recadosdoaarao



Autores
Voltar




10/01/2020
O maior Teólogo do nosso tempo
Trata-se de Sua Santidade o nosso Papa Bento XVI


   Documentário sobre Bento XVI: Nunca arrependido da renúncia, em paz consigo próprio

“As renúncias foram uma decisão longa, bem rezada e sofrida, de que nunca se arrependeu”. O papa [emérito Bento XVI] está completamente em paz consigo próprio: a afirmação é do seu secretário particular e prefeito da Casa Pontifícia, o arcebispo Georg Gaenswein, num documentário de 29 minutos realizado pelo jornalista Tassilo Forcheimer, para a Bayerischer Rundfunk, televisão pública local da Baviera, com sede em Munique.

O trabalho descreve a vida diária de Bento XVI no antigo mosteiro Mater Ecclesiae, no Vaticano, rodeado de livros e de recordações da Baviera. O papa emérito diz que continua a dedicar muito tempo à leitura. E a quem lhe pergunta sobre o estado de saúde, responde que é “um velho no fim da sua viagem”.

Aos quase 93 anos – nasceu a 16 de abril de 1927 –, Joseph Ratzinger comenta no documentário alguns aspetos do seu quotidiano.  Confessa que segue uma rotina rigorosa, sempre acompanhado por Dom Gaenswein. A sua voz é muito frágil, e tem grande dificuldade em caminhar. “Tinha uma grande voz, agora já não funciona”, afirma. O prelado alemão observa: “Bento XVI é um homem de 92 anos, com uma mente clara, obviamente; mas que já perdeu muito da sua força física”.

Às 7h30 celebra missa na capela do mosteiro, com Dom Gaenswein e as consagradas que se ocupam da casa. Durante o dia passa muito tempo no escritório, que mais parece uma biblioteca. “A vida do professor de teologia Joseph Ratzinger reflete-se em milhares de livros; diz que para ele todas as fases da sua vida estão contidas nos livros, e ocupa-se deles todos os dias”, refere o realizador do documentário.

Teologia da Liturgia de Joseph Ratzinger

“A matéria que escolhi foi a teologia fundamental, porque, antes de tudo, eu queria ir ao fundo da questão: por que cremos? Mas a essa questão, desde o início, outra foi intrinsecamente incluída, a da resposta correta a ser dada a Deus e, portanto, a questão sobre o culto divino. A partir daqui se deve entender o meu trabalho sobre a liturgia”, escreveu Joseph Ratzinger na introdução do livro “Teologia da Liturgia – o fundamento sacramental da existência Humana”.

"Para aplicar essa nossa renovação e atualização litúrgica prevista pela Sacrosanctum Concilium nos valemos aqui a referência bibliográfica de uma obra preciosa, agora traduzida no Brasil pelas edições da CNBB, de Joseph Ratzinger, disponível nas editoras brasileiras, intitulado “Teologia da Liturgia – o fundamento sacramental da existência Humana” – Obras completas, Volume XI. É uma obra alemã traduzida para o português do Brasil, de grande valia, que resume tudo o que nós temos de mais precioso sobre liturgia. Este volume disponível no mercado, como pão fresquinho, reúne todas as obras pequenas ou grandes de teólogo Joseph Ratzinger, que é nosso Papa emérito Bento XVI, reunindo questões teológicas de vários anos, pois sabemos do rigor e aprofundamento teológico de Ratzinger e ao mesmo tempo a segurança teológica que nos dá para a liturgia, mergulhada a partir do Concílio Vaticano II, vista sempre a partir de Deus e da humanidade que celebra ou o povo celebrativo em festa. Segundo o autor, o texto central desse livro agora em nossas mãos, provêm de uma obra alemã “Der Geist Liturgie. Eine Einführung” (Uma introdução ao Espírito da Liturgia), que constitui o texto central deste livro, que vamos em nosso estudo citar muitas vezes, intercalando com outros aspectos importantes.

Na qualidade de professor e teólogo, Ratzinger confessa na introdução desse livro: “A liturgia da Igreja tem sido para mim, desde a infância, a realidade central da minha vida e a instrução teológica de mestres como Schmaus, Söhngen, Paschere e Guardini, que se tornaram o centro de meu trabalho. A matéria que escolhi foi a teologia fundamental, porque, antes de tudo, eu queria ir ao fundo da questão: por que cremos? Mas a essa questão, desde o início, outra foi intrinsecamente incluída, a da resposta correta a ser dada a Deus e, portanto, a questão sobre o culto divino. A partir daqui se deve entender o meu trabalho sobre a liturgia” [1].

Importante aqui frisar que foi em 2008 que essa obra foi publicada em alemão e só agora, 10 anos depois, foi traduzida ao português do brasil pelas edições da CNBB.

Também no início do livro se traduz o prefácio do editor em língua alemã, o bispo de Regensburg, Dom Gerhard Ludwig, onde compara Bento XVI ao Papa Leão Magno (440-461) a quem devemos a fórmula decisiva para a profissão de fé cristológica do Concilio de Calcedônia (que aconteceu em 451). O bispo de Regenburg diz no prefácio que Bento XVI “combina o conhecimento científico da teologia com a forma viva da fé. Como uma ciência, que tem seu lugar genuíno dentro da Igreja, a teologia pode nos mostrar o destino especial do homem como criatura e imagem de Deus” [2].

Conclusão

Sem sombra de dúvida, Joseph Ratzinger é o maior teólogo do nosso tempo, pensador erudito e intelectual ínclito. Como teólogo, professor, escritor e conferencista deixa um legado colossal. Fiel ao patrimônio da fé, coerente com o ensino do magistério, tomado de zelo pelo Evangelho e amor abissal à santa Igreja de Jesus Cristo. Sua renúncia foi o Kairós de Deus para que a sua vida fosse retomada no espaço sagrado da oração, meditação, leituras, escritos, da mística, ou seja, o verdadeiro teólogo faz teologia de joelhos. Vivendo no mosteiro, vive na Escola do Senhor. Aprende e ensina de forma magistral o mistério da fé! Deixa uma obra gigantesca que uni teoria viva e a prática reavivada. Conhecimento e testemunho do reino de Deus é a conexão na vida do Papa emérito. Seu exemplo deve ser seguido na configuração intelectual e da espiritualidade. No decorrer da História Eclesiástica será declarado Doutor da Igreja.

Frei A. Inácio José do Vale, FCF

Professor de História da Igreja

Centro Educacional da Comunidade de Ação Pastoral

Sociólogo em Ciência da Religião

Fraternidade Sacerdotal Jesus Cáritas

______________

[1] RATZINGER, Joseph. “Teologia da Liturgia – o fundamento sacramental d existência Humana” – Obras completas, Volume XI, edições da CNBB, Editor em Língua alemã: Cardeal Gerhard Muller e Editor em Língua Portuguesa Antônio Luiz Catelan Ferreira, Brasília-DF, 2019, introdução do autor, p. 14.

[1] Idem, Prefácio do Editor da Edição Alemã, p.19.

Fontes:

https://www.snpcultura.org/bento_xvi_nunca_arrependido_da_renuncia_em_paz_consigo_proprio.html

https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2020-01/teologia-da-liturgia-de-joseph-ratzinger.html?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=NewsletterVN-PT

 


Artigo Visto: 644

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br


Total Visitas Únicas: 3.703.440
Visitas Únicas Hoje: 88
Usuários Online: 49