Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título



 
 
11/10/2013
Colapso dos católicos
 
11/10/2013 16:55:13

Artigos - Colapso dos católicos

2130927 COLAPSO DOS CATÓLICOS
          Há alguns anos atrás, eu lia reportagem de um cientista, que toda manhã costumava passear pelo jardim, onde havia um regato e uma ponte baixinha. Ele espetou sua bengala na beira do regato, e na ponta dela veio uma pequena bola de lama. Teve ele então a ideia de colocar aquela lama debaixo do microscópio, para ver o que nela havia e descreveu a micro vida que havia naquele pequeno mundo. (Nossa Senhora disse em mensagem, que numa simples gota de água se pode ler todo o Universo). Entre dezenas de seres vivos que ali habitava eu jamais esqueci uma das passagens que ele descreveu, onde um grupo de bactérias, que pareciam crianças de mãos dadas, que “alegremente” em círculo dançavam cirandinha. Perto delas havia outras bactérias maiores que tinham um braço, como os tentáculos de um polvo. Enquanto as primeiras permaneciam unidas umas às outras, os tentáculos não as pegavam, mas mal uma se soltava das outras e saía do círculo era presa pelo tentáculo da maior e engolida.
          Na verdade, descuidadas ou desatentas, ou quem sabe insensatas – se podemos assim dizer – as primeiras não se davam conta do monstro que devorava as incautas; elas não fugiam como seria natural, não reagiam para se defender, e assim ignorando o perigo foram sendo devoradas uma a uma. A quem comparo estas primeiras e as segundas? Comparo com a humanidade cega de hoje, que, descuidada, desatenta, de forma insensata e ignorando perigo vai sendo “devorada” pelo dragão infernal e pela besta humana, pois já não reage, não foge do mal, não se dá conta ou não se preocupa mais com a própria salvação, e aqui eu me refiro à vida física e a espiritual. Como aquelas incautas bactérias da experiência, também os homens e as mulheres do nosso tempo, mais e mais se desgarram das mãos de Deus, para serem laçadas pelos inimigos, e assim seguem desembestadas “alegremente” para os abismos, direto para a goela do dragão infernal.
          Óbvio que tais seres microscópicos não têm inteligência, nem razão, nem sabedoria, e quem sabe até cumprem exatamente o plano divino da manutenção das espécies pelo perfeito ordenamento da cadeia da vida, onde os mais fracos são devorados pelos mais fortes, e assim metabolizam os alimentos necessários aos filhos de Deus. Mas os humanos foram dotados de inteligência para pensar, de razão analisar e de sabedoria para discernir. Infelizmente o inimigo, através de mil artifícios, conseguiu cegar a humanidade, em sua imensa maioria, e falo dos que estão um pouco e já quase totalmente, ou de todo desligados de Deus.
          Quais seriam as palavras que melhor poderiam definir tal comportamento da humanidade atual? Cegueira? Imbecilidade? Estupidez? Inconsequência? Irracionalidade? Burrice? Teimosia aberrante? Conivência? Penso que um pouco de tudo isso e misturado com toda certeza a uma parcela – maior ou menor em cada um, de orgulho – de falta de humildade, aquela que leva as pessoas à oração, a obterem de Deus o dom da piedade, este que abre caminho e que sustenta todos os outros. Sem o dom da piedade, sem a oração que torna humilde, nenhum dos outros dons frutifica para Deus, e embora seja a pessoa até muito inteligente, não terá uma gota sequer de sabedoria, esta sim, a que faria homens e mulheres jamais se desligarem das mãos de Deus, o que as tornaria imunes aos ataques dos inimigos. De fato, a humanidade atual não reza, se o faz é pouco, e este pouco ainda mal feito.
          Digamos que tal comportamento até poderia ser encontrado entre os pagãos, entre os ateus, os de outros credos e seitas, outras religiões e outros deuses – porque somente existe o Deus dos Católicos, os outros todos são falsos, são ídolos – mas jamais poderia ser encontrado entre os católicos, que têm um Deus de fato. Eles têm m
ais, têm uma Igreja que Mãe e é Mestra, têm uma Sã Doutrina em seu Catecismo Universal, tem os documentos da Igreja com toda a sua incrível Tradição, além do que receberam tudo isso de seus antepassados, bisavós, avós e pais. E isso significa que os católicos não têm nenhuma desculpa diante de Deus por se desligar das mãos Dele, buscando outros caminhos!... E outros deuses... Onde são “laçados” pelos tentáculos do polvo satânico. Que os devora!
          Nós temos escrito aqui e falado muito na palavra COLAPSO. Temos aí o colapso das nações, colapso da economia, colapso da moral, colapso da verdade, colapso das instituições, e de fato, se pode dizer que toda a nossa civilização atual está em vias de um colapso fatal e total, de uma falência generalizada de todas as suas estruturas fundamentais. Isso porque as bases todas – e são podres – já foram assentadas pelo inimigo – aquele que tem o laço de pescar incautos, cegos, teimosos, orgulhosos, inconsequentes, irresponsáveis e teimosos – de modo que tudo é uma questão de tempo, e curto tempo: tudo desandará para o abismo! Não precisa ter mais do que uma gota de sabedoria para antever isso: o homem moderno nunca mais conseguirá sair sozinho, do abismo que cavou para si mesmo. Culpa total dos católicos! Culpa do colapso da quase totalidade dos católicos! Afinal, a Igreja é de origem divina, mas feita de homens! São eles então os únicos responsáveis!
         De fato, nós falamos também em colapso das famílias, do sacerdócio, dos seminários, dos mosteiros, das ordens religiosas, das Paróquias e Dioceses, até do Papado, e podemos falar então em colapso da Igreja Católica. Ou seja: nós devemos falar aqui em colapso dos católicos! Colapso das pessoas que formam a Igreja Católica! Muitas vezes nós temos escutado os leigos falarem muito orgulhosamente “nós somos a Igreja”, ou “a Igreja somos nós”, entretanto acho que tais pessoas não se dão conta da responsabilidade tremenda que representa e que implica, no chamado a ser católico. Falo em ser católico de fato e de direito! Falo em ser católico como Jesus deseja! Falo em ser católico conforme a Lei do Único Deus, aquele Jesus da Igreja de Jesus Cristo! Um Jesus que não é apenas “Mestre” como se diz por aí, mas é Deus com o Pai, que não é apenas Luz, é Trindade com o Espírito Santo.
          Já tantas vezes escrevi e falo sem medo de errar, que é a Igreja Católica, com tudo o que ela representa, e com todos os tesouros que ela possui o verdadeiro sustentáculo do mundo. Tudo o que acontece nesta terra, tem a ver com a Igreja Católica. Esta civilização somente chegou a este estágio de desenvolvimento devido exclusivamente à Igreja Católica. Ela representa o bem, e representa na terra o próprio Deus – e na Eucaristia tem Deus vivo – um Deus que, entretanto deixa a cargo dela ser uma representante digna do Altíssimo. Nada vem de graça! Deus não age diretamente sem o esforço humano, e na verdade nem se move sem a oração. Ele somente atende aos pedidos e súplicas daqueles que humildemente a Ele recorrem, nunca aos devaneios dos arrogantes, nem aos desleixos de quem nada pede, e jamais aos orgulhosos que pensam ter tudo, quando não têm nada. Deus Se move pela oração! Pela oração feita em estado de graça!
          Significa, então, que todo o mal que está acontecendo no mundo hoje em sua maior parte não se deve aos pagãos, nem às seitas, nem aos ateus e outros atoas, nem aos maus, aos bandidos, assassinos, ladrões, corruptos, comunistas, hereges e falsos teólogos, falsos mestres e orgulhosos doutores, falsos profetas, nem a outras religiões seja quais forem, mas sim se deve ao COLAPSO, dos que se dizem ser católicos. No Apocalipse está dito, e é para os católicos do nosso tempo: aos mornos cuspo fora de minha boca! E diz: antes fosses frio, ou quente! O que quer dizer: antes fosses um ateu que não está nem aí para Deus ou para com a Igreja ou fos
ses um inimigo declarado dela, porque estes causam para Deus um escândalo menor do que os que se dizem católicos, mas não são, pois só de nome, jamais de atitudes. Um católico morno pode ser tido como uma das pessoas que mais ofende a Deus. Isso porque é um cínico, muitas vezes baseado apenas na misericórdia, sem atentar para a Justiça Divina!
         Todo católico sabe, até por intuição, que “assistir a Santa Missa inteira, nos Domingos e Festas de Guarda” é um MANDAMENTO da Igreja, e que é então um pecado grave faltar, sem motivo de força maior. Nenhum católico de verdade, então poderá alegar diante de Deus em sua defesa, que não sabia disso. Mas então pergunto: onde estão os ditos católicos de verdade? Aqui em nossa comunidade – que é considerada Paróquia modelo na diocese – temos apenas na área da pequena cidade, em torno de 1800 pessoas, que pertencem à comunidade da matriz. Isso quer dizer que, para que todos cumprissem o preceito dominical seriam necessárias pelo menos três Missas, porque a igreja não cabe muito mais de 600 pessoas acomodadas. Quantos aparecem? Meia igreja no sábado, e 1/6 parte no Domingo, isso contando os poucos que vão aos sábados e Domingos.
         Faça as contas: uma cidade católica modelo e nem 1/3 parte dela participa do mais Santo e necessário de todos os Sacramentos. Tenho outra conta, que apenas poderia fazer no chute, e se refere ainda a este 1/3 parte dos que cumprem o preceito dominical. Pergunto: quantos destes assistem a Santa Missa em estado de graça, com a confissão em dia, e aqui nem falo em confissão mensal – que poderia haver porque felizmente nossos padres não se negam a confessar, e isso a qualquer hora – mas apenas com a confissão anual, como Mandamento, por ocasião da Páscoa? Penso que eu mentiria feito, se dissesse que 10% destes estão em dia com a confissão. Comunidade esta que é considerada modelo! Modelo de que? De mornidade? Acaso também esta não merece ser cuspida? E quanto aos 2/3 que participam apenas esporadicamente, e comungam, com seus dilúvios de sacrilégios?
          Passando esta realidade para nosso país, em todas as paróquias e comunidades, se a nossa é modelo, só nos resta entender que por longe ainda é pior e muito pior. Quantos municípios sem sacerdotes, nem diria paróquias? Culpa dos maus católicos! Quantas comunidades sem Santa Missa? Culpa dos maus católicos! Quantos milhões sem confissão? Culpa dos maus católicos! E mesmo assim, quantos bilhões de sacrilégios cometidos, porque aqueles que, mesmo em estado de falta grave, ainda assim se aproximam de Jesus Eucaristia, o Deus da Vida, quando comem e bebem a própria condenação? Quantos bilhões de mornos, católicos só de nome, que nada conhecem a respeito de sua Santa Igreja, de sua Sã Doutrina, de seus Dogmas, seus Documentos, Cartas, Encíclicas emitidas pelos Papas através dos tempos? Coisa de maus católicos! Não, não me refiro saber tudo – porque mentirá o homem que diz que sabe – mas apenas o essencial, o mínimo, que já o levaria a ser católico de fato. Porque para isso é preciso saber apenas o que efetivamente Deus quer de cada um de nós, e cumprir isso fielmente, como servo inútil.
          Quantos católicos entendem e seguem este mínimo? Eis aí uma legião de alquebrados espirituais, de almas sonambulas que habitam verdadeiros mortos no espírito e dizem que isso é ser Igreja. São os falsos católicos, dispostos a aceitar e a viver qualquer aberração doutrinária, qualquer teologia ordinária, qualquer ecumenismo falso, qualquer mestre falso, qualquer deus ordinário, desde que nada exija deles. Católicos falsos, da porta larga! É esta a legião de molambos viventes, de ossos secos como os define o profeta Ezequiel, e que entanto, quando é preguntado responde seco: sim, sou católico! Responda-me então, você que se diz católico, que se ufana até de pertencer a Única Igreja de Cristo: você daria sua vida por ela? D
erramaria acaso o seu sangue em defesa da Igreja e dos Sacramentos, especialmente da Sagrada Eucaristia, que é Jesus Vivo? Sim, eles existem! Mas quantos?
         Óbvio que este seria um extremo, e talvez aqui esteja o ponto onde realmente pretendo chegar, para fazer entender ou dar a prova do nosso colapso. Acima falei que o mundo depende umbilicalmente da Igreja Católica. Então a Igreja católica, da mesma forma íntima, depende dos católicos. Esta Igreja prega uma moral que se baseia nos princípios e nas Leis do Eterno, leis que regem todo o comportamento humano e regem também a vida. Vamos então a uma primeira pergunta: o que é mesmo que eu tenho feito quanto ao tenebroso declínio da moral em nossos tempos, nos comportamentos, nas modas indecentes e modismos levianos, nos escândalos, na sexualidade exposta, nas drogas, nos pircings e tatuagens, na prostituição, na ostentação do corpo feminino nu, na corrupção escandalosa dos governos e em tudo aquilo que ofende, e muito gravemente a lei de Deus? Que cada um responda! Se é que têm algo de positivo a responder!...
          Porque pela maioria eu respondo, e a resposta é: NADA! Não fizeram absolutamente nada! Melhor, se dizem católicos e na realidade colaboraram para que tudo chegasse a este ponto, e continuam colaborando, até porque acham “sinceramente” que assim está bom, porque Deus é misericordioso então vamos pecar porque Ele perdoa. Mas quem é que lhes ensinou esta falsa doutrina? De um Papa verdadeiro é que não foi! Ora, se os 120 milhões dos que se dizem católicos em nossa nação, se todos fossem católicos de fato, vivessem os Sacramentos tal como nossa Santa Madre Igreja manda, jamais teríamos chegado a criar este país de escândalos. Jamais estaríamos nas mãos do comunismo! Porque então Deus mesmo agiria em nosso favor, e expulsaria e até fulminaria nossos inimigos, falo inimigos de nossas almas. Trata-se ou não de um colapso dos católicos do Brasil?
          Hoje, pais que se dizem católicos, assistem com a maior naturalidade os meios de comunicação e mesmo os currículos escolares corromper os seus filhos, e como bestas impensantes acham que assim está bem, que tudo é moderno e normal. Já perderam a autoridade sobre eles e já não reagem, não lutam pela salvação dos seus filhos! Muitos destes pais católicos de fato perderam a moral para exigi-la dos filhos. Pais que se dizem católicos nada fazem quando suas filhas se prostituem, até porque a maioria das mães que se diz católica, prepara suas filhas, desde a mais tenra infância, para serem prostitutas – de preferência famosas e escandalosas, desde que lucrem com seu corpo – e não para serem as mães valiosas à imitação de Maria! Como as vestem? Com roupas escandalosas e pecaminosas! Como as pintam? Como prostitutas bem mais preparadas para atiçar os homens ao sexo, do que para formar santos lares cristãos! Lares de onde sairão os Santos que santificarão a Igreja! Para isso não é preciso que os sacerdotes alertem: nenhum católico poderá ignorar isso! É sua capitulação diante do diabo!
          Nossa Igreja não deve, de forma alguma, se envolver em política partidária, mas o povo católico deve sim, fazer isso, e deve começar elegendo candidatos honestos, católicos praticantes e não vinculados a nenhuma das sociedades secretas, ao comunismo, a seitas exóticas, à ecologia e a capital escroque, homens formados na fé e nos princípios que brotam da Lei divina. Representantes estes que deveriam sair de lares realmente católicos, de famílias formadas na fé, com pais praticantes e santas mães catequistas, purificados na forja da oração em família, para que atuassem decisivamente contra tudo o que está sendo criado exatamente para a destruição das famílias católicas, porque o demônio sabe que destruindo estas acaba com a Igreja. Que destruindo a mulher católica acaba com a família! Que destruindo pai católico, perde o respeito, a moral e
o direito de corrigir aos que erram.
           Que fazem estes pais, católicos relapsos? Escolhem justamente os celerados, preferem os corruptos, e mesmo sabendo que eles trabalham decididamente para o mal, ainda assim os apoiam, e votam neles. Estão aí explodindo as leis em favor do homossexualismo, do aborto, da prostituição, e que obrigam o cidadão a pecar sob a pena de cadeia e multa, entretanto o povo que se diz católico está calado, quieto, não se manifesta, no que concorda com tudo. E pagará junto tenham certeza, a Justiça chega! Nas próprias casas legislativas, os legisladores evangélicos demonstram muito mais sua fé do que os maus legisladores que se dizem católicos. Enquanto isso o mal avança e por causa da pusilanimidade dos maus católicos tudo chega a um nível insuportável. Mornos já putrefatos!
          Falamos em evangélicos e tantas vezes em minha vida ouvi críticas quanto à vestimenta das mulheres de certas seitas, que são ridicularizadas pelas que se dizem católicas, e também pelos homens. O fato mesmo é que hoje a imensa maioria das mulheres que se dizem católicas, perdeu aquele sentimento que deveria ser o seu mais íntimo, o mais profundo, porque característico da mulher: falo do pudor, do recato! Do amor à sua intimidade! Ao que deveria ser apenas seu e de seu esposo! Antigamente uma mulher, e pode se dizer todas as mulheres católicas, ao serem olhadas no corpo de modo ostensivo pelos homens, coravam de vergonha, e procuravam esconder aquela parte com a qual poderiam estar fazendo pecar. Claro que havia o pecado, mas jamais esta exposição louca!
          Pois o que acontece hoje? Deu-se bem ao contrário, deu-se o oposto: hoje imensidões de mulheres que se dizem católicas se vestem exatamente para provocar, para chamar a atenção sobre seu corpo, e usam de todos os modos e meios para melhorar sua aparência exterior, a fim de atraírem machos. Sim, a palavra é esta, não homens, isso porque o homem católico, de fato, este procurará lutar contra isso, pois sabe o quanto é difícil suportar este festival ostensivo e agressivo de exposição do corpo feminino, que procura “valorizar” - quem valoriza é porque deseja comercializar - exatamente aquelas partes que mais atraem olhares “indiscretos”. Elas ficam felizes! E ficam infelizes se não forem notadas! Pior, existem maus maridos que se envergonham de apresentar suas esposas, se não estiverem provocantes. E o que deveria ser só dele, passa a ser esterco de consumo para olhares de pecado. E bilhões deles! Dos católicos!
          Nesta semana ainda li a reportagem de um assombrado jornalista dando conta de que um estuprador alegou em sua defesa que sua vítima o provocava. Diante deste quadro atual de imoralidade na forma de vestir, de portar-se, desta busca quase desesperada das mulheres para atrair olhares para seu corpo, embora jamais os aprove e sim criminalize, eu diria que até são muito poucos os estupros. É milagre que não haja mais, diante de tanta ostentação! E se alguém achar que estou a justificar os homens que cometem estes desatinos se engana e muito. O que estou sim é tentando abrir os olhos do povo católico, porque será terrível a conta que teremos de pagar diante de Deus, porque nós fomos chamados a salvar, e não a escandalizar e a fazer perder as almas. A missão de salvar é nossa e a de fazer perder as almas na imoralidade é do diabo, eis que todo aquele que a pratica é seu aliado. E são católicos!
          As modas indecentes e os comportamentos imorais da família católica são a causa do colapso da Igreja e do colapso do mundo. Não vejo católicos se revoltando, por exemplo, contra as novelas imorais e os programas de TV que avançam dia a dia na nudez exposta, e já ostensiva. Dia destes um programa da TV Globo apresentou ao público uns oito atores, quatro homens e quatro mulheres, em nu front
al, completo, sem qualquer vestimenta. Dizem que é para discutir com a sociedade este tipo de comportamento. Discutir? Que discutam com o diabo, se apresentem nus diante de Lúcifer, não diante de crianças! Ele que aprova e adora este tipo de comportamento! Quantos “católicos” estavam presentes no auditório e gostaram do espetáculo e nada disseram, antes gostaram? Quantos assistiram pela TV e aplaudiram? Mas quantos lamentaram e rezaram por tais desatinados? Destes comportamentos, diz a Escritura, é réu de morte tanto aquele que os pratica, quanto aquele que os aplaude! E são católicos!
          Quantos são entre os 1,2 bilhões de ditos católicos aqueles que efetivamente estão preocupados com a própria salvação eterna, também dos seus e da humanidade? Seriam 10%? Simplesmente não acredito! Na verdade se um em cada 100 estivesse preocupado, penso que o mundo poderia se salvar, por causa destes! Porque tem tudo para ser muito pior! Um em mil? Em dez mil? Em verdade o mundo católico vai bebendo o mal e a imoralidade a conta gotas, conforme espertamente lhe administra do diabo, e já não se dá conta de que toda a humanidade cai no abismo, por culpa exclusivamente nossa. Se os católicos fossem exemplos de vida, se fossem verdadeiros baluartes da fé, mães e pais católicos nota 10, se todos seguissem perfeitamente os Mandamentos a que estamos obrigados, já teríamos sem dúvida convertido o mundo inteiro. Porque a fé convence, mas o exemplo é que arrasta! De maus católicos!
          Mas observem católicos todos, o que acontece hoje com nossos pares que vivem no meio maometano, a tremenda perseguição que é exercida contra eles, o sangue que derramam pela Igreja. Acaso, dentre este 1,2 bilhões de ditos católicos pelo menos 1% deles está preocupado com estas perseguições? Está preocupado com o avanço progressivo do comunismo assassino, e isso em todo mundo, ou sabe que isso baterá também em nossa porta, até porque não somos melhores do que ninguém, e afinal o Mestre já foi a nossa frente. Porque está escrito e está profetizado que nosso tempo dará mais mártires ainda para a Igreja, do que já aconteceu em todos os tempos idos. E tudo por culpa dos maus católicos, que não cumpriram aquilo que Deus esperava deles. Não mais rezam e não mais se sacrificam, não aceitam suas cruzes antes as rejeitam, e em todos os sentidos são maus exemplos de vida.
           De fato, católicos todos, de nome e de fé, este nosso comportamento não ficará impune. O crime do aborto que já dá passos “legais” em nosso país será colocado inteiro na conta dos católicos, que não fizeram absolutamente nada para evitar que assim acontecesse. A imensa maioria dos nossos católicos se diz contra o aborto, mas cedeu ao uma minoria gritante e assassina que conseguiu já dar os primeiros passos rumo a aprovação total, porque, pelo visto, nossa pusilanimidade acabará por acovardar-se, como costumeiramente tem sido, diante deste ataque ferino e diabólico contra a vida humana. Acovardar-se sim, sob a proteção silenciosa dos pastores “cães mudos”, que deveriam liderar uma revolução do amor, capaz de derrubar todas estas loucuras. Estes assassinatos de inocentes! Cadê os católicos?
           Os católicos deste país – dito a maior nação católica do planeta – teriam sim condições de evitar este banho de sangue, entretanto se calam, se acovardam, se escudam atrás de mil desculpas, mal sabendo que nenhuma delas será aceita por Deus. Se vos calardes as pedras falarão, disse Jesus! Hoje as imagens de Jesus e Maria choram lágrimas até de sangue por esta humanidade pecadora e principalmente por estes católicos covardes, pusilânimes e desatentos, que não se dão contas de que agindo assim, eles mesmos fazem cumprir as profecias a respeito do fim, porque acabam por mergulhar nesta apostasia delinquente que hoje se abate sobre toda a Igreja. Um véu negro de sombras desce sobre o mundo, qu
e, entretanto está fantasiado e fascinado com esta etiqueta de “pobres”, cuja ostentação pode ser muito antes sinal de orgulho, que de humildade.
           Numa mensagem profética recente Jesus pede para O ajudarem na Minha Missão de unir a todos e proteger aqueles que Me amam do grande logro, o qual foi criado para enganar o mundo. Nunca antes a maldade contra Deus foi tão coordenada pela raça humana como é hoje. Nunca antes o homem mortal foi capaz de causar tanto sofrimento, através da captura do poder a fim de vos controlar, como neste momento da história. A grande perseguição contra os filhos de Deus, criada por Satanás com o apoio voluntário de homens e mulheres perversos, sedentos de poder, em posições de grande poder, está a desenrolar-se diante dos vossos olhos. No entanto, muitos de vós não podeis ver porque vós fostes enganados.
            Hoje em nossa Missa dos doentes – toda Santa Missa é para os doentes da alma, para os quais Jesus veio – nosso padre deu uma “beliscada” nesta maldição que significa a retirada dos Sacrários do centro dos templos em troca de uma capelinha lateral, ou fora da nave principal, como ele desejaria, pois “em todos os lugares é assim”. Já sabíamos que também aqui – onde o tabernáculo ainda é no centro, e onde ainda temos algumas imagens de culto – por vontade de alguns párocos já teriam sumido com todas, só não pensei que viria tão cedo. Mas o que faremos nós? Uma guerra contra os padres? Não, de forma alguma, somente avisar! E sim, pegar nossos rosários, para que haja sempre um local quentinho e aconchegante onde Jesus possa permanecer em nosso meio, até porque tudo tem que se cumprir. Para que ainda haja algumas famílias santas onde Jesus Vivo na Eucaristia possa ser guardado.
            Ou seja: nossa grande e poderosa arma é a oração! O Cura de Ars dizia que o terço dele era mais poderoso do que mil sermões! E olha que os sermões dele converteram meio mundo! As famílias católicas devem voltar a rezar o Terço como se fazia antigamente, em quase todos os lares. Esta é a arma preciosa que acabará por derrotar todos os inimigos da Igreja, nossos e de Deus. Não existe hoje, além da oração pela salvação e pelas almas do Purgatório, uma oração mais poderosa do que o Rosário de Maria. E assim, todo lar onde não se reza, pelo menos o terço diário – mas tem horas de tempo par as novelas putrefatas da TV – não precisa esperar a proteção de Deus. Mais que isso, este lar, esta família, já cumpre as ordens do anticristo, e colabora decididamente para a destruição da Igreja. Como se pode formar um católico consciente de um lar destes? Ali se formam apenas novos pagãos!
          Sim, todo aquele católico que não faz uso das poderosas armas que a Igreja tem, acaba sendo conivente com o adversário, porque não somente deixa de ataca-lo diretamente, como em não rezando permite que o mal avance e se estabeleça dentro do Templo de Deus. O Pai Eterno nos tem dado mais tempo do que o imaginado, e cada dia que passa deveria ser agradecido de joelhos, pois nos dá mais tempo de agir em favor de todos os que dormem no erro e com isso avalizam o pecado. Todo aquele católico que foi chamado, a quem foi aberto o livro dos segredos finais, ou seja, a revelação de que chegamos ao fim, não pode se dar ao luxo de calar, nem de parar, porque será cobrado.
        Felizmente nem todos os padres e bispos estão calados, e felizmente alguns já se acordam para a realidade. A seguir transcrevo as palavras do Cardeal Burke, dos Estados Unidos, que me deu a ideia sobre este texto. Disse ele: Mentiras que só podem “vir de Satanás”, diz o Cardeal e antigo arcebispo de Saint-Louis. “É uma situação diabólica que visa destruir os indivíduos, as famílias e finalmente a nossa nação. É o mal imperante, logo, como resultado de uma cultura de morte, uma cultur
a contra a vida e contra a família que já existe há tempos”. E a culpa, a responsabilidade máxima do colapso “é dos católicos”, diz Burke. “Não combatemos adequadamente, porque não nos foi ensinada a nossa fé católica, sobretudo na profundidade necessária para enfrentar esses graves males do nosso tempo. É uma falência da catequese, seja a catequese das crianças, seja a dos jovens, que é realizada nos últimos 50 anos. É necessária uma atenção muito
mais radical, e posso dizer isso porque fui bispo de duas dioceses diferentes”.
         O resultado da catequese superficial dos últimos 50 anos “é que muitos eleitores adultos apoiam políticos com posições imorais, porque não conhecem a sua fé católica e o seu ensinamento sobre a questão da atração pelo mesmo sexo e sobre a desordem intrínseca das relações sexuais entre duas pessoas do mesmo sexo. Isso porque – acrescenta – tais pessoas não estão em condições de defender a fé católica”. O fundamental por determinar a situação corrente foi “a exaltação da virtude da tolerância, falsamente concebida como a virtude que se sobrepõe a todas as outras virtudes”, disse Burke. Em outras palavras, explica, “deveríamos tolerar outras pessoas em suas ações imorais, a ponto até de parecer que apoiamos a moral equivocada”.

        “A tolerância é uma virtude, mas certamente não é a principal, que é a caridade. E caridade é falar da verdade, especialmente da verdade sobre a vida humana e a sexualidade humana. Enquanto nós amamos o indivíduo, nós desejamos somente o melhor para aqueles que sofrem de uma inclinação que os leva a se envolverem em relações sexuais com uma pessoa do mesmo sexo. Nós devemos condenar estas ações, porque estão em desacordo com a própria natureza, como Deus nos criou. É preciso dizer, nota o cardeal prefeito, um basta ao falso sentido de diálogo que se infiltrou também na Igreja. Não é possível reconhecer publicamente aqueles que apoiam violações abertas à lei moral, nem render a eles quaisquer tipos de honras. Isto é um escândalo, uma contradição, um erro”. Fim
        Estas palavras são diretas e duras, como devem sair da boca dos nossos líderes espirituais. Porque justamente é por causa da “boca mole”, covarde e pusilânime de milhares de sermões que os católicos têm desando por estes caminhos de perdição, bocas covardes que permitiram não somente que o pecado grassasse, mas que chegaram ao ponto de justificá-lo como um bem, como algo natural, o que é uma inominável afronta contra a lei de Deus. Não mais falaram em pecado “para não afastar os fiéis” ou “para não se indispor com o povo”, quando a verdade é que o povo precisa de chicote. Porque se fica irado hoje, amanhã pensa melhor e volta, mas se for justificado, nunca mais aparece. Assim, quando a inércia dos líderes coloca em risco a verdade, a Igreja Católica, e a própria fé, manda a vontade de Deus que os leigos se empenhem na restauração da verdade, especialmente diante dos verdadeiros delírios doutrinários que hoje se espalham, fruto de um modernismo satânico que a tudo enlameia.
         Em sua Encíclica “Sapientiae Christianae” de 10 de janeiro de 1890, santo Papa Leão XIII assim nos exortou, e não só isso, nos obrigou a defender a fé. Assim ele se refere: "Neste enorme e geral delírio de opiniões que vai grassando, o cuidado de proteger a verdade e de extirpar o erro dos entendimentos é a missão da Igreja, e missão de todo o tempo e de todo o empenho, posto que à sua tutela foram confiadas a honra de Deus e a salvação dos homens. Mas quando a necessidade é tanta, já não são somente os prelados que hão de velar pela integridade da Fé, senão 'que cada um tem a obrigação de propalar a todos a sua Fé, já para instruir e animar os outros fiéis, já para reprimir a audácia dos que não o são' (São Tomás, S. Teol., II-II, q. 10, a. 2, q. ad 2). Recuar diante do inimigo, ou calar-se quando de toda parte se ergue tanto alari
do contra a verdade, é próprio de homem covarde ou de quem vacila no fundamento de sua crença. Qualquer destas coisas é vergonhosa em si; é injuriosa a Deus; é incompatível com a salvação tanto dos indivíduos, como da sociedade, e só é vantajosa aos inimigos da Fé, porque nada estimula tanto a audácia dos maus, como a pusilanimidade dos bons".

          Estão aí palavras abalizadas, palavras santas e verdadeiras. Chegou o tempo, meus bons amigos, de darmos a cara para bater, mas não fomentando debates acalorados, nem criando polêmicas, porque a maldade dos que querem destruir a Igreja só seria atiçada, pois odeiam, e nós devemos amar. Então tudo se resume em atos simples: alertar uma vez, e se isso suscitar polêmica fugir dela, não alimentar o fogo das paixões! Mas jamais calar! Como Jesus falou: se não forem aceitos, batam o pó das sandálias contra eles! E rezem, apenas rezem, insistentemente como a Mãe tem pedido, em suas mensagens pelo mundo inteiro. De fato, uma Ave Maria, extraída do fundo do coração, consegue mais sucesso do que mil brigas e discussões. Sim, porque ela atinge o verdadeiro alvo: o demônio que alimenta a sanha dos maus!
         Sei que meus textos são longos, quem sabe cansativos, mas é tão vasta a coleção de desvios morais que fica impossível de descrever em poucas palavras. Meu bom amigo Frei Luiz sempre me cobra sobre o tamanho dos textos, mas se eu tiver que escrever tudo, apenas faria mais textos... O que acabaria ficando maior ainda! Importa é que tenhamos a noção clara da realidade presente, que tenhamos consciência de nossas falhas, e da necessidade de estar atento ao que se passa no mundo, especialmente na Igreja Católica. Podem ter certeza de que uma planta muito venenosa está sendo plantada no coração da Igreja Católica, e ela vem a modo de uma “reforma litúrgica”, a partir de uma “releitura dos Evangelhos”, o que significa mudar Bíblia, Catecismo e Missal.
        O resultado disso nós já descrevemos em outros textos, e não precisamos voltar. Importa saber que a Igreja Católica é a chave – e a ela deveremos defender – e que a Santa Missa é o centro de tudo: se acabarem com a Santa Missa, o mundo desabará! Em reportagem de hoje soubemos que o Vaticano derrubou a suspensão imposta pelo Papa Bento XVI quanto a falsa missa do neocatecumenato, que visa à dessacralização e é obra do anticristo. Como já expliquei em outros trabalhos, esta falsa missa abre caminho para a abominação desoladora predita por Daniel, porque tem aspecto de ceia, o que é expressamente proibido pelos Documentos Oficiais da Igreja. Portanto, mais um golpe nas disposições de Bento XVI e mais um passo rumo à destruição do mundo, pelo cisma na Igreja, e a supressão da Eucaristia.
       Enfim, diante disso tudo, estamos diante de um tremendo desafio: é hora dos verdadeiros católicos! É hora de demonstrar nossa fé, a fé de nossos pais, a fé na Igreja de sempre, a fé na Sã Doutrina, a fé nos sete Sacramentos e a fé nas Sagradas Escrituras como desde sempre temos lido e vivido, sem aceitar quais modificações que alterem aquilo que sempre temos aprendido. Nada pode ser mudado, menos ainda destruído. É hora então de cada católico tomar a bandeira de sua Igreja e tomar postos na grande batalha. Não, não deve pegar de um fuzil, mas do Rosário. Deve apenas rezar, mil, milhões de Ave Maria, porque somente estas desbaratam o exército infernal que manobra e comanda o exército terreno que se deixou enfeitiçar por eles.
        Já falei isso e volto a lembrar da frase do saudoso Papa João Paulo II: usem as madrugadas para rezar! Sim, muitas pessoas estão sendo chamadas por Deus para rezar, ficam acordadas de madrugada e imaginam que é insônia e se entopem de comprimidos. Viram de um lado para outro na cama e levantam estressadas e rabugentas, quando deveriam apenas pegar seu Terço e irem desfilando Ave Maria. Acreditem, aqu
i chegamos a dormir certas noites, não mais de duas horas, e isso é suficiente, sempre em intervalos de alguns minutos de profundo sono, e outros mais longos de oração. E nós nunca sentimos falta de sono, nem acordamos cansados e mal dispostos. Especialmente nas madrugadas de quinta feira, assim tem sido desde muitos anos. Experimentem isso!
        Última frase: é tempo de os católicos até aqui relapsos tomarem seus terços, como trabalhadores da última hora! Se o amor for grande, o pagamento será igual ao de quem está há décadas na caminhada! Vale a pena, porque sempre tenho afirmado: a eternidade é grande demais para que eu não me preocupe com as coisas eternas. Tudo o que terei lá, mando daqui! Lá existem mansões e casebres, construídos com o material que cada um manda daqui! E é para sempre! Ânimo, pois, porque o tempo urge e ainda temos muito que fazer! Dá para melhorar bem nosso casebre! (Aarão)

 


 



 
 
 

Artigo Visto: 2223 - Impresso: 31 - Enviado: 17

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 165 - Total Visitas Únicas: 3.487.457 Usuários online: 81