Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
08/01/2007
Viva esperança
 
Biblia - 18 Viva esperança
Biblias - 18 Viva esperança

2070104 VIVA ESPERANÇA
 
     Muitas vezes o leitor há de pensar que me comprazo em apresentar situações futuras de dificuldade, porque alguns textos são realmente muito pesados. Entretanto, eu me baseio na parte das Escrituras, que reservam para nosso tempo, exatamente aquela mais difícil e dolorosa. Dizem os estudiosos que a Bíblia contém em torno de 300 versículos que tratam do final dos tempos, mas eu acredito que devem ser até mais, pois muitos são correlatos. Quando você apresenta uma situação, outra a completa. Veremos isso!
 
     Pensando nesta dificuldade, noutro dia pensei: não haverá formas de dar esperanças aos leitores, ao invés de apenas situações arrepiantes? Óbvio que sim, pois é como numa tempestade: por mais tenebrosa que seja, depois dela vem o sol; depois do furacão vem a brisa; depois do calor vem a suavidade do clima. Por outro lado, muitas vezes agimos com medo de tudo e é como numa tempestade de raios e trovões. Então vem o relâmpago e ilumina a noite, e atrás dele o ribombo ensurdecedor. Na verdade as pessoas têm medo do trovão, que é inofensivo, pois quem o escuta, ainda está vivo. Quando perigoso é o raio!
 
     E o que temos feito sempre, é alertar para os raios – que vem antes – porque quem estiver preparado para eles, depois escutará os ribombos sem medo. Deus estará com quem estiver preparado! Com as “virgens prudentes”, que à chegada do “noivo” estiverem com as suas lâmpadas cheias de azeite e ainda uma boa reserva. Ou seja, para si e para os familiares, a maioria incauta, que dorme e ronca, enquanto no horizonte do mundo as trevas assomam, e trazem para este ano de 2007 maus presságios. Ainda ontem se noticiava que um pregador protestante americano, disse ter escutado de Jesus que este ano terminará em sangue. Bem, se até os protestantes já ouvem mensagens de Jesus – até os filhos de Maomé estão ouvindo – que falta para acordar os corações católicos?
 
     Assim, pedindo uma palavra que mostrasse sim a justiça divina, a ira de Deus, mas também a misericórdia que virá depois senti que deveria falar sobre o capítulo 65 de Isaías. Nele está uma verdadeira pérola de esperança, que nos abre a pontinha do véu do porvir, daquilo que seguirá ao dilúvio de fogo. Porque, antes de vir a Nova terra, como está dito em Miquéias 7, 13 A terra tornar-se-á um deserto, por causa de seus habitantes: tal será o fruto de suas obras. Na realidade tudo virá porque o homem faz pouco caso dos sinais e avisos que o Céu nos envia, pois perdeu o Temor do Senhor, fonte da Sabedoria. Assim, basta seguir os indicativos das Escrituras, e veremos brotar viva esperança de que tudo será fantástico depois da tormenta. Um versículo se encadeia no outro. Vejamos!
 
     Por isso diz o Senhor em Isaías 65, 1 Mantive-me à disposição das pessoas que não me consultavam, ofereci-me àqueles que não me procuravam. Eis-me aqui, eis-me aqui, dizia eu a um povo que não invocava meu nome... Porque há falsidade no coração humano, e há desprezo pelos avisos. Zombam e escarnecem os povos, enquanto se esgota o tempo da misericórdia. São frios, porque são vazios! Pois o Senhor nos fala por Jeremias 12, 2 Vós os plantastes, e eles criam raízes, crescem e frutificam. Permaneceis em seus lábios; longe, porém, dos corações. Is, 29, 13 O Senhor disse: Esse povo vem a mim apenas co
m palavras e me honra só com os lábios, enquanto seu coração está longe de mim e o temor que ele me testemunha é convencional e rotineiro...
Há muita gente dizendo que reza, mas vive com o coração distante de Deus. Se vivesse perto, entenderia os sinais.
 
2 Estendia constantemente as mãos a uma nação indócil e rebelde, que seguia o mau caminho de acordo com suas inclinações;... e em 29, 10 Porque o Senhor espalhou sobre vós um espírito de torpor, fechou vossos olhos e cobriu vossas cabeças. Mas não é culpa de Deus, antes culpa dos povos obstinados no mal contra quem brada Ezequiel, 12, 2 filho do homem, habitas em meio de uma casta de recalcitrantes, de gente que tem olhos para ver e não vê nada, ouvidos para escutar, a nada ouve; é uma raça de recalcitrantes. Como acordar um povo que dorme, porque vive com os olhos voltados para a terra?
 
     3 Há pessoas que não cessam de provocar-me diretamente, que sacrificam nos jardins, e queimam perfumes em cima de tijolos, 4 que se instalam nos túmulos, e passam a noite em antros, que comem carne de porco, e guarnecem seus pratos de alimentos imundos; 5 Mantêm-te à distância, dizem eles, não me toques, porque eu te santificaria. Tudo isso me enche as narinas da fumaça, de um fogo que queima sempre. Ou seja: não rezo para não me tornar santo! Por isso novamente se levanta a voz de Ezequiel, 38, 18 Naquele dia futuro.... o furor me subirá ao nariz. 19 Na explosão de meu ciúme e na exasperação de minha raiva, eu o afirmo, naquele dia, eu o juro, haverá terrível abalo na terra de Israel. Jamais, em todos os tempos, a terra foi povoada por um povo tão provocador.
 
     6 Pois bem, eis a decisão que tomei: não me calarei enquanto não os fizer expiar 7 suas iniqüidades e as de seus pais, que queimavam o incenso nas montanhas, e me ultrajavam nas colinas. Vou calcular o salário deles, e lançá-lo em seu próprio seio. É pesada a conta de todos aqueles que desafiam a Deus, ai deles se não existissem as almas reparadoras, que aplacam a ira de Deus! Porque para os rebeldes está dito em Apocalipse 18, 6 Faze com ela o que fez (contigo), e retribui-lhe o dobro de seus malefícios; na taça que ela deu de beber, dá-lhe o dobro. 7 Na mesma proporção em que fez ostentação de luxo, dá-lhe em tormentos e prantos.... 8 Por isso, num só dia virão sobre ela as pragas: morte, pranto, fome. Tudo isso virá antes, e virá em dobro! Sim, para as virgens imprudentes!
 
     8 Eis o que diz o Senhor: quando se encontra sumo num cacho de uvas, diz-se: Não o destruam, há aí uma bênção. Assim, por amor a meus servos, em lugar de destruir tudo, 9 tirarei de Jacó uma raça, e de Judá um herdeiro de minhas montanhas; meus eleitos as possuirão, e meus servos aí viverão. Abranda-se o coração de Deus, porque vê o esforço de alguns de seus servos. Sorte de quem foi convidado para a luta e aceitou enfrentar as espadas. Pois bem diz Isaías, 61 7 le="mso-bidi-font-style: normal">Já que tiveram parte dupla de vergonha e tiveram como quinhão opróbrios e escarros, receberão em sua terra parte dupla de herança, e a alegria deles será eterna. 8 Porque eu, o Senhor, amo a equidade, e detesto o fruto da rapina; por isso vou dar-lhes fielmente sua recompensa, e concluir com eles uma aliança eterna.
 
     10 Saron servirá de pastagem ao rebanho miúdo, e no vale de Acor espojar-se-ão os bois (para o povo que me tiver procurado). 11 Quanto a vós, desertores do Senhor, que haveis esquecido meu monte santo, ., 12 à espada eu vos destino; todos vós vos curvareis para serdes degolados, porque quando eu chamava, não respondíeis; quando falava, vos fazíeis de surdos; praticáveis o que eu acho ruim, e escolhíeis o que me desagrada. Por isso o profeta avisa no capítulo 29,5 A multidão de teus inimigos será como a poeira fina; a multidão de teus soldados será como a palha, que voa, pois, de repente, 6 serás visitada pelo Senhor dos exércitos com forte trovão, tremor de terra e estrondos, tempestade, furacão e chamas de fogo devorador.
 
     13 Portanto, eis o que diz o Senhor Deus: meus servos comerão e vós tereis fome, meus servos beberão e vós tereis sede, meus servos se rejubilarão e vós ficareis envergonhados, 14 meus servos cantarão na alegria de seu coração, e vós vos lamentareis com o coração angustiado, rugireis com a alma em desespero. Eis que o Senhor tem pena de seu povo que chora e diz pelo mesmo profeta em 29 15 Porque eis o que diz o Altíssimo, cuja morada é eterna e o nome santo.... 16 Realmente, não desejo controvérsias sem fim, nem persistir no descontentamento, senão o espírito desfalecerá diante de mim, assim como as almas que criei. 17 Por causa do crime de meu povo me irritei um momento; feri-o, dando-lhe as costas na minha indignação, enquanto o rebelde agia segundo sua fantasia.
 
     15 Vosso nome ficará como um termo de maldição entre meus eleitos: (Que o Senhor Deus te faça morrer!) enquanto meus servos receberão um novo nome. Não restam dúvidas de que haverá dor para uns e alegrias para outros, porque o Senhor é justo! É amável para aqueles que O temem, e terrível de guerra para os que O desafiam. Os que hoje sofrem os ultrajes da plebe ignara serão consolados, os que zombam e fazem pouco caso sofrerão as dores de sua loucura. Por isso Ele avisa por Isaías 57, 18 Vi sua conduta, disse o Senhor, e o curarei. Vou guiá-lo e consolá-lo, 19 vou fazer assomar aos lábios dos aflitos a ação de graças. Paz, paz àquele que está longe e àquele que está perto. 20 Mas os ímpios são como um mar encapelado, que não pode acalmar-se, cujas ondas revolvem lodo e lama. Não há paz para os ímpios, diz meu Deus.  
 
     Depois de tantas tribulações, estamos agora chegando no mundo prometido aos que amam a Deus, aos humildes, aos pequenos, aos que adoram, aos que têm fé, e a todos os que amam e ac
eitam livremente viver em santidade. Se terá passado então a primeira condição – a condição do pecado – para a da vida plena em Deus. Algo fantástico, incrível e tão assombroso, que nenhum olho humano viu, nem mente discerniu aquilo que Deus tem preparado para aqueles que se mantiverem fiéis até o fim. Os versos que seguem, até o final deste capítulo, não precisariam de explicação, entretanto não me furtaria ao prazer de mostrar alguns tópicos deste tempo de paz, nossa vida futura com Deus, aqui! Pois...
 
     16 Aquele que desejar ser abençoado na terra desejará sê-lo pelo Deus fiel, e aquele que jurar na terra, jurará pelo Deus fiel, porque as desgraças de outrora serão esquecidas, já não lhes volverão ao espírito. 17 Pois eu vou criar novos céus, e uma nova terra; o passado já não será lembrado, já não volverá ao espírito. Imagine podermos esquecer, de um momento para outro, tono nosso passado de dor e de sofrimento. Tudo de mau que nos aconteceu e ao redor de nós. Tudo de ruim sobre o qual ouvimos falar, ou que fizemos, pois nossa conta deverá estar então plenamente saldada, eis que receberemos um corpo – ainda visível aos olhos humanos naturais – mas de carne espiritualizada, leve, fantástico. De início, nem todos os receberão, e aqueles que ainda tem purgatório a pagar continuarão com seus corpos antigos, pesados. Mas isso logo cessará!
 
     18 mas será experimentada a alegria e a felicidade eterna daquilo que vou criar. Pois vou criar uma Jerusalém destinada à alegria, e seu povo ao júbilo; 19 Jerusalém me alegrará, e meu povo me rejubilará; doravante já não se ouvirá aí o ruído de soluços nem de gritos. Imagine um tempo de felicidade permanente, de todas as pessoas indistintamente, com nenhum tipo de sofrimento que os possa fazer chorar, seja por qual for o motivo. Só isso já seria motivo de vivermos de joelhos, agradecendo por tamanha dádiva. Mas era este o nosso destino inicial, Com Adão e Eva, que nos foi tolhido em vista do pecado. Como não haverá mais pecado grave na terra, e a mínima falha será corrigida de imediato e com profunda dor, a terra inteira se transformará aos poucos num paraíso.
 
     20 Já não morrerá aí nenhum menino, nem ancião que não haja completado seus dias; será ainda jovem o que morrer aos cem anos: não atingir cem anos será uma maldição. 21 Serão construídas casas onde habitarão, serão plantadas vinhas cujos frutos comerão. Eis a volta dos tempos de Matusalém, que viveu 964 anos. Os homens futuros poderão até passar deste tempo de vida, pois serão como carvalhos frondosos, guardando a força até a chegada do seu tempo. E a morte não terá sentido de morte como hoje, com tristeza, e sim de alegria porque junto ao eterno é ainda melhor. E por aqui serão construídas novas casas, novas instalações, diferentes, nada com a parafernália de hoje, pois tudo será bem natural, sem armazenamentos nem depósitos de comida para a exploração e o lucro.
 
22 Não mais se construirá para que outro se instale; não mais se plantará para que outro se alimente. Os filhos de meu povo durarão tanto quanto as árvores, e meus eleitos gozarão do trabalho de suas mãos. Como disse, tudo será de todos. A natureza, pródiga como nunca, dará frutos o ano inteiro, sem tempos nem estações. Haverá fartura de novas e fantásticas frutas, extremamente nutritivas, e o trabalho para produzir isso não será cansativo nem de exploração. O trabalho será um deleite, uma ocupação singela e santa,
que dará prazer, em especial voltado à terra e seus cuidados, com jardins e flores. Não haverá empregados nem empregadores, pois todos terão de tudo, em partilha universal, falando todos, o idioma do amor e vivendo nele. Porque então o Senhor fará desaparecer a morte para sempre. O Senhor Deus enxugará as lágrimas de todas as faces e tirará de toda a terra o opróbrio que pesa sobre o seu povo, porque o Senhor o disse (Is 25, 8).
 
     23 Não trabalharão mais em vão, não darão mais à luz filhos votados a uma morte repentina, porque serão a raça abençoada pelo Senhor, eles e seus descendentes. Não mais luta desesperada atrás do dinheiro, que não mais existirá, nem ouro como moeda ou parâmetro de troca. Nunca mais haverá abortos, nem crianças morrendo na tenra idade, pois a santidade dos pais gerará filhos sadios e santos; todos perfeitos, todos lindos, eis que chegamos aos tempos dos verdadeiros filhos e filhas de Deus, na semelhança Dele, porque em Seu Amor. As mães voltarão a ter filhos sem dor no parto, e as crianças não mais passarão pela dor do parto. As famílias viverão mergulhadas na ternura e no amor, no respeito mútuo, no diálogo carinhoso, coração a coração. E assim será pelas gerações futuras, até o interromper dos milênios, até o tempo em que Deus quiser.
 
     24 Antes mesmo que me chamem, eu lhes responderei; estarão ainda falando e já serão atendidos. Deus estará em nosso meio. Jesus e Maria, em especial nos primeiros anos, e depois em aparições constantes, estarão no meio das famílias, partilharão com elas as alegrias e trarão mais alegrias e mais bênçãos. As pessoas, entretanto não serão exigentes e nem quererão, e se pedirem a Deus alguma coisa, pedirão o possível e serão atendidas até no impossível. O próprio Deus “estará no meio deles e os servirá”, porque é Pai, e Pai que ama, que sempre amou, e sempre quis que os homens vivessem assim, como filhos De seu terno Amor, em doces eflúvios de ternura e afeto. Os homens participarão assim da criação, não como estáticos observadores, mas como participantes ativos. Porque nada ficará escondido, eis que o homem receberá de volta a inteligência e o dom da sabedoria infusa. Naquele tempo os corações falarão mais que as bocas, eis o tempo dos santos,
 
     25 O lobo e o cordeiro pastarão juntos, o leão, como um boi, se alimentará de palha, e a serpente comerá terra. Nenhum mal nem desordem alguma será cometida, em todo o meu monte santo, diz o Senhor. As relações dos homens com os animais se irão modificar ao extremo e até aqueles mudarão seus estilos. Os animais carnívoros se alimentarão de plantas, a serpentes frutos. Deus Criador tem poder de alterar tudo isso, num gesto simples de sua vontade, dando a cada um o meio ambiente perfeito para que viva bem, sem necessidade que um mate o outro para dele se alimentar. Os animais serão amigos dos homens, e não fugirão espantados à sua vista como hoje, nem os molestarão, nem mesmo os pequeninos, pulgas, percevejos e sequer bactérias. Santos, de corpos santos, serão propriedade de Deus, e nada de mal lhes acontecerá.
 
     Eis então alguma das maravilhas que nos anunciou Isaías. Mas outros profetas também nos trouxeram indicativos deste tempo, onde as crianças nascerão sabendo das coisas, nem precisarão aprender, pois assim diz Jeremias 31, 33
Eis a aliança que, então, farei com a casa de Israel - oráculo do Senhor: Incutir-lhe-ei a minha lei; gravá-la-ei em seu coração. Serei o seu Deus e Israel será o meu povo. 34 Então, ninguém terá encargo de instruir seu próximo ou irmão, dizendo: Aprende a conhecer o Senhor, porque todos me conhecerão, grandes e pequenos - oráculo do Senhor -, pois a todos perdoarei as faltas, sem guardar nenhuma lembrança de seus pecados.
Naturalmente, a Lei de Deus estará para sempre gravada – e profundamente – na alma humana, para que o homem jamais esqueça do quanto ofendeu a Deus um dia. Deus, porém nos perdoará e esquecerá tudo, porque quer que Seu Amor reine triunfante e para sempre.
 
     Ou como clama o Senhor em Isaías 66, 10 Regozijai-vos com Jerusalém e encontrai aí a vossa alegria, vós todos que a amais; com ela ficai cheios de alegria, vós todos que estais de luto, 11 a fim de vos amamentar à saciedade em seu seio que consola, a fim de que sugueis com delícias seus peitos generosos. 12 Pois eis o que diz o Senhor: vou fazer a paz correr para ela como um rio, e como uma torrente transbordante a opulência das nações. Seus filhinhos serão carregados ao colo, e acariciados no regaço. 13 Como uma criança que a mãe consola, sereis consolados em Jerusalém. 14 Com essa visão vossos corações pulsarão de alegria, e vossos membros se fortalecerão como plantas.
 
     Isso significa uma radical transformação dos vivos. Todos aqueles que forem deixados para o início da Nova Terra, quando receberem seus corpos espiritualizados florescerão como plantas, e voltarão ao auge de sua idade, mesmo que estejam com 100 anos. Como canta em júbilo o profeta Ezequiel em 37, 8 Prestando atenção, vi que se formavam sobre eles músculos, que nascia neles carne e que uma pele os recobria. Todavia, não tinham espírito. 9 Profetiza ao espírito, disse-me o Senhor, profetiza, filho do homem, e dirige-te ao espírito: eis o que diz o Senhor Javé: vem, espírito, dos quatro cantos do céu, sopra sobre esses mortos para que revivam. E já não haverá mortos vivos como hoje, mas somente gente sadia e vigorosa, como rebentos renovados pelo Espírito Santo.
 
     A nossa libertação é próxima e certa, pois os sinais despontam como brotos ao chegar da primavera. Por isso diz o Senhor em Isaías 51, 3 porque o Senhor vai ter piedade de Sião, e reparar todas as suas ruínas. Do deserto em que ela se tornou ele fará um Éden, e da sua estepe um jardim do Senhor. Aí encontrar-se-ão o prazer e a alegria, os cânticos de louvor e as melodias da música. 4 Povos, escutai bem! Nações, prestai-me atenção! Pois é de mim que emanará a doutrina e a verdadeira religião que será a luz dos povos. 5 De repente minha justiça chegará, minha salvação vai aparecer... Todos estes versos são para hoje, e cantam para nossos dias. Muitas gerações passaram antes da nossa e viveram na esperança deste tempo. Mas a nossa é a geração dos últimos dias, aquela que não passará sem que todas estas coisas aconteçam. Jesus nos garantiu isso!
 
     Por isso, não devemos guardar o medo em nossos corações, antes devemos nos alegrar pois se cumprirá sem dúvida o que está dito em Joel 2, Não temas, terra, estremece de alegria e de júbilo, porque o Senhor fez grandes coisas. 22 Não temais, animais dos campos, porque as pastagens do deserto reverdecerão, as árvores darão seu fruto, a figueira e a vinha produzirão abundantemente. 23 Alegrai-vos, filhos de Sião, e reju
bilai no Senhor, vosso Deus, porque ele vos dá as chuvas do outono no tempo oportuno, e faz cair chuvas copiosas sobre vós, as chuvas do outono e da primavera, como dantes. 24 As eiras se encherão de trigo, os lagares transbordarão de vinho e de óleo novo.
Toda a terra, antes devastada pelas guerras, pelas contaminações venenosas, pela imundícia humana, será totalmente limpa, e haverá fartura de tudo, e para todos sem exceção.
 
     Porque ninguém mais passará fome, nem sede, porque as estações se sucederão como um relógio e as chuvas mansas irrigarão até mesmo os desertos. Toda a terra aos poucos se transformará num jardim fecundo, para deleite dos filhos do Altíssimo e a Glória Daquele que tudo Criou em perfeição. Será um tempo de glorificação de Deus, pois está dito em Isaías 12, 1 E dirás naquele tempo: Eu vos rendo graças, Senhor, porque vos irritastes; vossa cólera se aplacou e vós me consolastes. 2 Eis o Deus que me salva, tenho confiança e nada temo, porque minha força e meu canto é o Senhor, e ele foi o meu salvador. 3 Vós tirareis com alegria água das fontes da salvação, 4 e direis naquele tempo: Louvai ao Senhor, invocai o seu nome, fazei que suas obras sejam conhecidas entre os povos; proclamai que seu nome é sublime. 5 Cantai ao Senhor, porque ele fez maravilhas, e que isto seja conhecido por toda a terra. 6 Exultai de gozo e alegria, habitantes de Sião, porque é grande no meio de vós o Santo de Israel.
 
     Porque é certo que o Senhor se zangou conosco por algum tempo, mas como Seu Amor não tem limites ele mesmo clama por Isaías 26, 19 Que os vossos mortos revivam! Que seus cadáveres ressuscitem! Que despertem e cantem aqueles que jazem sepultos, porque vosso orvalho é um orvalho de luz e a terra restituirá o dia às sombras. 20 Vai, povo meu, entra nos teus quartos, fecha atrás de ti as portas. Esconde-te por alguns instantes até que a cólera passe, 21 porque o Senhor vai sair de sua morada para punir os crimes dos habitantes da terra; porque a terra fará brotar o sangue que ela bebeu, e não ocultará mais os corpos dos assassinados. Sim, principalmente os assassinados pelo aborto, o mais vil de todos os crimes. Seu sangue clama vingança, pois deu poder a satanás!
 
     Mas nós sentimos que o tempo da zanga de Deus será curto, e durará, como está em Isaías em 32 15 Até que sobre nós se derrame o espírito do alto, então o deserto se mudará em vergel, e o vergel tomará o aspecto de uma floresta; 16 no deserto reinará o direito, e a justiça residirá no vergel. 17 A justiça produzirá a paz e o direito assegurará a tranqüilidade; 18 meu povo habitará em mansão serena, em moradas seguras, em abrigos tranqüilos. 19 (A floresta será abatida e a cidade, humilhada). 20 Bem-aventurados sereis por semear à margem de todos os cursos de água, e por deixar o boi e o asno sem peias. Com certeza desaparecerão todas as grandes cidades da terra, sem exceção alguma. O povo que restar, viverá no máximo em aldeias, em tranqüilidade plena, porque nunca mais haverá bandidos, ladrões nem exploradores na terra.
 
     Eis o motivo pelo qual o Senhor continua nos animando por Isaías 35, 1 O deserto e a terra árida regozijar-se-ão. A estepe vai alegrar-se e florir. Como o lírio 2 ela florirá, exultará de júbilo e gritará de alegria. A glória do Líbano lhe será dada, o esplendor do Carmelo e de Saron
; será vista a glória do Senhor e a magnificência do nosso Deus. 3 Fortificai as mãos desfalecidas, robustecei os joelhos vacilantes. 4 Dizei àqueles que têm o coração perturbado: Tomai ânimo, não temais! Eis o vosso Deus! Ele vem executar a vingança. Eis que chega a retribuição de Deus: ele mesmo vem salvar-vos.
Sim, a salvação virá da parte de Deus e ela se dará no tempo oportuno. Milhares dos que vivem hoje o amor, passarão incólumes pela tormenta! Mas quando tudo tiver passado, o profeta continua...
 
     5 Então se abrirão os olhos do cego. E se desimpedirão os ouvidos dos surdos; 6 então o coxo saltará como um cervo, e a língua do mudo dará gritos alegres. Porque águas jorrarão no deserto e torrentes, na estepe. 7 A terra queimada se converterá num lago, e a região da sede, em fontes. No covil dos chacais crescerão caniços e papiros. 8 E haverá uma vereda pura, que se chamará o caminho santo; nenhum ser impuro passará por ele, e os insensatos não rondarão por ali. 9 Nele não se encontrará leão, nenhum animal feroz transitará por ele; mas por ali caminharão os remidos, 10 por ali voltarão aqueles que o Senhor tiver libertado. Eles chegarão a Sião com cânticos de triunfo, e uma alegria eterna coroará sua cabeça; a alegria e o gozo possuí-los-ão; a tristeza e os queixumes fugirão.
 
     De fato, como haver tristezas e queixumes num mundo sem dor, nem doença, nem tribulação? A sem angustia, sem guerras, bombas, armas e exércitos? Num lugar onde a vida flui com mansidão, pois como está em Ezequiel 47, 12 Ao longo da torrente, em cada uma de suas margens, crescerão árvores frutíferas de toda espécie, e sua folhagem não murchará, e não cessarão jamais de dar frutos: todos os meses frutos novos, porque essas águas vêm do santuário. Seus frutos serão comestíveis e suas folhas servirão de remédio.
 
     Será um povo de oração, pois diz Zacarias em 14 16 Os que restarem de todas as nações que tiverem atacado Jerusalém virão todos os anos adorar o rei, Senhor dos exércitos, e celebrar a festa dos Tabernáculos. Porque, como diz Joel 2, 27 Sabereis então que estou no meio de Israel, que sou o Senhor, vosso Deus, e que não há outro. E jamais meu povo será confundido.  
 
     Está tudo na Bíblia, só não vê quem não quer! Só não se prepara quem é teimoso. Só tem medo, quem não lê a Palavra de Deus!... E não reza!... E não busca o confessionário!
 
Arnaldo


 
 
 

Artigo Visto: 1603 - Impresso: 32 - Enviado: 7

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 621 - Total Visitas Únicas: 3.222.151 Usuários online: 68