recadosdoaarao



Autores
Voltar




05/04/2020
Maria é SIM Corredentora
Assim como o mundo é devedor de nosso Senhor Deus, a Virgem também é devida à sua compaixão", escreveu Santo Alberto, o Grande


Sim, Maria é Corredentora

05-04-2020

Bergoglio volta a negar que Nossa senhora seja Corredentora

https://lanuovabq.it/storage/imgs/maria-corredentrice-large.jpg

https://lanuovabq.it/storage/imgs/maria-corredentrice-large.jpg

Por Luisella Scrosati

Em uma homilia-fotocópia da que foi em 12 de dezembro, o Papa Francisco negou que Nossa Senhora seja Corredentora. Há pelo menos um equívoco sobre o significado da palavra, mas mais profundamente é um minimalismo mariano que nega dois mil anos de história e também os dados das Escrituras.

Nossa Senhora, disse ele, "não pediu que ela fosse quase redentora ou corredentora. Não. O Redentor é um. Este título não duplica. É somente discípula e mãe». Esta é a parte final da homilia realizada em 3 de abril na capela de Santa Marta pelo Papa Francisco. Uma homilia inteiramente centrada no pensamento de que Madonna não é adequada para nenhum outro nome que não o de Mãe e discípula, porque ela não queria usurpar nenhum título próprio do seu Filho.

Aqui vamos nós de novo. Parece uma homilia fotográfica de 12 de dezembro passado; também nessa ocasião, o minimalismo mariano de Francisco fez o povo católico estremecer. Desta vez é ainda pior. Se não por outra razão senão porque a negação da verdade da Redenção de Nossa Senhora ocorre precisamente no dia em que a liturgia da Igreja Latina comemora as Sete Dores da Virgem Santíssima.

Essas sete dores, na homilia, são consideradas dores "históricas", dores de qualquer mãe que experimenta as dores do filho com coragem e força. Mas este é apenas um aspecto da verdade; porque essa comemoração no coração do tempo da paixão (lembre-se de que no rito antigo, do domingo anterior às palmeiras, o tempo da Quaresma se torna um tempo da paixão), apenas na sexta-feira que antecede a sexta-feira Santa, destaca o lugar particular que Nossa Senhora ocupava trabalho da redenção. Ela não é apenas a primeira redimida, a fiel discípula até o fim, a Mãe que chora pelas dores do Filho. Está escrito sobre ela que "stabat iuxta crucem Iesu" ofereceu o Filho unigênito, e ela mesma junto com ele, como um novo Abraão que imola o verdadeiro Isaac e oferece sua obediência e sua dor a Deus.

"Assim como o mundo é devedor de nosso Senhor Deus, a Virgem também é devida à sua compaixão", escreveu Santo Alberto, o Grande (Questio Super Missus, 150). Somos gratos a ela, porque ela trabalhou nossa redenção junto com Cristo e subordinada a ele. Os Padres nunca consideraram esse fato como se fosse uma usurpação do título de Redentor para Cristo, mas como algo "necessário" para restaurar o plano salvífico, perturbado pelo pecado dos Progenitores.

O paralelo Cristo novo Adão e Maria nova Eva, entendidos em toda a sua profundidade, é o mais recorrente no pensamento dos Padres; e é principalmente sobre essa base que o título de Corredentora corresponde ao que a Madonna realmente é. E seria apropriado entendê-lo o mais rápido possível, porque o mundo não terá paz até que essa grande verdade seja reconhecida. Cristo não quis nos redimir sem Maria e hoje ele não quer nos salvar sem ela.

É hora de deixar para trás esse minimalismo mariano, que, escondendo-se atrás da vontade de honrar a Cristo, acaba fazendo exatamente o oposto, deixando de entender completamente as grandes coisas feitas pelo Todo-Poderoso (cf. Lc 1, 49). . Que Maria Santíssima proclamou em voz alta - e a Igreja com ela - que "daqui em diante todas as gerações me chamarão abençoada" (Lc. 1, 48), não é sinal de vaidade ou presunção, mas de verdade, aquela verdade que glorifica a Deus .Ela própria que é a humildade criada, sob impulso do Espírito Santo, seu Noivo, glorifica a Deus manifestando as grandes coisas feitas nela.

É, portanto, o Evangelho que abre as portas do que a Igreja tem feito há dois milênios, examinando as profundezas dessa maravilha de Deus:  somos tolos o suficiente para não entendê-la? As litanias, as festas litúrgicas, os escritos dos doutores e santos, as encíclicas dos papas e seus discursos estão lá para testemunhar que Deus queria criar Sua Mãe assim: como Rainha, Advogada, Imaculada, Virgem, Corredentora, Mediadora, etc.

Esse minimalismo pestífero mariano anda de mãos dadas com um minimalismo na abordagem das Escrituras. Se são a palavra de Deus - e são - como podemos pensar que cada uma dessas palavras conhece apenas um sentido imediato? Como podemos acreditar que o título "Mãe" significa apenas uma maternidade física? Ou que o título de "Mulher" indica apenas uma conotação sexual? Ou ainda que as tristezas de Nossa Senhora indicam apenas fatos históricos? "A mão do Senhor foi encurtada?" (Nm. 11, 23). Não, é a nossa inteligência teológica que diminuiu tragicamente, porque, de tempos em tempos, temos dado fé a uma razão historicista, racionalista, científica, etc ... Basta ver como facilmente imolamos as Missas e os Sacramentos ao estado terapêutico.

"Maria, embora concebida e nascida sem mancha de pecado, participou de maneira admirável dos sofrimentos de seu divino Filho, para ser a Corredentora da humanidade" (João Paulo II, 8 de setembro de 1982). Não adianta ter pena de Nossa Senhora pelas dores de sua vida terrena, se não reconhecermos que essas dores são as que ela sofreu para dar à luz a humanidade na vida da graça. E assim, para entender que, para a dor de Cristo e Maria, também podemos nos juntar à nossa, embora com uma oferta imperfeita e limitada, para também contribuir para a salvação deste pobre mundo.

Fonte:https://lanuovabq.it/it/si-maria-e-corredentrice

++++++

OBS > Só para relembrar aquilo que já exaustivamente apontei o VERDEDEIRO PAPA ainda haverá de proclamar este Quinto Dogma de Maria, como Medianeira e Corredentora do Gênero humano. Deus gostaria que fosse acrescentado ainda o título de Advogada, como ela é e provou em Caná da Galileia, importa é que isso acontecerá, quer Mário queira ou não. Porque isso como que "desentope" o canal das graças que salvam, porque ela MEDIA entre nós e Jesus TODAS as graças, e com isso co-redime a humanidade, com seu Filho Jesus, até porque tudo passa pela linha de sague. Veio de Maria o Sangue de Jesus, que derramado na Cruz nos redimiu.

Ademais, se Mário alega que aplica o malsinado e destrutivo Concilio Vaticano II deveria saber que este Dogma foi ali discutido e aprovado no voto, entretanto as forças do inferno, desde aquele tempo têm se exacerbado em fúrias contra esta verdade, porque sabem que isso signficia o início do Triiunfo do Imaculado Coração como Ela previu em Fátima. Ninguém vence Maria senhores Mário e inimigos da Mãe de Deus: O Filho fulminará a quem combater a Mãe.

Tempos atrás certo cardeal de Roma declarou: Nós iremos destruir Fátima! Pois bem, na nova Basílica, na Cruiz central vocês crucificaram a figura hedionda de Lúcifer, não Cristo e Jesus não fez nada em Sua defesa. Querem atentar, conra a Mãe Dele tentem, depois não chorem! (Aarão)


Artigo Visto: 426

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.701.874
Visitas Únicas Hoje: 120
Usuários Online: 48