recadosdoaarao



Cartas
Voltar




27/11/2012
Minha angústia


27/11/2012 14:23:25
Cartas - Minha angústia

Minha Angústia (comentários ao final)

 Bom dia Arnaldo...


Assisti pela internet o Cenáculo das Almas, sábado passado, e senti, pela mensagem e também pela fala do Claudio, que não deve ocorrer grandes mudanças em dezembro próximo.


Nesse final de semana fiquei rezando e meditando em todo o trabalho que já fizemos toda a nossa dor passada, os escárnios, as gozações, os inimigos e as desavenças feitas por afirmar categoricamente o que nos esperava e espera... Por fazer o trabalho tantas vezes pedido pela Mãezinha, de alertar as pessoas e tentar acordá-las. Não consigo entender, e essa que parece ser uma angustia de todos nos, como as mensagens e afirmações de Nossa Senhora nos levavam a crer, e ainda levam (pelas respostas as suas indagações), que tudo se daria conforme esta nos livros... Nos livros tudo converge para dezembro próximo.


Não posso pensar que Deus esteja "brincando" conosco sobre isso. Porém fico imaginando a gozação e a descrença geral quando dezembro chegar e nada tiver acontecido. Isso me é angustiante. Eu, particularmente, serei massacrado aqui. Não que eu me importe, mas nem todos pensam assim. Penso que quando virem que nada aconteceu, de novo, em mais uma data chave anunciada para o fim a tendência é que todos abandonem de vez essa luta. Não creio que teremos condição de defender mais alguma coisa depois disso. Ficaremos desacreditados, igualados a outras seitas que previram erradamente tantas outras datas para o fim.


Vejo os maus sacerdotes fazendo festa (ninguém sabe o dia nem a hora)! Um sacerdote daqui já disse que nosso Movimento Salvai Almas virou seita, com o Claudio como líder e os seus adeptos e ferrenhos seguidores... Vejo os escarnecedores sorridentes e orgulhosos, "não te falei que tudo era conversa?", "Deus jamais permitirá que isso aconteça!". Assim como você, não consigo imaginar como Deus permitiria esse descredito ao movimento. Você então será praticamente "linchado".


É certo que não podemos entender os caminhos de Deus, mas por essa linha de pensamento humano, Ele pode prorrogar esse estado de coisas indefinidamente, aguardando que os filhos rebeldes voltem. Nada O impede de fazer isso! Lembrei-me da parábola do filho prodigo e da ovelha perdida. Deus faz de tudo por um filho rebelde, inclusive fazer esperar, na angustia, os filhos que sempre O acompanham. Isso é combustível para os ateus, cientologistas e demais que não acreditam que haja um Deus zelando pela humanidade. Um Deus que deixa todos sofrerem e não faz nada?


Essas palavras não são de revolta, porque não somos nada e Deus sempre faz o melhor. É mais um desabafo. Sinto que estamos perdendo a força, o ânimo, nessa batalha. Estamos perdendo o poder de persuadir, de argumentar, justamente pelos acontecimentos serem tão diversos do que nos são indicados, e sendo assim, tudo é fruto de um lunático qualquer (nós). Estamos caindo em descrédito... E, se para nos é difícil entender, imagine para um leigo no assunto, o qual recebeu um livro, leu mais por curiosidade e viu que nada daquilo aconteceu...


Meus familiares mais católicos não acreditam em nada disso. Não deixam de participar da vida religiosa, mas não acreditam que tudo esteja no fim. Não acreditam que a Igreja passa por provações... E, particularmente, acho que nem em uma geração acreditarão se não virem com seus olhos as coisas acontecendo. Se Deus tiver que esperar a minha família se converter, somente pelo meu esforço, creio que morrerei e isso não terá acontecido...


Nunca deixo de rezar e rezar e rezar... As pessoas caçoam de nós porque rezamos tanto! "Não precisa rezar tanto", "temos que nos divertir", "tenho que viver essa vida...", "uma Ave-Maria para Deus é muito". Até quando, Senhor? Até quando, Senhor?


Desculpe-me. Sei que você também deve estar passando por um período difícil... Continuemos salvando almas! Reze por mim, estou passando um bocado por aqui... Uma das provações que me estão destinadas chegou. E é forte! Rezo por você também!


Obrigado e desculpe-me novamente. J...


+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++



OBS: Coloco esta cartinha, muito bem ponderada, porque ela responde a muitas das perguntas e mostra todas as dúvidas que todos nós estamos tendo neste momento. Estas são palavras de um verdadeiro convertido! Digo que também eu sinto o mesmo! Parece um momento de escuridão, onde Deus prova nossa fé. Nos últimos dias eu deixei de escrever e de falar sobre o que está acontecendo porque Nossa Mãe pediu para não comentar mais. Sei que este “não comentar” se refere à questão das datas, mas tenho preferido não dar mais cordas ao inimigo, porque tudo o que dissermos ele trata de distorcer na cabeça das pessoas. Mesmo naquelas que dizem que rezam.


Como já sabem, eu fiz uma série de perguntas, num longo e detalhado questionário e deixei em oração junto ao Cláudio. Também neste último cenáculo, levei uma cartinha para a Mãe, e deixei lá, mas também nesta fiquei na escuridão, sem respostas. Mas ele me fez sentir que passa pelo mesmo momento que nós todos, e não somente ele, também Nossa Mãe sofre a mesma dificuldade, porque diz assim: nós não temos argumentos para fazer a todos entender o que está acontecendo. O Pai está agindo. Rezem. De fato, Maria não é onisciente, não sabe de tudo como alguém possa imaginar: ela só responde pela instrução do Pai! E foi sempre assim, eu sempre perguntei antes de ir avante.


Na realidade são apenas duas as pessoas que por hora continuam me questionando sobre os acontecimentos, mas como são pessoas de um linguajar duro, não ponderado, que soa sempre como ofensivo, de cobrança obsessiva, já as direcionei para “spam” e vejo que ficam irados por não receberem resposta. Se o próprio Deus não teve argumentos para fazer entender Sua Vontade e sua Santa Palavra, se Jesus mesmo não conseguiu converter Judas, nem moveu o coração do Sinédrio, imagine se nós podemos ter a petulância de agradar a todos. Como diz a letra da música: nem mesmo Cristo agradou a todo mundo. E se nossos argumentos não convencem, guardemo-nos de dar cordas ao inimigo.


Vejam que, em 15 anos de trabalho neste Movimento, nunca fiquei sem respostas, sem poder levar aos amigos leitores e divulgadores uma palavra de segurança, uma alavanca de fé, como agora. Eu sei perfeitamente que Deus tem tudo sob Seu controle, e sei que Ele está fazendo o melhor, para o nosso bem. Um dia todos entenderão isso também! Como sempre tenho dito, o projeto de Deus tem apenas um item: salvação das almas que Ele criou com tanto amor! Tudo o mais é secundário e pode ser aleatório, inclusive das datas, porque passadas no tempo humano, flutuam no tempo divino. E eu pergunto: se a mensagem ao Cláudio previu com matemática precisão de 78 dias a queda das torres, por qual motivo outras dariam errado? Não seria porque nós esperávamos algo muito diferente?


Vou dar um exemplo! Num dos últimos artigos eu coloquei aquela frase referente aos 800 degraus, e deixei no ar para discernimento, embora que, já por ocasião da mensagem havia posto um comentário dizendo que se tratava de dias. Ou seja: 800 dias, que se encerraram no dia 23 próximo passado. E muitos dos que fizeram as contas ficaram esperando alguma coisa, algum evento forte, quem sabe uma catástrofe, um castigo, quando o máximo que aconteceu foi ficarmos aqui por três horas sem internet, por causa daquele problema do sol, que afeta as comunicações e a energia elétrica. Mas qual foi a resposta? “Significa que agora já galgastes todos os degraus: estais preparados!”


Mas estamos preparados para o que? Para nossa verdadeira missão? Para o martírio? Para suportar os ataques e as perseguições? Creio que, se ainda estamos a reclamar é sinal de que não estamos preparados para nada! Ainda não nos submetemos totalmente à vontade do Pai, nem confiamos cegamente em seus desígnios de amor. Tudo o que o meu entendimento agora diz, por tudo o que meditei durante todos estes últimos dias, nos diz que perdemos a chance de uma virada sensacional do jogo contra o inimigo. Tudo AINDA pode acontecer fulminante, mas este fulminante pode também demorar mais do que imaginávamos.


De concreto posso dizer que no dia 15 de fevereiro de 2012 começou a contagem dos dias fatais, ou seja, dos 1335 dias de Daniel. Deste tempo, grande parte será tomada pela grande evangelização, a preparação das pessoas para o segundo advento. Mas sobre este dia tenho ainda que manter um segredo, porque sua abertura depende de outros fatores. Nada importante para agora. Há, pois, uma série de variantes que entra neste jogo, algo que nossa cabecinha diminuta não consegue penetrar. Uma coisa é certa, entretanto: Deus precisa nos alertar, mas ao mesmo tempo se obriga a manter o inimigo sob seu controle! E por isso as respostas secaram.


Para uma data ainda não revelada, e para breve, quando perguntei a resposta foi apenas esta: “Outras explicações darão fim às dúvidas”. Então temos que aguardar! Sei que o Cláudio tem ainda muitas mensagens para digitar e está em atraso, e tem também as linhas vermelhas para divulgar como foi prometido, e que haverá um livro neste sentido, mas não sei quando isso será revelado. Nem ele sabe! Deste modo, ficamos aqui no aguardo de mais luzes, em meio a esta expectativa. E como é angustiante, dolorosa!


Mas vejam, mesmo que pela fala do Cláudio no último cenáculo ele deixe transparecer que nada de grave acontecerá até o dia de Natal próximo, fica no ar a espada da mensagem de dia 11/08/2011 > Eu vos afirmo: o Brasil sentirá fortemente o desastre somente no final do próximo ano. E este ano próximo ano certamente é este de 2012 em que estamos vivendo. Outros profetas também anunciam a mesma coisa para dezembro. Temos, portanto, esta expectativa no ar. Se nada de mais grave acontecer, certamente que também esta mensagem ficaria prejudicada, pelo menos no entender de muitos, porque não temos a compreensão do que significa este: “sentirá fortemente”. Não se sabe se é crise interna, se algum acidente grave, se uma reviravolta política, se um caos financeiro. Só Deus sabe! Como pode, também, ser uma pedrada! Que bem o merecemos!


Mas veja, eu não desejo castigo para ninguém, mas não posso ignorar que ele virá. Não quero a dor de pessoa alguma, nem sangue derramado, mas são 15 anos lutando em busca da conversão de todos, o que poderia evitar muitos sofrimentos, dores e angustias e isso para toda a humanidade. Mas está cada dia mais difícil viver neste mundo! A violência se expande demais em todo mundo, e as pessoas saem por ai matando inocentes e incendiando ônibus, como verdadeiros possessos. Já avisamos há décadas que isso aconteceria. Infelizmente mesmo as pessoas vendo isso, ao invés de rezarem buscam mil argumentos para não mudar de vida, e se enfurecem com quem tenta alertá-los!


Na realidade as datas de Deus, são apenas limitadores de tempo, ou divisores que marcam início de alguma fase do plano divino. Dentro deste plano os acontecimentos podem se dar antes ou depois, até porque nem todos são concomitantes. Deus os pode ir encaixando na medida de sua necessidade até porque a intensidade dele depende sempre da reação do homem, e esta reação pode acontecer até no último momento. Assim, Aviso, Milagre e Castigo previstos em Garabandal, podem tanto acontecer num curto espaço de dias, como podem haver meses entre eles. E tudo levava a acreditar que teríamos estes fatos antes do final deste ano. As mensagens e as respostas nos levavam a acreditar nisso! Eu aceito também ser como uma bolinha de criança, que ela ora chuta ora despreza, se disso depender a salvação de minha alma. Ou da alma de algum dos meus familiares e amigos.


Ultimamente tenho dito isso para muitas pessoas que nos telefonam e escrevem: se, digo SE, nada de mais grave acontecer no mundo, especialmente no Brasil, até o Natal, tudo para nós ficará muito difícil de seguir. Humanamente não haverá explicação, nem para quem recebeu a mensagem, nem para quem a divulgou. Eu seria desumano ou cego se não sentisse nada. Se não acontecer então será como está na cartinha acima, os escarnecedores de plantão terão largos argumentos para seus risos e mofas. E nós teremos de suportar mais esta cruz, sem entender mais nada. Que o Pai então nos dê forças, porque a causa é digna e nobre.


Por outro lado e na mesma moeda, mesmo que não aconteça TUDO aquilo que supomos para aquela data, se algo de realmente sério atingir o Brasil, dali por diante nenhum mais dentre os filhos do escárnio continuará questionando, porque entenderá que os tempos não são para isso, mas para conversão, para oração, para o recolhimento. Antes de eu perguntar ou questionar se algo aconteceu ou não na data prevista, devo perguntar se estou convertido, se meus parentes estão preparados para os acontecimentos que virão, e virão com toda certeza. E podem acreditar: os tempos da justiça chegaram, é hoje! Mesmo que não aconteça TUDO o que estava previsto para dezembro – parte já sabíamos que viria depois – aguardem que acontecerá, e certamente com maior fúria do que poderia ter sido.


Nunca duvidem que os tempos do Juízo Final sejam agora, pois o tempo da justiça está às nossas portas. Se o anticristo não deu ainda as caras, devemos ficar felizes porque assim já ganhamos um ano longe de suas garras e de seus perseguidores. Mas de outra coisa todos podem ter também consciência: se ele aparecer, sua destruição virá também, porque assim está decretado, para todo este império do mal. O que acontece neste momento, é que o Pai precisa controlar o inferno em fúria, mesmo que a custa de nossas angústias e perseguições. Mesmo que a custa de escárnios e bofetadas dos inconfessos.


Noutro dia eu pensava assim: quem teria direito de duvidar do Padre Gobbi, quando falou em sua mensagem que TUDO aconteceria ATÉ o ano 2000? Eu acreditava piamente que tudo se daria até ali. Imaginem depois, o sofrimento dele, quando a vida teve seu curso, e o ano 2000 passou, e continua 12 anos após? Acaso ele não foi esmagado pelos seus inimigos? Acaso milhares de seguidores não deixaram o Movimento Sacerdotal Mariano? Deixaram até de rezar! Isso ainda que qualquer pessoa possa perceber a exatidão das mensagens dele, especialmente as do ano de 1989, que falam do fim dos tempos. Elas continuam válidas. E pergunto: se o Céu o dirigia, por que permitiu que ficasse gravado no livro dele esta passagem, e não avisou o Padre, caso isso fosse da cabeça dele? Mas volto a perguntar: quem de nós entende a linguagem de Deus? Quem entende de seu tempo?


A mesma coisa nós poderemos aplicar ao nosso caso. Se, enquanto estou aqui escrevendo, sem que o Cláudio saiba do que estou falando, ele me telefona e diz assim: Arnaldo, Nossa Mãe pede que você observe na página 26, lá está a palavra “x” você a deve tirar porque pode indicar o nome de uma pessoa. Ou diz assim: na página 28, corrige aquele parágrafo, porque pode dar um sentido diferente. Ora, eu moro a três horas de viagem dele. Isso tudo à distância, sem ele saber! Então por qual motivo, quando fizemos o resumo do folder, o Céu não fez a mesma coisa? Ou no caso dos livros, como o A Caminho do Fim, onde está tudo o que está no folder? Para aquele livro eu obtive 65 respostas, e bem claras. Jamais eu deixei de obedecer, jamais deixei de perguntar quando na dúvida, e nunca escrevi nada para envaidecimento pessoal, sempre e somente com intuito de informar, de formar, para evitar as dores que virão aos que não estiverem preparados. Elas virão e estão às portas!


Noutro dia, lendo uma reportagem sobre a Guatemala, onde em poucos dias houve mais de 60 terremotos, seguindo um grave acima de 7,4 pontos, onde mais de 3,4 milhões de pessoas estão com casas rachadas ao desabrigo, e onde as pessoas se ajoelham em roda em plena rua, em círculos e de mãos dadas e imploram aos céus que venha logo o “fim do mundo” para acabar com aquele suplício, se acaso isso estivesse acontecendo aqui haveria ainda alguém a duvidar. E se estivéssemos na Faixa de Gaza, debaixo de bombardeios incessantes, vendo mulheres e crianças despedaçadas por bombas, acaso alguém estaria dizendo que nada vai acontecer, quando tudo isso é princípio das dores?


Isso tudo eu coloco como ponderação, não como justificativa, porque minha consciência está tranquila, minha alma sossegada, porque sempre fiz de tudo para cumprir esta espinhosa tarefa, sem pagamento a não ser a imensa graça de Deus. O simples fato de agora nós estarmos doando perto de 100 mil reais em livros significa que nada fizemos tentados pelo lucro, antes já uma pequena fortuna dispendemos nesta batalha. Qual outro Movimento no mundo faz isso, não tendo financiador direto? Se nós tínhamos consciência perfeita, sempre, de que se nada acontecesse teríamos problemas, que torpe cabeça seria a nossa se nos enfiássemos cegamente nesta empreitada, pelo simples desejo de apanhar? Isso seria algo além do masoquismo! Seria um grave delito, passível de processo judicial! Eu jamais me perdoaria se, por minha causa algo de grave acontecesse com quem que seja.


Ou seja, tudo foi dito, escrito e falado, com base nas mensagens, e nas centenas de respostas que mantenho aqui comigo, numa volumosa pasta. Qualquer pessoa que saiba contar nos dedos pode fazer os cálculos dos números de dias, basta que tenha uma data de partida. Com isso não desejo incriminar ninguém, apenas abrir espaço para o entendimento das coisas – para quem desejar entender – algo que nós mesmos não compreendemos. O que tenho certeza é de que prefiro não atirar às cegas, e esperar ainda alguns dias aguardando a manifestação do Pai, ou alguma mensagem esclarecedora. Tenho certeza de que ela virá! E ainda algo forte neste ano!


Enquanto isso não chega, peço aos amigos que continuem divulgando os livros, sem medo, porque como tantas vezes já falei, não acredito que o Pai queira destruir este nosso Movimento, a não ser que seu projeto se destine a terminar com muito poucas pessoas. Porque pode chegar o dia em que muitos, mesmo tendo provas claras da verdade deste nosso trabalho, mesmo tendo recebido diretamente graças imensas, ainda assim podem duvidar. Aliás, Jesus mesmo já disse ao Cláudio que chegaria o dia, em que ele mesmo duvidaria de tudo. Mesmo vendo o que ele vê, ouvindo o que ele ouve e vivendo o que ele vive. Imagine, então, o que será de nós outros?


Tudo isso é muito próximo, mas veja como é difícil entender as coisas. Em Lucas 21, 8 Jesus nos pede que não devemos seguir as pessoas que dizem “o tempo está próximo”. Mas em Apocalipse 1, 1-3 o mesmo Jesus nos avisa que o “o tempo está próximo”. Ou seja, cada frase para se tempo, cada palavra para seu efeito. A primeira se refere ao tempo próximo de Jesus, como os apóstolos achavam inicialmente que fosse acontecer. A segunda se refere ao tempo das coisas relativas ao Apocalipse, que está acontecendo em nosso tempo, e já são passados quase dois mil anos. E se é complicado entender, temos então que estar com o espírito aberto para os MODOS como Deus vai realizar aquilo que foi anunciado.


Enfim, não desejo me alongar mais: a passagem do profeta Habacuque nos lembra que, se uma data foi fixada, mas aparentemente não aconteceu, devemos esperar porque a seu tempo ela se realizará. Infelizmente a humanidade não quer se converter, e nosso país, de onde poderia partir a salvação do mundo, parece ser exatamente o país onde, de modo proporcional ao número de católicos, menos se reza. Certa vez, estando a família do Cláudio a rezar em Blumenau, uma cidade de mais de 300 mil habitantes, Nossa Senhora disse que iria enviar seus anjos para buscar as orações das pessoas e somar com aquelas. Certo que eram 23 horas, mas todos os anjos delas voltaram de mãos vazias. De fato, diante do que nos espera, cada cidade do Brasil, no mínimo, deveria ter um grupo de oração e adoração perpétua.


Esta seria a única forma de diminuir os castigos e mudar o mundo sem traumas. Nosso amigo leitor acima fez uma pergunta que tem mais de 2500 anos: até quando Senhor? Uso então o que está escrito em Isaías 6, 9 Vai, pois, dizer a esse povo, disse ele: Escutai, sem chegar a compreender, olhai, sem chegar a ver. 10 Obceca o coração desse povo, ensurdece-lhe os ouvidos, fecha-lhe os olhos, de modo que não veja nada com seus olhos, não ouça com seus ouvidos, não compreenda nada com seu espírito. E não se cure de novo.


11 Até quando, Senhor disse eu. E ele respondeu: Até que as cidades fiquem devastadas e sem habitantes, as casas, sem gente, e a terra, deserta; 12 até que o Senhor tenha banido os homens, e seja grande a solidão na terra. 13 Se restar um décimo (da população), ele será lançado ao fogo, como o terebinto e o carvalho, cuja linhagem permanece quando são abatidos. (Sua linhagem é um germe santo). É isso que está por acontecer! Hoje, amanhã, depois, neste ou no próximo ano. Mas nada que preocupe a quem estiver convertido... E rezando em família! (Aarão)



 




Artigo Visto: 3617

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.950.967
Visitas Únicas Hoje: 56
Usuários Online: 48