Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título
Você está em: MENU PRINCIPAL / Igreja / Tu és Pedro!



 
 
03/07/2005
Tu és Pedro!
 
A Igreja - 02 Tu és Pedro!
A Igreja - 02 Tu és Pedro!

2050523 TU ÉS PEDRO!
 
     Eu declaro: Tu és Pedro, e sobre esta pedra eu edificarei a Minha Igreja... Eu te darei as Chaves do Reino dos Céus: Tudo o que ligares da terra, será ligado nos Céus... (Mt 16, 18-19). Na Bíblia Católica está tudo aquilo que Jesus nos deixou para sermos Igreja... No Catecismo de João Paulo II está tudo aquilo que Pedro ligou sobre a terra, e isso está, pois, também ligado no Céu. Então, todo aquele Papa, que seguir a Doutrina de João Paulo II, será sempre um Pedro, e será também um outro João Paulo II para o Céu! E hoje vamos tratar deste eterno Pedro, verdadeiro, que já teve mais 265 nomes, nas mãos dos quais a Igreja caminhou nestes quase dois milênios. E mostrar que, se neste caminho final, alguém que não for Pedro – por não seguir João Paulo II – que não tiver nas mãos a Chave do Reino do Céu, então se saberá que se trata de uma falsa chave, de uma falsa igreja: um falso Pedro, que não estará ligado no Céu!
 
    Entes de continuar neste tema, gostaria de fazer um acordo com o leitor. Quero que saiba que meu sentido é apenas ajudar! É tentar compreender, junto com você, aquilo que se passa, buscando ler nas entrelinhas das mensagens e das profecias, o que nos aguarda, para que nos preparemos. Então, quero que fique bem claro que, tudo o que apresento são estudos e idéias, em parte são suposições e possibilidades, não se tratando de verdade irrefutável. Quem sou eu para tal coisa? Já errei e muito! Não sou infalível! Quero então que o leitor caminhe junto, pense e analise comigo, para juntos chegarmos a um lugar comum. Para isso você é livre discordar, e sou aberto a críticas e a acatar idéias e sugestões. Estou sempre pronto a responder todas as dúvidas quem me chegam via e-mail: ahaas@flynet.com.br e fico feliz quando o leitor tem idéia melhor.
 
     Tudo isso porque é humanamente muito difícil, entender a linguagem das profecias, e tudo o que fazemos sobre elas são meras suposições, porque no fundo, sempre podem ter outro sentido. Estudemos os tempos, então, mas juntos! Que seja tudo para a Glória de Deus e a salvação das almas. Outra coisa que deve ficar bem claro é que quando comento uma mensagem passada ao Cláudio, ou a qualquer dos profetas que temos apresentado neste site, isso nada tem a ver com ele, nem com os outros, e a responsabilidade é toda minha. A ele o Céu pede seguidamente que jamais comente as mensagens recebidas, porque isso lhe poderá trazer problemas futuros, e realmente ele não faz isto.
 
     O que procuro fazer são “pontes”, são ligações entre a realidade e a mensagem, entre a profecia atual e a bíblica, e a Mãezinha me liberou para isto. Esta é minha tarefa no Movimento. Entretanto, o fato de podermos mostrar os dois lados da montanha, a visão da realidade vinda da Luz e também a realidade das trevas trazidas à luz por ela mesma, por força e coerção do Céu, e a posse destes dados nos têm proporcionado esta rara oportunidade – talvez única na terra – de mostrar o que acontece hoje no mundo, com relativo equilíbrio, e com isso manter um site seguro, onde o leitor pode vir buscar informações preciosas, que levam, não somente à própria conversão, como à conversão de muitos outros. Tudo o que fazemos, visa unicamente levar para Deus, para a eternidade, para o bem. Nosso sonho – impossível sei – é dar o Céu para todos! É unicamente esta a razão de nossa existência. Sigamos agora! 
 
     Nas últimas semanas, depois da surpreendente e rápida eleição do Papa Bento XVI, tem sido grande a tensão de milhares de católicos, aqueles realmente ainda ligados à sua Santa Igreja, com relação à doutrina que este Papa irá seguir. Mas, como se tem visto pelas notícias, pelas homilias e sermões dele, a sinalização é claríssima, no sentido da continuidade da Doutrina da João Paulo II, conforme es
tá delineada no Catecismo por ele deixado, não havendo qualquer possibilidade de os ventos do modernismo a encherem de fungos e bactérias mutantes: falo das degeneradas doutrinas dos inimigos de Deus e da Igreja. Quanto a isso, praticamente se pode afirmar que, enquanto Bento XVI durar, não teremos modificações à vista. Pela vontade dele não, mas cuidado com os “outros”.
 
      Ele foi eleito por uma fulminante intervenção de Deus, para cumprir o tempo que os homens negaram a João Paulo II, num processo que literalmente ofuscou as trevas e surpreendeu os adversários da Igreja: eles se julgavam já, sentados no trono de Pedro. Mas foram vítimas da grande tsunami humana que irrompeu no Vaticano naqueles dias. Tsunami que gritava duas coisas, e foi isso que eles ouviram: Santo Súbito! Também: queremos a continuidade dele! Nada, pois, de modernismos e modernidades! Isso de fato encolheu e acabrunhou tanto aos adversários, que eles nem conseguiram raciocinar direito: quando viram, já estava eleito o novo Papa, com as bênçãos de Deus! Isso prova a força de Deus, e em contraponto a fraqueza e a fragilidade dos inimigos da Igreja! Um dia eles terão este trono ambicionado, mas isso somente quando Deus assim o permitir!
 
     Na verdade, pelas últimas mensagens ao Cláudio, mesmo aquelas passadas durante as visitas de oração aos cemitérios, sempre em pequenos tópicos ou no corpo das mensagens nos são dadas orientações seguras para a caminhada. Olhai a Bento XVI: sua doutrina é fiel e deve ser seguida à risca. Olhai em torno dele e ficai alerta! Ora, isso nos assegura que ele está disposto a seguir fielmente a Doutrina da verdadeira Igreja de Jesus sem se deixar impressionar com os maus, que querem introduzir modificações de grande alcance dentro dela, para a destruir. Todas estas modificações – algumas das quais já mostramos em alguns artigos anteriores – visam apenas levar o Papa a uma contradição, basta uma só, para que a partir dela consigam minar a Doutrina, e derrubar a Igreja.
 
     Em outras mensagens Nossa Senhora diz: Cuidai para sempre caminhar a sã doutrina, a doutrina de Jesus que é única.. Todos dizem: Jesus está aqui ou ali, ou lá, mas está em nós a verdade! Ora, a verdade é apenas uma: A Igreja de Pedro, pois outras são pranchas que saíram dela, fundadas por rebeldes, descontentes, ou traumatizados.. E ainda: Há um complô muito grande entre os demônios e os filhos dos homens, e por isso, a guerra é imensa e as barreiras tornam-se difíceis. Os demônios usam de todos os artifícios para derrubar os filhos de Deus. Há um complô que envolve um perigoso pacto: as trevas contra a luz! A luz vence porque a verdadeira luz é Deus! Mas os filhos poderão confundir, pois os inimigos também transmitem luz.
 
     Quer dizer: aquelas trevas que se escondem dentro da Igreja, confundem os filhos da luz, porque são apregoadas como vindas do Papa e da Igreja, mas muitas vezes são mentiras escandalosas. Por qual motivo os hereges estão dentro dela? Porque se saíssem, cairiam no descrédito como hereges e o tempo os engoliria. Todo cuidado é pouco, então! Também diz assim: Deus precisa estar neste momento, cuidando de todo o mundo, dos rumos a serem tomados, pois o inimigo trava guerra feroz contra seus filhos. O Plano do Pai é infalível, mas os caminhos a serem traçados, muitas vezes se tornam cruciantes para seus filhos. E mais isto: Para vós é difícil entender as necessidades de Deus, mas entendereis um dia. Deus é justo e precisa ser até o fim. Sua justiça vencerá todas as barreiras e então o mundo poderá ser diferente: ser feliz!
   
     Tudo isso nos fala e
ntão que existe por trás de Bento XVI, com vistas a enganar o povo e destruir a Igreja, um imenso complô, que tem sido montado desde há séculos. E só não explodiu, porque mesmo com toda a pressão do inferno, não foi ainda desta vez que o falso profeta sentou-se naquela cadeira. Uma análise mais clara agora, das coisas que aconteceram já antes e durante a eleição do novo Papa, mais o tudo que aconteceu depois disso, nos permite ir devagar traçando um novo panorama que adiante se descortina, com possibilidades que se mostram preocupantes. Não falo de preocupação medrosa em relação ao futuro da nossa Igreja, porque nós já sabemos que as portas do inferno não prevalecerão contra ela, mas sim de preocupação com a iminência dos acontecimentos, também com a impossibilidade de serem até diminuídos os castigos, pois poucos rezam e se convertem! E está mais próximo do que imaginamos. O caldeirão ferve já!
 
     Falo do caldeirão da rebeldia escancarada. Falo de pessoas que dizem ser Igreja, mas que pregam abertamente a desobediência ao Papa. Falo do ódio expresso por alguns, que se dizem teólogos, ante a eleição de Bento XVI, quando julgavam emplacar um expoente das teologias do inferno. Contou um seminarista – destes que é obrigado a estudar a teologia maldita – que no seminário estavam reunidos, padres e seminaristas esperando em frente à televisão, o resultado da eleição. E quando foi anunciado o nome de Ratzinguer, o reitor deu um murro na mesa e saiu dali blasfemando. Deus meu, eles não sabem o que fazem! Se soubessem o que aguarda a Igreja, no dia em que um Pedro não verdadeiro entrar lá, jamais se revoltariam, antes eles clamariam aos céus por socorro. Desde já! Infelizmente, em todo o mundo temos destes rebeldes, Deus que os julgue!
 
     Temos colocado também, uma série de visões – sob este mesmo título – e algumas delas nos têm dado explicações preciosas, sobre passagens bíblicas e mesmo profecias atuais, a partir do “outro lado da luz”. Assim, vendo os dois lados da montanha, tudo vai se encaixando aos poucos, como um quebra cabeças, de modo que, o leitor atento poderá ir sim, lendo os sinais nas entrelinhas! Como Nossa Senhora nos pediu que colocássemos como “adendo” nos livros “Mateus” e “Ele vem”: Aparentemente, aos olhos humanos, os planos não aconteceram conforme previstos. As explicações acontecerão a olhos vistos... Não tenham medo: O CÉU FAZ!” E realmente já começam a surgir luzes no fim, daquilo que parecia ser antes um negro túnel. Porque as explicações acontecem mesmo!
 
     Falando nestas visões, gostaria de apontar mais alguns elementos que têm a ver com a última, aquela do texto: “As Chaves”, e que antes não pareciam importantes mas são. Falou-me a pessoa em questão que, naquele momento da reunião no Vaticano, onde se misturavam os demônios, a pessoas, cujo rosto ela não vê, também ali se achava Bento XVI. Como se viu, estas pessoas o pressionavam furiosamente por mudanças. Na verdade forçavam que ele aceitasse tais coisas, e berravam com ele! O Papa tentava escapar, tentava fugir, mas eles não o deixavam sequer falar. Era sufocado pelos gritos deles, e parecia não ter forças para resistir. Não será por isso que nas mensagens acima Nossa Mãe nos pede para olharmos para o que acontece ao redor do Papa?
 
     Quando satanás exigia as chaves da Igreja, de forma tão petulante, e Jesus lhe disse que jamais a terá, isso se referia a Verdadeira Chave, da Verdadeira Igreja Católica, que o maldito quer para sempre. Isso nos leva a ter certeza, de que haverá então uma Falsa Chave, de uma Falsa Igreja. Esta chave falsa é na verdade a chave do poço do abismo (Ap 9,1), que abrirá não as portas do céu, mas do inferno para que se esparrame na terra. Será um tempo em que a verdadeira Igreja de João Paulo II – sob outro Pedro verdadei
ro é óbvio – estará no exílio, viajando de país em país, tendo que se esconder para não ser atingida. A verdadeira Igreja estará no exílio, tal como nós imaginávamos que fosse acontecer, já com João Paulo II! Fala a pessoa em questão que, aquela reunião não foi algo apenas onde Deus lhe quis mostrar uma realidade, mas sim uma reunião real, onde apenas ela via – os homens não –  os demônios misturados com os outros homens. Ou seja: houve esta reunião no Vaticano e existe esta rebelião!
 
     Por último, se nós analisarmos aquela mensagem “Martírio da Igreja”, de 1998 e que está no site, iremos ver que Nossa Senhora começa assim:  Eis como acontecerá: tirarão Pedro do poder! Nosso Pedro! O Pedro que eu escolhi para os últimos dias. E sua nau singrará os mares bravios... e ninguém estenderá os braços. Só e desgovernada, a nau navega os ventos tempestuosos e as correntes bravias. Mas é Pedro, a “minha Igreja”. Navega sem rumo, sem direção, às escondidas...  Mas é procurada, é perseguida. E Pedro, a minha Igreja, luta bravamente, se sujeita ainda à mais maus tratos, mas não sucumbe. É Pedro, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
 
     Sete meses dura seu martírio! Martírio da minha Igreja! Sete meses de horror, lutas, guerras horrendas, massacres, martírios. É a minha Igreja combatendo os infernos! É Pedro firme no seu leme. Sete meses intermináveis para muitos, mas curtos, muitíssimo curtos para milhões... É o inferno tentando corrompê-la e destruí-la. É o rugido aterrorizante do inimigo, a urrar de porta em porta. E Pedro luta desesperadamente. Bravamente! A energia lhe vem do Espírito Santo. A energia que os homens lhe negaram lhe é agora inserida com força maior pelo Espírito Santo. É Pedro lutando! É o Céu se abrindo! É o inferno em desespero! E milhões cairão...
 
    E Pedro segue, luta e vence!... e sobrou a Igreja!  E Pedro é vencedor! E entrega finalmente as chaves ao céu! Celebra o último mistério e instala com Jesus, o Novo Reino! É vencedor! E gloriosamente é arrebatado, mostrando os caminhos do Novo Reino aos seus filhinhos, à sua Igreja!   A casa de Israel ressuscita, e de mãos dadas segue junto, ao Reino que para todos o Pai preparou. Portanto, filhinhos, tudo está próximo. Olhai o Papa! Olhai João Paulo II, o Santo Papa, e, quando virdes sua nau sair por mares desertos, contai sete meses... e tudo acabará. E experimentareis, vós, os filhos da luz, o Novo Reino... para sempre!
 
     As conjecturas que faço agora, a partir destes trechos daquela mensagem, ligados às visões das trevas – olhando então, a luz e as trevas – não têm o objetivo de justificar nem um nem outro profeta, tampouco a quem acredita e as divulga, mas sim, quem sabe mostrar, como está correta aquela frase da mensagem que diz: Deus dá a profecia... os homens a entendem como querem! Ou seja: Não é que Deus tenha errado, nem tampouco induzido o profeta ao erro e sim, Ele fala de um modo, mas nós entendemos do nosso jeito, não dando possibilidade que haja outra forma de ver a mesma situação. Na verdade, a linguagem humana é falha para explicar as profecias, e também Deus fala nas entrelinhas, de um modo que isso dá margem a um grande número de explicações.
 
     Acaso ele faz isto para nos enganar? Não ele faz para enganar principalmente ao diabo, para que ele nunca tenha certeza do que Deus quis dizer. Mas se não quer dizer exatamente uma coisa – e a mensagem nos pode levar a várias interpretações – se a linguagem humana é falha, então por que Deus transmite estas profecias aos homens? Porque isso nos faz ficarmos alerta, coisa que não aconteceria se Ele nada dissesse. Os homens são cegos! Na verdade, somos nós que erramo
s ao comentar. Mas alguns, os que têm boa vontade, se deixam alertar pelos profetas, caso contrário os homens incautos – se ficassem apenas à espera do cumprimento das profecias bíblicas – acabariam por serem pegos totalmente de surpresa, e isso levaria milhões à perdição. Deus tem outra escolha?
 
     Assim, para mostrar o quanto nós, nos enganamos na interpretação das profecias, vamos atentar para a mensagem acima, onde está implícito inclusive o advento de mortes e as consideremos como abates espirituais. Consideremos também que, para o Céu, todo aquele Papa que segue o Catecismo da Igreja, editado por João Paulo II, é sempre um outro João Paulo II. Analisemos os tópicos em negrito:
 
01 – Tirarão Pedro do Poder! > Ora, se Pedro será retirado, então será afastado, não implicando em morte física. Pelo menos no início da fuga, não! Ou seja, isso poderá levar ao afastamento deste papa, Bento XVI forçado e até com ameaça de morte e intimidações, e ele sairá sem rumo pelo mundo. Dom Bosco previu isto! Também falam as profecias e visões sobre um Papa sendo procurado para matar! Esta fuga, provavelmente se dará, sem que a maioria dos católicos perceba. Tudo se trama às escondidas.
 
02 – O Pedro que Eu escolhi para os últimos dias!> Como todas as mensagens, inclusive a de Fátima, indicavam que João Paulo II, fosse este papa escolhido por Deus, à pedido de Nossa Senhora, ninguém aceitava sequer imaginar que Ele pudesse ser um outro Pedro, que seguisse a mesma doutrina. Eis porque fazíamos planos e projetos sobre a pessoa dele, não de outro, entretanto, pelo que se vê, um Pedro apenas cumprirá o que faltou a outro.
 
03 – Sete meses dura o martírio da Minha Igreja > Como João Paulo II era o nosso Pedro, na época desta mensagem – 1998 – então isso nos dava uma certeza única, uma certeza inabalável, que seria ele a cumprir a profecia da fuga do Vaticano. Tanto mais que adiante, Nossa Senhora nos pediu para que contássemos sete meses após a saída dele. Ou seja. Presumimos não sua morte, mas sua fuga do Vaticano! Quem imaginaria? E fomos mais uma vez pegos no contrapé!
 
04 - É o inferno tentando corrompê-la e destruí-la. É o rugido aterrorizante do inimigo, a urrar de porta em porta. > Nas visões que passamos é possível perceber que realmente o inferno, não somente quer destruir a Igreja a todo custo, mas também as famílias, e lá está visto que ele está a urrar de porta em porta, nas casas, tentando destruir tudo, porque a família que reza é a Igreja Doméstica defendida por João Paulo II, para a qual está reservado o grande papel de fazer ressurgir a Verdadeira Igreja, da verdadeira Chave, que antes disso será eclipsada, por um curto espaço de tempo.
 
05 – É o inferno em desespero! > Quem observou a fúria, o ódio e a pressa com que Lúcifer discursava aos seus – homens e demônios – sabe agora que isso é verdade. Este sentido de pouco tempo, está exasperando ao inferno. Aliás, segundo me lembrou a vidente, Lúcifer não conseguiu mais nenhum tempo adicional como parecia, mas quando Jesus disse a ele: tens este tempo!, quis dizer assim: tens somente este tempo que te foi dado! Nada mais que isto! Menos mal! E se ele estava nesta reunião em Roma, nem precisaria dizer que é por lá que ele começará a destruição! E já começou há tempo!
 
06 - E Pedro luta desesperadamente > Isso então, agora nos remete a luta que Bento XVI, o Pedro de hoje está travando, neste momento, contra as hostes inimigas. No entanto nos parece que ele não tem a mesma força, o mesmo cacife espiritual e moral de João Paulo II para deter as hostes do mal. Ele parece não ter aquele jogo de cintura, aquele mesmo apoio popular, com certeza, aquela mesma força de oração que lhe permitia opor uma espécie de barreira espiritual, que durante seu mandato impediu o avanço da rebelião. Bento XVI também lutará, bravamente, mas isso não
quer dizer que precise estar no Vaticano para sair vencedor: isso pode acontecer com a Igreja fugitiva! Então esta Igreja fugitiva, poderá ser exatamente aquela que irá promulgar os dois Dogmas que faltam sobre Maria – Medianeira e Co-redentora – para que seu triunfo ocorra!
 
07 - E Pedro é vencedor! E entrega finalmente as chaves ao céu! > O que se presume aqui é que esta Igreja da verdadeira chave, estará com este Pedro em fuga, por um tempo. Num tempo que provavelmente poderá passar de um ano ou mais, a falsa igreja, aquela da falsa chave estará mandando, agora sim com as perseguições, os martírios, os assassinatos de padres, bispos e fiéis, já previstos – isso os profetas têm visto amiúde. Pedro é vencedor porque a Igreja Verdadeira não será abalada, mesmo não estando no comando em Roma, mesmo não estando Bento XVI sequer vivo – adiante se verá isto – eis que a Doutrina permanecerá intacta com ele. Isso é o que importa! E é esta a chave do Céu, que será entregue a Jesus, quando Ele retornar em Glória mais adiante. Por quem?
 
08 – Celebra o último mistério e instala com Jesus, o Novo Reino! É vencedor! E gloriosamente é arrebatado... > Este celebrar o último Mistério é certamente a Santa Missa no Calvário, aquela onde acontecerá o Grande Milagre da Transubstanciação real, como está no Plano do Cálice. Mas, se durante aquela Missa descerão milhares de padres glorificados para ficarem aqui na terra, por qual motivo não crer que João Paulo II possa vir junto, e ser ele o celebrante daquela Missa? Pensemos bem: Não seria mais fantástico, bem mais assombroso para aquele povo este fato, do que se fosse Bento XVI – sim também pode ser este – a celebrar este Mistério? Óbvio, que sim! Tanto mais que, presumo, até patriarcas como Abraão, também Melchisedech, Moisés, Davi, quem sabe Noé – afinal, todos os que participaram da saga do Cálice – além é claro de alguns apóstolos e discípulos de Jesus, estarão sem duvida presentes a esta celebração, como testemunhas da história do Cálice da Aliança. Não será algo espantoso? Assombroso?
 
09 – A casa de Israel ressuscita, e de mãos dadas segue junto, ao Reino.. > Isto se refere sem dúvida à conversão do povo judeu, para que se cumpram as profecias. Nem todo o Israel será convertido, mas grande parte dele sim! O Catecismo da nossa Igreja, fala que, sem esta conversão, não se pode falar no segundo Advento. Este “de mãos dadas com a Igreja Católica, segue junto para o Novo Reino”, supõe então mais um tempo ainda, de mais lutas e confusões, porque o anticristo até essa altura, ainda não terá morrido, ele e os seus, que irão até o fim. Este tempo será aquele que vai de depois da queda do astro e do fim da 3ª Guerra, até aquele segundo astro, o do Grande Milagre final, e os chamados: Três dias de Trevas que antecedem o Grande Julgamento Final. Isso pode ser algo em torno de quase um ano, se podemos considerar correta a mensagem de Garabandal!
 
     Assim, esta síntese nos dá uma visão diferente daquela que antes imaginávamos, fosse acontecer ainda com João Paulo II. De fato, a mensagem não GARANTIA, que de fato seria ele, apenas insinuava! Nós quem “garantimos”! Além disso, já afirmei aqui, não existe nenhuma mensagem ao Cláudio dando conta de que o sucessor de João Paulo II seria um falso papa. A bem da verdade não há nenhuma sequer insinuando que haverá um falso, eis porque tantas vezes já me perguntei se este homem – que deve sim vir um dia – será contado entre o número dos papas. Sim, porque isso confunde totalmente a profecia de São Malaquias, uma vez que – isto sim – Nossa Senhora lhe disse que o último Pedro surgiria apenas depois das tribulações já anunciadas. Difícil entender então!
 
     Quero ainda lembrar aqui algo que não pode ser deixado fora: trata-se da parte do 3º Segredo de Fátima já divulgad
a, que trata de um Papa vestido de branco, caindo varado por flechas, ele e muitos bispos, padres e cardeis. Isso é bem possível de acontecer mais adiante, até porque não restaria outro, pois, como vimos, o Último Pedro virá apenas na parte final das tribulações. Então, este papa atual não entregaria as chaves da Igreja a Jesus, mas daria sua vida por ela, e imediatamente se daria este acontecimento do Calvário. Tudo isso é possível e real. Será que as nossas orações não poderiam mudara um panorama tão terrível?
 
     De fato isso me intriga, e se daria caso realmente João Paulo II fosse o celebrante da Missa do Calvário: Trata-se do último Pedro! Ao Cláudio Nossa Senhora disse assim: sigam João Paulo II e chegarão ao último Pedro, que continuará pregando a doutrina deste santo homem!... Mas, não antes das tribulações já anunciadas! Ora, se este Pedro cair “varado por flechas”, ou por balas – terrível e lamentável, mas possível – então a Igreja verdadeira estará mais uma vez com a Sede Vacante, isto é, sem Papa! Ou seja, este último Pedro fiel, que virá somente depois das tribulações, será também aquele que conduzirá a Igreja até o seu final, no grande julgamento de Deus. Seria o Papa do tempo da Grande Evangelização, que seria pregada pelos sacerdotes e bispos que voltarão para a terra, com esta finalidade: preparar a Vinda Gloriosa de Jesus!
 
     Pensemos bem: Se nós apontarmos como verdadeira – eu creio nisso – a profecia de São Malaquias, que trata deste último Pedro, que é chamado por ele Pedro Romano, nós vemos também que, até hoje, nenhum outro Papa anterior ousou adotar o nome de Pedro, isso em respeito a São Pedro, o nosso primeiro Papa. Pois bem: São Pedro é sacerdote! Pedro foi, aliás, o primeiro sacerdote – homem – da Igreja de Jesus! Se o leitor me entende bem, tanto João Paulo II poderá vir ser este último Pedro escolhido, quanto o próprio São Pedro – ele mesmo, o primeiro Papa – o poderá ser, ele pessoalmente, quem então entregará às chaves da Igreja a Jesus. Não será ele o “ancião de muitos anos”, anunciado pelo profeta Daniel e que entregará o comando da Igreja a Jesus  que retorna?
 
     Ou seja: São Pedro o apóstolo, recebeu as Chaves de Jesus, no início da Igreja, também o mesmo homem, o mesmo Papa, o mesmo Pedro de Roma – Pedro Romano – a entregará a Jesus quando Ele vier em Glória. Não seria também fantástico isto? Acham que seja impossível? Eu não duvido mais de nada, alias, a cada dia tenho mais certeza de que para Deus TUDO é possível! Seria algo até lógico, e seria também fantástico! Aliás, se até hoje nenhum outro Papa se chamou Pedro, por qual motivo este último poderia ser assim chamado, caso não fosse ele, o próprio São Pedro, o primeiro o último e o eterno Pedro? Quem outro teria esta dignidade à não ser ele, o próprio?
 
     Mas, também é uma possibilidade, João Paulo II poderá ser este escolhido, até porque Nossa Senhora disse que ele “não morreu mas ressuscitou”. Pois se alguém precisasse de dignidade para ser este último Pedro, ela a tem! Entretanto, se está dito que João Paulo II subiria, glorificado, como disse a mensagem, então ficará com Pedro esta tarefa singular. Porque, será, SIM, um tempo de singulares exceções! Dirão que estou maluco? Nunca pensei tão claro e lógico! Seria fantástica esta ligação contínua de Pedro com a Igreja! São Pedro recebeu a chave da Igreja das mãos de Jesus, outros 265, no meio do caminho, a passaram de mão em mão – como uma corrida com bastões – e lá no final ele estará de novo esperando para entrega-la a Deus, não somente de forma simbólica, mas efetiva, porque estaria ainda a serviço dela.
 
     Porque seria lógico? Devo lembrar que, naquele tempo que sucede a queda do astro e ao fim da guerra, o mundo estará em ruínas. Fumaça, escombros, seca, fome, miséria, cadáveres, tudo isso em grau extremo! Não é tudo, o anticristo e seu exército contin
uarão perseguindo e matando aqueles que sobraram da catástrofe! Mais ainda: dentre os poucos padres que restarem vivos desta hecatombe, a maioria estará de tal forma fragilizado, que não mais atinará com nada. Será duríssimo para eles! Sua cabeça não estará no lugar, e eles não terão condições de bem conduzir o povo, além do que faltarão milhares! É aí que entra a grande necessidade destes sacerdotes glorificados! Primeiro porque sobre eles, o anticristo e seu exército não terão poder algumnem sobre Pedro – pois já não mais estarão sujeitos à morte, nem à destruição! Eles, com seus corpos já glorificados, não poderão mais ser vítimas das armas – por exemplo – como aqueles que estarão vivos!
 
     Segundo: o povo de Deus precisará de sacerdotes presentes, fiéis à sã Doutrina, para administrarem bem os Sacramentos aos filhos de Deus que restarem, e estes sacerdotes também não mais estarão sujeitos aos ventos de doutrinas contrárias como agora. Esta fidelidade à ortodoxia será necessária, para conduzir todos os homens de boa vontade a um grande “encontro com o Senhor nos ares”, isso pela administração dos sacramentos, em especial da Confissão, além – é claro – da Eucaristia, que naqueles dias estará reduzida, em toda a terra, a alguns poucos sacrários remanescentes; quem sabe nenhum em qualquer igreja da terra, somente nas famílias que A defenderão com suas vidas!
 
     Em verdade, haverá então, com estes padres que retornam, um renascimento e um reflorescimento da Igreja – pelo renascer da Eucaristia – porque com estes milhares de padres a celebrar novamente, em todos os lugares, de súbito os sacrários se multiplicarão de novo aos milhares, para desespero do inferno, que os pensava ter erradicado da face da terra. Até porque, não pode haver triunfo da Igreja, sem triunfo da Eucaristia. Eis porque naquelas visões Lúcifer grita: Abaixo aos sacrários! Morte aos padres! Porque ele sabe que é dali que brota a força dos filhos e filhas de Deus! E com o florescimento dos sacrários, e à medida que eles forem sendo reativados pelos padres, vivos e glorificados, nas Igrejas, nas casas, nos milhares de altares, novos e antigos, na mesma proporção começará a encolher o poder do inferno, até sua completa e total aniquilação. E tudo aquilo que nos parecia perdido, apagado e morto, de repente começará a se reavivar.
 
     Então, os espaços antes ocupados pelos demônios, voltarão a ser ocupados pela presença do Deus Vivo, e isso se dará até que a última hoste infernal, até que o último demônio, que porventura esteja ainda aqui nesta terra, seja daqui expulso e para todo o sempre. É devido a isto que o demônio persegue os padres que consagram e a Eucaristia, porque esta é a maior barreira imposta ao seu exército negro. A Eucaristia imobiliza o inimigo, acabrunha seu esforço, desfaz suas tramas, alumia as tramas do inferno, e o empurra para longe impedindo que se aproxime dos filhos de Deus. Eis porque ele odeia também as pessoas que comungam em estado de graça: porque elas se tornam sacrários vivos, e com isso passam a ser propriedade exclusiva de Deus! Por outro lado, em parte substancial, a culpa pelo fato de as trevas hoje estarem a ganhar tanto terreno, está nos padres que celebram desleixados, e os que não mais acreditam na Eucaristia!
 
     Por último, lembro uma realidade que não entendemos: a questão do tempo de Deus! Ele é diferente do nosso, já compreendi isto! Nós entendemos o tempo, como uma realidade que progride, que avança, que vai para adiante e jamais volta. Mas Deus não vê assim, eis que tudo para ele é um eterno agora, passado e futuro, não fazem para Ele a menor diferença. Tudo é um presente, um hoje! Assim, o primeiro Pedro e o Último Pedro, para Deus são sempre o mesmo, no tempo e no espaço. A seqüência da lógica humana, mesmo que aponte dois mil anos de intermédio, não é da lógica de Deus. Também João Paulo II e Bento XVI, para Deus vivem na mesma realidade de tempo: o agora! Difícil de entender? Se não entendemos isto, como vamo
s entender as profecias?
 
     Assim, os acontecimentos, passados, presentes e futuros, são sempre uma realidade aberta diante de Deus. Então, muitas vezes não entendemos o que vem antes, o que vem depois, tampouco o que já passou e sequer percebemos. E algo que vem no início de uma simples mensagem, pode de fato acontecer ao final de tudo. O livro do Apocalipse é uma prova clara disto! Ou seja, para nós parece confuso, para Deus é a lógica perfeita. Não é neste jogo de palavras que ele pegava os fariseus? É neste que pega também ao demônio! É neste que nos faz cair também! Mas só Ele está certo!
 
     Por isso, não duvidemos que o primeiro Pedro, poderá ser também o Último, um e o  mesmo homem. Para Deus nada é impossível! E mais: já sabemos que Bento XVI é a “Glória da Oliveira”, conforme a profecia de São Malaquias, porque poderá se dar no mandato dele, a conversão do povo judeu. E a oliveira é também símbolo judaico! Se isso acontecer de fato, tal se dará no último instante de seu mandato, quem sabe, ele conseguirá isso à custa do próprio martírio. Então virá Pedro de Roma! São Pedro?
 
     Um segredinho: este último Pedro, sendo ele o próprio ou não – não sabemos – isso pouco importa, com certeza será um homem simples, comum, de mãos calejadas, como um certo pescador da Galiléia! Nada de grandes teologias, apenas um grande Amor a Deus e a Igreja, e fidelidade à sã Doutrina. Nada de pompas: a Igreja Católica dos tempos finais, será pobre e santa, como a primitiva e pedida por Jesus. Jesus era simples, Pedro era simples!... Maria era simples! A Igreja primitiva nasceu numa manjedoura, a Nova Igreja será gloriosa em Deus, não em templos nem catedrais ou basílicas. Ela será pobre e simples como Jesus sempre quis. E quando ela for plenamente rica da Graça de Deus, haverá o triunfo! E então sim, ela explodirá no esplendor da Jerusalém Celeste!
 
     Sim, tudo isso podem ser meras suposições, a verdade somente Deus sabe. Mas não se diga que são impossíveis, ou então não podemos rezar o Credo: creio em Deus, Pai Todo Poderoso, Criador do Céu e da terra... Que Deus vos abençoe a todos!
 
Não tenham medo do Novo Catecismo resumido de Bento XVI.
Ele é verdadeiro e deve ser seguido!
 
Arnaldo
 
 


 
 
 

Artigo Visto: 2264 - Impresso: 70 - Enviado: 6

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 165 - Total Visitas Únicas: 3.487.457 Usuários online: 81