Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título



 
 
28/08/2006
Anti-apóstolo (1)
 
A Igreja - 16 Anti-apóstolo (1)
A Igreja - 16 Anti-apóstolo (1)

AA-1025 - MEMORIAS DE UM ANTI-APOSTOLO! Extraído do Site: http://br.geocities.com/petitpinscher/o_fim_dos_tempos_70.html
 
    No livro Mateus Capítulo 24, em 1998, coloquei a indicação de um livro que então circulava apenas na Europa: AA-1025 Memórias de um Anti-apóstolo, escrito pela irmã religiosa francesa Maria Carre. Abaixo coloco partes desta história, que estarrecerão os que ainda não a conhecem e a pediram. Hoje as pessoas se perguntam, o como e o porquê a Igreja Católica chegou a este estado de desagregação, apostasia, rebeldia, desobediência e heresia da parte de tantos de seus membros. Por que tantas teologias malucas, tanta sede de “modernidade” e tanta fúria assanhada de mudança nos ritos sagrados.
 
    Aqui se verá que tudo isso se deve ao ódio que satanás tem da Igreja, motivo pelo qual não encontra limites em sua ânsia de derrubá-la! Certamente, foi a partir da infiltração de pessoas que nunca foram de Deus dentro dela – por comunistas, sociedades secretas e máfia – numa verdadeira operação Cavalo de Tróia, conseguiram já grandes vitórias. Mas não temam: a vitória final será sempre de Deus. A eleição do Papa Bento XVI, daquela forma tão estupenda, foi uma prova de que Deus assiste a Igreja, e que o inferno não prevalecerá. É que os maus tinham como favas contadas que elegeriam já o anti-papa – um homem de sua inteira confiança – para terminar de implementar a religião única – a do diabo e da Nova Era – e a entrega do comando universal da Igreja ao anticristo.
 
     O homem que protagonizou esta história abaixo – verdadeira – recebeu de uma fora superior e imperiosa a obrigação de escrever o que segue mesmo contra sua furiosa negação. E antes que destruísse os papéis que escreveu, veio a falecer! Vejam:
 
Introdução
Esta é a história de um agente Comunista que se infiltrou na Igreja Católica em 1938, foi ao Seminário, tornou-se um sacerdote que exerceu enorme poder nos bastidores, participou arivamente do Concílio Vaticano II, e sem a intervenção do próprio Papa Paulo VI, teria destruído todo o trabalho daquele acontecimento. Teve êxito, porém, na elaboração de documentos ambíguos do Concílio que seriam utilizados como obra de base das futuras experiências dos incautos Prelados e Sacerdotes.
 
Estas experiências baseadas no “Espírito do Concílio” estão destruindo a Tradição da Igreja de 2000 anos, orientando os fiéis Católicos para a estrada da Grande Apostasia, e preparando a Igreja para a eleição do Anti-Papa e para a chegada do Anti-Cristo. Ele declarou: “O 'Espírito do Concílio' tornou-se para mim um trunfo-mestre.” Os leitores notarão que muitas mudanças nocivas propostas por este agente têm sido implementadas algumas em direta oposição ao Papa, nas dioceses locais e em todo o mundo. 
 
Este agente não possuía nome, apenas um número de código: AA-1025, dado pela Polícia Secreta Russa, significando Anti-Apóstolo número 1025. Houve, portanto,1024 agentes semelhantes, antes dele. A esta altura, devem existir alguns milhares deles infiltrados na Igreja Católica. Uns galgando posições de arcebispos e cardeais, muitos encabeçando os departamentos nas cúrias e congregações religiosas. Não é por acaso que as Tradições da Igreja, datadas de 2000 anos, estejam sendo demolidas lentamente pelas heresias como o Modernismo, Arianismo, Pelagianismo, Protestantismo, Ateísmo e Teologia da Libertação.
 
Não obstante, Nosso Senhor deixou uma mensagem confortadora: “E eu digo-te que tu és Pedro e
sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão
contra ela.” (Mateus 16:18). Mais adiante, Nosso Senhor prometeu: “...Eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo.” (Mateus 28:20). Esta passagem deve ser entendida literalmente, i. e., Nosso Senhor Jesus Cristo está vivendo realmente e verdadeiramente entre os fiéis Católicos no Seu Corpo, Seu Sangue, Alma e Divindade todo dia sobre o Altar na Missa e em todos os Tabernáculos até o fim do mundo.
 
O agente 1025 morreu num hospital após um acidente automobilístico. A enfermeira (Marie Carre) que cuidou dele, encontrou sua memória numa pasta. Após lê-la, decidiu publicá-la para o mundo, com o intuito de mostrar por que a Igreja Católica passa por mudanças destruidoras para o lamento de seus fiéis. A tradução inglesa é publicada sob o título de AA 1025, The Memoirs of an Anti-Apostle por Éditions Saint-Raphael, 31, rue King Ouest, Suite 212, Sherbrooke, Québec, Canada, 1988. 
 
Marie Carre deu-lhe o nome de Michael. Ele afirmou nas suas memórias que uma força irresistível impelia-o a escrever. Ele pretendia destruir os manuscritos para que ninguém os lesse. Porém Nosso Senhor declarou que nada pode permanecer oculto. “...porque nada há encoberto que se não venha a descobrir, nem oculto que se não venha a saber.” (Mateus 10:26) Neste caso, para a glória de Deus e para a consolação dos fiéis, Deus quis que as memórias fossem reveladas, e ninguém podia evitá-lo, nem o seu autor.
Este é outro exemplo de que é inútil lutar contra Deus Que declarou: Vede que sou eu só (o verdadeiro Deus), e que não há outro Deus fora de mim; eu faço morrer e faço viver; firo e curo, e não há quem possa tirar da minha mão (coisa alguma).” (Deuteronômio 32:39). Isto apenas fere o perseguidor como Nosso Senhor disse a Saulo (que mais tarde se tornou S. Paulo): Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra o aguilhão.” (Atos 26:14). 
 
Este Michael conheceu uma garota francesa que apelidou de “Cabelo Preso”. Eles se apaixonaram. Ele tentou persuadi-la a apoiá-lo na causa da destruição da Igreja Católica. Como uma Católica devota, ela se recusou terminantemente a apoiá-lo. Apesar de todos os argumentos sofisticados que o ajudaram a desviar até os clérigos da Igreja, ele falhou miseravelmente ante uma garota aparentemente ignorante. A carta escrita por ela é uma pequena obra-prima de teologia apologética. Apesar de seu amor por ele, ela se opunha ao seu ateísmo, defendendo Deus e a Igreja. Ademais, ela diz que se sacrificaria para salvá-lo. Ela ingressou num convento Carmelita para orar a Deus em seu nome. 
 
Finalmente, um exemplo de ambigüidade nos Documentos do Concílio Vaticano II pode ser observado nos trechos da Constituição da Sagrada Liturgia (Sacrosanctum Concilium, 4 de dezembro de 1963, Edição Revista, Costello Publishing Company.) Estes contêm uma série de: “sim, porém”:
21... Pois a liturgia é feita de elementos imutáveis divinamente instituídos, e de elementos sujeitos à mudança. Estes últimos não apenas podem ser modificados, mas devem ser modificados com o passar do tempo, se eles sofreram de intrusão de algo fora da harmonia com a natureza interna da liturgia ou
se tornaram menos apropriados. 
23.  A fim de que a sã tradição seja mantida, e ainda o caminho permaneça aberto para o progresso legítimo, uma investigação cuidadosa - teológica, histórica, e pastoral - deve sempre ser feita em cada parte da liturgia a ser revista. 
36.  (1) O uso da língua Latina, devido à lei particular, deve ser preservado nos ritos latinos. (2) Porém desde que seja o uso da língua vernácula, tanto nas Missas, na administração de sacramentos, ou em partes da liturgia, ser freqüentemente de grande vantagem para o povo, um uso mais amplo desta deve ser aplicado, especialmente nas leituras, diretivas e em algumas orações e cantos. 
37.  Mesmo na liturgia da Igreja não se deseja impor uma rígida uniformidade em matérias que não envolvem a fé ou o bem de toda a comunidade. Ao contrário, a Igreja respeita e promove as qualidades e talentos de várias raças e nações... Ela algumas vezes admite-as na própria liturgia, provida de que elas se harmonizem com seu verdadeiro e autêntico espírito. (Comentário: o bem de toda a comunidade torna-se um critério importante igual à em determinar se a liturgia deve ser adaptada (mudada) para os costumes locais! E se algo é considerado “bom para a comunidade”, porém é contra a tradição da Igreja?) (Tudo isso contém insídias diabólicas, que podem levar os padres a fazer mudanças, que quebram a unidade de rito e destroem a unidade da Igreja)
II.    Confissões de Agente Secreto Comunista
Michael nasceu em 1917 provavelmente de pais russos fugindo da Revolução Bolchevique. Um médico polonês e sua esposa acharam-no perambulando pelas ruas aos três anos de idade. O casal era Católico devoto, mas não tinha filhos. Eles adotaram-no e amaram-no como se fosse seu filho. Na sua confissão Michael relata que o casal polonês era muito bom para ele, muito generoso, e cheio de afeição.
 
Quando ele completou catorze anos, sua vida feliz mudou. Ele ouviu seus pais comentar que ele não era o filho legítimo, e, portanto estavam preocupados em obter o seu passaporte para ir com eles de Roma a Paris. Ele cresceu acreditando que eles eram os seus pais verdadeiros. A revelação desta verdade na família chocou-o e causou um ódio imediato por eles. Decidiu fugir da casa e encontrou um amigo que o apresentou ao seu tio, um oficial de alta patente na Polícia Secreta Russa. 
 
Michael completou os 6 anos de estudo e tinha cerca de 20 anos. Foi chamado para o escritório do Tio que lhe disse: Agora vou ordená-lo a praticar um ateísmo militante e internacional. Você terá de lutar contra todas as religiões, mas principalmente a Católica, que é a melhor organizada. Para tanto, você ingressará num seminário e tornar-se-á um sacerdote Católico Romano... para ser capaz de ingressar num seminário, você terá que voltar à Polônia, reconciliar-se com a sua família adotiva, e se apresentar para o bispo. 
 
O Tio acrescentou: Um agente secreto não possui sangue na sua veia, não possui coração, não ama ninguém, nem a si mesmo. É uma propriedade do Partido, que o devorará vivo e sem aviso. Mantenha muito bem tudo isto na sua mente: onde quer que você esteja, estaremos sempre vigiando e o eliminaremos na primeira falha. Isto deve ser bem entendido: se você estiver em algum perigo, mesmo não sendo da sua responsabilidade, não poderá esperar qualquer ajuda nossa. Você será desligado.
 
Ódio, exceto ódio de Deus, como o exemplo de Lênin, não entra nos nossos serviços. Preciso que você seja aceito por um verdadeiro
bispo da sua pátria natal, Polônia. Porém, não pretendemos que você continue os seus estudos naquele país. Não, você será enviado para um país além do Atlântico, mas isso é confidencial e você fingirá estar surpreso ao receber a ordem. Sim estamos temerosos de uma guerra européia por causa daquele tolo que manda na Alemanha. Portanto, parece mais esperto que você estude em algum outro lugar, Canadá, por exemplo. Nós temos outro motivo também. É que os Seminários Europeus são mais rigorosos que os da América.” 
 
O Tio deu outras instruções para Michael: “As dez pessoas que estarão diretamente subordinadas a você, nunca o conhecerão.” Para contatá-lo, terão de passar por mim. Portanto, você nunca será denunciado. Nós já temos sob nosso comando, numerosos religiosos em todos os países onde o Catolicismo está implantado, mas vocês nunca se conhecerão. Um deles é bispo. Talvez você venha a entrar em contato com ele, dependerá do nível que você alcançará.
 
 Temos espiões em todos os lugares e particularmente os mais velhos que seguem a imprensa do mundo inteiro. Um compêndio lhe será enviado regularmente. Saberemos facilmente quando as suas próprias idéias atingirão as pessoas. Veja, uma idéia é boa quando algum escritor idiota apresenta-a como sendo de sua autoria. Ninguém é mais conceituado que um escritor. Nós podemos confiar em tais escritores e nem precisamos treiná-los. Eles trabalham para nós sem saber, ou sem querer saber.    
 
Michael propôs ao Tio: Assim que eu entrar no seminário, acho que devo tentar descobrir como destruir tudo que me for ensinado. Mas para fazê-lo, devo estudar atentamente e integralmente, isto é, sem paixão, a História da Igreja, e não devo, particularmente, perder de vista o fato de que as perseguições somente fazem mártires de quem os Católicos têm tido razão em dizer que são as sementes do Cristianismo. Portanto, nenhum mártir. Não devo nunca esquecer que todas as religiões são baseadas no medo.
 
Portanto, se você eliminar o medo, você elimina a religião... Você deve orientar estas idéias à cabeça dos homens e particularmente à cabeça dos Sacerdotes para procurar a qualquer custo, uma religião universal na qual todas as igrejas se fundem. Para que esta idéia tome forma e vida, devemos inculcar nas pessoas piedosas, especialmente os Católicos Romanos, um sentimento de culpa no que diz respeito à única verdade na qual eles fingem viver... Eu era Católico, e muito Católico, digo, muito piedoso e zeloso até os meus 14 anos, e acredito que será razoavelmente fácil mostrar aos Católicos que há outras pessoas santas entre os Protestantes, Muçulmanos, Judeus, etc. ...
 
Da maneira que todos os homens possam ingressar (nesta Igreja Universal), isto poderia reter uma vaga idéia de Deus mais ou menos Criador, mais ou menos Bom, de acordo com as circunstâncias. Além disso, este Deus será útil apenas em períodos de calamidade. Então o medo ancestral encherá estes templos, mas em outras épocas estarão vazias.”  O Tio pensou um pouco e disse a Michael: “Temo que os clérigos Católicos vão logo notar o perigo e hostilizarão o seu projeto.” 
 
Michael retrucou:  “Isto é o que tem acontecido até agora. A minha idéia foi lançada pelos Não-Católicos e a Igreja Católica sempre fechou as suas portas a tais programas. É precisamente por isso que quero estudar uma maneira de modificar a sua mentalidade. Eu sei que não será fácil, mas teremos que trabalhar duro, durante vinte ou até cinqüenta anos, mas teremos sucesso no fim.”   O Tio perguntou:  “Por quê meios?”
 
Michael respondeu: “Por vários e sutis meios. Eu vejo a Igreja Católica como se ela fosse uma esfera. Para destruí-la, você deve atacá-la em numerosos pontos minúsculos, até que ela perca a aparência do que era. Teremos que ter muita paciência. Eu tenho muitas idéias que à primeira vista parecem insignificantes, infantis, mas estou certo que aquelas infantilidades sem importância tornar-se-ão uma arma invisível de grande eficiência.” 
 
Oito dias depois, Mi
chael encontrou-se com o chefe do Tio que ele descreveu como sendo um monstro, um bruto com a combinação de brutalidade, coerção, astúcia, sadismo e vulgaridade. O chefe disse a Michael: “Daqui em diante você estará na lista dos nossos agentes ativos. Você dará ordens semanalmente. Confio no seu Zelo. De antemão admito que levará muito tempo para destruir todas as religiões de dentro para fora, no entanto, é necessário que as ordens que você der, encontrem eco, notadamente entre escritores, jornalistas e até teólogos. Saiba que temos uma equipe que lê os escritos religiosos do mundo inteiro e que dá conselhos sobre diretivas de utilidade para tal agente. Portanto, dê o melhor de si. Tenho boas esperanças, porque parece-me que você já entendeu tudo por sua conta.” 
 
Seguem abaixo as próprias palavras de Michael a respeito de vários assuntos:  
Sobre a Missa (Notem que ele já era aqui sacerdote)
“O professor ensinou-me também uma maneira razoável de celebrar a Missa; desde os meus seis anos, eu era obrigado a acompanhá-la. Enquanto esperava uma profunda modificação de toda a cerimônia, o professor nunca pronunciava as palavras da Consagração. Porém, para não levantar suspeita, pronunciava palavras quase similares pelo menos, coincidindo o fim das frases. Ele me aconselhou a fazer o mesmo. Tudo que faz lembrar esta cerimônia, um sacrifício, deve, pouco a pouco, ser suprimido. Toda a cerimônia deve representar apenas uma refeição comunitária, como entre os Protestantes. Ele até certificou-me de que nunca deveria ser de outro modo. Ele trabalhava também na elaboração de um novo Ordinário da Missa e aconselhou-me a fazer o mesmo, porque parecia a ele que era desejável que todos apresentassem o maior número possível de sugestões para as mais diferenciadas Missas.” 
 
Fará algum bem se a profecia que ele enviou ao mundo fosse o seguinte: “Um dia, verás religiosos casados e missa celebrada em línguas vernaculares. Lembro-me com alegria que fui o primeiro a dizer estas coisas em 1938. Naquele mesmo ano incentivei as mulheres a pedir a ordenação. E advoguei por uma Missa não paroquial, mas uma Missa familiar que seria celebrada em casa, por pai e mãe, antes de cada refeição.”
 
Sobre a Sagrada Escritura > “Em Roma, tive uma conversa interessantíssima com um professor quando estava para receber a minha ordenação. Ele era um membro da nossa rede. Estava muito otimista. Havia se especializado na Sagrada Escritura e estava trabalhando numa nova tradução da Bíblia em inglês. O mais surpreendente é que ele havia escolhido um pastor luterano como seu único colaborador. O tal pastor, além disso, não estava mais de acordo com a sua própria igreja que lhe parecia ultrapassada.” 
 
“Esta colaboração, certamente, permaneceu secreta. A meta destes dois homens era livrar a humanidade de todos os sistemas criados através da Bíblia, e especialmente o Novo Testamento. Portanto, de acordo com eles, a virgindade de Maria, a Real Presença de Cristo na Eucaristia e a Sua Ressurreição deveriam ser colocados entre parêntesis, e, por fim, destinados a simples eliminação. A dignidade do homem moderno, para os seus olhos, valeria o tal preço.” 
 
“A modernização da Palavra de Deus muitas vezes permitia diminuir a obstinação da Igreja. E isso foi feito de uma maneira bastante natural. Estas novas traduções, além disso, facilitavam os diálogos Bíblicos onde púnhamos grandes esperanças... Um dos meus diálogos preferidos era a respeito do Papa, porque este personagem é realmente um obstáculo para mim.
 
Quando digo “este personagem”, quero dizer também os textos sobre os quais esse título é baseado. Esses textos são também embaraçosos para mim como também o são para os Cristãos Separados (como eles dizem).
Estou mito grato àquele que pensou que a palavra ‘prevalecer’ tinha se tornado incompreensível ao homem moderno e o substituiu por ‘ser capaz’. Ao invés de ‘as portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela (a Igreja)’, ele escreveu: ‘as portas do Inferno nunca serão capazes de fazer nada contra ela’.
 
Isto torna meus encontros de diálogos bíblicos muito mais fácil, pelo menos nos países em que se fala francês. Cada um nota rapidamente, que esta profecia, que finge que o inferno não pode fazer nada contra a Igreja, é totalmente falsa, e todos respiram aliviados, pois isso elimina esta crença secular na divina proteção que , definitivamente, sempre favorece os esforços dos Católicos (para ser entendido: nunca aquele texto dos Heréticos!).” 
 
Sobre o Papa > “No tempo em que eu brincava com a confissão, era particularmente sensível a um ponto da doutrina, isto é: ‘a sagrada virtude da obediência’ (como eles dizem). Esta obediência concernente especialmente ao Papa. Eu revirava esse problema em todos os ângulos, incapaz de entender...  Era, portanto obrigado a pedir nossos serviços especiais para tentar achar algo neles para abalar a confiança mostrada ao Papa pelos Católicos, e para (esta confiança) ser ridicularizada discretamente em todas as ocasiões possíveis. Eu não ignorei que pedia a eles algo muito difícil. Porém, acima de tudo, parecia primordial para eu incitar os Católicos a criticarem o Papa.” 
 
“Alguém foi encarregado de observar atentamente todos os escritos do Vaticano, a fim de detectar mesmo que sejam pequenos detalhes capazes de desagradar uma categoria de indivíduos. A qualidade daqueles que criticam o Papa não importa, a única coisa importante é que ele seja criticado. O ideal, certamente, seria de desagradar a todos, isto é, tanto os reacionários quanto os modernistas.” 
 
Sobre a Protestantização da Igreja  > “Era durante aqueles dias que eu lancei no mercado (nós podemos assim dizer), o programa que permitiria aos Católicos serem aceitos pelos Protestantes... Os Católicos têm esperado muito pelo retorno do Protestantismo ao domínio da Igreja Mãe. Era tempo de eles perderem a sua arrogância. A caridade faz disso um dever deles. Quando a caridade está em jogo, eu fingi, rindo por trás, nada de errado pode acontecer.”   “Profetizei com segurança, para que isso fosse repetido nos mesmos tons: a supressão de latim, de ornamentos sacerdotais, de estátuas e imagens, das velas e genuflexório (para que eles não precisassem ajoelhar mais)... E também comecei uma campanha pela supressão do Sinal da Cruz.” 
 
“Também profetizei, e, estávamos então em 1940, o desaparecimento dos altares, substituídos por uma mesa completamente nua, e também de todos os crucifixos, para que Cristo seja visto como um homem, não como um Deus. Insisti para que a Missa fosse apenas uma refeição comunitária para a qual todos fossem convidados, mesmo os não crentes. E cheguei a seguinte profecia: O Batismo, para o homem moderno, se tornou ridiculamente mágica. Dado com imersão ou não, o Batismo deve ser abandonado em favor de uma Religião Adulta.” 
 

“Além disso, tudo que é permitido entre Protestantes, mesmo que seja em uma seita apenas, deveria ser autorizado entre Católicos, isto é, os segundos casamentos de divorciados, poligamia, contracepção e eutanásia.” 
 
     Por Questão de limite em cada texto, me obrigo mais uma vez a repartir este texto em dois. Gostaria imensamente que os amigos lessem a parte seguinte, porque ela irá explicar o avanço das hostes do mal, no sentido de derrubar tudo aquilo que é divino e sagrado, conforme São Paulo previu em 2 Tess. Tudo isso tem o sentido de preparar o terreno do anticristo, pelo assalto final à Igreja. Mesmo que sabem que não conseguirão, eles não de
ixarão de tentar. E haverá um terrível abalo no mundo!
 
     De estarrecer efetivamente é o ódio manifesto com que tais pessoas agem. Sem motivo real, plausível, o ódio que expressam contra Deus é na realidade gratuito embora insano. Odeiam por odiar, e o simples fato de ardilosamente se infiltrar na Igreja Católica para a destruir, partindo de seu interior, já é uma prova de ódio sem limites a Deus. De fato, desde 1978 já circulam listas de cardeais e bispos da Igreja, também padres influentes, que pertencem às sociedades secretas.
 
     Tanto a Máfia, quanto estas sociedades e principalmente o comunismo – na realidade todos pertencem ao mesmo grupo de domínio mundial – conseguiram colocar dentro da Igreja eminentes personalidades, formadas no ódio contra Deus, verdadeiros sacrílegos que celebram para satanás. Quem duvida disso, ou é ingênuo, ou é conivente. O jornalista que denunciou isso foi assassinado um ano depois de publicar a lista. O papa Paulo VI tinha conhecimento dela e foi por eles trucidado. Abaixo se dirá que este santo papa aceitaria estas coisas contra a Igreja, porque, segundo consta, ele era mantido prisioneiro no Vaticano, sendo substituído muitas vezes por um sósia.
 
     Na realidade, nem tudo o que está pedido a seguir foi já implementado, porque Deus só permite que aconteça aquilo que não acabe com o mundo. Mas será como um fim do mundo, o momento em que o antipapa tomar o comando da Igreja, implementando então rapidamente, em todo mundo, tudo que falta nos planos do inferno. E Deus permitirá que eles façam isso, porque depois se dará mais esplendorosa e arrasadora Sua vitória. O mal não prevalecerá, embora ache que sim, e lute desesperadamente por isso. Leiam texto 2!
 
Arnaldo


 
 
 

Artigo Visto: 2385 - Impresso: 54 - Enviado: 18

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 633 - Total Visitas Únicas: 3.513.511 Usuários online: 50