à casa do Senhor, pois, primeiro devemos falar com o Dono da casa, para partilharmos com Ele nossas alegrias, dores, sofrimentos e nos deixarmos consolar por Ele. Foi assim que aconteceu com os discípulos de Emaús. Por isso supliquemos: “Fica conosco, Senhor”, e Jesus entrará e permanecerá conosco, nos Santos Mistérios, na Santíssima Eucaristia, no “partir do Pão”. Pois o que nós vivemos em volta deste Altar é o Sacrifício do Filho de Deus, Cordeiro Imolado, oferecido ao Pai, e dado a nós como Alimento de Salvação. Abracemos nossa fé Católica e não tenhamos medo de professá-la com fidelidade, e testemunhá-la com a nossa fraqueza. “Na verdade o Senhor ressuscitou e apareceu e apareceu a Simão. E eles contaram (também) o que lhes tinha acontecido no caminho, e como o tinham reconhecido ao partir do pão” (Lc 24, 34-35).
 
Que os nossos corações sejam alimentados pelo amor Maternal, da nossa Santíssima Mãe, de modo particular, hoje, que celebramos o dia das
mães. E, especialmente, invocamos sobre todas elas as Bênçãos e as graças de Deus, pela interseção da Mãe de todas as Mães. Que a Virgem Santíssima acolha os sofrimentos, as alegrias e as esperanças de todas as mães que aqui estão, e vieram rezar pelos seus filhos; daquelas que não estão aqui, mas que pedimos por elas; pelas mães já falecidas, que a Santíssima Virgem as acolha em Seu Materno Coração, que é o Céu! Enfim, vele por todos nós, oh, Mãezinha, que em volta deste Altar desejamos e queremos aprender do Vosso Amado filho, a exemplo dos discípulos de Emaus: “Não é verdade que nós sentíamos abrasar-se-nos o coração, quando Ele nos falava pelo caminho, e nos explicava as Escrituras?” Que saibamos ver o rosto do Seu Amado Filho em cada irmão que caminha conosco, a quem nos foi confiado à prática do amor e da caridade. Que nunca se afaste de nós o Vosso Amor Materno que nos abraça, nos acolhe e nos ama... E digamos sempre contigo: “Fica conosco, Senhor!” Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Para sempre seja louvado e Nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
 
“Sub tuum praesidium confugimus, sancta Dei Genitrix: nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus; sed a periculis cunctis libera nos semprer, Virgo gloriosa et benedicta”
 
(Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem, pg. 295)
 
 
Pela intercessão da Bem-Aventurada e Sempre Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, do Seu Castíssimo Esposo, São José, e São Miguel Arcanjo nosso protetor...
 
Abençoe-vos, Deus, Todo Poderoso,
 
Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!
Padre Tarciso Alves Maia Júnior


Artigo Visto: 1570

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.976.877
Visitas Únicas Hoje: 100
Usuários Online: 50