Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
22/11/2016
Deves publicar
Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro.
 

Deves Publicar!

(Esta foi a ordem que recebi de nossa Mãezinha, depois que coloquei este sonho que segue).

Foi no dia 04/10/2016, ao amanhecer, ao final de um sono longo e reparador.

Entrávamos numa grande catedral, Dulce minha esposa e eu, convidados que fôramos para um “encontro de orações” e na entrada passamos pelo pároco da Catedral, que escrevia alguma coisa num livro. Então, ele era representado pelo falecido Padre Irmundo, conhecido nosso e muito amigo. Eu o questionei sobre algumas coisas, ele apenas ficou vermelho – como sempre ficava quando eu o colocava contra a parede por algum erro que cometia – engasgou e não soube me responder. Mas no momento não soube o que lhe disse, só mais tarde entendi.

Fomos então aos fundos da catedral, numa grande sacristia, onde se reuniam todos os padres da diocese, com os bispos, o titular e os eméritos. Alguns rostos eram de padres bem conhecidos, de outros eu via apenas os vultos, os chamados "padres sem rosto". Quando chegamos havia apenas uns poucos padres, e então o bispo emérito Dom X, quando me viu, me entregou um livro disse: Ah! Arnaldo, tenho este livro para ti ler. 

Eu o aceitei com carinho, embora no coração soubesse que era uma bomba – porque ele é ligado à teologia da libertação e do qual nossa Mãe disse “meio bom e meio ruim” – e lhe disse: Sim, eu prometo ler e depois comentar. Eu lhe escrevo.

Abri então a primeira página e havia ali apenas os indicativos da edição o ISBN e coisas assim. Fechei então o livro e o coloquei numa floreira, para buscar depois, porque iam chegando os padres e eu queria pedir a benção e mesmo beijar as mãos de cada um deles, por causa da grande bênção que então se recebe. Alguns aceitavam, outros meio que na marra, e um deles se negou terminantemente, retirando a mão com violência.  Este padre está muito mal na alma. Interessante é que, aos olhos do espírito, eu via a alma de cada um deles, e os sentia, pelo toque e pelo beijo, e percebi o imenso vazio de praticamente todos eles, inclusive dos Bispos. Corações frios, almas vazias! Mortos vivos, sorrindo...

De todos os padres apenas um havia se colocado numa espécie de confessionário, com paredes de vidro, e as pessoas o vinham procurar, ávidas, para se confessar. Era um atropelo na frente da porta, embora que aquela reunião era apenas para rezar. Havia neste momento chegado muita gente, a sacristia já estava abarrotada de pessoas e padres, todos eles paramentados, conversando futilidades e rindo.

Naquele burburinho, eu peguei o tal livro, sentei numa cadeira e comecei a folhear, querendo ler. Mas, absurdo, dentro era tudo confuso, sujo, rasgado, fora da bitola. As letras eram ora grandes, ora pequenas, escritas de cabeça para baixo, de trás para frente, também de viés, e na medida em que eu abria as páginas já não eram mais retangulares de material bom e bem dimensionado - retangular, - mas parecia ser recortes de jornal sujo, grampeados ao meio. Para “enfeite do bolo”, na página central, no grampo de baixo estava preso um macinho enrolado de papel higiênico, como a indicar para o “que”, este livro servia. E então já não era um livro, mas um conjunto de retalhos horrível, todo esgarçado e sujo, imprestável tanto no material, quanto no conteúdo.

Neste momento chegou-se Dom X, viu que eu estava lendo o livro e vendo aquele horror em minhas mãos ele me disse: mas este não é o livro que eu te dei! Eu respondi: é sim, veja a capa é bem este. De fato, belo por fora, sujo por dentro. Então ele saiu procurando, esquadrinhando tudo em busca do livro e eu mesmo o ajudei a procurar, porque poderia ser outro, mas não era. Que aconteceu?...

Enquanto eu também o ajudava na procura, porque realmente, como prometera a ele, eu queria ler para comentar, uma voz me ditou com toda a clareza e gravei bem, palavra por palavra: Esta é a falsa igreja que será em breve esmagada e destruída. Haverá uma guerra planetária, seguindo a uma grave crise econômica, e em parte isso vem exatamente para esfacelar com esta igreja e vem por culpa dela.

Nisso eu saí, na direção da nave principal da Igreja, porque ali estava se aglomerando uma multidão. Porém todos estavam voltados não mais para o altar e sim de costas para ele, todos olhavam para a porta de entrada da catedral – olhavam para fora, para o mundo, e não para Deus – porque não havia mais bancos - estavam todos de pé - e só então eu percebi o motivo pelo qual que havia questionado o Padre pároco, no momento da entrada, estranhando uma igreja sem bancos, e o povo voltado contra Deus, daquele modo.

Enquanto eu andava, passei pela fila de sacerdotes e um deles me entregou uma espécie de fruta-do-conde, uma nona, como cortiça, parecia estragada, sendo uma inteira – que estava até quente nas mãos dele – e mais uns grãos, como se quisesse se livrar daquilo. Ele me disse: Pega isso e leva! Na verdade era uma fruta estragada, algo até bem nojento, porque em apodrecimento. Me pareceu simbolizar a falsa doutrina que ele pregava.

Eu, por gentileza, peguei a fruta e pensei: vou levar pra Dulce que gosta desta fruta. E enquanto eu provava alguns daqueles grãos que ele me dera, observando a aglomeração de pessoas, o sonho foi se esvaindo.

Em tempo: Na capa do livro estava este título: “Igreja Carisma e Poder” – que depois de acordado, consultei na internet e vi que de fato havia este livro, da autoria do herético Leonardo Boff. Temos aqui então o tipo de falsa igreja que será esmagada e destruída pelo sopro do Divino Espírito Santo. O recado está dado para a “teologia da libertação”! Também para os padres e os bispos que a seguem! O que vi foi real, cristalino e sem falhas. (Fim)

++++++++

OBS > Na realidade o que vi e senti foi tão real e tão claro, como se fosse a realidade, como se de fato eu estivesse presente, tivesse visto e sentido tudo aquilo. Não se tratou de algo nebuloso, sem discernimento, mas da mostra pelo Céu, de uma realidade gritante, que serve para explicar o que acontece em praticamente todas as Dioceses do Brasil, contaminadas que estão por espírito venenoso e comunista, que elege como prioridade de “evangelização”, não mais a salvação das almas e sim a um ideário político-social que visa provimento das necessidades básicas dos homens. Tudo em nome da chamada heresia das obras, e de uma falsa misericórdia sem Justiça.

Naturalmente que, sendo tão real, eu vi claramente a muitos dos padres e bispos, entretanto prefiro ocular os seus nomes, até para universalizar a matéria do sonho, não o reduzindo a apenas uma diocese. Para terem uma ideia de como está a cabeça de um dos bispos presentes, pessoalmente eu conversei com ele anos atrás, dizendo que os freis de Belo Horizonte estavam tentando mudar as palavras da Consagração na Santa Missa, no caso do “pão” já não mais consagrado no Corpo de Cristo e sim consagrando a “comunidade”, no “corpo de cristo”, e no caso do vinho, já não mais derramado para a remissão dos pecados, e sim para uma “reconciliação no amor”.

Pasmem: quando lhe falei isso, esperando que se enfurecesse, ele me disse: mas que coisa maravilhosa! Vamos mandar isso para o grande teólogo Leonardo Boff, para aplicarmos isso em toda a Igreja. Digo-lhes que eu quase desmaiei, meus braços caíram e senti que tudo estava perdido. Interessante é que no sonho eu tinha este mesmo sentimento, e é por isso que intuitivamente percebi que o livro que ele tinha para me dar era uma “bomba”, e vindo das mãos de quem veio. Está explicado então o “meio bom e meio ruim”, que acima eu mencionei. Não adianta a um bispo andar pelas ruas de terço na mão ao amanhecer o dia, se ele depois prega uma doutrina de perdição e tem hereges por mestres.

No mais, aquela frase que ouvi e que acima transcrevi, é como um veredicto fulminante, porque com a mais absoluta certeza esta “outra”, e falsa “igreja conciliar”, que se embutiu e que continua se embutindo, dentro da nossa Santa e amada Igreja Católica Apostólica Romana, será esmagada com fúrias quando chegar a hora da Justiça. As recentes mensagens falam do grande sofrimento pelo qual passarão estes bispos e padres, que se deixaram tão levianamente seguir por estes trilhos do mundo, vermelhos, tortos e heréticos, culpados que são, TODOS, por se deixarem lograr tão facilmente pelo espírito enganador.

Como está bem claro – e assim se cumpre a profecia – São Paulo assim escreveu em II Tessalonicenses 2, 8. Então o tal ímpio se manifestará. Mas o Senhor Jesus o destruirá com o sopro de sua boca e o aniquilará com o resplendor da sua vinda. 9. A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. 10. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. 11. Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro. 12. Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal. Este poder enganador é o do anticristo.

Notem a parte que está em “negrito” e que se encaixa como uma luva para o nosso tempo e para a situação atual da Igreja. Por falta absoluta de oração – que trocaram por uma ridícula ação social, aceitando que é isso que salva almas – eles caíram no engodo de satanás e do seu anticristo – o ímpio citado – e foram induzidos a acreditar no erro e nas mentiras do “colegiado”, sendo capazes de engolir sem pestanejar os “sapos” – que estão postos nos escritos bergoglianos – como se fossem iguarias. Eis os “eleitos” sendo ridiculamente enganados, seduzidos pelos abraços e beijos que buscam a união de todos os credos numa latrina religiosa, narcotizados pelos eflúvios de uma falsa misericórdia sem justiça e seduzidos por uma “reforma” que tem o nome REAL de demolição da Igreja de Cristo. E tudo sob a aura de um “santo” que se tem algo é de padre, jamais de Papa.

É visível a presença do veneno da comunista teologia da libertação, no seio da Igreja. Mas tal como, já por duas vezes, um raio caiu sobre a cúpula da Basílica de São Pedro, da mesma forma, com a mesma fúria, com o mesmo fogo será fulminada esta pestilência doutrinária, que tantos males já causou ao mundo católico. O que nós veremos, dentro de alguns meses, quando a economia se desandar, quando as guerras civis estourarem, quando os vulcões desandarem, quando a isso se seguir uma guerra planetária, e quando um astro esfacelar com o planeta, vem apenas por culpa dos maus pastores que aceitaram passivamente o erro e desviaram o povo da verdade, tornando-se lobos rapaces, ao invés de ser bons pastores.

Enfim, sacerdote que, doravante, não tiver coragem de preparar seu rebanho para o cumprimento integral do Apocalipse – certamente em meio a perseguições e mesmo sendo sujeito à morte – pode se preparar para a escolha: ou ele opta pelo martírio em nome de uma causa justa e isso com prêmio eterno, ou ele prepara o lombo para a vara da Justiça Divina, e seu fim pode não ser bom. Porque ninguém que estuda 20 anos para se formar sacerdote de Cristo pode achar justificativa ou alegar ignorância diante do Juiz, sobre os atuais acontecimentos no Vaticano. Se eles rezassem, todos os dias, uma Ave Maria, com verdadeiro amor e fé, não seriam enganados desta forma, e teriam coragem de denunciar os lobos vestidos de cordeiro, que estão demolindo passo a passo a Santa Igreja e arrasando a Doutrina Católica.

Uma sugestão: beije a mão do seu padre e sinta: Se ele for afetuoso é bom, tem salvação! Se ele meio que negar, está em grave perigo, e então reze por ele! Se ele negar terminantemente reze em dobro, em triplo, porque pode ser já um caso perdido. Vale o mesmo para os bispos! (Aarão)

 
 
 

Artigo Visto: 2043 - Impresso: 38 - Enviado: 12

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 621 - Total Visitas Únicas: 3.222.151 Usuários online: 67