Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
16/07/2017
O ridículo robô protestante
No futuro não haverá necessidade pastores, basta programar e ligar a máquina que "abençoa".
 

Robô “abençoa” comemorando Lutero e evocando ídolos

Posted: 12 Jul 2017 01:30 AM PDT

Protestantes aderem a robô 'BlessU-2' para comemorar Lutero
Protestantes aderem a robô 'BlessU-2' para comemorar Lutero
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Há 500 anos o monge apóstata Martinho Lutero iniciou na Alemanha a maior e mais sangrenta revolução religiosa da era cristã. Ele fixou a seu bel-prazer dois imensos dogmas. 

Pelo primeiro, o da justificação, segundo o qual estamos todos salvos por Jesus sem necessidade de praticar boas obras nem de ligar para os Mandamentos.

Pelo segundo, o da livre interpretação, cada qual interpreta as Escrituras como bem entende. E, se nelas algo houver que não seja de seu agrado, arranque as folhas à vontade, como, aliás, Lutero fez para justificar seus vícios.

Se isso for verdade, entre outras consequências, o clero é dispensável. Um padre celebrar a Missa para tornar Deus propício com um sacrifício perfeito?

Estamos todos salvos. Não precisamos de nada disso. O ato religioso consiste em passar um bom momento em comunidade, cantarolar, chacoalhar, fazer banzé, segundo o gosto predominante na seita. 

Também uma leitura da Bíblia e uma pregação arrumada do jeito que a turma gosta. O pregador? Qualquer um que se sentir inspirado, ou o mais velhaco de todos, e pronto!

E a bênção divina que concede o clero católico, padres e bispos? 

Nada de bênção! Não tem mais clero e já estão todos salvos! Mas se o povo sentir falta e reclamar muito, fica confiado à esperteza do pastor/a inventar qualquer coisa. .

Na continuidade da pregação luterana, o jornal britânico “The Guardian” noticiou que na cidadezinha de Wittenberg a igreja protestante de Hesse e Nassau apresentou o robô BlessU-2 em comemoração pelo 500º aniversário da trágica revolta de Lutero.

O nome faz um jogo de palavras cuja sonoridade evoca a expressão “sejam abençoados”. 

Segundo os fabricantes, no futuro os robôs puxarão as cerimônias religiosas nos templos protestantes. 

Ecumenismo confunde as religiões que poderão ser 'servidas' por máquinas. Arcebispo Bernard Longley (católico) e bispo Martin Lind (luterano)
Ecumenismo confunde as religiões que poderão ser 'servidas' por máquinas. 
Arcebispo Bernard Longley (católico) e bispo Martin Lind (luterano)
“Queremos que as pessoas percebam se é necessário que a bênção seja feita por uma pessoa ou por um robô”, explicou Stephan Krebs, membro da igreja evangélica de Hesse e Nassau ao jornal inglês. “A ideia é provocar um debate sobre nossa religião. O pessoal da rua acha engraçado”, acrescentou.

De fato, a bênção de um pastor/a é tão inoperante do ponto de vista da graça sobrenatural quanto a de uma máquina.

O robô de ar antipático possui uma tela no “peito” onde o crente pode selecionar a língua da bênção (alemão, inglês, francês, espanhol ou polonês).

Também pode escolher se quer uma voz masculina ou feminina.

Segundo o “The Guardian”, de momento o androide pode emitir sons, levantar os braços, acender luzes e reproduzir versos bíblicos.

O invento está em perfeita sintonia com o ateísmo de fundo que permeia o protestantismo e suscita no espírito católico uma aversão instintiva.

O BlessU-2 não é o primeiro “robô religioso”. Em 2016, um templo budista na área de Pequim desenvolveu um robô-monge que pode cantar ‘mantras’ e explicar dados básicos dessa religião satânica. 

Esse robô não causou tanta impressão, pois os templos pagãos têm grande número de ídolos.

Santo Agostinho, em seu grande tratado intitulado Cidade de Deus, fala de ídolos nos quais o falso sacerdote escondido se fazia ouvir respondendo aos idólatras trapaceados.

Não pode se excluir que, com a protestantização crescente do culto católico, a diminuição do clero e o apagamento da fé, algum teólogo “ecumênico” apareça propondo testar o monstrengo para presidir assembleias ou cultos católicos.

Bastará acrescentar a função “católico”, “protestante”, “budista” ou alguma outra. Em rigor, até a “Igreja de Satanás” poderá pleitear seu ícone.

No fim, teremos ídolos instalados nos recintos sagrados, todos eles servindo uma religião universal de cheiro luciferino. 

Aliás, algo similar à confusão universal das religiões que o grande sacerdote carmelita Beato Francisco Palau previu no século XIX que aconteceria num futuro que se parece com o nosso presente.

Comentando > Nada mais ridículo, não fosse, além disso, desastroso. O povo acha engraçado? Quem sabe um robô em cada casa, abençoando, abençoando?... Em nome de quem? Do criminoso, bêbado e heresiarca Lutero? Que isso fique pelo menos entre os protestantes, porque se a moda pega – e está pegando – de imitar em tudo as seitas protestantes, quem sabe no futuro deixaremos de enviar jovens aos seminários católicos e sim às fábricas de robôs padres, quiçá robôs celebrantes, quiçá vestidos de mulher?

De fato, pela primeira regra básica do protestantismo, a justificação, qualquer demônio vivo se salva. Pela regra deles, se Jesus salvou a todos indistintamente e sem exceção e não precisamos fazer nada para nos salvar, então até os diabos estão salvos. Então, para eles, se existem hoje o inferno e os demônios, quem terá que ser penalizado e novamente crucificado é Jesus, porque tê-los sepultado ali. E pasme, esta regra maldita está sendo emplacada no vaticano, quiçá para justificarem todos os desvarios que de lá partem hoje. E querem que aceitemos isso!

Pela segunda regra deles, o livre exame, as Sagradas Escrituras nada mais são que uma colcha de retalhos, aos quais posso aplicar qualquer cor. Então cada um pode fazer a própria Igreja, criar as próprias doutrinas, e é por isso que se multiplicam as seitas como praga, as quais, justamente fazendo uso indevido da bíblia escamoteiam usando de partes que servem para a arrecadação e o enriquecimento de energúmenos falsos pastores. A quem seja capaz de justificar até o aborto, fazendo uso da bíblia. Por esta regra cada um pode dizer “eu sou a minha igreja”, não mais ouvindo Jesus que disse: sob ti Pedro EU fundarei a MINHA IGREJA. A única.

Bem observado, também, é que a bênção – os pastores falam e abusam da tal bênção – dada pelo robô pastor, ou por qualquer pastor de seita – e protestantismo, anglicanismo, pentecostalismo, são seitas sim, conforme definido no Aurélio – tem exatamente o mesmo valor, ou seja, nenhum. Pior, podem se transformar em maldição, na medida em que ambos estão fora da unidade com Cristo, como podem abençoar em nome Dele? Eis o grito, que cada fiel seguidor de seita dará no primeiro instante da eternidade: JOGUEI A MINHA VIDA FORA. FUI UM LOUCO em me deixar enganar pelos falsos pastores. Fui louco em combater a verdadeira Igreja, a Católica! Fui um louco em deixar de me aproveitar dos seus sete Sacramentos, as únicas vias de salvação! Agora dependo deles para sair do Purgatório! E quantos se perdem!

Quanto aos fundadores destas seitas, os criadores de “igrejas”, mesmo os “bem” intencionados, para eles está reservado um tratamento rigoroso. Por mensagem ao Movimento, sabemos que estes ao morrerem ficam no aguardo do Juízo Final, quando serão julgados por aqueles que foram por eles desviados da fé, inclusive por aqueles que se perderam devido aos maus caminhos ali ensinados. Muitos deles poderão se perder, caso o peso das acusações contra eles impeça a sua salvação. Pastores, não brinquem de criar igrejas! Deus vos observa! (Aarão)

 
 
 

Artigo Visto: 1056 - Impresso: 8 - Enviado: 3

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 203 - Total Visitas Únicas: 3.180.819 Usuários online: 38