Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
02/12/2006
Sete sinais
 
Apocalipse - 17 Sete sinais
Apocalipse - 17 Sete sinais

2061130 SETE SINAIS
 
     Estamos chegando ao final do ano litúrgico, e também do ano civil. O ano cível é um acontecimento normal, que se torna banal aos homens – falo ao mundo – e já não trás nada de diferente. Já o ano litúrgico, normalmente se encerra com todas as leituras e o Evangelho voltados para o tempo final. Entretanto, embora ano a ano se repita estes textos, verdade é que eles são sempre um grande sinal, um aviso, um alerta a todos os homens de fé, para que não esqueçam de observar os sinais que Deus nos envia.
 
     Este tempo, é certamente o que mais nos angustia – falo daqueles que sentem e vivem a mensagem do fim dos tempos – não porque temamos aquilo que as Escrituras nos voltam a lembrar e sim porque este é o tempo em que as homilias mais fogem do tema, onde a falta de coragem dos pregadores os impede de mergulhar no Apocalipse e falar com a alma aberta. De fato, se eles se ligassem nos grandes santos e bons pregadores da Igreja, saberiam já que não precisam ter medo de anunciar a 2ª Vinda de Jesus, porque os sinais que a antecedem, são exatamente aqueles que cumprem o Apocalipse. Hoje!
 
      Jesus nos pediu insistentemente que anunciássemos o Seu Reino, e deixou bem claro nos Evangelhos que voltaria novamente a terra, para terminar a implantação definitiva deste Reino glorioso, onde seu domínio se estenderá sobre todas as nações, raças e povos da terra. Trata-se então de um Reino também aqui na terra, pois se Deus tivesse criado um paraíso para que Adão e Eva vivessem apenas alguns meses nele, teria cometido a maior gafe e se metido na mais frustrante das experiências.
 
     Infelizmente temos milhares de pessoas, até de grande inteligência e cultura, que negam obstinadamente esta Vinda Intermédia de Jesus, alegando que haverá apenas uma vinda no Juízo Final, quando a terra será extinta. Ora, se assim fosse, centenas de versos bíblicos perderiam o efeito, e não se poderia dizer que “nenhuma letra da Escritura deixará de se cumprir”. Então Isaías teria cantado em vão e sido enganado quando dos capítulos 60 a 66 vai proclamando “novos Céus e Nova Terra”, onde finalmente haverá de imperar a Justiça divina, para uma paz permanente e uma alegria infinita. Nesta terra!
 
     É tempo então onde as homilias fogem do tema central e como facilitação para iludir aos que com tudo se conformam, acolhem o Natal do Menino Jesus como sendo esta vinda esperada, mal sabendo que isso é ser tolo avestruz e ignorar o problema chave. E a chave é que, não podemos falar em Advento Glorioso, sem lembrar os inumeráveis sinais que o antecedem. O Natal é um tempo de paz, de luzes, de festa! O 2º Advento é precedido de um tempo de guerras, calamidades, confusões na terra, e de tamanho caos que as Escrituras o indicam como “a Grande Tribulação”. São, pois, duas coisas diversas! E as leituras deste tempo, falam do segundo caso, não do primeiro.
 
     O que se tem visto amiúde entre os pregadores é que, quando não conseguem passar ao rebanho a falsa idéia do Natal em lugar do 2º Advento, passam então ataque dizendo que o Apocalipse já passou, e que estas coisas todas ali relatadas, se aplicam ao lado espiritual, e não ao físico. Tribulações, estrelas que caem, guerras, bestas, feras, flagelos, terremotos, tudo isso se referem a situações espirituais já explicados pelos padres da nossa Igreja. Será? Sim, para este
s, Nero foi o anticristo, e o Reino de Deus, a Jerusalém celeste é quando vamos para o Céu. Será mesmo? Não é sinal de tolice pensar assim?
 
     Passo então sete sinais de que estamos numa época ímpar, única, jamais havida desde que o homem existe na terra. Elas são provas seguras de que o Apocalipse está se desenrolando hoje diante de nossos olhos, como um filme e filme de terror. Provas de que ele não passou ainda, e que o pior ainda virá. Porque os cinco primeiros sinais são como advertência. Os outros dois ainda virão como força dos primeiros. E são estes dois últimos que pegarão de surpresa os incrédulos, os escarnecedores e os incautos.
 
     01 > As duas testemunhas: Apocalipse 11, 3 Mas incumbirei às minhas duas testemunhas, vestidas de saco, de profetizarem por mil duzentos e sessenta dias. 4 São eles as duas oliveiras e os dois candelabros que se mantêm diante do Senhor da terra. Como já explicamos isto, estas duas testemunhas são prefiguradas nos Sacratíssimos Corações de Jesus e Maria, que em todo mundo anunciam exatamente a chegada do Reino de Deus. Fazem isso, através de mensagens aos profetas atuais, em todo mundo! São eles que desde o último século têm se abalado dos céus para advertir a humanidade da chegada do Reino, pedindo a nossa conversão, a volta urgente para Deus.
 
     Como está em Joel 3, 1 Depois disso, acontecerá que derramarei o meu Espírito sobre todo ser vivo: vossos filhos e vossas filhas profetizarão; vossos anciãos terão sonhos, e vossos jovens terão visões. 2 Naqueles dias derramarei também o meu Espírito sobre os escravos e as escravas. Ora, nunca, em todos os tempos do homem, aconteceu algo semelhante a esta explosão de profetas e profecias, com visões e mensagens de Jesus e Maria. Sim, consideremos até que a maioria deles não é verdadeiro, mas é loucura negar a verdadeira e boa profecia. Negar isso é cometer o pecado contra o Espírito Santo, duvidando do poder de Deus. Esta é afinal uma prova irrefutável de Seu imenso amor, nos advertindo. Porque Ele em breve intervirá na história do homem! E duramente!
 
     Que anunciam estas testemunhas através dos profetas? Anunciam todas as confusões que são partes da grande tribulação predita pelo profeta Daniel. Falam de uma imensa crise espiritual, que atingiria toda a humanidade e o fruto dela seria uma sucessão quase infinita de catástrofes motivadas justamente pelos efeitos da primeira. Porque a crise de fé que se abate hoje sobre a humanidade é certamente a protagonista das catástrofes, ela é fruto da primeira. Apostasia que explode no pecado, com uma violência que ultrapassa a Sodoma, e nos faz alvo iminente da ira divina. Qual o segundo sinal?
 
     2 > Natureza em transe: No Capítulo 24 do Evangelho de Mateus, Jesus nos alerta que antes da vinda do Filho do homem, a terra se encheria de eventos catastróficos, como o aumento assombroso do número de terremotos, furacões, atividade sísmica exagerada, enchentes, avalanches, confusão das águas, além de acidentes naturais diversos e ainda os provocados pelo homem. E isso está mais do que provado. Se o anticristo tivesse sido Nero, os terremotos e furacões deveriam ser seus contemporâneos. Como estas coisas só começaram a se acentuar nas últimas décadas, então devemos achar outra explicação, sob pe
na de cairmos no ridículo. Mas a maioria da humanidade continua sendo ridícula!
 
     Sim, porque estas catástrofes naturais são exatamente provas de que a terra inteira treme de verdadeiro pavor, a cada passo que o anticristo dá sobre ela. A terra treme, o ar se revolta, a água foge dos seus ciclos, o fogo se exacerba em fúrias, somente devido ao acumulo do pecado humano sobre ela. Pecado que dá vida ao espírito do anticristo e o materializa. E quanto mais se acumula o pecado na terra, maior será também o fragor dos eventos, pois sempre mais que proporcionais à causa. Como disse: todos os elementos tremem de pavor, para que os homens também se preparem a fim de enfrentarem a fera, que já pisa seus passos imundos sobre nosso planeta, e já age.
 
     3 > A primeira fera: Apocalipse 13, 1 Vi, então, levantar-se do mar uma Fera que tinha dez chifres e sete cabeças; sobre os chifres, dez diademas; e nas suas cabeças, nomes blasfematórios. 2 A Fera que eu vi era semelhante a uma pantera: os pés como de urso, e as fauces como de leão. Deu-lhe o Dragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade. Ao Padre Gobbi a Nossa Senhora resumiu assim: Os dez chifres com dez diademas são os 10 blocos econômicos do projeto da Globalização, que devem ser comandados por 10 grandes reis subjugados à fera. As sete cabeças com sete nomes blasfematórios, são os sete vícios capitais, que eles tratam de difundir em toda a terra. Ou seja, difundir o pecado sob todas as formas possíveis, eis porque chegamos a este estágio de morte.
 
     Ora isso, nunca teve, e então se descarta que o Apocalipse já se cumpriu. A fera se personifica num conjunto de homens e de ações, que se encaminham para entregar todo o poder da terra para uma só pessoa, a quem Lúcifer transferirá todo o seu poder. A figura da pantera, do leão e do urso são associadas respectivamente às atuais três superpotências: China, Estados Unidos e Rússia! Creio que não erraria dizendo que 90% do poderio bélico atual da terra pertencem a eles. É óbvio que cada uma destas nações tem países satélites, que numa eventual guerra, serão aliados, uns contra os outros.
 
     Então, esta fera vive hoje. E já atua por trás dos bastidores. Não é uma pessoa ainda, mas um grupo de pessoas que decidiu entregar o comando do planeta terra ao demônio. Como Lúcifer não pode reinar de forma visível, se personificará em um homem, cujo número é 666. Ora, todo este projeto de marcação dos seres humanos, a começar pelos códigos de barras dos produtos, indo pelos controles bancários e cartões de crédito é algo que somente hoje está acontecendo. Trata-se de um projeto, e não apenas um homem!
 
      De fato, hoje os animais estão sendo chipados nas matas, o gado nos campos, bichos de estimação nas casas, e agora o projeto de implantação do chip nos automóveis, tudo isso tem o objetivo de centralizar o comando das coisas numa só mão, ou nas mãos de um só homem, ou de um grupo dominador. Também os homens estão recebendo um implante digital nas costas da m
ão ou na testa, conforme está no Apocalipse, eis a marca da besta. Como é que alguém poderá dizer que o Apocalipse já se cumpriu nos tempos de Nero, se lá não existia o projeto 666? Não há como refutar este argumento! É hoje!
 
     4 > A segunda fera: Também está em Apocalipse 13, 11 Vi, então, outra Fera subir da terra. Tinha dois chifres como um cordeiro, mas falava como um dragão. 12 Ela exercia todo o poder da primeira Fera, sob a vigilância desta, e fez com que a terra e os seus habitantes adorassem a primeira Fera... Conforme as explicações de Nossa Senhora ao Padre Gobbi, esta fera na verdade está dentro da Igreja Católica, e isso nós já vimos nos últimos artigos que escrevi sobre a Igreja. São pessoas infiltradas nos comandos chave da Igreja Católica, são na realidade furiosos inimigos dela ali postos pela primeira fera, para que promovam a sua destruição a partir de seu interior.
 
     Esta fera tem dois chifres simbolizados no “chapéu” que os bispos usam, e se posta dentro da Igreja de forma escondida. Mostra-se como um cordeiro, mas na realidade fala e age como um dragão. Porque quer implantar nela, exatamente a doutrina do dragão em combate direito contra a Verdade de Cristo. Sua doutrina é a da perdição eterna, e sua luta é pela implantação dos vícios capitais, conforme as determinações do Dragão. Por isso ela quer abrir espaços na Igreja, para aceitação da cultura de morte pela aprovação do aborto e da eutanásia e pela promoção e aceitação do pecado gay como normalidade. Ela prega que o pecado não existe, quer padres casados e ordenação de mulheres.
 
     De fato, seu trabalho de infiltração não pode ser mais negado, porque como já vimos, hoje existe uma outra Igreja, que como “tomou o corpo” da verdadeira, faltando apenas a ela, suprimir a “cabeça” da Igreja, o trono de Pedro. Neste sentido, tal como no caso da primeira fera, é um conjunto de pessoas que a forma, igualmente aqui é um conjunto de pessoas ligadas a seitas secretas, aliados ao comunismo e à máfia que lhe dá esta idéia de pessoa. Na realidade, isso não implica em um único homem – se diria um antipapa – mas se comprova sem dúvida no conjunto. São assim, muitos antipapas!
 
     Nós sempre tínhamos uma dificuldade de aplicar as profecias de São Malaquias, com referência aos últimos 112 papas da Igreja, porque não sabíamos se o número 111 seria de fato um antipapa, ou um papa verdadeiro. Mas hoje, vendo preenchido este número na pessoa do nosso querido Papa Bento XVI não temos mais dúvidas de que ele é verdadeiro. E como as mensagens nos falam que o último Pedro – o nº 112 – virá somente depois da tribulação – da 3ª Guerra e do primeiro astro – então isso nos abre uma perspectiva até agora inusitada: de que não haverá necessáriamente um antipapa – porque Pedro continuará vivo, escondido – e sim que o trono se fragmentará em muitos cetros.
 
     Vejam: isso não quer dizer que não possa haver esta figura, que não será contada no número dos papas, mas abre espaço para que, depois de um tempo, o próprio anticristo tome o lugar de Pedro, até porque este é efetivamente seu único desejo. Existe, pois uma chance de que esta criatura de fato encampará os dois tronos – da Igreja e do mundo – no momento em que o cetro da Igreja Católica se esfacelar em mil partes. Aliás, a figura dos homens da Igreja, que hoje combatem o Santo Padre o Papa, que contradizem suas determinações, que não mais obedecem às suas
ordens, é preenchida por um grande número de “estrelas” do Céu. Imaginem, está dito que o dragão varreu 2/3 delas do Céu, com sua cauda... Sim, é uma figura espiritual que se cobre de barretes vermelhos! São os que desobedecem ao papa e lhe causam embaraços, trabalhando assim para o inimigo.
 
     Assim, à medida que os atuantes exércitos do horror implantam na terra seu regime de ódio e pecado, toda a natureza passa a mostrar sinais de cansaço, de aborrecimento e porque não dizer, de grande ira? Esta ira da natureza não é somente representada pela explosão dos elementos e os desastres que acima apontamos, mas também por outros flagelos que atingem diretamente ao homem, em seu corpo. Todos eles são frutos da explosão do pecado, que avassala a terra e ameaça fazer sucumbir toda a humanidade. O Apocalipse anuncia sete flagelos, que hoje atormentam a toda a humanidade. Quais?
 
     5 > As sete taças da ira: Como está em Apocalipse 16, 1 Ouvi, então, uma voz forte saindo do templo, que dizia aos sete Anjos: Ide, e derramai sobre a terra as sete taças da ira de Deus. Há um longo texto neste capítulo explicando cada uma das taças, mas poderemos sintetizar assim: a > ulceras de pele; b > envenenamento dos mares > c > envenenamento dos rios e fontes; d > efeitos nocivos do sol escaldante; e > efeitos perniciosos dos animais; f > a grande seca em muitas regiões; g > flagelos e chuvas de pedra de até 36 Kg. Tudo isso está já acontecendo, e pode ser visto em todo o planeta.
 
     Ora, ninguém ignora o avanço da AIDs e de todo tipo de flagelo causado pelo câncer em todas as partes do corpo. O organismo humano está completamente debilitado devido à ingestão de um sem número de produtos químicos não metabolizados pela via natural, coisas que são colocadas nos alimentos, nas bebidas e medicamentos. Em vista disso, o nosso organismo não mais resiste aos ataques das bactérias e vírus, até porque que estes se proliferam como nunca visto, com doenças novas e estranhas. Deve-se aliar a isso à presença putrefata dos demônios espalhados por toda terra, que tudo a contamina. Eles têm recebido poder de afligirem aos homens, e o fazem com maestria!
 
     Da mesma forma, não se pode ignorar a lenta degradação dos mares e dos rios, do ciclo geral das águas, talvez hoje o elemento que se manifesta de maneira mais visível. De um modo geral vemos desaparecer a boa água potável e natural, dando lugar a uma degradação ambiental sem precedentes na história humana. O envenenamento dos rios e mares por bilhões de pesticidas diferentes, causa sem dúvida a dizimação da flora e da fauna, e tudo isso retorna para o homem que delas se alimenta. O ciclo venenoso do caos se avoluma dia a dia, de modo que não temos mais que 5% de água pura na terra.
 
     Outro fator de alta gravidade é o efeito pernicioso do sol, que queima a pele como nunca antes, causado pela destruição das altas camadas da atmosfera. Isso se faz pela explosão da loucura humana em busca do lucro, que faz expelir aos ares quantidades crescentes de gazes poluentes, num volume tal que a natureza não mais consegue reciclar. Isso provoca o chamado “efeito estufa”, que faz acelerar o processo, pois o calor retorna para a terra, fazendo prejudicar toda a natureza. Com isso, muda-se o regime das chuvas,
e acontece o degelo exagerado das geleiras, calotas polares e cumes nevados.
 
     Ninguém pode negar os efeitos prejudiciais da quebra de todo este ciclo sobre a fauna terrestre, que assume comportamentos cada vez mais estranhos. De fato, as aves de arribação e de migração mudam repentinamente suas rotas milenares, e tem acontecido de jogarem-se no mar ou morrerem de fome e exaustão. Além disso, alteram todo o seu ciclo de cria e nidificação, porque parece terem perdido a noção dos tempos, que como nunca correm acelerados. Naturalmente que, com isso tudo, também as árvores perdem como a noção do ciclo vital, florescendo fora de época e frutificando em forma temporã. Se alguém acha que isso nada tem a ver, então espere vê-las não produzirem mais nada.
 
     Como resultado de toda esta degradação, que se irá acentuando na medida em que os dias correm, não se deve dispensar o advento de chuvas de pedra de até um talento – em torno de 36 Kg – conforme anuncia o Apocalipse. Acontecerá então a falência de todos os elementos e sua desagregação completa. Quem acha isso impossível que aguarde os dias deste horror, onde nos jornais não caberão estas manchetes. Cremos, porém, que em grande parte isso acontecerá numa segunda etapa, falo depois do primeiro astro, pois se trata de todo um ciclo que vai se acelerando como um diapasão: quanto mais na ponta se estiver, mais forte o impacto e maior o efeito de cada ação negativa. Uma puxa a outra! E tudo mais se acelera! Há muito então que vir pela frente! Faltam dois!
 
     6 > A cavalaria infernal: Como está em Apocalipse 9, 12 Terminado assim o primeiro ai, eis que, depois dele, vêm ainda dois outros. 13 O sexto anjo tocou a trombeta. Ouvi então uma voz que vinha dos quatro cantos do altar de ouro, que está diante de Deus, 14 e que dizia ao sexto anjo que tinha a trombeta: Solta os quatro Anjos que estão acorrentados à beira do grande rio Eufrates. 15 Então foram soltos os quatro Anjos que se conservavam preparados para a hora, o dia, o mês e o ano da matança da terça parte dos homens... 16 O número de soldados desta cavalaria era de duzentos milhões. Eu ouvi o seu número.
 
     Ora, na medida em que os primeiros cinco eventos apontados forem aumentando os seus atos e efeitos prejudiciais, eles tenderão a mexer com toda a estrutura mundial, afetando todas as sociedades e rompendo seu já precário tecido social. As profecias dão conta de que o grande caos que dá início à 3ª Guerra Mundial, começará exatamente pelas nações que tiveram a ousadia de legalizar o aborto. Elas serão as primeiras a beber do cálice da Ira de Deus. Porque não existe na terra crime mais hediondo e nada que mais ofenda ao Deus Criador e Pai. Nestas nações irromperão guerras civis, que rapidamente prepararão o cenário da última guerra do homem.
 
     Os motivos para o seu início talvez nos sejam revelados na abertura do 3º Segredo de Fátima, mas não importa o motivo e sim o fato. Qualquer pessoa com um mínimo de tirocínio identificará o Oriente Médio como o barril de explosão inicial. Aqueles povos, amantes da guerra, formados pelo ódio milenar que lhes entra pelas narinas e verte até pelos poros, afinal nem precisam de pretexto para guerrear: eles adoram se matar até entre si, vejam o Iraque! E para eles transformarem o mundo num outro Iraque, não precisam de muitos motivos e argumentos. E seu alvo de ódio extremado naturalmente é o Estado de Israel. É sobre ele se lançarão inicialmente os exércitos do anticristo.
 
     Entretanto somente as nações muçulmanas não detêm poder de fogo para enfrentar uma guerra em escala mundi
al. Mas é disso que se aproveitarão aqueles que têm estas armas, Rússia e China, esta, aliás, que hoje forma o mais pavoroso de todos os exércitos já havidos na terra. A China realmente tem condições de colocar em armas 200 milhões de soldados, o que em número de soldados a faz rivalizar com todo o resto da terra. Todos os indicativos são de que o monstro vermelho – o comunismo russo e chinês – tratará de aproveitar-se da crise mundial, para ampliar seus domínios territoriais e políticos. Então se verá a mãe das guerras, que ceifará da terra 1/3 parte de seus habitantes.
 
     7 > Os astros que vêm. Apocalipse 8,  8 O segundo anjo tocou. Caiu então no mar como que grande montanha, ardendo em fogo, e transformou-se em sangue uma terça parte do mar, 9 morreu uma terça parte das criaturas que estavam no mar e pereceu uma terça parte dos navios. 10 O terceiro anjo tocou a trombeta. Caiu então do céu uma grande estrela a arder como um facho; caiu sobre a terça parte dos rios e sobre as fontes. 11 O nome da estrela era Absinto. Assim, uma terça parte das águas transformou-se em absinto e muitos homens morreram por ter bebido dessas águas envenenadas.
 
     Vemos então aqui duas situações de astros caindo sobre a terra. Na realidade, eles não vêm como castigo para a humanidade, mas como obra da misericórdia divina. Embora se preveja que esta primeira montanha ao bater na terra, ceife mais de 1/3 parte dos seus habitantes, na realidade ela vem também para acabar com a guerra. Porque partirá a terra. Virá num momento em que os homens, enlouquecidos, estarão prestes a explodir seus arsenais nucleares, uns sobre os outros, fato que eliminaria a humanidade inviabilizando a vida na terra. O astro vem então para fazer parar os exércitos, permitindo que reste ainda uma parte dos homens, para a dolorosa purificação que se seguirá.
 
     Sim, como presumimos, entre este primeiro astro e o segundo, haverá um tempo ainda de horrores na terra, com as colheitas dizimadas, sem água porque o astro esfacelará toda a terra eliminando as nascentes, tempo de muita miséria e fome. Mas tempo também da explosão do amor de Deus, que nos fará amparar por seus anjos e santos. Será o tempo da grande evangelização como preparativo da chegada de Jesus que vem. Vem depois do segundo astro e dos Três dias de Trevas, onde a terra ficará livre dos últimos homens maus, eles e seu germe maldito, e para todo o sempre. Eles, suas crias e seu pai Lúcifer, como toda a sua caterva infernal. Só então chega o Juiz! E depois Dele, para um pequeníssimo resto, começa a nova aventura, no paraíso terrestre. A Nova Terra!
 
     Temos assim resumidamente apontados, sete sinais irrefutáveis, que nos mostram com toda clareza a evidência do Apocalipse hoje. Qualquer pessoa que os negue, o fará por dois motivos: 1 > Sabe que são sinais, mas nega porque é conivente com satanás, e quer que o povo não se prepare e seja pego de surpresa; 2 > Pensa que sabe das coisas, mas é mais é mais cego do que toupeira. Seu orgulho desmedido lhe obstrui a visão, tapa os ouvidos, e empana os sentidos. Porque até mesmo de olhos fechados, até mesmo com os ouvidos tapados, se poderá, até pelo cheiro do ar, sentir e evidência dos fatos.
 
     Na verdade, não nos compete provar nada para ninguém. As Escrituras estão aí, desde os milênios, bem abertas e à disposição de todos. Só não vê quem não quer! Só não sabe quem não deseja saber! Só não entende quem não quer entender! Só não sente quem pelo orgulho já embruteceu a alma – corações de pedra – de tal forma que se tornou presa fácil de satanás. Que as faz de ridículo, pois joguete infame em suas prestidigitadoras mãos. Para estes não resta outra coisa senão a dor. Somente a dor imensa, somente o choque brutal da realidade explodind
o diante de seus olhos, somente se afogando em rios de sangue e ódio para que se acordem. Tarde, muito tarde para milhões de teimosos!
 
     Aos que a Bondade divina permitiu entender, duas coisas são essenciais hoje: 1 > Agradecer diariamente de joelhos a graça de ter olhos, ouvidos, e coração de carne; 2 > rezar e muito para poder se manter fiel até o fim, porque as provações serão inauditas. O tempo que segue ao afastamento de Bento XVI – e não pode ser outro – será de tamanha angustia e tribulação para a humanidade, que o próprio Jesus diz: os homens definharão de medo, na expectativa do que está por vir! Quem já teve a graça de ver, mesmo em sonho, uma chuva de pedras de mais de 30 quilos caindo sobre uma cidade, e chovendo fogo do céu, e que viu se desagregarem todos os elementos, sabe do que fala. Acontecerá!
 
     Tens olhos? Veja! Tens ouvidos? Ouça! Então avise, ou cale-se para sempre! Mas reze!
Arnaldo
 


 
 
 

Artigo Visto: 2420 - Impresso: 51 - Enviado: 18

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 138 - Total Visitas Únicas: 3.178.209 Usuários online: 41