recadosdoaarao



Cláudio
Voltar




09/09/2020
Brincando no Céu
O Céu é feito de crianças e aqui tudo o que se desejar se realiza... E se deseja só o que é bom e bonito ou que nos deixou saudades! Aqui não há lugar para tristezas!


Porto Belo, SC, 01 de setembro de 2020
 
   Brincando no Céu
 
- Oi, Mana, tu estás no céu?
- E onde eu deveria estar?
- É verdade! Mereceste o céu!
(“Mana” está em minha frente, como que, entre nuvens.)
- Mereci ou Deus é Misericórdia?
- Se Ele usou de Misericórdia para contigo é porque eras misericordiosa para com os outros...
(Mana ficou alguns instantes em silêncio.)
- Sabes Mana, eu te vi uma vez lá na tua casa em Brusque entregando um pão a um mendigo...
- É verdade e eu te disse que todos os dias o velhinho ia buscar aquele pão...
- Eu te chamei a atenção: Por que ao invés de dar o pão não dás um pacote de trigo para ele mesmo fazer o pão? E assim terá o trigo para muitos pães.
- Achei boa a tua ideia e até iria colocá-la em prática, mas...
- O teu coração não deixou!
- Afinal ele era tão velhinho! Por que dar trabalho a ele?
- Teu coração é muito bonito!
- Deus me ensinou a ser assim.
- O Céu é bonito?
- Tu sabes que sim, mas é necessário prová-lo para se saber exatamente como é, porque não tem como explicar...É preciso sentir, viver nele.
- E o Ivo também está aí?
- Sim! Ele mereceu...
- Posso vê-lo?
- Está “jogando bola”!
- Jogando bola? No céu se pode jogar bola? E o Ivo? Nunca vi o Ivo jogar bola...
- Tu não conheceste o Ivo criança porque quando tu nasceste ele já era grande e por isso tu não viste o Ivo brincar, mas quando criança gostava de jogar bola, correr pelos pastos, nadar na lagoa...
- É! E é tão bom isso. Eu também gostava disso. E de verdade, o Ivo já era grande e quando ele voltava do trabalho vinha todo sujo, ia tomar banho e não tinha tempo pra brincar.
(Ivo, aos treze anos foi trabalhar em uma oficina de automóveis e ali permaneceu – na mesma oficina – até o fim de sua vida. Com o tempo comprou a oficina, mas nunca deixou o seu trabalho como Mecânico especializado em caminhões. Quando eu voltava da escola, muitas vezes o via deitado debaixo de caminhões todo sujo de óleo e graxa a fazer consertos. E assim a vida toda.)
- Ivo, tu podias só administrar a oficina: deixar os empregados trabalharem.
- Esta é a minha vida! Este é meu DOM. 
(Agora, diante da Hilária – sua esposa – a quem eu chamava de Mana por ser esposa de meu Mano Ivo, eu conseguia rever alguma parte da história.)
- E agora “joga bola” no céu!
- O Céu é feito de crianças e aqui tudo o que se desejar se realiza... E se deseja só o que é bom e bonito ou que nos deixou saudades! Aqui não há lugar para tristezas!
- E Deus participa de tudo?
- Olha lá o Ivo! E olha Deus vibrando e torcendo...
- O Futebol das crianças! Mas com bola de verdade! A gente jogava com bolas feitas de pés de meias velhas!
- Eu também jogava assim – disse o Ivo – acenando de longe...
(Não é preciso dizer do meu “chorar” neste momento.)
- Mas Deus gosta de futebol?
- Futebol de crianças: Alegre, entre amigos, sem a ganância, sem a busca da fama, sem passar pelo vexame de ser tratado como uma peça de negócios lucrativos. Só brincar e Deus se alegra com a alegria das crianças e brinca com elas. Se torna criança!
- Mana e tu também brincas?
- As mulheres também podem brincar de crianças: Petecas, Comidinhas, Bonecas...
- E Deus brinca junto?
- Ele é o que mais brinca: Arranja as coisas para fazer a comidinha, faz o fogãozinho e até é o “Padre” que batiza as bonequinhas... Sabes Cláudio: é difícil explicar de como Deus pode fazer tanta coisa ao mesmo tempo! Em todos os lugares: No céu ou na terra. Ele está sempre agindo, sempre tomando atitudes, resolvendo situações...
- “Meu Pai trabalha sempre!”
- É verdade! Jesus disse certo: “O meu Pai trabalha sempre!” E aqui a gente se pergunta: E se Deus deixar de trabalhar? Deixar de se preocupar? Aqui se percebe o amor, a dedicação e o cuidado que Deus tem para com as pessoas. De como ama o mundo que Ele criou! E sabes, Cláudio: O mundo é o lugar do ENSAIO para poder se atingir a perfeição e então merecer o céu!
- O mundo é um ensaio...
- Isso! Grava isso e procura te aplicar nos ensaios! E já sabes o segredo!
- Ser como criança! 
- Amém?
(A nuvem se desvaneceu!)
E agora me vem à lembrança da última vez que vi a Mana: Estava internada no Hospital de Azambuja e ela me falou quase que sussurrando: 
- Cláudio, Eu e o Ivo vivemos sessenta anos juntos num Matrimônio Santo e Feliz. Por que agora estou sozinha? Por que Deus não nos levou juntos? Por que o Ivo foi primeiro?
- Não sei responder a isso Mana, mas Deus deve ter as suas razões...
- Eu sei que Ele tem razão! Só não sei por que eu pergunto estas coisas...
- Porque tens saudades do Ivo...
- E sei que é por pouco tempo! E que logo o verei de novo! Deus é tão bom!
(Foram as últimas palavras que ouvi daquela verdadeira Santa, minha cunhada, esposa do meu irmão mais velho Ivo, que também era um Santo em vida e que também deixou saudades. Agora nesta visão, aparentemente as saudades diminuíram, mas não diminuiu em mim a vontade de ir ao Céu brincar com meu Senhor, meu Deus!)
Amém!
Cláudio Heckert 
 
Fonte: https://missaosalvaialmas.com.br/?cat=47&id=3252


Artigo Visto: 447

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.774.718
Visitas Únicas Hoje: 150
Usuários Online: 78