Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
04/12/2011
Padre Tarcisio
 
Evangelho - Padre Tarcisio
4/12/2011 10:09:20

Evangelho - Padre Tarcisio


1º Domingo do Advento
Início do Novo Ano Eclesiástico (Ano Litúrgico)
Ciclo do Natal 
  
                                                                                              Rm 13, 11-14
                                                                                              Sl 24, 3-4
                                                                                              Lc  21, 25-33 
  
  
  
Domingo, 27 de Novembro de 2011.
 
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
Meus amados! Hoje temos a graça de iniciarmos o Novo Ano Eclesiástico, conhecido como Ano Litúrgico da Santa Igreja. Este se inicia com o Santo Advento, quando rezamos e nos preparamos para a primeira vinda do Senhor. Advento, palavra grega que significa retorno, vinda, espera... O Advento nos ajuda a preparar os nossos corações, pela penitência, sacrifício e pela oração, para a vinda do Senhor. Obviamente que Jesus já nasceu, em Belém, portanto, Sua primeira vinda já aconteceu, com a Encarnação do Verbo de Deus, no Seu Santo Natal (nascimento). Mas, sabiamente a Igreja celebra, na Sua Santa Liturgia, o Seu Natal, realizando a promessa da Sua segunda vinda, vinda espiritual em cada coração, que se prepara neste tempo propício, para receber o Rei dos reis e o Senhor dos senhores, onde Ele deseja repousar e fazer morada, como fez na Manjedoura, em Belém. Ao proclamarmos esse Mistério, nos preparamos para a Sua terceira vinda, na “parusia” (Seu retorno definitivo), quando Ele virá com todos os anjos e santos, na Sua glória, para julgar todos os povos e Nações, e instaurar definitivamente o Seu Reino de paz. Ele destruirá com o sopro da Sua boca e o poder da Sua vinda, cf. (1 Tess 2, 4), o poder de Satanás (o pecado), sepultando o pecado e a morte para todo o sempre. Portanto, a Santa Igreja celebra as três vindas, como cumprimento da promessa do Senhor.
 
Meus filhos, nós vivemos tempos difíceis, dolorosos – e virão dias piores – no entanto não devemos desanimar, mas como nos fala o Santo Evangelho de hoje, devemos ter confiança e esp
erança no Senhor. “Quando começarem, pois, a cumprir-se estas coisas, olhai e levantai as vossas cabeças, porque está próxima a vossa redenção” (Lc 21, 28 ). Levantar nossas cabeças significa estarmos preparados, com os corações purificados para o encontro com o Senhor. Pois Ele nos dá a graça de revermos nossas vidas, examinarmos nossas consciências e voltarmos para Deus, arrependidos dos nossos numerosos pecados. Para isso a Santa Igreja nos oferece esse tempo de graça – o Santo Advento – uma vez que ele nos prepara para Santo Natal do Senhor. Levantarmos nossas cabeças significa que somos fracos, miseráveis, necessitados da graça de Deus... Como nos diz São João, no Santo Evangelho: “Sem Mim nada podeis fazer” (Jo 15, 5). Por isso nos preparamos, para nos Consagrarmos ao Coração Imaculado de Maria, Mãe de Deus e nossa, especialmente hoje, quando celebramos – no 1º Domingo do Advento – a festa de Nossa Senhora das Graças. O Molde perfeito – como nos diz Santo Agostinho – que forma Deus, em nossos corações, segundo as virtudes do Seu Imaculado Coração, de modo especial a Virtude da Santa Humildade. Foi Ela que trouxe, com o Seu “sim”, a Redenção ao gênero humano, quando o Verbo Eterno de Deus deixou o Seu Trono, a Sua Santa Morada, para assumir nossa fraqueza e habitar no meio de nós, para nos redimir e nos salvar.
 
Meus amados, ao reconhecermos nossa indigência e nos humilharmos diante do Senhor – como fez a humilde escrava – nos dispomos a quebrar o orgulho, a crosta que envolve os nossos corações, o grande muro que nos afasta de Deus e da ação da Sua graça em nós. Pois o satânico lema maçônico: eu posso, eu quero, eu faço, ressoa em muitos corações. O orgulho de satanás, mestre do inferno. Quando, na verdade devemos sempre dizer: Senhor, eu não quero mais querer, mas que o meu querer seja o Vosso querer em mim... Isso se chama abandono. Sim, meus amados, o inimigo das almas, o príncipe das trevas, orgulhoso e pai da mentira, com os seus encantos, deseja nos despojar dos Dons Sobrenaturais, que nos oferece a Santa Igreja, por meio dos Santos Sacramentos. De modo particular o Seu Santíssimo Corpo e Seu Preciossissimo Sangue, como, também, o tribunal da justiça e da Misericórdia - a Santa Confissão. “Deixemo-nos, pois, as obras das trevas, e revistamo-nos das armas da luz” (Rm 13, 12b). A obra das trevas é o pecado que nos afasta de Deus e do Paraíso que Ele nos prometeu. As obras das trevas é o orgulho, a soberba, a vaidade, a auto-suficiência..., todos os vícios que nos cega, e nos impedem de ver a Deus, e respondermos ao Seu chamado, nos convertendo totalmente para Ele. O mundo jaz sobre o jugo do pecado, de modo particular o pecado de impureza, que assola os corações, e arrasta para a lama as nossas crianças, adolescentes e jovens. Apontando um ilusório caminho, com a promessa de falsa felicidade, quando, na verdade, é apenas uma euforia passageira, própria da natureza corrompida pelo pecado de Adão - a concupiscência. Marca e ferida dolorosa, que somente o amor de Deus pode curar. Por isso o Senhor nos convida a irmos ao Seu encontro e repousarmos nossos corações no Seu Coração, pois lá é o lugar da graça. Lá é o lugar onde poderemos restabelecer nossas forças (com o Maná do Céu), para enfrentarmos as grandes provas que nos esperam. Sim, Ele nos chama a conversão sincera do coração. Não tenhamos medo, e corramos para os Seus Braços Misericordiosos.

 
Meus amados é preciso que estejamos vigilantes, em oração e corramos, para subir com “alegria”, ao Altar do Senhor. Lá, uniremos nossas fraquezas, pecados, esperanças, ao Santo Sacrifício de Cristo. Então, os frutos da Santa Missa nos sustentarão nessa longa travessia, e nos ajudarão a seguir Seus caminhos! Que Ele Se compadeça de nós, e nos Alimente com o Maná do Céu, o Remédio da Imortalidade. Que Ele nos ajude a abraçarmos, quotidianamente, seus Santos Mandamentos, tão ridicularizados nos dias de hoje, por esse mundo apóstata e idólatra, indiferente aos apelos do céu. Abracemos Sua Santa Verdade, proclamada em Seu Santo Evangelho, confiada ao Magistério da Santa Igreja e a Sagrada Tradição. Em um mundo onde a verdade é relativizada, precisamos pedir constantemente a graça de Deus, por meio do Santo Rosário da nossa Santíssima Mãe, que nos mantenha fiéis, no meio desse mar de pecado, de rebelião contra Deus e a Sua Verdade. Neste tempo que nos preparamos para o Seu Santo Natal, tantos cultuam o ídolo do inferno, chamado papai-noel (inclusive Cristão Católicos). Um velho barbudo que deseja tomar o lugar de Jesus, no coração das nossas crianças, com o engodo de oferecer-lhes presentes. Quando sabemos que estes (os presentes) são dados pelos seus pais, com o suor dos seus rostos, pela graça que vem de Deus. Quantos deseducam seus filhos, nossos pequenos inocentes, ensinando mentiras, e os privando da graça que Jesus Menino deseja oferecer-lhes, neste Santo Natal. Não nos iludamos, pois satanás é astuto e deseja com suas lisonjas nos arrastar para o inferno. Meus amados é preciso que façamos nossas escolhas... Abracemos nossa fé, com fidelidade, nossa vocação de cristãos Católicos, sem murmurações, ou reclamações, pois o Senhor está ao nosso lado para nos dar força. Sim, é Ele quem nos Alimenta com os Seus Santíssimos Corpo e Sangue, Alma e Divindade, Ele mesmo oferecido a nós, no Altar do Sacrifício.
 
Portanto, assim como acontece na Páscoa, quando a Quaresma precede e prepara nossos corações para vivermos os Mistérios da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor; assim, também, o Tempo do Advento quer preparar e purificar as nossas almas, para o encontro com o Senhor, no Seu Santo Natal! Que aos Pés da Virgem Santíssima – Nossa Senhora das Graças, que hoje, 27 de Novembro celebramos – sejam oferecidos, formados e educados os nossos corações. E assim como em Belém, na Manjedoura, nós possamos acolher o Seu Filho Jesus que virá. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
Pela interseção da Bem-Aventurada e Sempre Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, do Seu Castíssimo Esposo, São José, e São Miguel Arc’Anjo nosso protetor...
 
Abençoe-vos, Deus, Todo Poderoso,
 
Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!
Padre Tarciso Alves Maia Júnior
 
 
 
2º Domingo do Advento
Início do Novo Ano Eclesiástico
“Ciclo do Natal”
 
<
/v:imagedata>

 
 
                                                                                              Rm 15, 4-13
                                                                                              Sl 49, 2-3.5
                                                                                              Mt 11, 2-10
 
 
 
Domingo, 04 de Dezembro de 2011.
 
Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
            Meus amados! Neste 2º Domingo do Advento aguardamos ansiosos a chegada do Menino Deus, no Seu Santo Natal. Portanto, continua para nós o apelo do céu, iniciado no Primeiro Domingo do Advento, para que vivamos, quotidianamente, a conversão dos nossos corações para Deus. A “Jerusalém das nossas almas” prepara-se para acolher o Verbo Eterno de Deus, no Seu Natal.  Aproxima-se a noite em que os Anjos, em couro entoarão: “Glória in ecelsis Deo...”. E toda a Igreja rejubilará, pois um Menino nos foi dado. O júbilo já extasia nossas almas, mas, ainda, vivermos a espera vigilante, em oração, pois é preciso dispor nossos corações, para que Deus, neles seja glorificado, apesar da nossa fraqueza. “O Deus da paciência e da consolação vos conceda uns para com os outros os mesmos sentimentos, segundo Jesus Cristo” (Rm 15, 5).
 
            Sim, nos rejubilamos, pois, enquanto nos preparamos para o Nascimento de Jesus, somos assistidos pela graça do céu e restabelecidos pelo leite espiritual, que emana do seio da Santa Mãe Igreja. Meus amados filhos! Não estamos sozinhos, enquanto peregrinamos até o Presépio de Belém. Nesta peregrinação devemos fazer um exercício da vontade, através da ascese espiritual (subida), tão carente nos dias de hoje. Pois vivemos no mundo do barulho, do “fone de ouvido” e de tantos outros meios eletrônicos, que impedem de ouvirmos a voz do Senhor. Somos convidados a nos abandonarmos nos Seus braços, a desapegarmos dos bens temporais, que tanto nos seduz e nos atrai, pois é ">um dos ídolos mais adorado nos dias de hoje. Eis a inclinação da nossa natureza: satisfazer todos os apetites da carne. Mas, está diante de nós o favor divino, o vigor e a força do Céu, que derrama, como chuva, a graça em nossas almas, para que tenhamos forças de vencer o mundo, a carne e o maligno. Não tenhamos medo – mesmo em tempo tão difíceis – de abraçarmos, com alegria, nossa vocação cristã, de verdadeiros Católicos, que Amam e Adoram a Santíssima Eucaristia, que amam a Virgem Maria, que amam a Santa igreja e todas as verdades de fé que Ela nos ensina. Católicos que desejam subir a escada da santidade, confiantes no auxílio do céu! São João Batista veio preparar o caminho para a vinda do Senhor, por isso pergunta Jesus, no Seu Santo Evangelho: “Que fostes vós ver no deserto?... Mas, o que fostes ver? Um profeta? Sim, vos digo eu, e ainda mais do que um profeta. Porque este é aquele de quem está escrito: Eis que eu envio o meu anjo adiante de ti, o qual preparará o teu caminho diante de ti” (Mt 11, 8ª. 9-10). O caminho que leva ao céu passa pelo deserto, e é preciso passar por ele, meus amados..., pelo deserto dos nossos corações, purificados de todos os pecados, para receber o Rei dos reis que virá.
 
            Meus amados! O leite espiritual ao qual me refiro é o Alimento celeste, o Maná do céu, confiado a Santa Igreja e ao seu Magistério. Pois Ela nos ensina a seguir as pegadas do Divino Mestre e Senhor. Alimento que supre nossa indigência, que nos restitui a graça santificante, aquela que o pecado nos roubou. Por ventura não embelezam nossas almas as águas regeneradoras do Santo Batismo, purificando a lepra do pecado que há em nós? Não nos restitui a vida Divina e nos cura com o remédio salutar o Corpo e o Sangue do Menino Deus, imolado no Altar? Os nossos olhos podem ver a salvação que vem do nosso Deus! Daquele que nasce na Manjedoura, e morre no Patíbulo da “”, é oferecida a Redenção a todo o gênero humano; a todos que acolhe, em seu coração, esse Mistério. Os profetas – como São João Batista – anunciaram essa alegria, e nós, hoje, temos a graça de celebrarmos, na liturgia, o desejo de abraçarmos o Dom do céu, aqui e na Eternidade. “Ide e contai a João o que ouvistes e vistes. Os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são limpos, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, os pobres são evangelizados. E bem-aventurado aquele que não encontrar em mim motivo de escândalo” (Mt 11, 4-6 ).
 
            Vivemos tempos difíceis, e a Santa Igreja sofre seu último combate pelas almas. As forças ocultas e malignas tentam suprimir o que de mais precioso Deus nos concedeu, por meio da Santa Igreja – o Dom da fé. O mundo rebelde rejeita a verdade, e tantos corações trilham o caminho das fábulas, afastando-se de Deus e do Seu amor. Hoje vivemos uma batalha espiritual, onde o alvo são as almas criadas à imagem e semelhança do Altíssimo. É preciso recolher nossos corações, diante de Jesus, dobrar nossos joelhos na Sua presença, e O adorarmos. É preciso pedir o dom do discernimento, para não nos deixarmos seduzir pelas insídias de satanás, que espalha seu veneno mortífero, do ocultismo em todo tipo de seitas satânicas, que desejam arrastar as almas para o seu reino de trevas. E as maiores vítimas, as mais vulneráveis são as nossas crianças e os nossos jovens. Amados, não podemos fechar os nossos olhos e fingirmos que está tudo muito bem, porque na verdade não está! Pois a angústia, o desespero, a depressão, todo tipo de violência, e tantos outros males morais e espirituais assolam a vida e
o coração das famílias, que jaz sobre o túmulo da indiferença. Por isso que a cada dia estamos mais fracos, e mais vulneráveis a ação do maligno. Pois não rezamos mais, não nos reunimos mais em volta da Imagem da nossa Mãezinha, para invocarmos Seu auxílio e a Sua graça, com o Santo Terço, com o Santo Rosário. Meus filhos, o Santo Advento nos convida a oração, a nos prepararmos...
 
Vigiemos, pois, e intensifiquemos nossas preces. Pois neste mundo materialista e consumista, o Natal – que é uma Festa Santa – tornou-se, para muitos, um meio de comércio, de bebedeiras, de orgias, de festanças mundanas, e outras mais... Onde está, então, o espírito do Natal, a celebração do nascimento do Deus Menino? Profanamos a Festa Santa e colocamos no lugar de Jesus - o Santo – o ídolo ridículo, chamado papai-noel. Como nos diz São João: “... o machado já está posto a raiz das árvores”. Intensifiquemos nossas orações, silenciemos nossos corações, na contemplação das Sagradas Letras e dos Santos Mistérios.  Pois, no recolhimento de nossas almas virá o Menino Deus, e nela fará Sua morada. Que a graça do Coração da nossa Mãe prepare os nossos corações, para o abraço do Seu Filho amado, voltando nossos corações, convertidos, para recebermos este presente do céu. Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para Sempre seja louvado e nossa Mãe Maria Santíssima. Salve!
 
 
Pela interseção da Bem-Aventurada e Sempre Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, do Seu Castíssimo Esposo, São José, e São Miguel Arc’Anjo nosso protetor...
 
Abençoe-vos, Deus, Todo Poderoso,
 
Pai, Filho e Espírito Santo. Amém!
Padre Tarciso Alves Maia Júnior
 
 
 Ação de Graças depois do Santo Sacrifício:
 
Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é Convosco, bendita sois Vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do Vosso ventre, Jesus. Santa Maria Mãe de Deus rogai por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém! (3 vezes).
 
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida doçura, esperança nossa, salve. A vós bradamos degredados filhos de Eva. A Vós suspiramos, gemendo, chorando, nesse vale de lágrimas. Eia pôs, advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei. E depois desse desterro, mostrai-nos Jesus. Bendito é o fruto do Vosso Ventre, ó clemente, ó piedosa, ó doce e sempre Virgem Maria.
 
S. Rogai por nós Santa Mãe De Deus.
R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém.
 
São Miguel Arcanjo defendei-nos no combate, sede nosso refúgio contra as maldades e as ciladas do demônio. Ordena-lhe Deus, instantemente vos pedimos, vós, príncipe da Milícia Celeste, pela Virtude Divina precipitai no inferno a satanás e a todos os espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas. Assim seja.
 
S. Sacratíssimo Coração de Jesus. (3 vezes)
R. Tende piedade de nós!
 
Alma de Cristo – santificai-me.
Corpo de Cristo – salvai-me.
Sangue de Cristo – inebriai-me.
l">Água do lado de Cristo – lavai-me.
Paixão de Cristo – confortai-me.
Ó Bom Jesus – ouvi-me.
Dentro de vossas chagas – escondei-me.
Não permitais – que eu me separe de Vós.
Do espírito maligno – defendei-me.
Na hora da morte – chamai-me, e mandai-me ir para Vós, para que com os Vossos anjos, Vos louve pelos séculos dos séculos. Amem!
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 

Artigo Visto: 2053 - Impresso: 24 - Enviado: 20

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 621 - Total Visitas Únicas: 3.222.151 Usuários online: 67