Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
09/10/2018
Deixar a Igreja ou lutar por ela?
Muitos maus católicos deixam a Igreja por causa do escândalo de alguns, mas Jesus não fugiu da cruz!
 

Respondendo à questão mais frequente em minha caixa postal: Ann, como você ainda consegue ser Católica?

Por Ann Barnhardt, 17 de setembro de 2018 | Tradução: FratresInUnum.com:  Eu diria que esta é a pergunta mais frequente chegando por email neste momento. O tráfego está bem maior desde que eu (com a assistência heróica de leitores argentinos) comecei a publicar as ligações Bergolianas com tráfico sexual de crianças na Argentina. Um bocado de novos leitores, e muitos leitores antigos que não apareciam faz algum tempo, mas que agora estão voltando. A maioria dos emails que chegam me perguntando porque eu ainda não deixei a Igreja, não eram daqueles cheios de ódio. Eles parecem vir de uma raiz de preocupação genuína, usualmente incluindo algo como “Você é tão inteligente, Ann. Como você não consegue enxergar isso? Por que você tem essa enorme cegueira?”

agonia

Na noite passada um leitor me enviou um link para um post que Karl Denninger pôs em seu blog, no qual Denninger essencialmente professava uma conversão completa ao ateísmo precisamente porque Deus não deu um fim aos monstros sodomitas que se infiltraram e agora dominam a Igreja institucional, e que estão tentando destruí-la, enquanto simultaneamente erguem uma anti-igreja em seu lugar. Me pediram especificamente para responder a isso, e fico feliz de o fazer. Como diz São Pedro, precisamos estar prontos a qualquer momento para explicar o porquê de termos esperança. Não consigo pensar em tempo melhor para dar tal explicação, precisamente quando parece que a situação é desesperadora e que os sodomitas venceram não apenas a batalha, mas toda a guerra.

 

Antes santificai em vossos corações Cristo, o Senhor. Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança.

Dominum autem Christum sanctificate in cordibus vestris, parati semper ad satisfactionem omni poscenti vos rationem de ea, quae in vobis est, spe.

I São Pedro, 3,15

 

Eu ainda sou católica porque a Igreja Católica é a Única Verdadeira Igreja fundada por Jesus Cristo no Cenáculo, construída sobre a rocha de Pedro, e fora da Qual não há salvação. A Igreja Católica é o Corpo Místico e a Esposa de Cristo, e as portas do Inferno não prevalecerão contra ela.

 

Mas não é o bastante, Ann. Soa como um slogan robótico. Precisamos de mais do que isso.

 

Muito bem. Tudo o que está acontecendo agora tem sido profetizado por pelo menos um século. O principal vetor destes avisos tem sido ninguém menos que a própria Mãe de Deus, aparecendo por todo o planeta, de Portugal, Japão, ao Equador. Além disso, ao Papa Leão XIII foi dada uma visão de uma conversa entre Satanás e Nosso Senhor Jesus Cristo, na qual Satanás anunciou seu plano para destruir a Igreja em cem anos. Foi-lhe concedida a escolha de qual século queria, e ele escolheu o século XX.

 

Ann, você não está se ajudando. Como poderia um Deus amoroso dar permissão a Satanás para tentar destruir a Igreja?

 

Da mesma forma que Deus Pai pôde permitir Seu Filho ser flagelado e morto na Cruz. Pois daquele horror – a pior de todas as coisas que aconteceu ou acontecerá – toda a raça humana foi redimida. Em termos do que está acontecendo hoje, o bem que está vindo desse horror é que os homens – alguns homens, mas certamente não todos – serão atraídos para muito, muito mais perto de Cristo do que eles seriam, tivessem os tempos sido “calmos”. Por alguma razão, há pessoas vivas, agora mesmo, hoje, que Cristo deseja trazer para mais para perto de Seu Sagrado Coração, e Ele está querendo deixar esse ataque à Igreja acontecer para atingir esse objetivo. Se você está lendo isso agora, é perfeitamente possível que você seja uma dessas almas.

 

A chave para tudo isso é a Agonia de Nosso Senhor no Horto das Oliveiras. Note que é chamada agonia, não “a decepção” ou “quando Jesus foi ao Jardim, sentou e ficou prostrado por umas horas”. Ele estava em agonia. Ele estava em agonia quando Ele tomou sobre Si os pecados do mundo – todos eles. Incluindo toda sodomia, toda violação e ataque a seminaristas, todas as orgias gays realizadas por prelados da cúria, toda pegação sodomítica na sacristia da Basílica de São Pedro, todos os estupros de crianças pobres por padres e bispos que acobertavam uns aos outros. Tudo isso.

 

Agora, vamos parar e pensar sobre isso em termos humanos. Vamos tomar o exemplo de Luigi Capozzi, o padre que foi pego promovendo a orgia sodomita embalada a cocaína em seu apartamento no prédio do Santo Ofício, apenas a alguns metros da Basílica de São Pedro.

 

 

Luigi Capozzi tem pais. Avós. Provavelmente primos. Provavelmente, amigos em sua cidade natal. Essas pessoas, provavelmente, sentiam orgulho de Capozzi, pensando que ele estava vivendo e trabalhando no Vaticano fazendo a obra de Deus. Agora, coloque-se no lugar da mãe, pai, irmão ou amigo de Capozzi. Imagine o nível de desgosto, desgosto tão intenso que poderia ser chamado de uma espécie de agonia, quando eles descobriram que este homem que acreditavam ser um bom homem, e alguém de quem muito se orgulhar, em vez disso, ele obtém cocaína e outras drogas pesadas para “festas”, e busca jovens garotos prostitutos, e dá orgias com seus colegas padres e bispos, onde são realizados atos de sodomia cuja mera contemplação faz pessoas moralmente sãs sentirem mal estar físico. Você consegue se imaginar como o pai de Capozzi, sabendo que seu filho não apenas é um sodomita, mas um sodomita sacrílego, que sodomiza outros homens, incluindo clérigos e prelados, dentro do Vaticano? Você consegue imaginar os sentimentos de fracasso total e completo como homem e como pai, que o pai de Capozzi deve sentir?

 

Algumas décadas atrás, Luigi Capozzi era o filho pequeno de sua mãe, batizado, limpo do Pecado Original. Uma perfeita pessoinha. Luigi Capozzi era, apenas algumas décadas atrás, o companheiro de brincadeiras de seus irmãos, jogando bola e andando de bicicleta. Até o ano passado, a família e amigos de Capozzi provavelmente pensavam que ele era verdadeiramente admirável – um padre e um erudito que era “tão bom” que foi escolhido para trabalhar no Vaticano! Que admirável! Quão orgulhosos todos eles deviam estar!

 

Até o momento em que descobriram que ele usa cocaína e comete atos impuros com outros homens, incluindo outros clérigos e prelados, com o propósito de atingir orgasmos. E ele faz isso dentro do Vaticano. De forma barulhenta.

 

A maioria de vocês lendo isso jamais conhecerão desgosto tão intenso, mas você pode tentar se colocar no lugar da família Capozzi e seus amigos e tentar imaginar. Tente imaginar a agonia esmagadora da alma da mãe de Capozzi, por exemplo. É possível que seu filho fosse a pessoa que ela mais admirava e de quem tinha mais orgulho em toda sua vida. Descobrir que era tudo uma mentira, e que seu amado filho era literalmente um dos mais malignos seres humanos vivos, e que aquela criança que ela amava tanto foi totalmente tragada e substituída por um vácuo absorvente de maldade, e que o homem que ela pensava conhecer como seu filho era realmente uma fachada falsa que ele projetava de modo a esconder sua monstruosidade dela – agonia é a única palavra que se aproxima. Imagine descobrir que a pessoa que você mais ama no mundo é, na verdade, uma ficção inexistente.

 

Toda vez que você ler uma história ou mesmo experimentar algo parecido em sua paróquia ou diocese, quando você sentir aquele desgosto esmagador, primeiro coloque-se no lugar dos pais, família e amigos desses homens. Permita a si mesmo se integrar nessa dor o máximo que puder.

 

Então, e é este o ponto, imagine Nosso Senhor no Horto. Imagine como SUA AGONIA deve ter sido, considerando que Ele tomou sobre Si CADA PECADO QUE JÁ FOI E SERÁ COMETIDO, e que Ele ama cada ser humano, sem exceção, infinitamente. Imagine Sua agonia com os pecados destes clérigos e prelados sodomitas como Capozzi, McCarrick, Wuerl, Coccopalmerio, Paglia, Martin e por aí vai…

 

Agora, vá em frente e pergunte a Ele porque Ele permite que você seja tão magoado, tão intensamente desapontado pelo que está acontecendo na Igreja hoje. A resposta é simples: Ele quer que VOCÊ experimente e partilhe na mais ínfima das maneiras de Sua Agonia e Sua Paixão. Ele quer você mais próximo dEle. Ele quer que VOCÊ saiba e compreenda exatamente, tanto quanto puder, o quanto Ele nos ama a todos, e o quanto Ele ama você pessoalmente, e nesse momento a melhor forma de fazer isso é através de sua Agonia. Mesmo em Sua infinita agonia, causada por nós, prevaleceu o Amor Infinito, até a Flagelação e a Cruz pela qual todos são redimidos e alguns são e serão salvos.

 

Pois lembre-se, cada pecado é uma ofensa infinita contra Deus porque Ele é Infinito Bem. Isto significa que você causou ofensa infinita a Ele com cada pecado que você já cometeu. Sim, alguns infinitos são maiores do que outros infinitos (este é um fato matemático, não uma figura de linguagem boba), e não, a maioria de vocês nunca deu uma orgia gay dentro do Vaticano nem nada perto disso, mas nós, TODOS NÓS, ainda cometemos ofensas infinitas contra Ele.

 

Considere as pessoas que pensam que isso não é nada demais – que isto é o que é preciso para que a Igreja “saia do passado” e finalmente ratifique sodomia como moralmente neutra senão uma espécie de “bem”. Considere a vasta maioria das pessoas por aí que há tempos apostataram, ou que nem mesmo jamais estiveram na Igreja. Considere as pessoas que na frieza de seus corações se afastaram de Cristo no Jardim, desejando em vez disso encontrar uma “i”greja sem agonia. Na verdade, eles simplesmente decidiram encontrar uma “i”greja sem Cristo. Considere a pobreza – VERDADEIRA pobreza – dessas pessoas. Reze para que elas decidam voltar e aceitar o favor de entrar na agonia de Cristo.

 

Agora considere quão abençoado você é por ser capaz de sentar aqui e SABER sem a menor sombra de dúvida que Cristo organizou a Providência Divina de tal modo que você estivesse aqui, em nossos dias, com a informação que você tem, precisamente para que pudesse ir até Ele no Jardim e chorar com Ele, talvez pela primeira vez em sua vida. Considere que através de sua dor e desgosto, você pode olhar para as palavras mais famosas em toda escritura e ter um entendimento delas que você talvez nunca tenha tido se a você não tivesse sido permitido ser tão magoado pelos sodomitas infiltrados na Igreja:

 

Pois de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.

 

Deixar a Igreja? Por que eu deixaria a Igreja? Eu não estou escandalizada. Estar escandalizada é ser levada pelos pecados de outros a cometer pecado eu mesma, OU estar escandalizada é ter minha fé reduzida ou eliminada pelos pecados de outros. Nenhuma das duas coisas me aconteceu. A dor e agonia que sinto por causa dos sodomitas em Roma – e acredite em mim, a dor é profunda e constante, embora em público eu manifeste apenas ira justa – é uma marca de favor de Nosso Senhor. Ele me quer mais próxima. Deus Todo Poderoso quer a mim – A MIM – mais próxima. E Ele escolheu para mim a forma mais garantida e eficaz de me trazer para mais perto dEle – para tomar parte em Sua agonia. Para mim, rejeitar tal favor, rejeitar tal AMOR, é impensável. Minha fé está MAIS FORTE do que era alguns anos atrás, e nós rezamos o Primeiro Mistério Glorioso do rosário, a Ressurreição, por um aumento na Fé a cada dia. Parte desta Fé é o conhecimento certo de que Cristo nunca, jamais permitiria algo acontecer conosco ou com quem quer que seja, que Ele não estivesse totalmente preparado para nos dar a força para suportarmos. Aquela força – aquela ARMADURA, se preferir – está disponível a todos, mas todos são livres para tanto aceitá-la quanto rejeitá-la. Eu escolho compartilhar na Agonia. Eu escolho o Amor. Eu escolho “sofrer junto com Ele”. Eu não apenas escolho isso, eu agradeço a Deus pelo favor que Ele me mostra em compartilhar de Sua agonia todos os dias.

 

Ante vossos olhos estão os que me perseguem: seus ultrajes abateram meu coração e desfaleci. Esperei em vão quem tivesse compaixão de mim, quem me consolasse, e não encontrei.

Salmos, 68,20-21

 

Espero que ajude.

 

São Pedro, rogai por nós.

São Pedro Damião, rogai por nós.

São José, rogai por nós.

Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós.

 

Senhor Jesus Cristo, tenha misericórdia de nós.

Compartilhe!

 

 
 
 

Artigo Visto: 189 - Impresso: 3 - Enviado: 6

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 211 - Total Visitas Únicas: 3.236.919 Usuários online: 58