recadosdoaarao



Autores
Voltar




14/03/2020
Fechado para balanço

13 MARÇO, 2020

Fechado para balanço.

7 anos de Francisco. O saldo de um pontificado falido.

Por FratresInUnum.com, 13 de março de 2020 — A Divina Providência fala não apenas através de palavras, mas também de fatos. E é preciso ter uma notável capacidade de penetração para sondar aquilo que Deus está nos querendo dizer mediante as circunstâncias e extrair, daí, as consequências.

Faz 7 anos desde a eleição de Jorge Mario Bergoglio para a Sé do Beatíssimo Apóstolo Pedro e, desde aquele 13 de março de 2013, o “misterioso processo de autodemolição da Igreja” citado por Paulo VI se acelerou sob o ritmo frenético da euforia progressista. Francisco é o papa dos sonhos de todos os inimigos da Igreja, enfim, aquele preconizado já no século XIX pela “alta vendita” maçônica.

Resultado de imagem para basílica de são pedro fechada

Praça de São Pedro fechada.

Munido de clichês que soam musicais aos ouvidos de todos os adversários da Cristandade, Francisco tentou construir uma religião sob medida para a Nova Ordem Mundial, recrutando-se ele mesmo como líder da esquerda internacional, aquele que referenda com gestos criminosos como Lula e usa vergonhosamente o púlpito pontifício para propagar as ideologias mais destoantes do sensus catholicus.

Porém, algo não tem dado certo. Todas as tentativas de emplacar uma mudança mais drástica de paradigma têm sido cuidadosamente impedidas pela mão da… Divina Providência. Deus Nosso Senhor é o protagonista da resistência. Como diz Davi: “Agitaram-se as nações, vacilaram os reinos; apenas ressoou sua voz, tremeu a terra. Reprimiu as guerras em toda a extensão da terra; partiu os arcos, quebrou as lanças, queimou os escudos. Parai, disse ele, e reconhecei que sou Deus; que domino sobre as nações e sobre toda a terra” (Ps. XLV,6.9-10).

Francisco completa o sétimo ano de sua eleição com igrejas fechadas, missas proibidas, mortos sem funerais, povo em completo pânico, tudo por causa do coronavírus, que já matou mais de mil pessoas na Itália. Os fieis estão desolados e desamparados!

Mas não é apenas isso. Todos os seus slogans estão completamente desmentidos. Os fatos trouxeram à tona a hipocrisia de sua eclesiologia mentirosa.

Onde está a “Igreja em saída”, a “Igreja hospital de campo”? Completamente encerrada em sua assepsia, apavorada com medo do contágio.

Onde está o brado de “não mais muros, mas pontes”, com o qual ele alfinetava o presidente Trump, dos EUA? Agora, Francisco está involuntariamente, pela força dos acontecimentos, entrincheirado nos muros do Vaticano, o qual está absolutamente impermeável a qualquer um e ele mesmo nem sequer sai à janela para rezar um Angelus.

Francisco disse, com o seu moralismo autoritário, que os padres deveriam ser “pastores com cheiro de ovelhas”… Onde estão estes “pastores” agora? Trancados em seus palácios episcopais, fechados em suas canônicas, completamente inacessíveis a qualquer um.

Medidas preventinas diante de uma epidemia? Sem dúvida, são compreensíveis e necessárias. Mas até o esmoler do Papa, cardeal Konrad Krajewski, reconheceu o absurdo da decisão da diocese de Roma (hoje, graças a Deus, revista) de fechar suas igrejas, mesmo que o próprio governo não lhe tenha pedido isso. O purpurado reabriu a igreja romana da qual é titular e declarou: “É um ato de desobediência, sim, eu mesmo expus o Santíssimo Sacramento e abri minha igreja. Isso não aconteceu sob o fascismo, não ocorreu sob o regime soviético na Polônia — as igrejas não foram fechadas. É um ato que deve levar coragem a outros padres. A casa deve sempre estar aberta a seus filhos”.

A Igreja de Francisco é uma mentira!

Não foi apenas o Sínodo da Amazônia que teve de retroceder diante dos protestos populares, foi também toda a agenda bergogliana: o coronavírus cancelou o pacto econômico em Assis, o pacto educacional em Roma e a visita que o Papa faria ao salesianos em Turim, após o norte da Itália ser arrasado pela epidemia. Ao invés de ir ao encontro de um mundo sem fronteiras e globalizado, Francisco sucumbiu diante de países que fecham as suas fronteiras e se protegem contra o colapso de seus próprios sistemas de saúde.

Em Roma, centro da cristandade, “la messa è finita”, não há mais sacramentos, e o Papa do fim do mundo terá de celebrar seu aniversário de eleição ao sólio pontifício sem os triunfalismos bajulatórios habituais, na solidão, no medo e no luto.

Deus fala por fatos, não apenas por palavras. Não será chegada a hora de tirarmos o saldo deste pontificado e refazermos o caminho de retorno?

++++++++

OBS > Me perguntam se este coronavirus é um castigo divino. Em primeiro lugar, Deus não castiga a ninguém. Toda doença e toda peste que ataca a humanidade acontece por culpa do pecado e Deus a permite, porque pela dor e o sofrimento consegue resgatar muitas almas que de outra forma se perderiam. Em segundo esta peste vem do homem, com desejo claro de matar o homem. Por que tudo isso vem da China comunista: Gripe aviária, gripe do porco, coronavirus... Eles precisam eliminar suas populações e agora lucram com o pânico dos mercados. Ou seja, eles tentam, mas Deus controla tudo, de modo que apenas poucas pessoas são infectadas e morrem.

Agora eu vou falar sim, num castigo divino, predito pelo profeta Zacarias. Que tal uma doença, vinda dos cavalos e mulos, onde a língua das pessoas cai da boca, estando ela falando, e os olhos caem das órbitas, estando eles andando? Nas aparições de Erechim para dona Dorotéia, nossa Senhora falou que, se os homens não preservassem o Domingo, Deus permitiria que as doenças dos animais passariam para os homens. Então um vírus vem da galinha, outro do porco, outro do macaco o ebola, e agora dizem que este corona vírus vem do pangolim, o que é uma espécie de tatu com escamas. Que bandidos!

Imagine então se, além disso, estão sendo fechadas as Igrejas por um mês inteiro o que significa sem Missas, sem Eucaristia... Acham mesmo que Deus deixará isso barato? Esta tremenda falta de Fé, que bem poderia se espelhar nos grandes santos da Igreja que combateram as epidemias, muito piores do que esta, com orações, Santas Missas e procissões com o Santíssimo.

Loucura do nosso clero em cair na lábia do anticristo. Desprezam a Jesus que é o Médico dos médicos e o Único que pode curar e acabar com uma, no que demonstram sua tremenda falta de fé. Quem ri deste pânico todo é o diabo, que deita e rola agora com igrejas fechadas e sacrários vazios. Ele sabe muito bem que isso é prenúncio do caos. (Aarão)

PS> Depois que coloquei o desafio de estar em estado de graça, com comunhão frenquente para se manter imune a doenças, alguém comentou que as Espécies consagradas podem transmitir doenças. Perdão, mas quema firma isso é um católico doente. Para este é bom que se fechem as Igrejas e caiam os Sacrários.

 

 

 

 


Artigo Visto: 524

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.652.520
Visitas Únicas Hoje: 761
Usuários Online: 118