Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
20/04/2016
Rastros da humanidade
Continuamente o Senhor enviou-vos os profetas, seus servos, mas nenhuma atenção lhes prestastes...
 

160420 RASTROS DA HUMANIDADE

 

Por um destes caminhos que somente o Espírito Santo indica, nas últimas semanas tenho sentido com muita insistência o desejo de escrever algo sobre o surgimento do homem e sobre a vida dele neste planeta. Nos tempos de Ginásio, onde estudávamos História, muito se falou sobre as teorias de onde o homem surgiu, primeiro na África, depois em outros lugares, e como ele migrou para a América pelo Estreito de Behring apenas teorias & teorias. Alguns ossos achados em diferentes lugares, e um insano desejo de alguns cientistas em passar para a história como “achadores” do “elo perdido”, de descobridores de novas evidências sobre o surgimento da raça humana – não se fala em criação do homem – as últimas décadas na realidade mudaram estas teorias muitas e muitas vezes.

O resultado é que continuam surgindo novas e novas teorias. E surgindo novas e novas “evidências”, e também novos sistemas e métodos de “datação” dos achados, alguns sem dúvida, intrigantes, que estão hoje, como nunca, mexendo com a imaginação dos cientistas, dos estudiosos e dos leitores deles. E eu já li muito sobre estes assuntos, não talvez por um desejo de saber mais do que alguém, mas sim para entender a saga do homem na terra, até para informar os nossos leitores, que vez por outra nos apresentam matérias novas neste sentido.

Entretanto, desde cedo na juventude eu percebi que, a imensa maioria dos cientistas, e dos milhares de geólogos e arqueólogos, que escavocam ruínas a cata de “evidências”, de “civilizações antigas”, parte de um pressuposto apenas humano, e se pode dizer que a maioria deles é mesmo ateu. No fundo muitos buscam é provas de que a teoria evolucionista de Darwin é correta e que o homem atual, devido a milhares de mutações foi se formando, passo a passo, a partir de alguma ameba surgida bilhões de anos atrás, e que então não foi preciso um Deus que o criasse, que lhe desse a vida e uma missão neste planeta. Nada mais errado, nada mais estúpido! Mais criminoso, porque se trata de algo intencional. Muitos sabem a verdade, mas são pagos para divulgar teorias mentirosas.

De fato enquanto as elucubrações científicas se basearem exclusivamente nas descobertas e nas “evidências” fósseis, eles continuarão, por milhares de milênios discutindo e formulando novas hipóteses. Neste sentido, a primeira das grandes constatações a que minha meditação sobre este assunto me fez chegar é que, o Criador do Universo, também do belíssimo planeta Terra, em Sua Onipotência, Onisciência e Perfeição, se fosse da Sua Vontade, poderia criar este planeta, já deixando nele impressas todas estas evidências, mesmo que nenhum homem tivesse existido antes do conhecido Adão, nosso primeiro pai. Quem sabe – pensei eu – apenas para Se divertir vendo o homem cavoucar camadas geológicas, buscando descobrir coisas que o torne famoso.

Tantas vezes já pensei assim: Deve ser enfastiante ser um Deus, que sabe o presente, o passado, o futuro até os tempos infinitos – Alfa e Ômega – e que não tem nada de novo, até porque, mesmo criando novas coisas de momento a momento, já sabe antecipadamente o que vai criar e tudo o que vem depois. De fato, Deus cria novos mundos a cada dia, e o Universo recebe novidades a cada instante. Num estalar de dedo e a uma ordem Sua: Faça-se!, novos mundos surgem e cada um com sua “missão” a sua “necessidade” de manter o equilíbrio milimétrico de todo o Universo criado, uma coisa que os maus cientistas jamais aceitam. Sim, que possa existir um ser capaz de realizar tão estupendas obras, apenas como expressão de Sua Eterna Vontade.

Então o Criador poderia muito bem ter deixado estes “rastros”, fósseis, pegadas na lama, fragmentos de ossos, crânios, mandíbulas, obras e objetos, construções e outros indicativos da presença de seres inteligentes, que com seu trabalho modificaram a face do planeta. Na realidade não foi assim, e de fato existiram já civilizações antes da nossa, existiram até gigantes hominídeos de mais de três metros de altura, cujos esqueletos são encontrados em algumas partes do mundo. E assim, em todos os cinco continentes e até mesmo debaixo das geleiras dos polos, hoje são encontrados rastros da presença de seres inteligentes, que deixaram vestígios de sua passagem.

Outra coisa interessante, que desmente grande parte das descobertas “científicas”, que tentam explicar o surgimento da raça humana é que o berço da humanidade foi a África. Isso porque é exatamente na África onde existem menos vestígios de civilizações avançadas, como provam as construções que se encontram em outros continentes. Os ossos encontrados na África, tidos como de humanos, na verdade podem ser de outros primatas, como macacos e outros animais parecidos, pois decididamente não são de pessoas humanas. De fato, o Deus que cria um animal macaco, cria também o animal homem, da mesma ordem dos primatas, mas da espécie humana. Deus não precisa da “evolução” para criar um ser vivo e perfeito, pronto, acabado, macho e fêmea.

Da mesma forma como Deus criou os primeiros casais de humanoides, Ele os colocou, segundo a cor de sua pele e a sua constituição física em cada continente, adaptados ao seu clima. Não foram necessárias migrações, porque Deus tanto criou o polinésio na Polinésia, quanto os diferentes indígenas no Brasil. Criou tanto o índio americano, como os Incas na América do Sul. E assim o branco europeu e assim o povo amarelo e o negro. E ainda, dentro de cada povo, as etnias diferentes, sem necessitar de mutações ou de um único originário ancestral. Isso da mesma forma, como se pode explicar pela árvore da bananeira: Se ela não nasce de semente, quem a disseminou em diferentes locais do planeta? Deus a criou, e a criou em diferentes locais, com as diferentes espécies.

Digamos então que, o maior dos erros dos cientistas é tentar explicar o mundo criado por Deus, mas SEM aceitar Deus. Ora, mesmo que vivam milhares de anos, sem partir de CERTEZA da existência de um Criador, ainda assim JAMAIS a ciência conseguirá desvendar todos os mistérios que dizem respeito ao surgimento do homem na terra. E como eu já disse, a presença de hominídeos é vista em todos os continentes, em muitos locais, e como diferentes modos de vida e de alimentação. É então preciso, para se entender a Saga do Homem na Terra, aceitar a existência de um ser superior, capaz de preparar o surgimento e a queda de múltiplas civilizações humanas: sem isso será de todo impossível explicar, ainda que minimamente, aquilo que já aconteceu aqui.

E como desapareceram tais povos? E como civilizações que criaram obras tão gigantescas podem ter sumido sem deixar rastros de suas técnicas, para espanto dos engenheiros e construtores do nosso tempo, que não podem entender como estes povos conseguiram erguer tais obras? Vejam que Deus criou o homem e deu-lhe inteligência, que é o mais espantoso e perfeito atributo que dele consta. Não somente isso: Deus lhe colocou no coração certos atributos, que entendemos como a Lei Natural, que lhe foi impressa no coração. Então, não somente a explicação, mas a certeza é que eles foram extirpados da face da terra, quando sua natureza inteligente e racional desceu abaixo do nível das bestas irracionais, provocando a sua própria ruína. Isso mesmo nos pagãos!

E tanto Deus pode ter preservado alguns indivíduos para uma nova civilização, quanto pode ter extirpado a todos – como fez com os habitantes de Sodoma e Gomorra – para que nem a semente deles voltasse a frutificar. E naturalmente que, neste sentido, não podemos imaginar que todas estas civilizações desaparecidas foram fruto de experiências de Deus, porque o Criador não precisa experimentar nada para ver se vai dar certo: Ele faz tudo novo e perfeito, para um fim que Sua Mente Eterna determina. O fato é que tais civilizações vieram antes da nossa, apenas para preparar o planeta para a definitiva geração humana: a dos filhos e filhas de Deus!

Uma vez foi perguntado para Nossa Mãezinha, o motivo pelo qual os dinossauros foram extintos e a resposta dela foi que eles forma extintos porque seria impossível o homem conviver com aqueles animais. Mas eles em si já haviam cumprido a “missão”, ou preenchido a ORDEM criadora do Pai, e, portanto, Deus já não precisava mais deles aqui.  O mesmo acontece hoje com as espécies animais que “desaparecem”: elas cumpriram a ordem divina, e já não são necessárias aqui. E mesmo que o homem lute loucamente para preservá-las, ainda assim não conseguirá jamais subverter esta divina Ordem: se Deus determinou seu fim, nada nem ninguém evitará sua extinção!

De fato, nada dura para sempre, nem vegetal, nem animal. E mesmo os vestígios da passagem do homem por aqui, mais dia menos dia, bilhões, trilhões de anos depois pela eternidade, um dia restará deles apenas pó e nada mais. Entretanto o Sábio e Perfeito Criador estará sempre dando vida ao que está morto e determinando o fim do que está vivo, porque tudo isso é parte da incomensurável Obra do Amor Criador. E se, nalgum dia futuro Ele decidir dar um fim no planeta Terra, nada O impede de fazer, rumo a novas e fantásticas criações, porque o Universo é sem fim, tal como a linha do tempo é infinita. Basta a ordem “faça-se” e a terra desaparece, como se nunca tivesse existido, toda inteira,  pois chegou seu fim perfeito.

E assim, houve realmente muitas civilizações, antes da nossa, que deixaram suas marcas e arranhões na face da terra. E, o que nelas mais impressiona são exatamente as obras que ainda hoje, agora, a engenharia humana não consegue sequer entender, quanto mais executar. Há blocos megalíticos, perfeitamente cortados da rocha, e polidos, que podem pesar centenas de toneladas, mas foram levados a quilômetros de distância, de uma forma inexplicável e hoje impossível de fazer. Mesmo em Jerusalém existem destes blocos, muitos deles com encaixes tão perfeitos, que nem uma lamina de barbear passa no meio de dois superpostos, tudo sem argamassa.

Tratam-se blocos que hoje precisariam de pelo menos 20 dos maiores guindastes do planeta, para apenas levantar, quanto mais transportar, montanha abaixo e acima. E há blocos de dezenas de toneladas, que são levados de um lado do vale, para o topo da montanha do outro lado, encaixados no pico de uma rocha, façanhas que se pode ver em Machu Pichu no Peru e em outros locais do planeta. Impressionam os encaixes milimétricos, que dão solidez estupenda às construções, muitas erguidas em locais onde são constantes os terremotos, mas que elas resistem, sem nenhum abalo.

E tal é que todo o conjunto da construção, hoje com as medidas consideradas exatas feitas a laser, não acham frações maiores que milímetros de diferença. Seria impossível colocar num texto como este, a todas estas obras, os locais onde são erguidas, explorando as minúcias de cada um. E é por isso que as perguntas continuam povoando as mentes científicas, que quedam embasbacadas ante tais monumentos. Inclusive agora, da Rússia, têm vindo reportagem sobre estes blocos de peso espantoso de entalhe e polidez impressionante. Não existem provas das ferramentas usadas, nem se consegue descobrir as técnicas utilizadas. Ademais, os blocos são polidos no local da pedreira, e levados a aquelas distâncias, sem um arranhão sequer, sem um só defeito.

Lembro que, quando eu era um menino, e li as primeiras coisas sobre o Egito antigo – que faz parte da nossa civilização atual – tratando da construção impressionante das pirâmides, li uma teoria ou uma revelação de que, para transportar aqueles blocos imensos, “os sacerdotes envolviam aqueles blocos em papiros” pronunciavam algumas palavras, e as pedras se moviam de acordo com a vontade deles, ocupando a posição própria. Isso pode parecer absurdo, entretanto, mais recentemente, mais uma vez esta constatação foi feita, a respeito de outra civilização, que dispunha da mesma técnica, algo espantoso, mas se verdadeiro poderia explicar. Porque é de todo impossível, não somente cortar tais pedras, imensas, com tamanha precisão, como transporta-las com cordas e roletes, montanha abaixo e acima sem arranhões. Tem que existir uma técnica, e um dia nós a redescobriremos.

Uma das mais espantosas obras destes povos antigos é sem dúvida a imensa rede de túneis que perpassa toda a Europa, e vai até a Turquia. Inimaginável é um povo haver cavado a rocha dura, para viver debaixo da terra, por milhares de quilômetros, sem que se tenha a mínima ideia de como eles fizeram isso. São obras que na atualidade, com as ferramentas que hoge temos, levariam centenas de anos, e a custo inimaginável. Há cidades inteiras debaixo da terra, com moradias, quartos, salas, banheiros, água corrente, cozinha, mas não tem ferramentas, nem vestígios de alimentos. A ciência não consegue descobrir como estes povos cavavam a rocha com tanta facilidade, nem sabe o motivo pelo qual não moravam em casas acima do solo, e sim enterrados vivos como fantasmas. E tudo continua lá, praticamente intacto, sem desabamentos, com chaminés e aberturas para ventilação, em grande parte ainda inexeplorado.

E assim, recentemente até o uso da energia atômica parece ter acontecido nos milênios que passaram. Há dispositivos como as pilhas atuais, aparelhos parecidos com celulares, aparelhos para estudar os astros e prever os eclipses, e tanta coisa que pode deixar alguém embasbacado. Então por qual motivo eu escrevo sobre isso? Acima já o dei: mostrar que, por trás disso tudo, não existe apenas um homem agindo, ou apenas uma civilização, nem apenas povos como mais ou menos técnicas de construção, mas um Deus Criador, que domina sobre tudo e sobre todos, cujos desígnios de Amor são insondáveis. Quem pode provar que, mesmo em tais povos barbarizados, não seria o Próprio Deus quem agia, mudando tais rochas imensas de lugar, apenas para nos embasbacar hoje?

E quantas destas civilizações já existiram? E isso aconteceu a quantos milhões de anos atrás? Pode ter havido uma raça de humanoide mesmo antes de Deus haver criado os dinossauros? Óbvio que pode sim! Os rastros da passagem do homem por este Planeta, na verdade não podem ser datados por testes de carbono, porque isso tudo fica apenas no campo das teorias e das suposições. Ou seja: para definitivamente chegar a soluções que mostrem aos estudiosos a verdade sobre isso tudo é preciso crer num Deus que vive e viveu tudo isso, cujos desígnios de Amor são impossíveis de serem compreendidos pelo simples e canhestro intelecto humano, limitado ao extremo, falível e tantas vezes dominado pelo orgulho, este o fator primordial que leva o homem a rejeitar a Verdade.

E agora faço outra pergunta que certamente ficará sem resposta, porque não a tenho: quanto tempo se passou entre a passagem do Gênesis que está em 1, 27: “Deus criou o homem...” e aquela que está em Gênesis 2,7 “Deus formou o homem de barro...”. Outra ainda: que diferença existe entre este primeiro homem, e o segundo, para que a Revelação separe um do outro? Porque definitivamente são homens diferentes! A diferença é que para Adão o Criador concedeu, além de inteligência muito superior, também um Espírito de filiação, infundindo nele uma Alma Imortal, para que cumprisse a ordem para a qual foi criado: conhecer e amar a Deus, sobre todas as coisas! Aos não filhos Deus nunca Se revelou.

Assim, ninguém poderá alegar que antes não houve civilizações ligadas em Deus que mesmo assim foram levadas ao desaparecimento, como não se pode provar que todas elas desapareceram, porque burlaram a Ordem Divina, entregando-se ao morticínio, ao homossexualismo, à perversão, à oferta de seres humanos a deuses de bronze, e a matança de inocentes. E falando nisso, qual a estatística atual dos abortos no mundo, do verdadeiro massacre dos inocentes? Milhões anuais? Bilhões já cometidos? Acaso aqueles povos antigos não fizeram a mesma coisa que nós estamos fazendo hoje, e que por isso foram exterminados?

Ou seja, somente Deus sabe o que aconteceu com estes povos antigos, e nenhum homem descobrirá, com perfeita exatidão, o que aconteceu em cada um destes lugares. Então a melhor forma de seguirmos, neste pouco tempo que falta para a nossa civilização dar contas dos seus atos diante do seu Criador – eu disse e repito: do pouco tempo que nos resta – é procurarmos nos ligar cada vez mais profundamente Nele, porque agora, depois de milhões ou de bilhões de anos desde que Deus iniciou a saga da vida humana na terra, está para acontecer algo inédito, e disso nós temos certeza plena.

O que acontecerá? Simplesmente, a separação final entre o joio e o trigo! Entre a boa semente humana e a má semente. Entre os bons e os maus! Entre os que acreditam neste Criador Único, nosso Deus e Senhor, e no Seu Filho Único, também no Espírito Santo que brota do Amor entre o Pai e o Filho, e aqueles que acreditam no homem, que endeusam o homem, que pensam apenas no estômago e não na salvação eterna junto deste mesmo Criador, Deus e Pai. Acontecerá a separação definitiva entre os Filhos de Deus e os filhos dos homens, quando destes últimos, não restará na terra nenhuma semente, nenhuma raiz, nem um sinal, porque até mesmo as suas obras serão reduzidas a pó, queimadas e sepultadas pelos oceanos. Como já aconteceu com os povos desaparecidos!

Falo de todas as raças e povos, nações e línguas em cujas veias não corre o exato e mesmo sangue da bênção, que foi infundido naquele homem especial, Adão, que foi criado a partir de um boneco de barro, tevem uma mulher que foi criada do mesmo sangue, um sangue que também passou pelas veias do Filho de Deus, feito Carne – sangue dado a Ele por uma Mulher - e que nos redimiu pelo seu derramamento e morte na Cruz: todas elas serão agora, exterminadas, para que nunca mais contaminem o mundo com a maldade, o desamor, o ódio, os vícios e todo tipo de pecado.

Haverá então na terra um só povo: o dos santos e santas, que aprenderá então todas as tecnologias já inventadas pelos antigos povos, e criará novas sob a instrução dos anjos e santos. O homem carne, passará a ser espiritualizado, para a alegria permanente de Deus, e a paz na Terra aos homens que O amam. O novo homem espiritualizado receberá de volta os 100% de inteligência conforme Deus havia posto em Adão e Eva, e ele então poderá participar dos planos de Deus, entender muitos dos seus mistérios, e junto com Ele remodelar a terra até a transformação dela num jardim fantástico, que será semelhante a aquele que Deus fez para Si, no Céu.

Alguém poderá perguntar então: mas qual é essa de Deus, criar um homem a Sua Imagem e semelhança que não é seu filho, enquanto premia outros com Sua filiação e bênção? Como disse, ninguém consegue penetrar no pensamento e na ciência de Deus, entretanto, a existência de diversas raças de não filhos foi usada por Deus apenas para um teste dos filhos, que deveriam, apesar de terem recebido na carne o sangue da bênção, agora dar a Ele uma prova de que mereciam o intenso Amor que Ele tem para com seus filhos. Não apenas isso, mas que desta luta e desta prova, resultassem méritos eternos para seus filhos, que por certo mérito, pudessem se elevar a um grau superior de felicidade, e vive-la para sempre. Ao vencer o pecado e ao demônio, o homem galga os píncaros.

Ou seja, é como se Deus, em Seu Amor Infinito, tendo dado aos seus filhos tão incontáveis dons, tendo criado para ele um paraíso divinal, tendo para ele uma proposta de participação na divindade, ainda não estivesse satisfeito com o que nos concedeu e nos propôs. Mas em sendo fiéis, em amando-O com todas as forças do nosso ser, da nossa alma e do nosso entendimento, poderíamos ainda conseguir mais, crescer mais em santidade e graça, de modo a receber por certos méritos, aquilo que Adão recebeu gratuitamente, em acabou rejeitando. Todos nós fomos criados para sermos como Adão, não os “não filhos”, os que existiam antes dele.

Mas não entremos no mérito do que acontece com aqueles que não são filhos, nem com aqueles que viveram antes de nós e que desapareceram, nem nos preocupemos com quem foram, o que fizeram o que deixaram de fazer e o motivo que o Pai permitiu para seu desaparecimento, e se teve um motivo especial – por exemplo: a culpa – que os fez deixar apenas rastros de sua passagem. O que temos que fazer agora é pensar rapidamente em agir com garra neste pouco tempo que nos resta, porque sem dúvida alguma, as forças do Universo estão para desencadear-se, mais uma vez, e elas caminham exatamente para uma destruição parecida, quem sabe pior, do que aquela que, até por milhares de vezes, pode ter acontecido, ou já aconteceu com outros povos.

O estopim será aceso pelo Vaticano: é por ali que Deus começará a destruição dos degenerados, daqueles que O desafiam diariamente, com toda sorte de profanações. No centro de tudo está a quebra, por parte do homem, da Aliança que Deus fez conosco, aliança que deve ser Eterna, e que foi assinada com o Preciosíssimo Sangue do Divino Cordeiro, Jesus Cristo. Há milênios que o Céu nos tem advertido sobre isso, dando a entender que, quando este pacto fosse quebrado, quando esta aliança fosse rompida, os elementos da terra entrariam em colapso, o Universo seria abalado, a terra seria inteiramente pilhada, queimada e saqueada, porque seria grande a divina ira.

Quando o malsinado sínodo foi convocado, em 2014, para discutir a Palavra de Deus, se os homens iam ou não aceitar o que o Criador tinha disposto sobre o adultério e o homossexualismo – mentira que a proteção da família é que estava em jogo – já foi cometida a primeira grande blasfêmia, que já rugiu diante do trono do Deus Altíssimo. Mas, como sempre o Céu nos tem avisado, e a partir desta instrução sempre temos alertado: o que está em discussão e é o alvo máximo dos perversos é a Eucaristia. E quando, a atual “amoris laetitia”, vem abrir espaço para que alguns adúlteros - e a seguir todos os pecadores - sejam admitidos à Comunhão, sem confissão, sem arrependimento, penso em outro cravo foi posto em Jesus, e isso não ficará sem a visita da Justiça.

E ontem, lendo os textos que me mandam, neles consta a resposta de Jorge Mário a uma pergunta feita por jornalista, se ele estava pensando em mudar a doutrina da Igreja em relação a Eucaristia, consta que ele respondeu: pode se dizer que sim, e ponto final! Ou seja, ele fará e ninguém pode discutir, mas fará para sua ruína. Disso imagino que em breve nós veremos acontecer aquele gravíssimo deslize já prognosticado pelo Céu, a ser cometido por ele, e que marcará o desfecho do grande cisma e da apostasia, prevista por São Paulo em II tessalonicenses. De fato, se tem algo de tão gravíssimo que possa acontecer se dará sem dúvida em torno de Jesus Eucaristia. Porque nada existe no mundo que tenha maior importância. A Eucaristia é o grande escudo do planeta terra – não apenas a camada de ozônio – e se ela faltasse, em menos de um minuto os demônios nos matariam a todos.

Assim, se o Brasil está fremindo, se outros países estão entrando no mesmo colapso, é exatamente porque, aqui e ali, a abominação está tomando lugar no templo santo – os imundos recebendo o Santo dos santos – e aqui e ali mais e mais sacrários caindo, são desativados, ou já nem sequer contêm espécies consagradas, devido a tantas e tão abomináveis profanações a que o Santíssimo tem sido submetido ultimamente. Devido aos dilúvios de sacrilégios diários que se comete no mundo inteiro, e isso sem a “ordem” do “papa” de não discriminar ninguém, dar a Comunhão para todos os pecadores, inclusive aqueles não batizados, das seitas e pagãos. Imagine então quando a autorização ou a ordem dele for publicada oficialmente.

Nas semanas que passaram quase uma dezena de terremotos de maior proporção aconteceram, já com muitas mortes, em especial no Japão e no Equador. Eles não são casuais, são sinais de que Deus não está gostando nada do que está ocorrendo em Sua Igreja. Temos sido avisados, desde milênios, o que nos aconteceria caso nós resolvêssemos desafiar – como estamos desafiando – a este Criador Onipotente, que domina sobre todos os átomos que compõem o Universo, e sobre toda a vida inteligente que na terra habita. Estes são os primeiros avisos de Deus, porque na medida em que o bandido atingir o alvo central JESUS EUCARISTIA, a resposta do Céu será fulminante.

Pensando nisso, abri a Bíblia ao acaso, pedindo uma Palavra de apoio, e ela caiu em Jeremias: a taça da cólera divina. Assim está escrito em 25, 4. Continuamente o Senhor enviou-vos os profetas, seus servos, mas nenhuma atenção lhes prestastes, e não destes ouvidos às suas mensagens. 5. Assim falava ele: renuncie cada um de vós à vida perversa e à maldade do procedimento, e ficareis para sempre na terra que o Senhor vos havia concedido, assim como a vossos pais desde sempre. 6. Não andeis à procura de outros deuses, para ante eles vos prostrardes e lhes renderdes culto. Não me provoqueis à cólera, para vossa própria desgraça, com esses (ídolos) que vossas mãos fabricaram. 7. Mas não me escutastes - oráculo do Senhor -, o que provocou minha cólera, para a vossa desgraça, por causa dos (ídolos) feitos por vossas mãos.

8. Por isso, assim disse o Senhor dos exércitos: porque não me escutastes as palavras, 9. vou conclamar todas as tribos do norte, - oráculo do Senhor -, assim como o meu servo, Nabucodonosor, rei de Babilônia, a fim de lançá-los contra esta terra e seus habitantes, e todas essas nações que a cercam. Votá-los-ei ao interdito e deles farei objeto de assombro, de assobio e de eterna ruína. 10. Abafarei seus gritos de alegria e os cânticos de júbilo, a voz do esposo e da esposa, e amortecerei o ruído da mó e o brilho da lâmpada. 11. Converter-se-á esta terra em angústia e solidão, e por setenta anos lhe há de perdurar a servidão ao rei de Babilônia.

12. Decorridos esses setenta anos, castigarei o rei de Babilônia e seu povo por causa de seus pecados - oráculo do Senhor -, assim como a terra dos caldeus, que transformarei definitivamente num deserto. 13. Contra essa terra executarei todas as ameaças que proferi contra ela, e que neste livro se acham consignadas. (O que Jeremias profetizou contra todas as nações pagãs.) 14. Porquanto, eles serão, por sua vez, subjugados por numerosas nações e grandes reis, e lhes retribuirei segundo os atos e feitos de suas mãos!

15. Eis o que me disse o Senhor, Deus de Israel: Toma de minhas mãos esta taça cheia do vinho de minha ira, e faze com que dele bebam todos os povos, aos quais te enviarei. 16. Quando o tiverem bebido, ficarão aturdidos e enlouquecerão à vista da espada que contra eles enviarei.17. Tomei, então, a taça das mãos do Senhor e dela fiz beberem todos os povos aos quais me enviou o Senhor:

18. Jerusalém e as cidades de Judá, seus reis e chefes, para transformar tudo num deserto, numa desolação ante a qual se há de escarnecer, exemplo que será citado entre as maldições, como hoje se vê; ...26. a todos os reis do norte, próximos ou longínquos, uns após outros; a todos os reinos do mundo que habitam na superfície da terra. E depois deles beberá o rei de Sesac.

27. Dir-lhes-ás, então: assim disse o Senhor Deus de Israel: Bebei, embriagai-vos, vomitai, e caí para não mais vos levantardes sob o gládio que envio contra vós. - 28. Se recusarem tomar a taça de tuas mãos para beber, isto lhes dirás: eis o que me disse o Senhor dos exércitos: Haveis de bebê-la. 29. É pela cidade, onde meu nome foi invocado, que começo a punir; e vós, estaríeis isentos do meu castigo? Não, não sereis poupados, pois que farei vir a espada sobre todos os habitantes da terra - oráculo do Senhor dos exércitos.

30. E assim profetizarás: Ruge o Senhor do alto do céu, e de sua morada santa faz ouvir a sua voz. Ruge contra o seu rebanho, e lança o grito do pisador contra todos os habitantes da terra. 31. Estende-se o tumulto até os confins do mundo, pois que o Senhor está em litígio com as nações. Entra em processo contra toda carne, entregando à espada os maus - oráculo do Senhor. 32. Eis o que diz o Senhor dos exércitos: eis que o flagelo vai estender-se de nação em nação. E dos confins da terra vai desencadear-se violenta tempestade. 33. Aqueles que o Senhor nesse dia tiver atingido, de uma a outra extremidade da terra, não serão chorados, nem recolhidos e sepultados, jazendo no solo qual esterco.

34. Brami, pastores, gritai! Rolai na poeira, chefes do rebanho! Pois que chegou o dia de vossa destruição, e caireis como carneiros escolhidos. 35. Não haverá mais refúgio para os pastores, nem salvação para os chefes do rebanho! 36. Ouvi os gritos dos pastores, e os bramidos dos chefes do rebanho, porque o Senhor lhes devasta os pastos. 37. A placidez dos campos é devastada pela cólera fervente do Senhor. 38. Partiu qual leão ao safar-se da rede; a terra vai transformar-se em deserto, sob os golpes do gládio destruidor, e da ardente cólera do Senhor.

Estas passagens todas encontram respaldo também em outros profetas, em praticamente todos, quando tratam do espantoso DIA DO SENHOR, aquele que cairá como um laço sobre os habitantes da terra. Também as mensagens atuais, passadas pelo Céu aos profetas de todos os quadrantes da terra nos alertam para tudo isso, para a grande devastação que virá, nos tempos que antecedem a chegada do monstro, o anticristo, que pretenderá governar a terra em nome de Lúcifer, e que seduzirá a maioria dos habitantes da terra, a começar pelo clero, mal formado e mesmo deformado propositadamente, e muito mal informado. Eles deveriam todos ler os capítulos 4 e 5 do profeta Oséias, então saberiam do que estou falando. E isso é para agora, para hoje!

De fato, chega o pré-aviso que será dado exclusivamente aos ordenados, e eles realmente irão rolar na poeira da terra, de tanta dor que sentirão ao se perceberem tão pífios de entendimento e tão tardos na reação. Eis que hoje a maioria baba pelo destruidor e não se dá conta de que não é uma reforma da Igreja o que está em curso e sim lhe estão sendo postas as dinamites da destruição. Por toda parte estão sendo abertos furos na Doutrina Milenar e de todos os lados surgem modernidades que são cândida e sutilmente difundidas como forças de bem, quando são artefatos explosivos. Como já disse, o estopim disso tudo é a Eucaristia: mecham ali, e tudo explode!

Explode, mas não para dinamitar a Verdadeira Igreja de Cristo, e sim a falsa igreja que se infiltrou dentro dela, tomou o corpo da Verdade, se apresenta como Verdade, mas é uma fraude brutal.  A Igreja Católica não precisa de reforma, que isso é coisa dos protestantes. Mas setores da Igreja precisam ser mudados, e rapidamente, antes que a taça da divina ira transborde, e a humanidade inteira tenha que bebê-la. Jeremias foi muito claro quando disse que nós todos a beberemos obrigatoriamente, quer a desejemos ou não. Os bons a beberão por terem feito pouco para que a situação não chegasse a este ponto, os maus a beberão por merecimento, e esta será bem amarga.

Deus então fará a reforma. E ela começará pelos pastores, do mais elevado ao menos poderoso. Eu não desejo estar na pele de um deles, dos que não estão atentos ao que está acontecendo, e que estão se deixando enganar de uma forma tão estúpida. Rezemos pelo clero, porque a devastação dentre eles será grande. Se Jesus disse que no inferno há ranger de dentes, na terra acontecerá o mesmo, em especial para os pastores, que enquanto dormiam em suas fantásticas teologias – e outras heresias – o rebanho ia se perdendo por falta de conhecimento!

Neste tempo o lobo entrou no covil do Vaticano, ovelhas balindo atrás! Pastores junto!  (Aarão)

 
 
 

Artigo Visto: 2286 - Impresso: 27 - Enviado: 14

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 311 - Total Visitas Únicas: 3.274.806 Usuários online: 57