Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
28/02/2018
Cardeal valente denuncia!
Alguns prelados de alta linha, sobretudo os procedentes de nações opulentas estão trabalhando para modificar a moralidade cristã.
 

Fonte> http://religionlavozlibre.blogspot.com.br/2018/02/denuncio-la-crisis-de-fe-de-un-clero.html?m=1

Disse o Cardeal Robert Sarah: "Denuncio a crise de fé de um clero traidor".

Marco Tosatti

O Robert Cardeal Sarah, na Bélgica, falou sobre a crise de fé por parte de uma hierarquia eclesiástica e não teve dúvidas em denunciar a traição cometida pelo clero, por sua falta de fé.

Nos últimos dias, o Cardeal Robert Sarah, Prefeito da Congregação para o Culto Divino, esteve na Bélgica para uma apresentação do seu livro "Deus ou Nada", onde respondeu sobre certas tendências atuais de modificar a moralidade católica em particular com respeito ao Matrimônio e a família, bem como os ensinamentos sobre a vida. Podem ser lidas as suas palavras como crítica às recentes palavras do cardeal alemão Reinhard Marx, do vice-presidente da Conferência Episcopal da Alemanha, Fraz Josef Bode, e do cardeal Christoph Shornborn, de Viena?

Parece que a resposta é sim! Dirigindo-se a uma igreja cheia de gente, incluindo ali o Núncio Apostólico Cardeal De Kesel, o alcaide Woluwé-Saint Pierre e o abade Philippe Mawet, a cargo do ministério pastor francófono, que haviam criticado o livro de Sarah uns dias antes em um artigo publicado no diário de esquerda, Libre Bélgique, o purpurado denunciou as ideologias e grupos de pretensão que "com poderosos meios financeiros e vínculos com a mídia, atacam o propósito natural do Matrimônio e se comprometem a destruir a unidade familiar".

De fato, o Cardeal que é da Ghiné, falando em uma das igrejas mais devastadas de toda a Europa não deve dúvidas em dirigir palavras duras contra seus irmãos do episcopado dizendo: "alguns prelados de alta linha, sobretudo os procedentes de nações opulentas estão trabalhando para modificar a moralidade cristã contra o respeito absoluto que se deve ter pela vida humana, desde a concepção até a morte natural, a questão dos divorciados e civilmente voltos a casar e outras problemáticas situações”.

Entretanto estes "guardiões da fé", não devem perder de vista o fato de que problema gerado pela fragmentação familiar para fins de Matrimônio é um problema de moralidade natural. E o Cardeal não se deteve ali. Continuou com toda calma: "As grandes derivações se tornaram manifestas quando alguns prelados ou intelectuais católicos começaram a falar e a escrever sobre "luz verde para o aborto" e luze verde para a eutanásia."

Assim, desde o momento em que os católicos abandonam os ensinamentos de Jesus e o Magistério da Igreja, contribuem para a destruição da instituição natural do Matrimônio e da família, e agora é toda a família humana que se encontra fraturada por esta nova traição por parte dos sacerdotes.

Neste ano em que se celebram os 50 anos da encíclica Humanae Vitae, sem fazer nenhum esforço para suavizar as suas palavras, o Cardeal falou toda firmeza:  A Igreja precisa recorrer a encíclica Humanae Vitae de Paulo VI e também aos ensinamentos de João Paulo II e Bento XVI que tratam de questões vitais para a raça humana. O próprio Francisco segue na linha de seus predecessores quando enfatiza a união entre o Evangelho e o amor, e o Evangelho e a paz. A Igreja precisa afirmar com força e sem ambiguidades o peso magisterial de todos estes ensinamentos, mostrar claramente a continuidade com a Tradição e proteger este tesouro dos depredadores deste mundo sem Deus.

Numa entrevista concedida a Cathobel, o Cardeal Sarah testificou que a Igreja de hoje deveria fazer frente a estas grandes perguntas e, sobretudo, a "sua fidelidade a Jesus, ao seu Evangelho, aos ensinamentos que desde sempre recebeu dos primeiros papas e dos concílios... entretanto isso não é evidente, porque a Igreja deseja adaptar-se ao contexto cultural, à cultura moderna".

E ainda sobre a fé: "A fé tem decaído até o solo ao nível do povo de Deus, mas também entre os responsáveis pela Igreja, e às vezes nos poderemos perguntar se realmente ainda temos fé". O Cardeal Sarah recordou o episódio do sacerdote (omitiu o nome), padre Fredo Olivero, e concluiu: “Creio que hoje existe não somente uma grande crise de fé como também uma grande crise de nossa relação com Deus”.

E quanto à Europa? "O Ocidente não somente está perdendo a sua alma, como está se suicidando, porque uma árvore sem raízes está condenada à morte. Creio que o Ocidente não pode renunciar às suas raízes, tudo o que criou em sua cultura e seus valores". E o Cardeal continuou: Existem, coisas escalofriantes que sucedem no Ocidente. Creio que um parlamento que autoriza a morte de um bebê inocente, sem defesa, está cometendo um ato de violência contra a pessoa humana. Quando se impõe o aborto, especialmente nas nações do mundo em desenvolvimento, dizendo que se não o aceitam não recebem ajuda, este é um ato de violência. E não é surpresa quando é abandonada, e o homem também é abandonado por Deus, tal que já não se tem mais uma visão clara de quem é este homem.

Esta é a grande crise antropológica do Ocidente. Ela leva as pessoas a serem tratadas como objetos.

". Originalmente publicado em La Nuova Bussola Quotidiana.

++++++++++++++

OBS> A pergunta que faço diante da valentia deste eminente Cardeal é esta: até quando no vaticano eles o suportarão no comando como Prefeito da Congregação para o Culto Divino? Mistério ainda não explicado é como é que ele ainda ali permanece.  Óbvio mais do que ululante que ele contradiz frontalmente toda a orientação atual do vaticano, que tende a seguir a plêiade herética – se já não se poderia dizer demoníaca – dos traidores cardeais alemães entre outros e só achei estranho quando ele citou que Francisco segue a mesma orientação de seus antecessores, quando ele segue exatamente a orientação dos cardeais rebeldes. Basta que se veja Francisco laureando mulheres que são a favor do aborto, de mãos dadas com ativistas gays e autorizando a comunhão a divorciados, para se ver que ele não segue nem o Magistério nem ao próprio Jesus Cristo. Segue uma nova igreja, não mais católica!

Penso que estes arroubos de santa valentia dele, divinamente aprovados, são na verdade seus estertores finais, porque ele é uma pedra de grande volume no calçado dos demolidores da família, e a partir dela da demolição da Santa Igreja, e não sei até quando o irão tolerar. Não me causaria nenhuma surpresa se dessem cabo da vida dele, e se não o fazem é exatamente pelo mesmo motivo que os fariseus tinham de matar Jesus, por causa do medo do povo que se revoltaria. Daria muito na vista.

Mas são sinais e mais sinais do fim, porque é inegável o cisma e a apostasia da fé conforme São Paulo previu em 2 Tessalonicenses. Tinha, pois, que acontecer e é um dos mais claros sinais do fim. Nesta passagem São Paulo além de declarar que esta apostasia é um sinal do fim e da presença do anticristo no mundo, ainda nos alerta para o fato de que milhares de eclesiásticos estão seguindo o erro, sabendo que é erro, e assim estão colaborando na destruição da Igreja. O plano da besta é exatamente este: fazer com que sejam os "bons" sacerdotes a porem em prática seu diabólico plano. Mas eles não perdem por esperar, Deus os abandonará nas mãos dos inimigos. Que eles ajudaram!

Está escrito: "9.A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. 10.Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. 11.Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro. 12.Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal."

Está aí, bem claro: ai de quem tentar mudar os tempos e a lei! A mesma sorte de Sodoma espera este mundo que segue tais mestres! Ai de quem consente no mal, sabendo que é mal, na tentativa de preservar seu status e até mesmo em nome da obediência. Quem obedece no erro é réu de eterno delito. (Aarão)

 

 
 
 

Artigo Visto: 1175 - Impresso: 12 - Enviado: 3

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 542 - Total Visitas Únicas: 3.254.727 Usuários online: 76