recadosdoaarao



Eucaristia
Voltar




12/06/2015
A ceia abominável
O trabalho da Igreja é anunciar a doutrina cristã e a verdade do amor conjugal e trazer o homem a plena realização


A comunhão abominável! (Importante ler o comentário ao final)

A Comunhão proposta por Kasper 'insulta Cristo'...

11/06/2015 - O Cardeal Robert Sarah, prefeito altamente respeitado da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, no Vaticano, nomeado em 2014 pelo Papa Francisco, foi bem claro no passado Sínodo Extraordinário sobre a Família que qualquer tentativa de separar o ensino católico da "prática pastoral" é uma forma de "heresia e uma patologia esquizofrênica perigosa”.

Fonte: http://www.lifesitenews.com/

 

ROMA, 11 de junho de 2015 ( LifeSiteNews )

 

"Falando em 20 de maio no João Paulo II Pontifício Instituto para os Estudos sobre o Matrimônio e a Família, em Roma, por ocasião da apresentação do livro Cantagalli série Família, Work in Progress, o cardeal enviou uma mensagem clara ao cardeal Walter Kasper e seguidores. Kasper tem sido o principal protagonista desde 2014 no Consistório ", sugerindo" comunhão para divorciados novamente casados ​​e continua nessa linha até o presente com muito apoio dos bispos alemães.

"Se alguns países estão fazendo isso já (dando a Eucaristia aos divorciados novamente casados) estão insultando a Cristo, é uma profanação do seu Corpo e eles são culpados porque eles estão fazendo isso com conhecimento de causa."

Cardeal Sarah é totalmente contrário a isto, afirmando que "a Igreja Africana vai se opor veementemente a qualquer rebelião contra o ensinamento de Jesus e do Magistério."

"No que diz respeito misericórdia? O fato é que não são precisos em usar a palavra cristã 'misericórdia'. E sem explicar [o que esta palavra significa] para enganar as pessoas. Misericórdia [nos faz] fechar os olhos para não ver o pecado ... O Senhor está pronto para perdoar, mas se voltar, e se desculpar por nossos pecados ", disse ele. "Cristo era misericordioso, mas afirmou que ao romper o casamento é adultério. Não podemos interpretar essas palavras de forma diferente - é um pecado [a fazê-lo] e o pecador sem arrependimento não pode receber o Corpo de Cristo ".

Ao permitir, em particular, que uma diocese sem autorização do Sínodo permita isso, significa profanar Cristo", continuou ele. Nós enganamos as pessoas, falando sobre a misericórdia sem saber o que essa palavra significa. O Senhor perdoa nossos pecados, mas, se nos arrependermos. ... Eu acho que é mais corajoso ficar com Cristo na cruz, e ser fiel às suas palavras. Não é fácil viver o Evangelho."

E em uma alta nota de encorajamento para outros prelados e fiéis, o cardeal deixou claro que, "O desafio para a Igreja é lutar contra a corrente, com coragem e esperança, sem ter medo de levantar a voz para denunciar a fraude, manipulação e falsos profetas. Mais de 2.000 anos, a Igreja enfrentou muitas adversidades, mas com a ajuda do Espírito Santo, sua voz sempre foi ouvida. "

"É claro que é errado para a Igreja em usar palavras que são usadas na ONU. Temos nosso vocabulário para explicar o que acreditamos."

Referindo-se ao uso de certas palavras que não são apropriados para a Igreja e necessitem de esclarecimento, ele disse: "É claro que é errado para a Igreja de usar palavras que são usadas na ONU Temos nosso vocabulário para explicar o que cremos. Se a Eucaristia é de apenas pão que também pode se dar a pessoas divorciadas que violarem a aliança. "

"Eu acho que temos que pesar as palavras que usamos, porque as pessoas ouviram os bispos [e] o Papa e esperam que haverá uma mudança total", disse ele. "E mesmo que hoje estamos a ouvir uma nova direção nas palavras do Santo Padre - as pessoas não acreditam em nós - porque eles acreditam que haverá uma mudança, haverá uma revolução, mas não é verdade, porque o Doutrina não pertence a ninguém, mas a Cristo, à Igreja ".

Falando de sair para ajudar aqueles em necessidade, ele opinou sobre o testemunho que cristãos estão dando hoje em diferentes partes do mundo. "É fácil para ir para a periferia ... Mas com quem é que vamos? Se não levar Cristo, trazemos nada! Eu acho que a coisa mais corajosa a fazer é manter-se como cristão, como muitos cristãos estão fazendo agora -. Eles estão morrendo no Paquistão, no Oriente Médio e África "

Comparando oferecer ajuda para aqueles que precisam, com os Golias seculares de hoje, que atacam as famílias cristãs em todos os níveis, ele disse: Eu não estou dizendo que não devemos sair para levar o Evangelho, mas a coragem que precisamos para trazer é o de indo contra a corrente porque o mundo já não tolera o Evangelho.

"O debate em curso é viciado porque muitas vezes até mesmo os jornalistas colocam o Papa contra a Cúria, o que não é verdade", disse ele. "Mas as pessoas pensam que somos uns contra os outros e pensam que o Papa disse que é a favor de dar a Comunhão aos divorciados [as pessoas] e até mesmo isso é apenas uma interpretação de suas palavras."

"Como disse Ratzinger, um direito que não é baseado na moralidade se torna injustiça. Por esta razão, é necessário ter em mente o contexto de secularização em que vivemos ... O distanciamento de partes inteiras da sociedade moderna longe do cristianismo anda de mãos dadas com a ignorância e a rejeição da doutrina e da identidade cultural. "

Em relação a Assembleia Geral do Sínodo em outubro de 2014, disse o cardeal, "Ficou claro que o foco real não era e não é apenas a questão das pessoas recasados-divorciado, mas, se a doutrina da Igreja é para ser considerada como um ideal inatingível, inatingível e, portanto, na necessidade de um ajuste para baixo a propor ao mundo moderno de hoje. Se as coisas são assim, então ele necessariamente requer um esclarecimento sobre se o Evangelho é uma boa notícia para o homem ou um encargo desnecessário que não é mais possível. "

"Dizer que a sexualidade humana não depende da identidade do homem e da mulher, mas uma orientação sexual, como a homossexualidade, é um totalitarismo de sonho."

Em resposta a ideologias que lutam contra hoje, o Cardeal desmascarou o engano e falta de amor verdadeiro por trás deles. "Hoje uma das ideologias mais perigosas é a de gênero, segundo a qual não existem diferenças ontológicas entre homem e mulher, o macho e a identidade feminina não seriam escritos na natureza. ... Para dizer que a sexualidade humana não depende da identidade do homem e da mulher, mas uma orientação sexual, como a homossexualidade, é um totalitarismo de sonho, e é uma verdadeira ideologia que nega a realidade das coisas. ... Eu não vejo um futuro em tal engano. "

"Uma coisa", disse ele, "é respeitar a pessoa homossexual, que têm o direito de respeito genuíno, outra coisa é promover a homossexualidade. Também as pessoas divorciadas, se casado novamente tem o direito de respeito genuíno, mas a Igreja não pode promover um novo conceito de família. As pessoas homossexuais são as primeiras vítimas desta deriva. ... O trabalho da Igreja é anunciar a doutrina cristã e a verdade do amor conjugal e trazer o homem a plena realização. "

++++++++++++++++++

OBS > Muito instigante e maravilhoso ver um cardeal verdadeiro, que honra seu título e veste a pele do Cordeiro sendo claro e direto desta forma, contrariando aqueles que vestem já, não somente a pele dos lobos, como a capa de satanás, quando se dispõem a destruir a Igreja, introduzindo nela a abominação. O alvo deles e de satanás é a Santa Missa, não a "misericórdia" em relação aos pecadores. Para destruir o sentido puríssimo da Eucaristia, basta aprovar a comunhão a todos indistintamente, não somente pecadores na Igreja, também os de outros credos, seitas e religiões.

Assim eu me permitiria a acrescentar uma coisa que parece estar fugindo da percepção até dos cardeais ainda bons, e que mostra claramente o cumprimento da profecia de Daniel sobre a abominação desoladora, que será colocada no lugar do Sacrifício Perpétuo, profecia lembrada por Jesus quando disse em Mateus 24, 15 Quando virdes estabelecida no lugar santo a abominação da desolação que foi predita pelo profeta Daniel (9,27) - o leitor entenda bem - 16 então os habitantes da Judéia fujam para as montanhas... 21 porque então a tribulação será tão grande como nunca foi vista, desde o começo do mundo até o presente, nem jamais será22 Se aqueles dias não fossem abreviados, criatura alguma escaparia; mas por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados. 

Acaso Nossa Senhora não disse na mensagem do dia 10 passado que os tempos estão se encurtando? Os dias estão sendo sim abreviados, para que não morram todas as populações diante do que está acontecendo, e daquilo que ainda virá. Ou seja: tudo está se cumprindo e se encaixando, basta ter discernimento e se percebe. Vejamos algumas partes desta profecia de Daniel, que tem a ver com a destruição Santa Missa, com a Eucaristia, que é o verdadeiro alvo dos nossos inimigos, dos adversários de Deus. Para agradar e se unir aos protestantes, a Missa será modificada, transformada em ceia, e o primeiro passo é fazer com que todos os pecadores participem da “ceia”.

Está em Daniel 8, 9 De um deles saiu um pequeno chifre que se desenvolveu consideravelmente para o sul, para o oriente e para a joia (dos países). 10 Cresceu até alcançar os astros do céu, do qual fez cair por terra diversas estrelas e as calcou aos pés. 11 Cresceu até o chefe desse exército de astros, cujo (holocausto) perpétuo aboliu e cujo santuário destruiu. 12 Por causa da infidelidade, além do holocausto perpétuo foi-lhe entregue um exército! A verdade foi lançada à terra. O pequeno chifre teve êxito na sua empreitada. 13 Ouvi um santo que falava, a quem outro santo respondeu: quanto tempo durará o anunciado pela visão a respeito do holocausto perpétuo, da infidelidade destruidora, e do abandono do santuário e do exército calcado aos pés?

Está em Daniel 11, 30... Dirigirá novamente sua fúria contra a santa aliança, tomará medidas contra ela, fazendo um pacto com aqueles que a abandonarem. 31 Tropas sob sua ordem virão profanar o santuário, a fortaleza; farão cessar o holocausto perpétuo e instalarão a abominação do devastador. 32 Submeterá, com suas lisonjas, os violadores da aliança, mas a multidão daqueles que conhecem seu Deus manter-se-á firme e resistirá. 33 Os homens doutos desse povo instruirão um grande número; mas, durante algum tempo, perecerão pela espada, fogo, cativeiro e pilhagem. 34 Enquanto forem caindo dessa maneira, serão um tanto amparados; e um bom número unir-se-á hipocritamente a eles.35 Muitos desses sábios sucumbirão, a fim de que sejam provados, purificados e branqueados até o termo final; ora, esse final só chegará no tempo marcado.

Está em Daniel 12, 7 Então ouvi o homem vestido de linho, que estava em cima do rio, jurar, levantando para o céu sua mão esquerda bem como sua mão direita: pelo eterno vivo, será num tempo, tempos e na metade de um tempo, no momento em que a força do povo santo for inteiramente rompida, que todas estas coisas se cumprirão. 8 Ouvi essas palavras, mas sem entendê-las. Meu senhor, perguntei, qual será a conclusão de tudo isso? 9 Vamos, Daniel, respondeu; esses oráculos devem ficar fechados e lacrados até o tempo final. 10 Muitos serão limpos, acrisolados e provados. Os ímpios agirão com perversidade, mas nenhum deles compreenderá, enquanto que os sábios compreenderão. 11 Desde o tempo em que for suprimido o holocausto perpétuo e quando for estabelecida a abominação do devastador, transcorrerão mil duzentos e noventa dias. 12 Feliz quem esperar e alcançar mil trezentos e trinta e cinco dias!

É preciso discernimento e muitas luzes do Espírito Santo para ligar as coisas. Vejamos o que está escrito em Levítico 18, 22: Não te deitarás com um homem, como fosse mulher: isso é abominação! O que está escrito em Lucas 16, 18 Todo o que abandonar sua mulher e casar com outra, comete adultério; e quem se casar com a mulher rejeitada, comete adultério também. Ou seja: temos aqui dois pecados claramente definidos nas Sagradas Escrituras como abominações diante de Deus. São pecados gravíssimos, sobre os quais não pode haver dúvidas, nem se podem aceitar novas interpretações, ou justificativas, nem mesmo a misericórdia e a pastoralidade, porque ambos estão definidos, julgados e condenados pela Lei de Deus. São abominações e ponto final!

Mas o que falou Daniel e Jesus lembrou? Será retirado o Sacrifício Costumado, e introduzida a abominação no templo Santo! Ora, acaso não falamos de duas abominações: adultério e homossexualismo? E o que eles querem? Dar a comunhão a ambos os que praticam tais abominações! Ou seja: estarão permitindo que a abominação adentre o templo santo. E por que usam destes dois pecados gravíssimos, claramente definidos na Bíblia? Por que se passarem estes, terão por questão de diabólica coerência de dar a comunhão a todo tipo de pecador inconfesso e impenitente, porque não há lógica em permitir que um homossexual ativo possa participar deste Sacramento sem culpas, e não também um assassino, um corrupto, um mentiroso, um idólatra, um devasso e um feiticeiro satanista.

O que além de conspurcar a Eucaristia, extinguiria também o Sacramento da Confissão. Isso significa que o sentido Puríssimo do Santo Sacrifício da Missa, Corpo Vivo de Jesus Eucaristia, seria conspurcado pelas abominações. Se me faço entender bem: bastaria isso para cumprir a Sagrada Escritura quanto à abominação, mesmo antes de trocarem a Consagração por uma mera bênção, como ainda virá. Os sacrilégios seriam todos aprovados, a imundícia espiritual seria canonizada, e então, Deus Mesmo, Se retiraria da Santa Missa, antecipando-Se ao verdadeiro desastre que ocorrerá quando a Missa for tornada protestante, como tantas profecias atuais nos alertam.

Portanto, caros amigos e leitores, estamos na iminência de uma gravíssima deflagração! Se eles cumprirem isso, como tudo leva a crer que o farão, nós teremos a certeza de que estaremos entrando na segunda metade da semana de anos - os últimos sete anos da tribulação final - e no grande redemoinho do fim dos tempos. Tudo pode acontecer depois deste sínodo de outubro próximo, caso a besta consiga introduzir estas modificações na Santa Missa. Lembro que a causa gay não passou em votação de maioria de 2/3 no sínodo passado, por apenas dois míseros, votos. Como o Vaticano está excluindo os bons e escalando os maus para a nova rodada, não restam dúvidas de que a abominação passará, até porque tudo tem que se cumprir. Que virá então? Daniel é quem diz..

Como está em 9, 25... Nos tempos de aflição, 26 depois dessas sessenta e duas semanas, um ungido será suprimido, e ninguém (será) a favor dele. A cidade e o santuário serão destruídos pelo povo de um chefe que virá. Seu fim (chegará) com uma invasão, e até o fim haverá guerra e devastação decretada. 27 Concluirá com muitos uma sólida aliança por uma semana e no meio da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; sobre a asa das abominações virá o devastador, até que a ruína decretada caia sobre o devastado. Que disse o profeta? Um ungido será suprimido! O que aconteceu com Sua Santidade o Papa Bento XVI? Ele foi suprimido!

Sinal de que estaremos então na metade dos sete anos finais. Ou seja feliz de quem espera e alcança os 1335 dias, que são três anos e meio, mais 45 dias. O resto eu deixo por conta da meditação e do discernimento de cada leitor. (Aarão)


Artigo Visto: 2711

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.948.508
Visitas Únicas Hoje: 237
Usuários Online: 59