recadosdoaarao



As almas
Voltar




31/12/2005
Salvai Almas (2)


As almas - 08 SALVAI ALMAS (2)
As almas - 08 SALVAI ALMAS (2)

2040905 “SALVAI ALMAS” (2) Um pouco da nossa História!
 
     No artigo anterior sob este mesmo título expliquei os motivos pelo qual colocamos toda a nossa vida ao serviço do “Salvai Almas”.Muita gente pergunta sobre como tudo isso começou, e o que significa. Não faço isso para me engrandecer, mas porque me foi dado entender a importância deste projeto, que é com certeza de Deus e não meu, ou do Cláudio ou de outro participante. Como diz São Paulo, devemos nos gloriar é de nossas fraquezas! Não somente a minha vida mudou – pois trabalho praticamente 100% para o Movimento - mas também a  vida da família que Deus me deu, com esposa e filhos. Senti este chamado, nunca me arrependi e nunca me arrependerei de ter deixado para trás aquela correria maluca em busca de dinheiro. É hoje, fazendo o que faço que pela graça de Deus, eu sou feliz; todos os que me conhecem sabem e sentem isto.
 
     Comentei com o Cláudio que escreveria este artigo, mas não o faço jamais para enaltece-lo perante os homens, pois ele deve ficar assim, pequeno de verdade. Faço-o para dar ciência a todos os que acompanham os trabalhos e as orações do “Salvai Almas” e para divulgar os números extraordinários obtidos. Sabemos que cada um que nos ajuda é também participante nestes números. De fato, todo aquele que divulga um livro da nossa equipe ou os textos do site já faz parte deste trabalho que não é nosso, mas de Deus, desta família única no mundo e tem seu cabedal de graças já o aguardando no Céu. Vamos então contar a história, desde o início, para as pessoas entenderem melhor. Mas no todo, digamos que este texto é como um “Relatório de Atividades”.
 
     Em primeiro lugar é preciso reafirmar que, infelizmente – e qualquer pessoa pode constatar alguns que aceitam ou pedem intenções de Missa pelas almas, o fazem não com o ardente desejo de libertá-las do purgatório, mas muitas vezes, lamentavelmente, de olho nas espórtulas. Isso é tão horrível que clama aos céus. Como se pode apregoar que a Santa Missa tem um valor de remissão infinito, se por trás dela está uma arapuca para lucrar com a dor e o sofrimento das benditas almas?
 
     Na verdade, infelizmente, aumenta a cada dia até o número de sacerdotes  – que se dirá dos leigos! – que não acreditam mais no purgatório e pregam isso abertamente. Por certo eu deveria aqui citar nomes, mas para quê, se isso apenas aumentaria o escândalo de alguns? É por causa destes escândalos – nisso incluído o esquecimento das almas – que Deus se obriga a suscitar profetas do purgatório e das almas benditas, sob pena de chegar a Terra Nova e termos ainda o purgatório abarrotado de almas sofredoras.
 
     Como alguns já sabem tudo começou com a história de uma má vida. Deus, em Sua infinita Misericórdia, resolveu não somente estender a mão para uma alma que se perdia, mas também quis mostrar ao mundo um assombroso plano de salvação. Para isso, Ele foi escolher uma pessoa ainda viva, chamada Palmira Borba – hoje já falecida e habitando no “grande Céu” devido a seu gesto heróico – cujo pseudônimo em nossos livros passou a ser Hilda. E a ela agora vou pedir autorização, pois já havia autorizado em vida, para poder explicar aos leitores as raízes do projeto “Salvai Almas”, para as pessoas saberem do que se trata. Ela é o pivô central de toda a história. (Ler no site, em ARTIGOS > Julgamento de uma Alma) Vamos por tópicos:
 
01 > HILDA: pelas mensagens dadas ao Cláudio e pelas visões que lhe foram passadas pelo Céu, dona Palmira – Hilda – se havia metido num caminho espiritual difícil, de onde sozinha não conseguiria mais sair. Quer dizer, seus pecados, até aquele momento de sua vida, já eram tão graves e tantos, que se ela não tivesse ajuda das pessoas – das vivas, das almas padecentes e dos santos do Céu – ela, sozinha, não teria mais fortaleza espiritual para fugir das garras do maligno. Se ela m
orresse naquele dia, com certeza, iria para o inferno. Terrível isto, mas algo muito real. Eu não sei quais eram os seus tão graves pecados e mesmo que os soubesse não iria aqui revelar, pois já passou. O que importa é saber que eram gravíssimos! E muitos!
 
     Entretanto, para sintetizá-los penso que posso revelar uma coisa que engloba tudo: Confissões sacrílegas! Esta era a chave que a prendia ao caminho da perda eterna! Pecados graves que ela não aceitava – embora se confessasse mensalmente e até semanalmente, se possível – mas colocava sempre a culpa nos outros – nas outras – jamais aceitando que ela errara. Ela não tinha arrependimento ou contrição, o que é também um pecado de orgulho. E isso, durante anos e anos, a colocou neste estado de morte eterna.
 
      Era preciso salvá-la e para isso Deus resolveu mostrar ao mundo um exemplo de sua maravilhosa engenharia de salvação, construindo para ela uma “ponte” salvadora. E para tanto, começou a canalizar para dona Hilda todas as graças possíveis e necessárias, envolvendo neste projeto, as almas padecentes, os glorificados e muitas pessoas vivas. Vejam! Hilda apenas é um exemplo para o mundo! Na verdade TODOS nós temos que receber a ajuda dos outros para construirmos nossa ponte e nisso se incluem até bispos e papas. Ninguém se salva sozinho! Ninguém constrói a sua ponte, sozinho! Esta a chave: uns salvam aos outros!
 
     A centelha inicial deste trabalho foi um livrinho das 15 orações de Santa Brígida. Naquela época a gente ainda divulgava a Vassula e recebemos do José Beneval Rosa, de Joinville, mais de 500 livrinhos daquelas orações que ele mandara imprimir para distribuição gratuita. Então mandamos um pacote com 50 livrinhos para minha irmã, que morava em Porto Belo e um destes livrinhos foi dado por ela para Hilda, outro para Norma – a filha de Hilda e esposa do Cláudio. E aconteceu que Hilda começou a rezar suas orações no dia 05 de junho de 1997 e o casal começou 10 dias depois. Com dona Hilda nada aconteceu – eles moravam juntos – mas com o início das orações de Cláudio e Norma, as coisas começaram.
 
02 > CLÁUDIO E NORMA: Este casal, depois de haver residido em diferentes lugares como Curitibanos, Rio do Sul e depois Blumenau, acabou construindo uma casinha bem simples no Bairro Vila Nova, em Porto Belo, onde pretendiam morar e instalar uma pequena confecção para reforçar a pequena aposentadoria do Cláudio, deixando sua casa de Blumenau para os filhos. Adquiriram algumas máquinas usadas reservando para isto uma salinha de piso bruto, de concreto, sobre o qual colocaram alguns pedaços de carpete velho. Mas, Deus tinha outros planos para eles.... e também para aquela pequena sala, pois dali iria começar uma linda obra de salvação das almas. Nossa Senhora pediu e eles devolveram as máquinas, fecharam a confecção e abriram uma capelinha dedicada à Nossa Senhora Rosa Mística, se entregando inteiramente nos braços dela. A história da Ponte de Salvação para Hilda, o modo como começaram as mensagens, os ataques furiosos do inimigo e o resto da história do Cláudio já estão nos livros e no site em “Cláudio”, e não mais repetiremos aqui, pois seria muito longo.
 
03 > AS PESSOAS: Com o correr do tempo e à medida que continuaram as mensagens de São Miguel, logo foram aparecendo as primeiras pessoas para rezar na capelinha, uma, duas, dez, tanto dali de perto quanto de cidades vizinhas. Hoje acredito que temos em torno de 200 pessoas que mantém grande fidelidade aos Cenáculos e somente não participam de todos eles por causa de horários de trabalho, participação nos trabalhos das Paróquias, porque Nossa Senhora pede prioridade e engajamento nas comunidades.  Na verdade, somos hoje um grupo de milhares de pessoas em todo o Brasil, rezando pelas almas e divulgando a obra. Destes, Nossa Senhora já fez um chamado de 72 pessoas, que Deus está preparando para o envio em busca de missões futuras.
 
     Tudo é programado e é dirigido de forma milimétrica por Nossa Senhora, com um ca
rinho excepcional de Mãe. E sempre continua aumentando o número de pessoas que chegam e são poucos os que desistem por algum motivo. Os poucos que já desistiram – digo isso sem medo – é porque deram ouvidos a satanás, a fofocas e mentiras. Aliás, isso é bem normal e é prova de que o inferno odeia nosso trabalho de salvação. E se odeia, é porque estamos ligados em Deus, portanto, no caminho certo.
 
 
04 > ANOTAR NOMES: O passo seguinte foi a missão deles de anotar nomes nos cemitérios. Esta tarefa – a pedido do Céu e pelo Céu instruído – foi feita inicialmente pelo casal, Cláudio e Norma e por outras pessoas próximas, também familiares. Eles eram mandados aos diferentes cemitérios da região, mais próximos, onde anotavam os nomes das pessoas escritos nos túmulos, um a um e assim cemitérios inteiros. Quando não havia nome, escrevia-se sempre “uma alma”, onde havia sinal de túmulo ou cruz. Com isso foram se acumulando milhares de nomes, todos anotados, primeiramente em cadernos, um a um. Às vezes em dias de sol escaldante, no meio da semana – o cemitério em si já é quente no verão devido às lápides – lá estavam eles anotando nomes de pessoas para rezar. Foi ali que ele começou a escutar aquelas primeiras historinhas sobre situações de vidas das pessoas anotadas. Grande parte delas já está nos textos “Buscando Almas”, no site e nos livros.
 
05 > LIVRO DA LUZ DE SÃO MIGUEL: De posse daquelas listas de nomes, de cadernos cheios, o Arcanjo São Miguel pediu ao Cláudio que anotasse num livro, nome por nome, cada um daqueles falecidos, o que foi feito em livros, destes de atas. Este é o Livro da Luz! Nele são anotados o nome, a data, e a pessoa que enviou a lista. É que logo começaram a chegar, de todo o Brasil e até do estrangeiro, as listas de pessoas falecidas enviadas pelos divulgadores e com isso os livros se somavam. O sentido era rezar por aquelas almas assim como acontece com os Livros de Intenções de Missas. Tudo isso foi feito com imenso amor e grande fé, na certeza de atender a um pedido do próprio Deus. Ou acham que alguém reclamou das infindáveis e repetitivas jaculatórias, uma para cada pessoa, repetidas às vezes dezenas delas apenas por uma que ainda faltava algo? Só pela graça e pela presença constante dos anjos é que se conseguiu fazer isto. Muitos já tentaram – outros fizeram sem malícia – mandar nomes de vivos para serem escritos ali, mas desafiamos alguém a achar um só que não esteja correto. Quando as pessoas não lembravam o nome completo, São Miguel ditava os sobrenomes.
 
     Aliás, São Miguel sempre avisa quando algo está errado! Por ocasião de um cenáculo no Rio Grande do Sul o Cláudio pediu aos presentes que fizessem listas com os nomes dos falecidos de seus familiares e amigos, para colocar no Livro da Luz e rezar por eles. E quando todos haviam entregado suas listas São Miguel destacou uma com quatro nomes e pediu que fosse ao fundo da sala e a devolvesse a um senhor que ele descreveu com detalhes, dizendo tratar-se de pessoas vivas. Obedecendo, o Cláudio foi lá e devolveu o papel dizendo tratar-se de um engano, pois aquelas eram pessoas vivas. Então aquele senhor revelou que era na verdade um sacerdote, que tinha vindo para “desmascará-lo”, mas que agora sabia tratar-se de pessoa séria, pois todos aqueles quatro listados eram padres que ainda estavam vivos, ele e três outros. 
 
     E as surpresas também aconteciam. Até ali, apenas o Cláudio podia anotar nomes nos livros e só mais tarde outros foram preparados para esta missão; hoje já são sete. E quando ele anotou o nome nº 100.619 – até ali a tarefa de anotar no livro era somente dele – o Arcanjo São Miguel lhe falou que aquele último anotado havia sido o santo de nº 100 mil! Havia até ali, portanto, 100 mil santos e 619 perdidos. Então ele teve que voltar, nomeando em oração um por um dos nomes, rezando por eles, até que todos os que estavam ainda no purgatório estivessem remidos. E sobre o nome de cada um dos 619 perdidos até ali, foi passado corretivo e sobre ele anotado o nome de um sace
rdote, que já estava no céu. Temos ali milhares de nomes de sacerdotes falecidos de todo o mundo!
 
     Todo este trabalho, de certa forma, exaustivo e repetitivo, foi feito durante anos inteiros de oração, cada vez mais aumentando o número de santos no Céu remidos por este trabalho, feito de dia, de noite, de madrugada. Acham fácil assim anotar 100 mil nomes – correspondente a 20 livros de atas de 50 páginas – e rezar por eles um a um? Foram recitadas no mínimo 100 mil jaculatórias – “Dai-lhe, Senhor o descanso Eterno! E que a luz perpétua as ilumine”. Sim, porque algumas almas necessitavam de mais orações e mais repetições.
 
Com isso, entretanto, nosso trabalho também ganhava força – pela comunhão dos santos remidos pela obra do “Salvai Almas” – porque estas almas remidas formavam – e ainda formam – um conjunto poderoso de intercessão diante de Deus, pois é dali que brota a força do grupo, não da nossa parte individual. Nada deste trabalho é nosso, TUDO é de Deus! Então o Anjo disse que não precisavam (Não era mais obrigatório) anotar nomes nos livros, entretanto a equipe continuou a anotá-los e o faz até hoje, pelas mãos de sete outras pessoas, porque as listas continuam chegando e as alminhas querem entrar ali para ajudar e participar deste projeto do Céu. No final daremos os números totais, para que o leitor tenha uma idéia conjunta do nosso trabalho com o Livro da Luz.
 
06 > RESULTADOS: Um dos pontos chaves do carisma do Cláudio são os resultados dos cemitérios. Normalmente, quando rezamos ali, ele recebe do Céu: 1) o número total de túmulos – aí contados todos os que estão pelas redondezas, jogados em valas, em mangues, em poços, em rios e no mar, com uma pedra no pescoço – 2) mais o número dos remidos naquele dia – os ali enterrados que ainda estavam no purgatório – e 3) também o número dos perdidos. Assim, os restantes são aqueles que já estavam no Céu. Normalmente, ele recebe também uma pequena história da vida daquela pessoa ao lado de cujo túmulo ele recebe a mensagem. Para isso é São Miguel quem o conduz para aquele túmulo.
 
   A graça de receber estes resultados é imensa, porque assim nós poderemos responder com números a todos aqueles que duvidam, tanto da Misericórdia de Deus quanto da Sua Justiça. Esta matemática, realmente, mudou até mesmo os nossos conceitos, porque nem a gente, na mais branda das estimativas, achava que seria tão pequeno o número de perdidos. E é isso que nos faz amar tanto e sempre mais a este Deus Misericordioso... e Justo! Sim, em torno de 1% se perde eternamente! Ninguém duvide da Justiça divina. Já tivemos padres que vieram aqui por causa destes números e saíram impressionados.
 
07 > OS CENÁCULOS: Ao tempo em que continuava o trabalho de anotação de nomes e o recebimento de listas, aconteciam os primeiros Cenáculos e caminhadas marcadas por Nossa Senhora para a capelinha e cidades vizinhas. Por aquele tempo começaram também as chamadas “Via Sacras de Rua”, onde visitávamos casas de pessoas doentes e abandonadas. Em cada caminhada destas sempre saía o resultado – número – de almas remidas, sempre números altos que nos assustavam. Cada etapa de nossa caminhada foi completada com segurança e em cada uma delas fomos aprendendo sempre mais a respeito desta devoção. Nada foi feito às pressas ou de forma atabalhoada! Nenhuma decisão foi nossa, tudo por disposição de Nossa Senhora.
   
     Numa destas caminhadas, no Santuário de Azambuja em Brusque, onde participaram ao todo 72 pessoas, entre adultos e crianças, aconteceu a remissão de um milhão de almas que estavam no Purgatório. Vocês não fazem idéia do que aconteceu naquele dia com diversas pessoas vendo claramente seus pais ou mães indo para o Céu naquele momento. Os que tiveram esta graça não duvidam de nosso trabalho! Acreditem, foram centenas de caminhadas assim, de Cenáculos, de Santas Missas; também as visitas às casas de doentes, físicos e espirituais, passaram de 300 casas da famílias, em diversos municípios. De tudo isso nós íamos tirando lições e aprendendo
na escola do Céu. Deus ia preparando cada um de nós, sempre a fim de números maiores. Lembro ainda que os nossos Cenáculos até já chegaram a passar de 10 horas de oração entremeada de lindos cantos, sem que, no entanto, ninguém fosse embora ou ficasse cansado. Em que outro lugar acontece coisas assim? Sem falatórios e discussões, somente preces? Quantos no mundo suportam isso?
 
08 > OS LIVROS: Quando aumentaram as mensagens de Nossa Senhora e São Miguel, e quando estava já completa a história da Ponte da Salvação, partimos – tateando – para o primeiro Livro. Foi com alegria incontida que assumi esta tarefa, de montar toda aquela história encaixando os textos selecionados pela Mãezinha, e certamente que foi uma graça imensa poder colaborar assim. Ficava extasiado, horas e horas diante daquele computador, sem sentir nada, nem ouvir coisa alguma. A maior dificuldade que nós encontramos, até por absoluta falta de parâmetros, foi enquadrar a história de dona Hilda. Nós não poderíamos colocar no livro a idéia de uma pessoa extremamente má, revelando todos os seus pecados, porque os leitores iriam dizer: se uma pessoa destas se salva, então ninguém se perde. Por outro lado, se colocássemos a história de alguém muito santa, eles diriam: se uma pessoa destas se perde, então quem se salva? Em resumo, tínhamos que trazer a verdade e nos preocupar muito com as palavras para elas não serem entendidas de forma incorreta.
 
     E certamente tivemos que escrever e reescrever esta parte muitas vezes. Quando tudo estava pronto, recebemos o OK de Nossa Senhora para imprimir. E já estando definida a gráfica e tudo, o Cláudio e eu imaginávamos uma primeira edição de mil livros no máximo. Quando Nossa Senhora pediu para mandar imprimir 10 mil livros de saída, quase desmaiei. Eram quase R$ 10 mil reais! Onde arrumar tanto dinheiro? Mas fomos sem medo! E foi naquele momento, depois de me refazer do grande susto, que senti que aquela obra não teria uma dimensão pequena, mas alcançaria números elevados. De fato, meu sonho até então era que a equipe conseguisse a libertação de um milhão de almas, assim eu pensava. Depois daquele primeiro livro veio o Livro 2, depois o Livro Mateus e hoje temos ao todo 17 livros, entre os ainda em circulação, contando três números esgotados, e mais dois prontos aguardando a ordem da Mãe para irem à gráfica.
 
09 > AS CONVERSÕES: À medida que saíram os livros eles se espalharam por todos os Estados do país e foram surgindo as primeiras grandes conversões e mudanças de vida. E foi aumentando rapidamente o número dos que rezam pelas almas e o de divulgadores, porque não vendemos os livros em livrarias, tudo é trabalho de leigos dedicados. Logo fomos percebendo que as pessoas começavam a rezar sempre mais, partindo antes para uma boa confissão, e isso é maravilhoso.
    Em verdade hoje temos depoimentos de conversão, motivadas por todos os nossos livros – cada um com suas histórias – e podemos dizer que hoje o “Salvai Almas” é o maior grupo de orações pelas almas que se conhece. Entre estes convertidos temos não somente donas de casa e pessoas simples, mas também pessoas letradas, como médicos, engenheiros, escritores, dentistas, advogados, comerciantes, professores universitários, jovens e também velhos, estudantes de até 13 anos com suas belas histórias. Temos também conversões de pessoas de vida, antes, desregrada como homossexuais, prostitutas, espíritas, macumbeiros e outros.
 
     Também temos depoimentos de conversão de padres – isso mesmo, e de muitos Estados, também de irmãos e irmãs religiosas que nos pedem os livros e rezam conosco e por nós. E falando em conversões, não se trata de conversões superficiais e pouco duradouras, mas algo que brota de mudança interior profunda, que partem da confissão e seguem no trabalho de divulgação de toda a obra, de engajamento na Igreja. Milhares de pessoas – digo isso com todas as letras – já estão experimentando esta profunda revisão de vida e mudando completamente seus procedimentos, voltando tudo para
a busca do Céu. E passam a ser felizes como nunca o foram. Esta é a prova maior de um trabalho que vem de Deus: a felicidade! Uma grande prova destas conversões se dá em nossos leitores que não mais se assustam com o tema das almas – quando muitos morriam de pavor até de cemitérios – e pela leitura de livros fortes como o Mateus e o Ele Vem! Só os realmente convertidos não se assustam com isso, porque aprenderam a confiar em Deus!
 
10 > BUSCANDO ALMAS: Caminhando um passo a cada dia sempre o Céu foi nos preparando a fim de novas missões. E começaram as caminhadas mais fortes nos cemitérios. Primeiro por perto em um ou dois cemitérios aqui em Santa Catarina e depois cada vez mais longe, até atingirem outros Estados, onde caminhamos por até três dias ou mais com até 60 cemitérios visitados. Nos últimos dias fizemos a primeira viagem a Minas Gerais, região do Triângulo Mineiro. Na verdade, depois que o Livro da Luz atingiu os 100 mil nomes de santos a equipe recebeu a imensa graça da remissão de todo um cemitério visitado, bastando ir lá rezar as orações indicadas por Nossa Senhora.
 
    Ou seja, por intercessão daqueles primeiros 100 mil santos, mais todos os outros que haviam sido remidos nos Cenáculos, na caminhadas e outras orações – pela chamada “Comunhão dos Santos”, pelos merecimentos infinitos da morte e ressurreição de Jesus, pelos méritos de Nossa Senhora, de toda a Igreja – agora bastava rezar no cemitério as orações indicadas por Nossa Senhora e acontecia a libertação de todas as almas daquele cemitério que ainda estivessem no purgatório.
 
     Tudo isso feito passo a passo, somando-se as graças na medida da nossa disposição e amor. Óbvio que sempre a carga maior estava sobre os ombros do Cláudio e da Norma, embora o mérito central de tudo fosse o de Hilda, como Jesus falou, porque colocara o seu nome e sua vida na boca de meio mundo para exemplo de milhares. E assim as nossas caminhadas se estenderam por todos os Estados da Federação – hoje cada pessoa ou grupo que faz a visita tem a mesma graça da remissão de todo o cemitério, basta que reze as mesmas orações que nos são pedidas – e temos até alguns brasileiros (no exterior) e portugueses em sua terra que já encaminharam suas visitas aos cemitérios para anotação no livro da Luz de São Miguel.
 
      Hoje, todos os municípios de Santa Catarina já foram visitados pela equipe e estão com todos os cemitérios remidos. Ou seja, em nosso Estado a maioria é de salvos e perdidos! Mas tem os que estão morrendo dia a dia e que vão para o purgatório. O mesmo acontece com o Estado de Goiás. A valente equipe do Anísio e amigos de Goiás já percorreram quase todas as cidades daquele Estado e Deus Pai concedeu esta graça. Também Levão e sua equipe já correram todo estado de Tocantins. A realidade a maioria dos estados brasileiros está hoje remido, menos Rio de Janeiro e Bahia.
 
     Também foram passados em mais da metade do Estado do Rio Grande do Sul, aqui com a ajuda preciosa da equipe do Natalino, esposa e amigos, de Santa Cruz do Sul, e mais de 70% dos municípios do Paraná já foram visitados. O Estado de São Paulo, também já recebeu diversas caminhadas e toda a grande região metropolitana onde se encontram mais de 9 milhões de túmulos, já teve dezenas de visitas em cada cemitério. No Estado do Rio de Janeiro tem uma equipe de 15 pessoas que visitam os cemitérios regularmente e acompanham todos os eventos do “Salvai Almas”, apesar da distância, fazendo os Cenáculos nos mesmos dias e horários programados em Santa Catarina.  Afinal, em todos os Estados já aconteceram visitas e existem equipes atuando em todo o território nacional.
        Fim da primeira parte, segue-se a segunda:



Artigo Visto: 3488

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.950.963
Visitas Únicas Hoje: 52
Usuários Online: 45