Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título



 
 
27/08/2019
Vaticano trai a Cristo
Gog convocou um comitê multi-religioso para promover a ideia de que Deus "deseja liberdade religiosa".
 

Bispo Schneider: Vaticano está Traindo Cristo como Único Salvador da Humanidade

 

Papa Francisco assinou documento em Abu Dhabi junto com um líder religioso muçulmano no qual diz que Deus "deseja" a diversidade religiosa. Isto é, Deus abençoa e  deseja todas religiões. Isto é, não precisa acreditar em Cristo ou na Santíssima Trindade para ser salvo. Tá liberado geral. Isso fez com que muitos condenassem o Papa como herético ou mesmo apóstata. Em reunião com o Papa Francisco, o bispo Schneider perguntou diretamente ao Papa sobre isso e o Papa disse que na verdade quis dizer que Deus "permite" a diversidade religiosa, não desejava.
Mas o Papa ludibriou Schneider, além de não corrigir o documento publicamente, o Papa convocou comitê multi-religioso para promover a ideia de que Deus "deseja liberdade religiosa". O comitê conta com católicos e muçulmanos.
Daí, obviamente, foram perguntar hoje a Schneider o que ele achava desse comitê. Ele não titubeou, disse que o Vaticano do Papa Francisco está traindo Cristo e também todas as almas que  não entenderão que a Igreja é a única porta para Cristo. O Vaticano está abandonando os missionários da fé, que procuram evangelizar o mundo. Em suma, eu diria, o Vaticano promove apostasia do cristianismo.

Vejam  parte do artigo do  Life Site News.

EXCLUSIVO: O Bispo Schneider diz que o Vaticano está traindo 'Jesus Cristo como o único Salvador da humanidade'

ROMA, 26 de agosto de 2019 ( LifeSiteNews ) - A decisão do Vaticano de implementar um documento afirmando que a “diversidade das religiões” é “desejada por Deus”, sem corrigir esta declaração, equivale a “promover a negligência do primeiro mandamento” e uma "traição do Evangelho", disse o bispo Athanasius Schneider.
Em uma entrevista exclusiva com LifeSiteNews em uma iniciativa apoiada pelo Vaticano para promover o " Documento sobre Fraternidade Humana para a Paz Mundial e Vivendo Juntos ", o auxiliar de Astana, Cazaquistão, disse que "nobres objetivos como" fraternidade humana "e" mundo a paz 'pode ser, eles não podem ser promovidos ao custo de relativizar a verdade da singularidade de Jesus Cristo e Sua Igreja. ” 
A disseminação deste documento em sua forma não corrigida “paralisará a missão ad gentes da Igreja  ” e   sufocará seu zelo ardente para evangelizar todos os homens”, disse o bispo Schneider.

Um "Comitê Superior"

Na semana passada, o Vaticano  anunciou  que um “Comitê Superior” de várias religiões foi estabelecido nos Emirados Árabes Unidos para implementar o “ Documento sobre Fraternidade Humana para a Paz Mundial e Vivendo Juntos ”, que o Papa Francisco assinou em 4 de fevereiro de 2019. em Abu Dhabi, junto com Ahmad el-Tayeb, o Grande Imam Al-Azhar, durante uma visita apostólica de três dias à Península Arábica.
Os membros da comissão de sete membros (católicos e muçulmanos) incluem o secretário pessoal do Papa Francisco, pe. Yoannis Lahzi Gaid e o presidente do Conselho Ponfical para o Diálogo Inter-religioso, Dom Miguel Angel Ayuso Giuxot.
Em comunicado divulgado na segunda-feira, 26 de agosto, o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, disse que o papa Francisco “encoraja os esforços do Comitê para disseminar o conhecimento do documento; Ele agradece aos Emirados Árabes Unidos pelo compromisso concreto demonstrado em nome da fraternidade humana e expressa a esperança de que iniciativas semelhantes possam surgir em todo o mundo ”.

Documento controverso

O documento de Abu Dhabi gerou  polêmica  por afirmar que um “pluralismo e diversidade” de religiões é “desejado por Deus”.
Em 1º de março de 2019, durante uma  visita ad limina  dos bispos da Ásia Central a Roma, o Bispo Schneider, cuja diocese está localizada em uma nação predominantemente muçulmana, expressou preocupação com essa formulação ao Papa Francisco. O Papa disse que a frase em questão sobre a “diversidade de religiões” significava “a vontade permissiva de Deus”, e ele deu permissão explícita ao Bispo Schneider e outros bispos presentes para citar suas palavras. 
O bispo Schneider, por sua vez, pediu ao papa que esclarecesse a declaração de maneira oficial.
O papa Francis apareceu para oferecer um esclarecimento em sua  audiência geral de quarta-feira em 3 de abril de 2019 , mas nenhum esclarecimento ou correção oficial ao texto foi dado até o momento.  
De acordo com o Bispo Schneider, ao implementar o documento de Abu Dhabi sem corrigir sua errônea afirmação sobre a diversidade das religiões, “os homens na Igreja não apenas traem Jesus Cristo como o único Salvador da humanidade e a necessidade de Sua Igreja para a salvação eterna, mas também cometer uma grande injustiça e pecar contra o amor ao próximo ”.
"Do ponto de vista pastoral, é altamente irresponsável deixar os fiéis de toda a Igreja na incerteza em uma questão tão vital quanto a validade do primeiro mandamento do Decálogo e a obrigação divina de todos os homens de crer e adorar, com seus livre arbítrio, Jesus Cristo como o único Salvador da humanidade. Quando Deus ordenou a todos os homens “Este é o meu Filho amado, com quem me comprazo; escutai-o! ”(Mt 17: 5) e quando, conseqüentemente, em Seu julgamento Ele“ infligir vingança sobre os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus ”(2 Tessalonicenses 1: 8), como pode Ele no mesmo tempo positivamente a diversidade das religiões? As palavras inequívocas reveladas de Deus são irreconciliáveis ​​com a frase do documento de Abu Dhabi. Afirmar o contrário significaria enquadrar um círculo ou adotar a mentalidade do gnosticismo ou do hegelianismo.
Não se pode justificar a teoria de que a diversidade de religiões é positivamente desejada por Deus ao acrescentar a verdade do depósito da fé em relação ao livre-arbítrio como um dom de Deus criador. Deus concedeu ao homem o livre arbítrio precisamente para que ele possa adorar somente a Deus, que é o Deus Triúno. Deus não deu ao homem o livre arbítrio para adorar ídolos, ou negar ou blasfemar o seu Filho encarnado Jesus Cristo, que disse: “Aquele que não crê já está condenado, porque não creu no nome do único Filho de ídolos. Deus ”(Jo 3:18)."
...
"Do ponto de vista pastoral, é altamente irresponsável deixar os fiéis de toda a Igreja na incerteza em uma questão tão vital quanto a validade do primeiro mandamento do Decálogo e a obrigação divina de todos os homens de crer e adorar, com seus livre arbítrio, Jesus Cristo como o único Salvador da humanidade. Quando Deus ordenou a todos os homens “Este é o meu Filho amado, com quem me comprazo; escutai-o! ”(Mt 17: 5) e quando, conseqüentemente, em Seu julgamento Ele“ infligir vingança sobre os que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus ”(2 Tessalonicenses 1: 8), como pode Ele no mesmo tempo positivamente a diversidade das religiões? As palavras inequívocas reveladas de Deus são irreconciliáveis ​​com a frase do documento de Abu Dhabi. Afirmar o contrário significaria enquadrar um círculo ou adotar a mentalidade do gnosticismo ou do hegelianismo.
Não se pode justificar a teoria de que a diversidade de religiões é positivamente desejada por Deus ao acrescentar a verdade do depósito da fé em relação ao livre-arbítrio como um dom de Deus criador. Deus concedeu ao homem o livre arbítrio precisamente para que ele possa adorar somente a Deus, que é o Deus Triúno. Deus não deu ao homem o livre arbítrio para adorar ídolos, ou negar ou blasfemar o seu Filho encarnado Jesus Cristo, que disse: “Aquele que não crê já está condenado, porque não creu no nome do único Filho de Deus”(Jo 3:18)."

++++++++

OBS > A falsa ideia de que “todas as religiões levam a Deus”, que se funde nas palavras de GOG “Deus aprova a liberdade religiosa”, também a perversa ideologia que afirma que “cada religião tem sua parte de verdade”, são dísticos decididamente satânicos, e não se tratam apenas de heresias ou coisa ainda pior porque são blasfêmias lançadas na face de Cristo. E isso não ficará sem punição, quando o Braço do Altíssimo descer sobre estes teóricos heréticos.

Começa pela Palavra de Deus que afirma “os deuses de outras religiões são demônios”, e acaba por dinamitar toda a obra da salvação, num repto atirado contra o Criador e contra o Redentor, porque se “todas as religiões salvam”, então o Pai Eterno cometeu uma grave injustiça contra Seu Filho Salvador, permitindo que Ele morresse numa Cruz, para nos salvar. Segue na Palavra de Jesus que afirma: “ninguém vai ao Pai senão por Mim”. Ou seja: não existe salvação sem Cristo Jesus.

Mais um repto destes satânicos demolidores das Verdades Eternas se confirma na Palavra do Mesmo Jesus que atesta: “Quem não come a Minha Carne e não bebe o Meu Sangue, não terá a vida eterna”. Ou seja: isso veda qualquer acesso DIRETO ao Céu, a todas as pessoas que, em vida, não se alimentarem de Jesus Eucaristia Viva, porque somente podem penetrar no Seio do Eterno, aqueles que, em vida, se alimentam da Carne e do Sangue do Próprio Deus.

E este Mesmo DEUS, Jesus afirma também: “Eu sou O caminho A verdade e A vida”. Ora, ao colocar estas palavras no SINGULAR, Jesus veda qualquer alternativa, porque existe apenas uma só Verdade que salva – a que está na Bíblia - existe um só Caminho pelo qual chegaremos ao Céu – Jesus Cristo – e existe apenas uma Vida em Deus, a Eterna, e então nada, absolutamente NADA do que qualquer outra religião possa alegar ter de verdade, que seja necessária para nossa salvação. Eles têm verdades humanas, formuladas por pessoas de carne e osso, não sendo obras do Espírito Santo de Deus.

Não é de hoje que os demolidores da Santa Igreja querem fazer de Jesus um palhaço, um trouxa, que Se deixou matar numa Cruz para salvar a humanidade, quando Buda, Maomé, Brahma, Vishnu, deus macaco, deus vaca, deus sapo, deus rato, e agora também gaia deusa terra, patcha mama, e espíritos ancestrais da floresta, tudo isso encaminha seguro para a vida eterna, não precisando de uma gota sequer do Preciosíssimo Sangue de Nosso Redentor. É isso que eles acham? O diabo que rege a todos, também acha o mesmo!

Enfim, Deus respeita a liberdade gloriosa que deu para a humanidade, a liberdade de O amar e adorar, e a liberdade de O rejeitar. Liberdade até para criar uma religião ou seita, liberdade para não ter religião nenhuma. Mas NINGUÉM poderá alegar diante de Deus que não sabia da única Verdade que salva, do Único Deus que redime, da Única Igreja a quem Deus deu a missão de Lhe conduzir as almas, a Católica, com apenas e com toda a Verdade necessária para se salvar. E se porventura algum praticante de outro credo se salva, é porque, nem que seja no último suspiro de vida – ao estar diante de Jesus Cristo – ele reconhece que colocou sua vida fora, se arrepende, salda suas penas no Purgatório e assim se salva.

Bendito o Deus de quem São Bernardo cunhou esta frase: “entre o momento da morte e a eternidade, ainda existe um abismo de misericórdia”. Sem isso o inferno teria vencido a Deus, pois seria infinitamente maior o número de perdidos, do que os salvos. Cuidado com estas falsas teorias sobre a salvação. Estas são doutrinas dos servos do diabo! (Aarão)

 

 

 
 
 

Artigo Visto: 889 - Impresso: 15 - Enviado: 13

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 811 - Total Visitas Únicas: 3.538.821 Usuários online: 85