Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
02/08/2016
Sodoma Olímpica
Dentro da Vila Olímpica o esporte mais praticado é o mais antigo: sexo
 
Dentro da Vila Olímpica o esporte mais praticado é o mais antigo: sexo
por Redação Hypeness (As fotos dos atletas foram retiradas, interessa apenas o conteúdo)
http://www.hypeness.com.br/2016/08/dentro-da-vila-olimpica-o-esporte-mais-praticado-e-o-mais-antigo-sexo/
 
        Aparentemente, o principal aquecimento para as grandes disputas olímpicas não treinamentos físicos ou preparações mentais, mas sim o mais mundano (e melhor) dos exercícios físicos: o sexo. Conforme revelou matéria da Superinteressante, é tradição nas vilas olímpicas o clima de absoluta paquera e a livre pegação entre atletas durante os jogos. Principalmente ao fim das Olimpíadas – quando a maioria dos presentes já fez sua parte como atleta – a vila se tranforma em uma festa sem fim.
        Não por acaso, o comitê olímpico distribuirá 450 mil camisinhas ao longo dos jogos – o que, em cálculo, permite que cada atleta pratique impressionantes seis relações sexuais por dia (e se esse é o cálculo do Comitê, há de haver bastante verdade nesses números).
        São diversas as histórias de “festas” intermináveis entre atletas, muitos deles bastante conhecidos (o jamaicano Usain Bolt é famoso por outros recordes batidos); em Sidney, no ano 2000, as 70 mil camisinhas oferecidas esgotaram, e mais 20 mil tiveram de ser encomendadas; em Londres, em 2012, o aplicativo Grindr saiu do ar, tamanho foi o excesso de acessos.
        A explicação para tanta disposição não está somente no encontro de tantos corpos trabalhados enclausurados num mesmo local sob intensa pressão – está também na própria natureza mental e física dos atletas.
        O consumo de calorias, logo, de energia, por parte dos atletas é literalmente sobre humano (em muitos casos, alcançando 15 mil calorias por dia, o que, segundo consta, seria consumido em uma semana por um ser humano “normal”). Seus corpos, portanto, consomem e armazenam energia de tal forma que tudo é estímulo – e disposição.
        Outro elemento que serve como um Viagra em tais locais de concentração é a própria intensidade e a capacidade de superação mental que os atletas possuem. Tudo, para um atleta, é extremo, no que diz respeito ao seu corpo.
        Soma-se isso a tal energia armazenada, a excitação do contexto e da disputa, o clima de alta tensão e, é claro, a quantidade rara de belos corpos desfilando em uniformes sugestivos, e o que se tem é o cenário perfeito para um verdadeiro bacanal – o que, pelo visto, faz um bem danado para as performances esportivas.
        Recentemente o Hypeness mostrou 10 atletas LGBT que prometem arrasar nas Olimpíadas do Rio.
        +++++++++++
        OBS > Quem precisa de olimpíada? Satanás! Quem mais lucra com a olimpíada? Satanás! Minha mão quase se nega a escrever a este respeito, porque me enche de indignação tudo isso, desde os gastos estupendos que foram dispendidos para a montagem de todo o aparato necessário, até a roubalheira que certamente campeou em todos os estágios. Penso que quando o diabo quer destruir um país, ele o escolhe para olimpíada e copa de mundo de futebol. É o que se deu já com a Grécia e com a África do Sul.
         Esta competição acirrada, ponto a ponto, visa não apenas alimentar o ego dos atletas como demonstrar soberania nacional, pujança, competitividade e supremacia. Visa apenas dizer: nós somos mais do que você. O investimentos nos jovens que buscam se tornar super atletas é espantoso. O afastamento do lado espiritual é completo, e os sucessivos campeonatos a nivel local, estadual, nacional e internacional ocupam de tal modo milhões de almas incautas, que aos poucos eles se tornam ídolos de si próprios, não apenas dos outros. 
          Por outro o peso da derrota ou do "quase" é esmagador para todos eles, porque existe uma pressão hedionda da mídia, da família e de toda a sociedade, não sendo raros os casos de suicídio, senão de depressão profunda de queda na bebida e na drogas, até porque continua a procura de drogas novas, que podem melhorar o desempenho do atleta, e que não sejam pegas nos exames. Blefam, portanto, e o exemplo da Rússia é notável, e lastimável.
          Diante de tudo isso, e ignorando completamente tudo isso, a massa ignara dos povos senta na frente das TVs, vara dias e noites fissurada nas competições, esquecendo-se da vida: pão e circo continua!
            E também a caminhada desta humanidade caída rumo ao abismo da própria destruição ( Aarão)
 
 
 

Artigo Visto: 1081 - Impresso: 18 - Enviado: 10

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 779 - Total Visitas Únicas: 2.990.168 Usuários online: 57