Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
02/05/2016
Alerta às mulheres
Voltem a ser mulheres, mães zelosas, catequistas e amorosas imitadoras da humilde Maria.
 

Alertas às mulheres!

https://denzingerbergoglio.com/la-iglesia-es-mujer-la-mujer-en-la-iglesia-es-mas-importante-que-los-obispos-y-los-sacerdotes/#Francisco

Neste link acima pode ser lida uma extensa matéria, com muitas dezenas de explicações e argumentos que tratam da participação da mulher na Igreja, notadamente com reflexos em todo mundo. Ele foi escrito por sacerdotes bem fundamentados, a partir de certas declarações de Bergoglio à respeito da mulher, onde ele subverte literalmente o sentido da realidade, pois afirma que a “Igreja é feminina” e, portanto “é mulher”, quando na verdade a Igreja é Cristo o homem Deus, não mulher deus. Jesus é a Igreja que congrega todos os povos, e ele é masculino. Assim vou traduzir apenas algumas partes, apenas para colocar as coisas no verdadeiro lugar.

Um dos motivos que me leva a escrever, também sobre as mulheres, é que nesta semana – eu não tenho nenhum contato com “redes sociais” – mas percebi que, em especial o mulherio entrou em frenesi a respeito do contraponto entre duas mulheres dos homens de Brasília, a impudica mulher do ministro do turismo deste desgoverno, com suas poucas roupas e nenhuma vergonha na cara, e de outro lado a esposa do Vice o Temer, a que se diz “bela, recatada e do lar”, que tenta mostrar no fundo a imoralidade de um desgoverno que finda, e a novidade impoluta de um governo “moral” que se aproxima.(???) E acreditem, até mulheres chegaram a discutir as Cartas de São Paulo e o modo como Jesus tratava as mulheres.

De fato, em diferentes passagens dos Evangelhos, como no caso da sogra de Pedro, de Marta e Madalena, e de tantas outras mulheres que acompanhavam o Senhor – sem nos esquecer de Maria, naturalmente – Jesus sempre atendeu com carinho a todas elas, porém sempre mantendo as coisas no devido lugar. E Ele jamais disse que as mulheres se devem calar, nem que são inferiores aos homens. Mas também, em nenhum lugar da Escritura consta que Jesus tenha conferido para a mulher o direito da pregação na Igreja, ou de comando na Igreja. Não, isso não a faz subalterna nem é injustiça, mas define sua posição com clareza. São Paulo, em suas cartas, reafirma isso ainda mais claramente quando diz não às mulheres na frente, nem no comando na Igreja. No fundo ele está a dizer: não à mulher como sacerdotisa, pelo menos isso NUNCA!

O fato é que a mulher é visada. Se a mulher é bonita e se ostenta diante da assembleia faz muitos pecar, por causa da beleza. Os homens ficam olhando para ela e imaginando o que não devem, e não para o que ela está dizendo. As mulheres feias ficam com inveja da beleza dela e procuram todo o seu quadrante em busca de algum defeito pelo qual a possam desmerecer. E as belas ficam procurando copiar o que ela apresenta, mas sempre no sentido de serem melhores e mais belas. Quando não a chamam de exibida! Ou seja: um desastre em qualquer sentido, ainda que ela possa ser boa pregadora, e tenha argumentos válidos.

Se a mulher não é tão bela, faz pecar pelo desprezo e a recriminação: o que esta coisa feia está dizendo? As belas dizem: quem pensa que ela é? Se ela vem toda vida com a mesma roupa, pensam muitos que ela suja, se vem sempre com uma diferente é exibida. Eles olham seu penteado, seus calçados, medem-na de cima em baixo, ela é examinada, e não somente pelos homens, digo com certeza: mais pelas próprias mulheres. Elas é que são mais detalhistas!... E inquisidoras! E tudo isso é motivo de dispersão, e de pecados. Mas se o homem vem sempre com a mesma roupa, o máximo que dirão é que ele tem uma mulher pouco aplicada. E Jesus sabia disso! São Paulo confirmou! É da natureza humana!

Consta que a própria Nossa Senhora, que sendo Puríssima, suas roupas jamais se sujavam, costumava usar em alternância dois vestidos, um branco e um cinza, porque sabia que as mulheres a examinavam, e se estivesse sempre com o mesmo vestido, a recriminavam, por trás. Assim ela evitava os comentários maldosos, e naturalmente os pecados daqueles e daquelas que se fixam no exterior, e não no interior.

Ou seja: Ainda que a mulher seja inteligente, e pode ser até mais inteligente do que os homens, ainda que ela tenha argumentos irrefutáveis e mereça todos os louvores, ainda que ela tenha eloquência ímpar em seu discurso, sempre os óbices que se levantam devido a sua constituição feminina, se não anulam completamente a sua fala, nunca deixam de provocar estragos no meio dos ouvintes. Significa que a própria natureza dela, coração e ternura, anulam os efeitos de suas palavras, porque lhe falta uma coisa essencial: a autoridade! E isso mulher nenhuma recebeu do Criador! Está bem claro lá no Gênesis! É próprio da natureza dela!

Mas veja o que disse Bergoglio: As mulheres são a coisa mais formosa que Deus criou. A igreja é mulher. Igreja é palavra feminina. Não se pode fazer teologia sem esta feminilidade. (...) Estou de acordo que se deve aprofundar mais esta questão feminina, do contrário não se pode entender a própria Igreja. (Entrevista a Il Messaggero, 29 de julho de 2014). (Nunca vi um absurdo igual vindo de um que se diz autoridade da Igreja)

Com: De fato, se Deus criou Maria como a mais bela de todas as Suas Criaturas, a Sabedoria indicava que as mulheres católicas deveriam ser um reflexo dela. Mas Maria não foi a maior, a mais santa, a mais perfeita de todas as mulheres porque era apenas bonita, e sim porque ela era humilde. Porque ela era obediente e ficava no seu lugar. Porque em tudo ela agia para fazer a vontade de Deus. É, pois, uma verdadeira aberração afirmar que a Igreja é feminina, que a Igreja é mulher. Isso só se for a falsa igreja bergolica, não na Católica. Trata-se de uma heresia crassa!

Disse ele: A Virgem Maria era mais importante que os apóstolos, os bispos, os diáconos e os sacerdotes. A mulher, na Igreja é mais importante que os bispos e os sacerdotes. E é assim que devemos intentar explicar melhor, porque acredito que falta uma explicação teológica para isto. (Conferência à imprensa durante o voo de regresso a viagem ao Rio de Janeiro, 28 de julho de 2013)

Com: Maria sim, foi importante não somente por ter trazido ao mundo o Salvador, mas porque, se pode dizer, se a Igreja cresceu regada pelo Sangue Redentor do seu Filho, ela frutificou sobre os joelhos de Maria. Mas a cada um a sua função, o seu carisma, a sua importância. O exagero que comete o Francis está numa afirmação que parece desmerecer toda a imensa importância dos Apóstolos e seus sucessores. Tem-se a nítida impressão de que, estes ficam reduzidos a zero, quando, se Jesus agisse dentro desta dimensão, Ele precisaria apenas de Sua Mãe para completar toda a obra da redenção, para que então apóstolos? Para que uma Igreja? E ainda feminina!

Mais: É preciso, portanto, aprofundar mais a figura da mulher na Igreja. Há que trabalhar mais até elaborar uma teologia profunda sobre a mulher. Só depois de havermos feito isso poderemos refletir melhor sobre a sua função dentro da Igreja. Nos lugares donde se tomam tantas decisões importantes é necessário o gênio feminino. Afrontamos hoje este desafio: refletir sobre o posto específico da mulher, inclusive ali onde é preciso o exercício da autoridade, nos vários âmbitos da Igreja. (Entrevista a Antonio Spadaro, 19 de agosto de 2013)

Com: Na realidade quando Bergoglio fala em uma “teologia profunda para a mulher” e em “gênio feminino” e “exercício de autoridade dentro da Igreja”, qualquer pessoa que tenha um mínimo de perspicácia vê logo aonde ele quer chegar: ao sacerdócio feminino! Observem a hierarquia da Igreja: Papa > Bispos e Cardeais > Sacerdotes > Diáconos... Esta é a verdadeira hierarquia: onde está o espaço para a mulher? Se Jesus não quisesse desta forma, Ele teria colocado Maria no topo da Igreja, não precisaria de Pedro, nem dos apóstolos. Quem sabe os méritos dela até lhe dariam esta honraria, mas acaso ela aceitou? Quantas vezes o Novo Testamento fala em Maria? Cinco! Ela nunca quis aparecer. Por mérito então, Jesus a teria feito pregadora e sacerdotisa!

Vejamos agora o que a Verdadeira Igreja fala sobre este assunto: a mulher na Igreja!

Pio XI > Nada mais nobre para definir a Igreja do que chamá-la de Corpo de Cristo.

Leão XIII - A Igreja é um Corpo Vivo, cheio de seiva, sustentado por Jesus Cristo.

João Paulo II - A Igreja é um reflexo da beleza de Deus.

Com: Portanto se a Igreja é o Corpo Místico de Cristo, é blasfêmia afirmar que a Igreja é mulher. Méritos sim, mas não todos. Direitos sim, mas nem tantos! Funções sim, mas específicas de cada pessoa.

Santo Alberto Magno - a Virgem foi eleita pelo Senhor para um ministério: Por sua excelsa vocação Maria está sobre todas as ordens.

João Paulo II - A humildade e serviço de Maria é modelo para a mulher na Igreja.

Congregação para a Doutrina da fé > As mulheres devem manifestar o rosto da Igreja, como Mãe dos fieis.

João Paulo II - As mulheres desempenham seu papel através de uma laboriosidade humilde e escondida.

Orígenes - A mulher é chamada a se fazer ouvir de forma discreta.

João Paulo II - A exemplo de Maria a doação de si mesma é o melhor que a mulher pode oferecer à Igreja.

Bento XVI - Doutora da Igreja, Santa Hildegarda de Bingen resplandece por sua obediência, sensibilidade, caridade e hospitalidade.

Congregação para a Doutrina da Fé> Nem sequer a Virgem Santíssima foi associada ao ministério dos doze. São Paulo proíbe à mulher a função oficial de ensinar na Igreja.

E mais estas informações:

João Paulo II - Há uma falsa eclesiologia errônea sobre a mulher que degenera em reivindicações despropositadas e desvirtuadas. O papel da mulher na Igreja deve ser visto à Luz de Cristo. Não devemos imaginar que Cristo estava seguindo a mentalidade da época ao eleger somente homens por seus apóstolos. Algumas funções foram confiadas unicamente aos homens, não às mulheres. Há necessidade de discernir entre o que contribui para a consolidação dos verdadeiros valor e o que pode ocasionar degradação moral.

Pio X - Os reformadores modernistas pretendem repartir a autoridade na Igreja

Comentando: São Pio X e João Paulo II, portanto, fazem colocações que deixam as coisas bem claras. Qualquer católico mais ou menos bem informado sabe muito bem que desde muito tempo prolifera como peste maligna um movimento que visa destruir a Igreja Católica. Então, além da Doutrina que tem sido ataca, conspurcada e distorcida por teólogos a serviço de satanás, é realidade que este precisa de executores deste trabalho. E isso ele o fez, não somente mal formando gerações de sacerdotes, como fazendo uso da mulher. Por exemplo, todas as civilizações passadas que instituíram sacerdotisas, se destruíram em poucas décadas. Pensam que Jesus não sabia disso quando usou apenas homens, e não mulheres entre os doze discípulos.

Vamos ao mérito! Ora, se eu tiver que decidir quem merece mais, que talvez seja mais digna de ser tratada com honrarias, de preencher cargos na hierarquia da Igreja, digo que fico com a Mulher. Eu escrevi de propósito em maiúsculo, porque me refiro a aquelas Mulheres, que se conformam com a vontade divina, que estão contentes com a missão que Deus lhes confiou, que são felizes com a sua condição de mulher, não a aquelas que seguem a aberrante orientação dos movimentos libertários da mulher e do feminismo, que está na raiz da maior parte dos males que hoje afetam a vida da mulher. Que está na raiz da servidão atual da mulher. Ela é prisioneira de si!

Interessante que até mesmo em seus nomes há uma tremenda invasão do campo feminino, naquilo que é próprio dos homens. Por exemplo, segundo o IBGE, somente no Brasil, mais de 1,1 milhão de mulheres tem nomes derivados do masculino como: Michele, Daniele, Simone, Gabriele e Andrea, para citar alguns exemplos. Ou seja: em tudo o inimigo age para esmagar ainda mais a mulher, porque se ele odeia o homem, mil vezes mais odeia a mulher, a quem acha um ser inferior. E isso porque será um Mulher quem lhe esmagará a cabeça!

Ou seja: o inimigo faz uso da mulher, leva-a a exigir posições que não lhe cabem por ordem divina, faz com que ela insista ou force a barra no sentido de ocupar espaços que deveriam ser obrigatoriamente ocupados pelos homens para mostrar que é capaz, e até mais capaz, exatamente porque ele sabe que, desvirtuando o papel da mulher, distorce os caminhos da Igreja e da humanidade. Por exemplo: a Igreja permite coroinhas meninas! Mas o certo é que deveriam ser exclusivo dos meninos, porque este é um caminho para o sacerdócio! Aqui em minha cidade, todos os 12 padres que se formaram um dia foram coroinhas! Mas há anos que vejo quase só as meninas nesta função, entretanto nenhuma delas algum dia decidiu ser religiosa.

E volto então à pergunta, que já fiz no outro texto: com quem está a maior culpa pelo descalabro em que se acha hoje a nossa Santa Igreja: está no homem que se acovarda, se encolhe, se furta de participar da vida da Igreja e de cumprir aquilo que Deus espera dele, ou na mulher que violenta a situação e ocupa forçadamente espaços que não lhe compete, e é por causa disso que a Igreja capenga? Penso que a frase de um pensador diz tudo: O mundo rui, com a ruína da mulher! Como preconizava Lenin, verdadeiro demônio vivo: deem-me a mulher masculinizada, ocupando o lugar do homem, se trajando como ele e fora do lar e com ela eu destruo o mundo. Será que estas máximas não se aplicam também à participação errada da mulher na Igreja?

Como deveria ser então, uma vez que não adianta fazer críticas ou constatações sem propor soluções?

Deveria haver no presbitério apenas Homens, porque não são visados e porque Deus assim quer. Padres, diáconos, leitores homens, coroinhas meninos, Ministros da comunhão apenas homens, e estou falando de Homens maiúsculos, não em frouxos, medíocres, tíbios, fracotes  e covardes, católicos sem fibra, e sim conscientes da missão especial e maior que Deus lhes deu, e que não empurrassem para as mulheres certas funções que não lhes compete. Falo em Homens de Fé, em Católicos conscientes do seu papel na Igreja!

Para as mulheres, toda a preparação do altar, os enfeites, as flores, as toalhas engomadas, os cálices bem polidos, o altar engalanado, como se fora o trono de um rei, porque é ao Rei dos reis que se deve servir. Como Maria Santíssima fez! Tudo num santo escondimento, o que as faria brilhar diante de Deus, muito mais do que aparecendo na frente e falando ao microfone onde escandalizam. A elas, também, a santa Catequese formadora das crianças, sempre tendo à frente o Sacerdote, porque foi a ela, ternura e coração, que Deus concedeu este dom. Não junto ao altar nas celebrações! Haveria, no mundo inteiro, milhões de pecados a menos se isso fosse cumprido. Sem falar nas modas escandalosas de muitas delas, que são causa de pecados e sacrilégios sem conta.

E completando, mais uma pergunta: o que realmente compete às MULHERES maiúsculas e verdadeiramente católicas, diante desta situação calamitosa da nossa Igreja? Comete a elas usar dos dons que receberam de Deus e formar os seus filhos para que eles assumam as funções que competem exclusivamente aos verdadeiros HOMENS conforme Jesus espera delas e deles. Também trabalhar seus maridos, incentivá-los para que eles assumam com força a parte que compete aos leigos, no que se constitui talvez no mais importante trabalho na Igreja. Que se faça uma experiência: se elas se afastarem, duvido que seus filhos e maridos não se mexam. Então tudo mudará! Sim, e devem rezar e muito pela sua família!

Conforme revelações particulares, Maria participou ativamente na formação dos apóstolos e também na escolha dos quatro Evangelistas. E quando eles pretenderam exaltar seu nome conforme merecia, ela declinou das honrarias dizendo: convém que meu Filho apareça e eu desapareça! Infelizmente são muitas gerações perdidas nos descaminhos do modernismo e do feminismo, as responsáveis pela derrocada atual da Igreja.

Lendo as histórias de algumas das Santas e doutoras da Igreja, como Tereza de Ávila, Tereza de Lisiex, Catarina de Sena e Hildegarda Von Bingen, não consta que eram vistas nos púlpitos pregando para os homens. Mas veja o legado dos seus escritos! O mesmo aconteceu com Santa Brígida, a verdadeira reviravolta que ela produziu no papado, não pregando nos púlpitos, e sim agindo conforme o plano de Deus.  E assim Edite Stein e tantas outras mulheres. Quem disse que as mulheres precisam estar no presbitério para serem grandes? E até maiores?

Enfim, não temos desculpa, nem homens nem mulheres, porque deixamos o barco à deriva e assim a besta conseguiu formar o que hoje temos: não somente um exército de sacerdotes mal formados e mesmo deformados pela teologia do mundo, como junto com eles e por eles acabamos por chegar a uma geração digna do anticristo. E humanamente é quase impossível reverter a situação porque são incrivelmente poucos os que rezam, então Deus terá de agir com braço forte, para que os inimigos não prevaleçam contra a Igreja. Mas isso acontecerá, se os homens continuarem se acovardando, e as mulheres se infiltrando nos campos onde não são chamadas por Deus.

O que o futuro nos reserva, por causa desta intervenção divina na história, não é nada bom. O consolo que nos resta é que haverá a vitória da Igreja, com homens e mulheres cumprindo cada um, exatamente a missão que Deus lhes confiou, sem este desejo absurdo de tentar mudar a natureza das coisas e de subverter a ordem divina. Não dá mais tempo? Nunca é tarde para a conversão e a mudança de atitudes!

De fato, há uma batalha insana da serpente, tentando destruir a Igreja Católica, e para isso faz mais uma vez uso da mulher... Mas deixando transparecer ao mundo que se dá exatamente o contrário: que ela é a salvação! E vem agora este que se diz papa, afirmando coisas que só ampliam ao caos! Vem Senhor Jesus! (Aarão)

 

 
 
 

Artigo Visto: 2004 - Impresso: 22 - Enviado: 15

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 309 - Total Visitas Únicas: 3.253.852 Usuários online: 61