Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título
Você está em: MENU PRINCIPAL / Visões / Maria Sima




 
 
10/04/2008
Maria Sima
 
Visões - Maria Sima
10/04/2008 14:00:47

Visões - Maria Sima





MARIA SIMA
 
 Abaixo colocamos partes dos escritos de Maria Sima, uma senhora austríaca falecida recentemente, que durante muitos anos teve a visão das almas do Purgatório.

A tradução e gentileza é de Karl, e isso vem mostrar que tais visões e revelações não são uma exclusividade do Cláudio, embora o carisma dela tivesse uma conotação um pouco diferente: Ela recebia as visitas das almas, que contavam sua história e pediam que Maria rezasse ou sofresse por elas. Muitas almas devem a sua salvação a esta alma vítima.
 
As  Almas  do  Purgatório  me  disseram...                      
 
Este é o titulo de um livro escrito por  Maria Simma,  uma senhora nascida na Áustria no ano de 1915, na pequena aldeia de “Sonntag”, em família muito pobre. Segunda de oito filhos, desde pequena rezava muito pelas almas, como a sua mãe. Teve a graça de receber visitas de almas desde os seus 25 anos de idade, pelo resto de sua vida. Não pretendemos resumir o livro, mas apenas mencionar alguns itens.
                                                                                                                                                                      (1)
Pode parecer estranho, porém não é novidade na história da humanidade. Encontramos uma série de relatos, inclusive feitos por santos canonizados, como o Santo Cura d’Ars, São João Bosco, Santa Cata-rina de Gênoa (que escreveu muito a respeito), e muitos outros. O mais interessante é que todos esses relatos são muito semelhantes um ao outro.
 
A primeira alma veio à sua casa no ano de 1940, das 03 às 04 horas de madrugada. Diz ela: Ouvi al- guém andando no meu quarto e acordei. Olhei para ver quem podia ter entrado. Era um estranho, que andava lentamente. Perguntei severo “Como entraste? Que coisa perdeste? Que fazes tu?”  Mas como não me respondia, levantei-me de um salto para segurá-lo, e toquei no nada...  O homem havia desapa-recido. Voltei à cama e de novo comecei a senti-lo. Outra vez me levantei para segurá-lo, mas de novo esbarrei no nada. Perplexa voltei à cama. Ele não voltou, mas não consegui mais dormir. Aliás, minha mãe dizia que desde pequena nunca tive medo de nada. Pela manhã, após a Missa, encontrei-me com o meu Diretor Espiritual. Ele me disse: “Se tudo acontecer de novo, não pergunte quem és, mas pergunte  que coisa queres de mim?  
 
Na noite seguinte, o mesmo homem retornou. Perguntei: “Que coisa queres de mim?”  Ele disse: “Manda celebrar três missas por mim e serei libertado.”  Então compreendi que era uma alma do purgatório. O meu Diretor Espiritual me confirmou. Aconselhou-me a não rejeitar as almas do
purgatório, mas de acolhê-las com generosidade. Por alguns anos continuaram poucas visitas, mas depois vieram mais e mais. Muitas vezes pedem Santas Missas por elas e de assistí-las.  Pedem para rezar o Santo Rosário, a Via Sacra ou outras orações em suas intenções.
 
QUE COISA É O PURGATÓRIO?  Conforme contam as almas, é uma invenção genial da parte de Deus. Imagina um dia lhe aparecer um ser extraordinariamente belo. Ficaríeis fascinados e atônitos por esse ser de luz e beleza. Tanto mais que Ele demonstra ser totalmente enamorado de vós. Queima já no vosso coração o fogo do amor que vos faz querer abraçá-lo. Mas eis que vos dais conta que não sois lavados há meses, tendes um mau cheiro, vos sentis horrivelmente feios... Então vós mesmos direis: “Não, não é possível que me apresente neste estado. Preciso primeiro me lavar, tomar um banho e depois tornar a vê-lo.  O purgatório é exatamente para isto. Para o pecador ter oportunidade de se purifi-car antes de abraçar Jesus.
 
Nenhuma alma do purgatório quer voltar para a terra, porque essas já têm um conhecimento de Deus infinitamente superior ao nosso, e não querem mais retornar às trevas deste mundo. Elas mesmas que decidem ir para o purgatório para se purificarem antes de entrar no paraíso.
 
QUAIS OS PECADOS QUE LEVAM AO PURGATÓTIO?  São os pecados contra a caridade, contra o amor ao próximo, a dureza de coração, a hostilidade, a calúnia, sexo livre, sim, todas essas coisas. Porém a maledicência e a calúnia são as mais graves, que necessitam de uma longa purificação.
 
E COMO EVITAR O PURGATÓRIO? Ter um coração bom para com todos. A caridade cobre uma multi-dão de pecados. Devemos fazer muito pelas almas do purgatório, porque elas nos ajudam  sempre. É preciso ter muita humildade. É esta a maior arma contra o maligno. A humildade elimina o mal. Uma história contada por Maria:
 
Conheci um jovem de vinte anos. Habitava um lugarejo vizinho ao meu. Este lugar foi duramente castigado por avalanches que mataram grande número de pessoas. Uma tarde, quando se encontrava na casa de seus pais, inesperadamente veio um desabamento terrível vizinho à sua casa. Ele ouvindo os gritos desesperados de socorro, se levantou para prestar ajuda àquelas pessoas. A mãe, fechando a porta, disse: “Não! os outros irão socorrê-los, não nós! Não quero que sejas um morto a mais.” Mas o jovem disse: “sim, eu vou! Não quero deixá-los morrer assim!”. Mas eis que ele também, ao sair, foi soterrado e morreu.
Dois dias depois ele veio visitar-me durante a noite e me disse: “Manda celebrar três missas por mim e serei libertado. Tive uma vida cheia de pecados, mas pelo grande ato de amor, colocando em risco a minha própria vida, o Senhor me acolheu assim tão depressa com benevolência. Sim, a caridade cobre uma multidão de pecados.”  Neste episódio se vê, como um só ato de amor desinteressado foi suficiente para purificar este jovem de uma vida toda vivida no pecado. O Senhor aproveitou este momento de amor para chamá-lo a si.                                                                            
(2)                            
                                              &n
bsp;                                                                                                                   A SANTA MISSA  é o meio mais eficaz para facilitar a libertação das almas do purgatório, porque aí é o próprio Cristo que se oferece a Deus por amor a nós.  Se em vida tivermos rezado e participado das missas com todo coração, e durante a semana tivermos vivido segundo o nosso tempo disponível, essas missas trarão um maior proveito para nós quando morrermos, do que as que forem celebradas depois. Uma alma do purgatório vê muito bem o dia do seu funeral, se se reza verdadeiramente por elas, ou se simplesmente faz-se ato de presença ara mostrar que está lá. As almas dizem que as lágrimas não servem de nada para ajudá-las. Ao contrário, serve muito a oração.
 
O SOFRIMENTO E O PURGATÓRIO:  A primeira vez que uma alma me perguntou se eu queria sofrer por três horas por ela, eu disse para mim mesma: “se é só por três horas, vou aceitar”. Mas aquelas três horas me pareciam que duravam três dias, os sofrimentos eram terríveis. Mas no final olhei para o relógio e vi que haviam passado somente três horas. Esta alma depois me disse que por eu ter aceitado sofrer por três horas, ela havia sido poupada de passar mais vinte anos no purgatório. Mas é possível ?
Bem, quando se sofre sobre a terra, e ainda mais voluntariamente, podemos crescer no amor de Deus. Isto não é o caso dos sofrimentos no purgatório, que servem somente para purificar os pecados. Sobre a terra temos todas as graças, temos a liberdade de escolher.
 
INDULGÊNCIAS:  As almas dizem  que também as Indulgências têm um grande valor, seja para liberta-ção delas, seja para nós. Talvez seja até uma verdadeira crueldade não aproveitarmos esses tesouros que a Igreja nos propõe em favor das almas do purgatório. É pouco sacrifício para muito proveito.
 
As almas do purgatório não podem fazer nada por elas mesmas. São totalmente impotentes, e se os vivos não rezarem por elas, ficarão em completo abandono. Eis porque é importante utilizar o imenso poder , incrível, que todos nós temos nas mãos para ajudar a libertar as almas que sofrem. Esta é talvez a maneira mais bela de exercitar a caridade.
 
REENCARNAÇÃO:  As almas dizem que Deus nos dá uma só vida.  Não há reencarnação.
 
EXISTEM PADRES NO PURGATÓRIO?  (Quando ouviu essa pergunta, Maria levantou os olhos para o céu como se dissesse: Ai, meu Deus!!!. Respondeu:) Sim, são muitos. Estão lá por não terem ajudado aos seus fiéis a terem respeito pela eucaristia. Negligenciaram a oração e a sua fé diminuiu. Porém, é também verdade, que muitos e muitos padres foram e vão diretamente para o céu.
 
EXISTEM CRIANÇAS NO PURGATÓRIO?  Sim, mas para elas o purgatório não é muito longo nem muito penoso, porque a essas falta o pleno discernimento.
 
PECADOS  CONTRA A NATUREZA:  As almas que eu conheci (do purgatório) não se perderam, mas devem sofrer muito para purificar-se. Em todas as perversões está presente a obra do maligno e, de um modo particular, no homossexualismo. Diria para rezarem sobretudo a São Miguel Arcanjo, porque é ele, por excelência, quem combate o maligno.
 
A PRÁTICA DO ESPIRITISMO:  Não é boa. É sempre o diabo que faz mover as coisas. Não é lícito chamar as almas. A mim elas vêm por permissão de Deus, eu não
as chamo. No espiritismo, invocam-se os espíritos, mas é o próprio demônio  que vem fingindo ser a alma deste ou daquele outro. Apresenta-se com falsa aparência, sem ser chamado. Uma vez, uma alma veio encontrar-me e me disse: “Não deves acolher a alma que virá depois de mim, porque ela te pedirá muito sofrimento. Tu não tens saúde para aceitar aquilo que ela te pedir.” Fiquei perturbada, pois meu Diretor Espiritual me havia dito que devo acolher  com generosidade os seus pedidos. Pensei comigo: será que aquele é o demônio? Fiz o sinal da cruz e disse àquele homem: “Se tu és o demônio, vai-te!!!” De súbito soltou um forte grito e fugiu. E a alma que veio depois, era verdadeiramente uma alma que precisava muito da minha ajuda, e a atendi.
 
OS BENS MAL ADQUIRIDOS:  Fiquei mais conhecida, quando as almas começaram a pedir-me para suplicar às suas famílias a fim de que restituíssem um bem adquirido ilicitamente. Os familiares viram que o que eu dizia era verdadeiro. Muitas vezes as almas vieram encontrar-me para dizer-me: “Vai a minha família, em tal lugar, e diz ao meu filho, ao meu pai, ao meu irmão, para restituir tal propriedade, tal soma de dinheiro, tal objeto, e eu serei libertada do purgatório quando estes bens forem restituídos (porque eu participei do ato ilícito). E assim ficavam maravilhadas por eu conhecer tudo. Fiquei conhecida, porque os jornais publicaram esses acontecimentos.
 
UMA  PROPOSTA  PARA TODOS: (3)
Tenho uma proposta para fazer a todos aqueles que leram estes belos testemunhos. A proposta é esta:  de tomarmos a decisão de nenhum de nós ir ao purgatório.  Isto é perfeitamente possível. Nós temos tudo nas mãos. São João da Cruz disse que a providência de Deus provê sempre, na vida de todo homem, a purificação necessária, a fim de que, quando chegarmos no momento da morte, possamos ir diretamente para o Céu. A providência coloca nas nossas vidas bastante contrariedades, provas, sofrimentos, doenças e faz com que esses meios de purificação sejam suficientes para nos conduzir, se assim quisermos, e ir direto para o Céu.
 
Mas porque são tão pouco utilizados? Porque nós nos rebelamos, não acolhemos com amor, com reconhecimento, este presente valiosíssimo que são as provas e os sofrimentos na nossa vida, e os perdemos por causa das nossas rebeliões e pela não submissão. Agora, peçamos ao Senhor, a graça de saber acolher verdadeiramente cada ocasião, a fim de que no dia da nossa morte, Jesus nos veja resplandescentes de beleza  e de pureza.
 
Certamente se nós decidirmos isto, não digo que o caminho será fácil, pois o Senhor jamais disse que seria, jamais prometeu a facilidade, mas o caminho será na paz e será um caminho de encontro e felicidade, isto sim. O Senhor estará conosco, sobretudo se quisermos aproveitar o tempo que nos resta aqui na terra, tempo este tão precioso, durante o qual nos é agora concedido crescer no amor, enquanto que as almas do purgatório não podem fazer mais nada por si mesmas. Cada ato de amor que nós oferecermos ao Senhor, cada pequena renúncia, cada pequeno jejum, cada pequena privação, cada luta contra nossas tendências e contra os nossos defeitos, os pequenos perdões aos nossos inimigos, em suma, todas as pequenas coisas que possamos oferecer, será para nós, mais tarde, um ornamento, uma jóia, um verdadeiro tesouro para a eternidade.
 
Agora acolhamos cada ocasião para sermos belos como Deus deseja desde já que o sejamos. E se víssemos em plena luz, o esplendor das almas puras, o esplendor de uma alma que é purificada, nós choraríamos de alegria, de maravilhados, tanta é a sua beleza. Uma alma humana é qualquer coisa de esplendido diante de Deus, e é por isto que Deus nos deseja perfeitamente puros. A nossa pureza não consiste em não havermos cometi
do jamais erros, mas em saber arrepender-nos dos que cometemos e em sermos humildes. Vejam! Isto é muito diverso. Os santos não são pessoas impecáveis, mas são aquelas que sabem levantar-se e pedir perdão, cada vez que caem.
 
Agora, acolhamos também, nós todos, esses maravilhosos meios que o Senhor colocou em nossas mãos para ajudar as almas do purgatório, que ainda sofrem por não terem chegado até Deus. Não esqueçamos que a oração das crianças têm um poder imenso no coração de Deus. Ensinemos as crianças a rezarem. Queria dizer também que os aposentados, e todos aqueles que têm o tempo livre, andassem mais assiduamente à  Santa Missa. Poderiam acumular sufrágios não somente para eles, mas também para os seus falecidos e por milhares e milhares de almas. O valor de uma só Missa é incomensurável. Ah, se todos se dessem conta!
 
Quantas riquezas nós perdemos, por causa da nossa ignorância, da indiferença, ou simplesmente pela nossa preguiça! E dizer, que temos em nossas mãos o poder de salvar os nossos irmãos, tornando-se nós mesmos co-redentores, junto com Jesus nosso salvador e redentor!   (ass.)   Maria Simma.
 
NOSSA SENHORA FALA DAS ALMAS DO PURGATÓRIO, EM MEDJUGORIE:
 
Queridos filhos! Hoje desejo convidá-los a orar todos os dias pelas almas do purgatório. Para todas as almas é necessária a oração e a graça, para chegarem a Deus e ao Amor de Deus. Com isso, também vocês, queridos filhos, recebem novos intercessores, que os ajudarão na vida, a compreender que as coisas da Terra não são importantes para vocês; que só o Céu é a meta para a qual vocês devem encaminhar-se. Por isso, queridos filhos, rezem sem descanso, a fim de que vocês possam ajudar a si mesmos e também aos outros, para os quais as orações trarão a alegria.  Obrigado por terem correspondido a meu apelo.  (06.11.1986)
 
Elaborado em março de 2008:  K.W. Lay,  Laykw @ terra.com.br 
  
 OBS: Um pequena história sobre as almas, conforme a revelações de Maria Sima. Conta ela que certa vez viajava de ônibus e ao seu lado sentou um jovem, que se dizia ateu e que muito blasfemava contra a Igreja. Ela tentou contemporizar, mas ele se mostrava irredutível.

Quando saiam do ônibus, e assim que o jovem pisou no chão, ela vinha logo atrás dele. Então Maria simplesmente disse em seu coração: Que Deus tenha pena desta pobre alma.

E aconteceu que, 20 anos mais tarde, achava-se ela em oração e de repente vê aparecer diante de sim um senhor, na verdade uma alma do Purgatório, e lhe perguntou se o conhecia. Ela disse que não, pois eram tantos...
Então ele contou a ela a história do jovem herege, que 20 anos antes ela tinha visto no ônibos, e este lhe perguntou se ela lembrava. Sim, disse ela, lembro bem agora deste fato. Então a alma lhe perguntou se ela lembrava da frase que ela tinha pronunciado em seu coração, quando saiam o ônibus? Sim, eu disse: Que Deus tenha pena desta pobre alma!

Pois bem, disse ela: este seu desejo foi atendido por Deus, e na hora de minha morte, devido apenas a este fato, eu tive a graça da contrição final, sem o que eu teria me perdido eternamente. 
 
Vejam como é fácil salvar almas, basta um desejo ardente de fazer isso, tudo no amor de Deus, o único que salva. O amor é que salva, e nós podemos fazer parte deste grande mistério, na verdade a maior de todas as obras de caridade. Alias esta é a única caridade que verdadeiramente alcança o infinito: a que brota do amor, para levar a eternidade!

Aquela que brota do orgulho, para um bem finito, "já recebeu a sua consolação". E esta não salva, antes faz perder eternamente! Então é falsa caridade! Mas é esta que parte falsa e podre da Igreja Católica tem buscado tenazmente.



Toda  "caridade" que visa construir um paraíso aqui na terra é obra morta, que não produz um só fruto de eternidade. Os padres que seguem esta falsa teologia, sem excessão, chegam diante do Juíz de joelhos... e de mãos vazias!
   
 



 
 
 

Artigo Visto: 2625 - Impresso: 68 - Enviado: 49

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 456 - Total Visitas Únicas: 3.078.637 Usuários online: 45