Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título
Você está em: MENU PRINCIPAL / Artigos / Guerra aberta




 
 
27/09/2013
Guerra aberta
 
Artigos - Guerra aberta
27/9/2013 17:41:28

Artigos - Guerra aberta


 2130920 GUERRA ABERTA
     No momento em que começo este novo texto, um turbilhão de ideias povoa minha mente. O fato de estar neste posto aonde chegam diariamente notícias vindas de todo mundo e de todos os lados, de tantas fontes, modos e meios de comunicação certamente nos deixa em posição de vantagem para poder analisar tudo, porque chegam as notícias, digamos “dois dos lados da montanha”. Vem dos amigos e dos inimigos! Tudo depende é claro da posição que devemos tomar e até onde podemos avançar na exposição desta síntese. Na realidade este silêncio que nos foi pedido tem se tornado uma fonte de bênçãos, porque assim temos condições de analisar tudo, com mais calma.
      Mas nitidamente percebemos que aos poucos vai sendo montado o palco final da grande guerra. Não, aqui não falamos de guerra mundial, até porque ela é simples consequência da guerra universal, aquela que vai abalar o Universo. Falo da guerra que se trava dentro da Santa Madre Igreja Católica, porque é aqui que se definem os rumos da humanidade; tudo o que acontecer fora dela é periférico, a causa está no âmago da Igreja. Nela é que se dará a mais terrível de todas as batalhas mundiais, e quando digo que abalará o Universo é porque num dado momento Deus mesmo intervirá para por ordem nas coisas, certamente quando tudo nos parecer perdido.
      Trata-se da guerra da anti-igreja contra a Igreja de Pedro. Trata-se da luta da igreja do mundo, contra a Igreja do Céu. Trata-se da batalha entre a falsa igreja do homem, e a Igreja única de Nosso Senhor Jesus Cristo. Qual delas vencerá? A anti-igreja, do mundo, do homem e, portanto de Lúcifer, ou a Igreja de Pedro, do Céu e de Deus nosso Senhor? A anti-igreja da tolerância total, inclusive quanto ao pecado, ao inferno e os demônios, tudo em nome de uma falsa liberdade já libertina, de uma falsa misericórdia, sem também justiça, ou vencerá a Igreja Católica, a de Jesus? Óbvio então, que isso terminará num grande cisma, e para isso desde os séculos temos sido alertados. Culminará numa apostasia furiosa, com a negação não somente da Igreja e do batismo, como do próprio Deus.
      Grosso modo poderemos iniciar dizendo que já hoje a anti-igreja é hoje muito maior que a Igreja, pois com certeza congrega mais de 11/12 partes do mundo católico, embora se arrogue no direito de dizer de si: Nós somos a Igreja de Cristo! E definitivamente ela não é a Igreja! Este incrível número de centenas de milhões de fiéis, estão todos absolutamente acometidos da mais horrível de todas as doenças e pestes, aquela que ataca as vistas da alma e se chama “catarata espiritual” promovida pelo monstro das trevas. Esta doença horrenda tem contaminado multidões, que se podem dividir em dois segmentos: um pequeníssimo número de interessados em demolir a Igreja de Pedro, eles e seus guias cegos, e multidões incontáveis de alheados, abestalhados, zumbis que, ou não querem saber de nada ou vão conforme o vento leva, sem usarem da razão, porque fé e espiritualidade, nenhum deles tem.
      Ou seja: esta não é a Igreja de Jesus Cristo, embora congregue a imensa maioria de cardeais, bispos e sacerdotes, e são TODOS aqueles que não têm como prioridade absoluta, inarredável e consciente a salvação das almas. Desde os séculos passados o Céu nos tem avisado pelas Sagradas Escrituras e através dos profetas e santos, por Jesus e Maria, de que chegaríamos a este tempo, onde o homem erigiria um templo para si mesmo, sua igreja e sua religião, e que assim ergueria a abominação dentro do templo santo. Ou seja: ergueria dentro da Igreja! Na realidade poderemos dizer que já está erigido este monstrengo, que se travestiu de Igreja da Verdade – quando é da mentira, é uma anti-igreja – mas que por ser a imensa maioria já sufoca a verdadeira Igreja de Jesus.
      E como já escrevi em outros textos, parece que tais pessoas pensam assim: já que a Igreja de Jesus, a de sempre, n
ão deu certo, façamos agora ao nosso modo. Isso cinicamente, porque se aquela “não de certo” é exatamente porque nada fizerem para que desse certo, ou agiram deliberadamente para que desse errado. Eles erigem assim uma nova torre de Babel, e fazem do mundo uma nova Babilônia! Pela desobediência, pelo orgulho, pelo desejo insano de mudanças, pelo desejo sórdido de ouvir novidades, e como diz São Paulo, assim se fazem falsos mestres e doutores, criadores de falsas doutrinas e ensinamentos mais próprios dos de satanás que de Jesus. E, ardilosamente, permanecem dentro da Igreja, como se tivessem feito um pacto de morte, porque sem a estrutura mundial dela, jamais poderiam crescer como cresceram. E em seu orgulho vão ao caos, tenham certeza disso!
      Tudo isso aconteceu não devido a um processo súbito, mas a algo planejado desde séculos atrás, para ser introduzido aos poucos e para ser executado pelos bons sacerdotes, de modo a não chocar os fiéis, não despertar suspeitas. Tudo feito aos às escondidas, mentira sobre mentira, fundado nos alicerces do modernismo, que encampa todas as heresias, relativismo, humanismo, racionalismo e pela agenda da morte do socialismo e comunismo. Tudo foi feito devagar, dia após dia, cooptando um bispo hoje, outro amanhã, o mesmo com os sacerdotes e estes também em ritmo lento, especialmente após o Concílio Vaticano II, a malsinada Conferência de Puebla e a teologia da libertação, estes passaram a desviar o povo dos caminhos da salvação, para a lenta criação da igreja do homem.
      Antes de prosseguir, vamos dar uma pincelada então, naquela verdadeira Igreja de Jesus, para que fique bem claro a todos e não haja nenhuma dúvida. E verdadeira e única Igreja de Jesus, tem doutrina imutável, doutrina que não pode ser alterada, e ela está grafada em seu Catecismo atual, editado por João Paulo II e seguido por Bento XVI. Sua Bíblia é a de sempre e não pode ser alterada por edições novas contendo modernas interpretações. Esta Igreja tem Dogmas, como doutrina Eterna que jamais poderão ser derrubados ou desprezados. Esta Igreja tem os seus sete Sacramentos, instituídos por Jesus, e seu rito já está estabelecido pelo Espírito Santo, e não podem ser mudados. Esta Igreja tem o sacramento da Confissão que é a mais eficiente arma contra do diabo. Ela tem a Eucaristia, centro da vida cristã, alimento vivo e de vida, sem o qual não se pode ver Deus. E tem um só Papa ligado no Céu!
      Mais: esta Igreja única e verdadeira tem templos dignos de um Deus, e mantém o Sacrário vivo no centro das naves principais e não escondido nos cantos. Esta Igreja mantém confessionário com grades para a eficácia do santo Sacramento da reconciliação do pecador com Deus. Esta Igreja Santa mantém suas imagens de culto, não para a adoração e sim para veneração daqueles que foram exemplos de vida e santidade, pois vencedores do inferno. Esta Igreja mantém os sacramentais e as unções, cruz, os santos óleos, terços e medalhas, livros de orações, elementos eficazes instituídos pela graça de Deus. Esta Igreja mantém os Grupos de Oração e incentiva o Rosário em família, como única arma eficiente contra a destruição delas. Esta Igreja mantém uma catequese santa, voltada para o conhecimento da verdade, da verdadeira Igreja, em caminhada rumo à pátria celeste, nossa morada definitiva. Enfim, nesta Igreja verdadeira seus lideres são sacerdotes identificados, e não mercenários ocultos dentre o povo.
      Ao contrário, a anti-igreja que caminha rumo a nova era e o anticristo, praticamente despreza tudo isso que identifiquei nos dois parágrafos anteriores. Ela não está preocupada em nada com a salvação eterna, apenas com a satisfação física das pessoas, é uma igreja humana, voltada para os pobres de bens materiais, é ambientalista e sem a benção divina. Assim não preciso enumerar item por item o que ela despreza, apenas devo reforçar que ela descrê do pecado, ridiculariza do inferno e descrê dos demônios, ela usa e abusa da mis
ericórdia divina, na medida em que despreza a confissão sacramental e aceita a falsa doutrina protestante da remissão por Cristo sem o esforço de cada um e sem o pedido de perdão a Deus. Nisso acreditam apenas num deus metade e imperfeito, e exatamente por causa disso usam e abusam de Jesus, cujo nome é mencionado apenas como um vago aceno de ser Igreja Dele, quando de fato, com estes desvarios eles O desprezam, distorcem o que Ele disse negam até os milagres que fez!
      Tantas vezes já escrevi aqui artigos mencionando a malsinada “teologia da libertação”, e até um livro nós já editamos, entretanto penso que a imensa maioria dos católicos não se dá conta do quanto esta coisa é maligna. Eu no meu simples modo de entender, embora o Papa Bento XVI na segunda instrução Libertatis Conscientia tenha condenado certos aspectos desta aberração doutrinária, penso que o grande erro foi a Igreja não CONDENAR com toda veemência e definitivamente tudo o que vem desta pestilência doutrinária. Não se pode, de forma alguma, contemporizar com qualquer fagulha de mentira, especialmente quando tratamos das coisas de Deus, com a fé, com a religião, com nossa Santa Igreja Católica Apostólica Romana. Isso significa que, para o bem desta mesma Igreja, tudo o que diz respeito a esta ideologia do mal, deve ser condenado, sepultado e esquecido para sempre.
      Defino tal coisa com as palavras mais duras que meu vocabulário pode encontrar, exatamente porque não se trata de uma “teologia”, mas de uma falsa ideologia, cujas premissas se baseiam em princípios utópicos de uma falsa liberdade terrena, que chega ao extremo obtuso e absurdo de querer anular todas as leis divinas sobre a criação, suas normas morais e seus princípios eternos. Toda e qualquer proposta que contenha ainda que seja uma pequena parcela de mentira embutida dentro dela, fatalmente acabará por criar confusão e mesmo a destruição do todo. Se a reforma pretendida na Igreja, segundo se fala e conforme o Céu anuncia pelos profetas, caminhar por este trilho, podem ter certeza de que é caminho de morte, de ruína, porque Deus não suportará mais este tipo de ideologia, já são mais de 50 anos de estragos, desgraças, destruições e abandono dos fiéis, tudo por culpa deste monstro.
      Bastou pesquisar em alguns documentos e entrevistas sérias, para extrair uma série de enunciados que eles propõem, de modo que será fácil entender o quanto é aberrante o caminho por eles proposto. A maldição é que isso se infiltrou dentro da Igreja Católica, e tem a pretensão de ser A Igreja. Eles nada têm a ver com Deus, e o nome de Jesus é mais tido como um revolucionário do que Deus. O falso deus desta ideologia é o homem, a meta o seu bem estar terreno, sua bandeira a tolerância, seu ícone é a liberdade total. Ora, liberdade total simplesmente não existe porque quando se impõe vira libertinagem. A única forma de nos sentirmos livres é amando a Deus mais que tudo. E é isso que esta ideologia faz: inverte o Mandamento do Amor, relegando Deus, em troca do amor ao e do homem.
      Assim, para estes falsos mestres e obreiros de satanás, toda desigualdade entre os homens é uma injustiça. Todo o poder que um homem exerce sobre os outros é injusto porque uma forma de opressão. Até mesmo o poder dos pais de educarem seus filhos com mais rigor é uma violência, como é para eles opressão que deve ser suprimida aquele rigor dos professores no sentido da disciplina. Uma criança se educada dentro destes princípios jamais seria livre, porque desde a mais tenra idade seria escrava do diabo, que a trucidaria. Em nome da teológica liberdade. Se nenhum homem pode exercer mando sobre os outros, se todos devem ser livres para fazer o que bem quiserem, o mundo vira uma anarquia, exatamente o objetivo principal do comunismo. Lenin matou 30 milhões por isso!
      Esta anarquia eles pretendem também para a Igreja, eis porque vivem reclamando do “papado”, e exigem que a Igreja seja coman
dada pelos leigos, porque padres, bispos, cardeais, freiras, diáconos, todos devem ser iguais aos leigos perante a Igreja e a sociedade. Para eles padre deve ser casado, para ser igual aos outros! Então casado deveria também poder ser padre, para ser igual a aqueles. Para eles freira deve rezar Missa, porque se trata de machismo de todo inaceitável que mulher não possa ser sacerdotisa. Ou bispa! E nesta sanha de produzir a igualdade chegam aos extremos mais aberrantes, que vão desde a falsa doutrina da libertação da mulher – porque é escravizante – até a pregação do fim do pecado. Como, porém, libertar um sem oprimir o outro?
      Ora esta igualdade é absurda! Sem hierarquia e sem regras, sem leis, não existe mais ordem e é o caos. Se Deus quisesse que todos nós fôssemos iguais, nos teria feito na mesma forma, como androides e autômatos, sem diferença de sexo, de cor, de tamanho e de raça, coisa que nos faz tão singulares. O que eles pretendem é eliminar todo tipo de desigualdade, daí a palavra “libertação”. Neste sentido todos devem ter posses iguais, ninguém pode ter nada mais do que o outro. Todos devem produzir e ninguém deve ficar com as sobras, mas repartir, mesmo com quem não trabalha. Ora, se não houver alguém com disposição ou possibilidade de poupar, quem construirá a indústria que gera empregos? Como fazê-la funcionar se para ser igual, todos terão direito de mandar, portanto será uma indústria de diretores, sentados numa poltrona, com ar condicionado, e ninguém produzindo, ou trabalhando.
      Esta, aliás, é a grande “vaca” comunista, aquela na qual todos mamam e ninguém trata e são coisas assim que aproximam, igualam e se pode dizer que esta falsa ideologia até mesmo suplanta o comunismo. Quero dizer, o comunismo é um sistema maligno, assassino, cruel, degenerado, opressivo, e mutilador da sociedade, mas se mostra assim como é com todos os seus horrores. A ideologia da libertação é pior porque o comunismo é contra a religião, mas essa ideologia está dentro da Igreja Católica, e assim causa mais estrago dentro dela do que o comunismo ateu. Impressionante é ver como nossos bispos e sacerdotes não percebem que estão sendo manipulados pelos espertos comunistas, que se infiltraram dentre eles. Na verdade a palavra “teologia” nada mais é que a tentativa maligna de dar uma face de bem e uma justificação para esta aberrante monstruosidade doutrinária.
      Esta visão torpe de libertação e de liberdade acaba por apregoar um número quase infinito de perversões, que hoje se podem notar, constam da pauta das modificações pretendidas pelos maus para introduzir na Igreja. Vão por aí as falsas missas inculturadas e ecumênicas, a negação dos Dogmas da Igreja e dos milagres de Jesus, porque dizem que se o povo acreditar nisso, vai deixar de acreditar que é possível ao homem construir um mundo para si. Vai por aí o fim do pecado e o abandono da confissão, a negação do demônio e do castigo destinado aos maus, vai o desrespeito a tudo o que é divino e sagrado, vão as profanações na Santa Missa, os cantos antilitúrgicos e absurdos, a ordenação das mulheres, as igrejas sem imagens, os templos sem Sacrários, e tudo o que visa nivelar por baixo rumo a uma nova religião ecumênica mundial centrada no homem e na satisfação terrena dos seus seguidores. É dela este exército de pastorais ineficientes, que nada mais são que secretarias de uma prefeitura paroquial.
      Enfim, esta gente imagina que um dia o homem vai evoluir de tal forma, vai se tornar tão superior que não mais precisará de nenhuma autoridade. Devem então, desde já suprimir e acabar com toda autoridade, religiosa ou civil, porque ninguém deve mandar em ninguém. Devem então suprimir as propriedades de quem tem isso sem dizer qual o nível que compete a todos para haver justiça. Os filhos devem ser retirados dos pais para que estes não os oprimam e tiranizem, ou seja: seguem fielmente a cartilha da besta! Tudo isso nos permite dizer que as pessoas que defende
m uma sociedade igualitária deste tipo, já não são sonhadores, nem utopistas, eles passaram alguns níveis acima da própria loucura. Eles se fazem deuses, porque afrontam tudo o que o Criador fez e achou que era bom.
      Por exemplo, se é para igualar, como é que faremos com a questão da doença e da dor? Então se uma pessoa tem um câncer e os familiares não o têm nós devemos enfiar um câncer neles também? Se uma pessoa resolver por livre vontade morar debaixo da ponte, teremos todos de ir também? Se outra pessoa resolver não trabalhar porque é livre, então devemos dos cruzar os braços? Se uma pessoa perdeu um braço, temos que cortar também os dos outros ou não seria isso justiça? Se uma pessoa é de cor negra para igualar a todos temos que matar os brancos? Se alguém mora no campo deve ir para a cidade e vice e versa? Ou seja: as aberrações se multiplicam, porque quanto mais se desenvolve esta tese doutrinária absurda, mais se mete em novos absurdos. E novas loucuras!
      Quero dizer: são milhares de detalhes que a engenharia divina estabeleceu para nosso bem, com absoluta e maravilhosa perfeição, que nunca poderão ser igualados. Homem foi feito homem, com todas as partes do seu corpo no lugar certo, para a função certa. A Mulher foi feita para o homem no amor, com seu corpo perfeito e próprio para a mais sublime das tarefas que é, não somente a geração da vida, como a formação moral da sociedade. Não há como libertar a mulher plenamente, nem mesmo exigindo que o homem vá para a cozinha, e ela fique a pilotar tanque de guerra. Não há como fazer um homem gerar filhos, nem como conferir autoridade à mulher, porque a do homem provém da força, a dela brota do amor. É a mulher que faz o homem, não o contrário! Ele tem, pois, tudo!
      Então se o leitor ainda não se compenetrou de que TUDO o que vem deles é absurdo, veja esta frase que acabei de retirar do artigo de um bispo brasileiro que defende acirradamente esta monstruosidade. Disse ele em defesa deste caos pestiológico: A teologia da libertação gerou também uma antropologia, uma filosofia e uma ética, focalizando a alteridade do ser humano, a analética face a dialética nos relacionamentos sociais e culturais, o amor agápico ou fraternura, a política e a economia de comunhão, termos e conceitos do pensador Enrique Dussel. Por favor, se o amigo não entendeu, leia novamente! Agora entendeu? Nem eu! Melhor entendi que se trata de alguém pinéu da cabeça, mesmo que ele tenha este cargo de príncipe da Igreja. Ou seja: todos os que defendem isso, estão no mesmo estado! Em estado de caos mental e espiritual! Em estado de putrefação e cegueira da alma!
      Desta forma, como já falei, se houve um erro da nossa Igreja foi o de não condenar esta ideologia perniciosa, em sua totalidade aberrante e integralidade maligna, porque simplesmente não existe meia verdade. Meia verdade é batata podre no meio do saco, e haja batata podre no seio da Igreja Católica. Se concordarmos que a falsa teologia da libertação tem certas verdades, teremos que achar o mesmo de todos os outros credos, porque quase todos têm coisas boas. Mas as coisas boas que eles têm são somente aquelas voltadas para o bem estar físico, porque quando se trata da eternidade, dos bens espirituais, para estes existe uma só verdade e uma só Igreja que salva. E quem vive a ideologia da libertação em toda a sua integralidade, simplesmente está fora da verdadeira e única Igreja que salva. Mas eis aí, agora recebendo força justamente este paquiderme monstruoso, a impor seus princípios deletérios.
      Sim é voz corrente por aí, de que este gigantesco grupo da anti-igreja está pressionando por mudanças ainda mais profundas, e como temos percebido uma profundidade que leva ainda para maiores abismos. Eu recebi ontem um arquivo, de uma entidade do Brasil cujo nome me furto a declinar porque mancharia este artigo, onde um grupo de pessoas escreve ao bispo de Roma e aos seus oito auxiliares
dando sugestões que gostariam de ver aceitas nas alterações que pretendem fazer na igreja nos próximos meses. Notem que coloquei “igreja” em minúsculo, porque se refere à anti-igreja de que estamos falando, porque na verdadeira Igreja de Pedro eles jamais imporão estas regras. Óbvio que se coloco isso é porque não se trata de um pensamento isolado, mas sem dúvida de grande parte do clero do nosso pobre Brasil. Estes itens que “pesquei” no texto são realmente bandeiras da tal “reforma”.
      Vou colocar todos em sequência conforme tirei do texto e depois comento. São estes alguns dos pedidos ao Papa feito por tais cegos: Administração colegiada com a participação da mulher – Dar poder decisão aos leigos batizados – Eleição dos bispos pelos leigos – Ordenação de mulheres – Retorno dos padres casados e por via disso o casamento dos sacerdotes – Prioridade na luta contra a pobreza material e a opressão – Aceitação plena do pecado dos gays e lésbicas – Comunhão a divorciados – Combate contra a pedofilia dos sacerdotes (este tudo bem). Estes itens constam deste pedido enviado ao Vaticano para ser incluído na reforma que pretendem fazer na Igreja. Pior, isso consta das mensagens proféticas atuais, dando conte de que assim mesmo é que irão fazer!
      Antes de comentar os itens, eu faço umas perguntas ao amigo leitor: acha mesmo que o povo católico se irá levantar contra tais aberrações, caso por infelicidade forem aprovadas? Acha impossível que tais loucuras sejam acolhidas e contempladas dentro da reforma? A resposta para a primeira é NÃO, e a da segunda é SIM! Realmente se isso fosse aplicado em nossa Igreja a imensa massa do povo que se diz católico não somente acharia bom como apoiaria. Eles não têm o mínimo discernimento, foram mal catequisados e até porque não querem ter! Por isso é SIM, tudo isso pode fazer parte da nova igreja que eles pretendem lançar em breve, e se não aplicarem tudo de uma vez, podem fazê-lo aos poucos para não chocar muito ao povo e correrem riscos.
      Que seria de uma igreja com administração colegiada? Seria uma falsa igreja, onde o papa seria uma figura meramente decorativa, sem poder algum de decisão porque cada bispo, ou cada conferência, poderia fazer a igreja ao seu modo, e assim cada padre, cada leigo. Ou seja: o cetro se partiria em mil pedaços! E pior é que acontecerá isso mesmo, porque está profetizado. Em 07 de novembro de 2000 o movimento recebeu esta mensagem, e todos podem conferir como ela está se realizando, e o que ainda falta acontecer. Ela se dá com Bento XVI, e todos devem pedir as luzes do Espírito Santo para não serem confundidos, porque...
       ... Na verdade, muitos se confundirão! O rosto do pastor não agradará a muitos e confundirá profetas, leigos e livros! Terá mão de ferro e coração de ouro, mas não agradará a seus seguidores que armarão conflitos... Sua mão de ferro e seu coração de ouro não cairão! Mas seu Cetro será despedaçado! Os urros contra ele, por parte dos seus, serão ouvidos por todos os ouvidos! Será escarnecido pelos seus próprios “seguidores”, que não o seguem! Seu sangue jorrará em forma de gotas de água que desfigurará seu rosto velho e cansado... É o homem de Deus... Odiado pelos demônios... E homens de aparência santa, servirão de instrumentos para derramar o ódio infernal! Ele não cairá! Mas seu Cetro se estilhaçará!
      De fato, se for dado aos leigos eleger bispos, se mulheres forem feitas sacerdotisas e pasmem – hoje foi o dia de se falar e mulheres ordenadas cardeais (futuras papisas?) espero que esta loucura não aconteça – se os leigos receberem poder de decisão dentro da Igreja, e um poder igual ao dos pastores do rebanho, para que pastores? Ou seja: se não houver unidade de comando, centralidade da doutrina e um líder com a última palavra em matéria de fé, automaticamente você acabará por estilhaçar a Igreja não só em mil cetros, mas em bilhões deles. Haverá uma guerra tão furiosa
, uma disputa tão acirrada como na política civil atual, com todas as maracutaias, conchavos, conluios e traições como as que acontecem nestas “demoniocracias”. Haverá partidos digladiantes dentro da Igreja, eis o caos, eis os cisma, eis a divisão exatamente com quer o anticristo e como planejou Lúcifer.
      Outra obsessão que brota dos cérebros obtusos dos guias cegos diz respeito a questão da ecologia. Não nos é possível entender o motivo pelo qual esta gente não tira esta coisa malsinada da cabeça. Somente a conivência com os arquitetos do mal explica esta sanha. Hoje mesmo chegam as reportagens de que houve uma “freada” no tal de aquecimento global, e acontece aquilo que sempre temos dito: trata-se de um blefe da besta, que visa forçar a humanidade a pagar impostos sobre o clima do planeta! Não existe aquecimento global! Mentira sórdida de que se as geleiras derreterem o mar sobre metros de altura. Ademais, Deus é o Senhor do clima e da matéria! Basta que ele diminua o tamanho normal da molécula da água – sem que os cientistas percebam – isso por pressão, e mesmo que todas as geleiras derretam, se o Criador assim o desejar, os mares ainda baixam de nível.
      A mesma questão se dá em relação a proteção da fauna e da flora. Outro blefe dos malditos condutores da destruição do planeta. Estão aí milhares de inocentes úteis – ou estúpidos inúteis – a ter orgasmos quando nasce um urso panda – um animal em extinção? – ou dispostos a arriscar a vida pela proteção das baleias e outros animais marinhos, ou a preservar ovos de tartaruga, isso enquanto deixam de atirar contra a ganância, este pecado que é a causa mãe de todas as devastações. Assim, enquanto os tolos defendem os recursos naturais a besta prepara planos de se locupletar deles e lucrar. O fato é este: Deus criou todas as coisas, viu que eram todas boas, e deixou ao homem para que administrasse. Mas é somente Ele que mantém a vida e controla os ambientes. Não adianta o homem colocar nos oceanos milhões de tartarugas, porque elas simplesmente vão comer o alimento de outras espécies, que acabam por sucumbir. O homem, neste sentido, só faz colocar remendos novos em tecido podre. Enfim, isso não é coisa para envolver a Igreja, porque nada tem a ver com o Céu.
      Ai, esta eterna arenga de “pobres”, “excluídos”, “marginalizados”, “oprimidos”, este velho discurso comunista da falsa teologia libertadora, outro motivo torpe do aparente inesgotável arsenal do diabo, que visa retirar nossos católicos e suas almas dos caminhos da salvação. Nada disso tem a ver com a Igreja em si, embora tenha a ver sim com os católicos, mas sem envolver a Igreja, que não tem esta missão. Como católicos somos chamados a combater todo tipo de pecado, e a levar a conversão a todos os que se acham mergulhados na senda do mal. Cuidar dos doentes, dos fracos, defender os que são injustiçados, tudo isso é nosso dever de cristãos. Cuidado com os falsos pobres vadios, esta podre massa de manobra! Esta gente nada tem a ver com Deus, nem quer saber Dele. Nossa Igreja não foi fundada por Jesus para ter estas atividades na linha de frente: sua missão única, exclusiva, inarredável é a salvação das almas, é levar as pessoas para a morada eterna, para os braços do Deus Altíssimo.
      Neste sentido, pode o leitor vasculhar os textos desta gente, dos falsos mestres do engano, dos teólogos de satanás, dos doutores do escândalo e da ruína, e perceberá que merecem exatamente estes títulos e até piores, porque nenhum deles escreve condenando o pecado, alertando contra o demônio, lembrando a condenação eterna que é destinada aos que pervertem os caminhos da humanidade. Esta gente não fala sobre os novíssimos, sobre o Céu, Inferno e Purgatório, até porque nega todos eles. O Céu deles deve ser construído aqui! O inferno deles é não ser livre para cometer todo tipo de desatino, sem qualquer sentimento de culpa – em nome da liberdade – e para eles o Purgatório é um conto da carochinha, porque purga
tório é aqui mesmo, na terra.
       Seu deus é o planeta terra, e os animais seus ídolos! Agora mesmo em Aparecida promovem a “bênção dos animais”. Óbvio que os bichos merecem respeito, não aos maus tratos, ao abandono nas ruas, entretanto também o homem deve dar-se ao respeito, especialmente devido à infinita diferença que existe entre um e outro. Homens e mulheres são filhos do Deus Altíssimo, do Criador Supremo, enquanto cachorros são filhos de cadelas, reles e meras criaturas, sem participação alguma no Ser divino. Morrem de desaparecem! Não vimos lá em Aparecida bênçãos especiais aos filhos de Deus que são imortais! Hoje abençoam os animais amanhã os canonizam! Até porque já vemos a polêmica de enterrar os animais junto com seus donos nos cemitérios, ou ter jazigo especial para eles.
      Tudo isso surge da mesma raiz de mal de onde brota esta maldita ideologia, esta catástrofe aberrante. Os homens e mulheres que seguem seus princípios já não sabem o que inventar para cumprir a agenda da liberdade a que se propõem, mal sabendo que terão de enfrentar infinitas barreiras aos seus intentos, porque infinitas também são as diferenças que o Criador imprimiu nas suas criaturas. Mesmo que Deus nos tivesse criado androides, todos absolutamente iguais, e nos dado ambientes absolutamente iguais, posse absolutamente iguais, ainda assim se o vento soprasse onde bem quisesse, e a chuva caísse diferente, jamais haveria igualdade absoluta. Ou seja, como já acima falei, esta liberdade falsa é a mais gritante de todas as utopias. E como “religião” é uma heresia!
      Enfim, esta gente não fala em oração, nem em Maria. Fazem dela antes de uma Corredentora que ela é, num estorvo para sua forma de “evangelizar”. Jamais encontrei um só texto destes autores, enaltecendo a figura de nossa Mãe Santíssima, antes os vemos desmerecendo seus feitos e sua importância capital na história da salvação. E se eventualmente tocam em seu nome, o fazem de uma forma distorcida, minimizada e até deformante da realidade que ela representa. Dizem que Maria atrapalha a evangelização, porque, como dizem os protestantes, jesus basta! Sim, jesus falso e em minúsculo, o falso deus ecumênico, porque Jesus verdadeiro somente unido a Maria. Porque, nem Jesus, nem Maria estão com esta seita perniciosa.
      Por fim, eis uma das mais gritantes formas de demolição da Igreja, que é defendida com todas as letras por esta claque – hoje dominante – e que se chama falso ecumenismo! Jesus sim, quer a união de todos, mas TODOS ao redor Dele, dentro da Igreja Dele, seguindo todos exatamente e somente aquilo e Ele pregou. Qualquer união de todos em torno da mentira será um rebotalho, não uma Igreja. Ora, a Igreja Católica é Mãe, mas somente dos filhos e não dos bastardos. Maria é Mãe de todos os homens, e não madrasta de réprobos. Para que haja a unidade então, aquela pretendida por Jesus e pelo Pai é preciso eliminar de dentro da Igreja, réprobos e bastardos, e vou ser bem claro: eles estão entre os que ocupam altos cargos na Igreja! Expulsem estes, e todos caminharão para Cristo!
      Acompanhemos com preocupação sim, mas com oração confiante, os próximos passos do monstro, ou se poderia dizer, as contorções do verme que está minando a Igreja. Quando as trombetas dos profetas atuais cessarem de troar, terá chegado o tempo da justiça: para réprobos, bastardos, ecologistas e libertadores! (Aarão)

 
 
 

Artigo Visto: 2007 - Impresso: 47 - Enviado: 22

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 382 - Total Visitas Únicas: 3.461.340 Usuários online: 85