Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título
Você está em: MENU PRINCIPAL / Deus / Adoração




 
 
15/11/2005
Adoração
 
Deus - 07 Adoração
Deus - 07 Adoração

2051114 ADORAÇÃO
 
     Nos últimos anos, dia após dia, temos anunciado os sinais dos tempos, fazendo ver a todos aqueles de boa vontade, que estamos a cada dia mais próximos de ter que dar contas a Deus de nossos atos. De mostrar a Ele o que fizemos com nossos talentos, eis que vem o Juiz, e Ele julgará com justiça. Naturalmente que dentre estes sinais, junto anunciamos as catástrofes previstas para este tempo – que antecede o grande Julgamento das nações como um todo, e das pessoas cada uma – coisas anunciadas pelo próprio Jesus nas Sagradas Escrituras. Coisas já antes anunciadas pelos profetas que falaram a respeito do Dia do Senhor, aquele, que virá como um ladrão, de surpresa.
 
     Na realidade, não inventamos nada. Tudo aquilo que os bons profetas atuais nos têm anunciado, já constam das Escrituras. O que eles fazem, apenas, é mostrar que tais e quais fatos se referem exatamente aos sinais profetizados, nada mais que isto. Muitos, no entanto, se furtam à verdade, maldizendo os profetas e fazendo pouco caso das suas profecias – até com poses de doutos e entendidos – na vã certeza de que tudo isso é uma loucura, que são loucos e milenaristas os que pensam desta forma, pois – pensam – tais fatos demandarão ainda séculos e até milênios para nos atingir. E a imensa maioria das pessoas prefere dar ouvidos a esta insana cantilena, porque lhes parece mais conveniente agora, pois não demanda necessidade de conversão. De mudança radical de vida!
 
     Mas existe também um povo fiel e atento aos sinais. Poucos mas existem. E entre estes poucos vigilantes, estas poucas virgens prudentes, é comum se ouvir um pedido, até patético: e se todos nós rezássemos? Quem sabe Deus não mudaria o curso dos fatos e nos traria uma redenção sem traumas? Quem sabe Deus se apiedasse de nós, e não nos fizesse ver o abismo e o caos se abrirem debaixo de nossos pés, mais que isso, evitar que nós víssemos, presenciássemos a dor e o pranto, de milhões de pobres incautos, que hoje não querem se preparar? Não querem, nem ver nem ouvir? Porque isso nós veremos, sim, e com toda a sua magnitude, em todo o seu terrificante horror.
 
     Eu tinha planejado este texto, mas precisava de alguma centelha, uma faísca para acende-lo. E ela me chegou, em uma simples e bela carta, vinda da distante Índia, de uma missão católica do Estado de Kerala. Meu texto fala sobre a Eucaristia, doce e santo Mistério de nossa vida cristã. A carta fala sobre a adoração ao Santíssimo, feita naquele distante país pagão, e mostra como aquele povo, agora educado na fé católica, pode largar suas vacas e elefantes, para mergulhar com sede ardorosa e sofreguidão, neste sublime Mistério do Amor de Deus. Mostro primeiro a carta e depois continuamos. Aliás, não quero falar muitas coisas apenas fazer um desafio ao final. Vamos ao padre que escreveu a carta, em resposta, e depois de haver lido nosso livro: Padre Um Ser Cheio de Graças:
 
Neste mês de Outubro com a reunião do Sínodo dos Bispos, terá fim o Ano Eucarístico promulgado pelo venerável Papa João Paulo lI. Como homenagem ao Santíssimo Sacramento, escrevo estas breves linhas, para que se possa reavivar em cada leitor um novo ardor e devoção a este Santíssimo e Diviníssimo Sacramento. Escrevo minha experiência vivida e participada aqui na Índia, especialmente aqui no estado do Kerala, onde vivo. O Povo cristão, católico, aqui venera e adora realmente ao Santíssimo Sacramento da Eucaristia. A Missa dominical é celebrada com o máximo respeito e fé.
 
Há poucos dias participei da cerimônia de primeiros votos, de sete Irmãs de uma Congregação local. A Santa Missa, celebrada por um Bispo, durou três horas, mas não cansou, pois foi celebrada com cânticos, orações e fé, especialmente . Após houve o almoço de confraternização. Durou apenas 15 minutos! Pensei
comigo: Em outras partes acontece o contrário: poucos minutos para a Missa e muito tempo para o almoço. Quem está mais certo?
 
Durante os dias da semana há sempre Santas Missas com a participação do povo. Além disso várias pessoas entram na igreja para fazerem sua visita à Eucaristia e rezar. Em várias paróquias há também Bênção com o Santíssimo e procissão, como era em meu tempo de criança, em minha paróquia. Há adoração perpétua em algumas igrejas e em certas dioceses, acontece a adoração perpétua, um dia em cada paróquia, ou casa religiosa. Um dia entrei numa igreja com adoração perpétua e logo em seguida, bem perto, numa outra igreja, onde também havia adoração.
 
Aqui um reitor de um seminário queria mandar para casa um seminarista porque fazia poucas visitas na igreja. O que dizer de outros seminários onde não só não visitam a Capela do Santíssimo, mas nem participam da Santa Missa e talvez nem aos Domingos?
Tive a oportunidade de participar de um encontro de religiosos na Arquidiocese de  Verapoly. O encontro teve início às 10:00 horas da manhã, com adoração eucarística. Eu pensava que a adoração durasse uma meia hora ou no máximo uma hora.... A adoração durou todo o dia, até às 5:00 horas da tarde, com a celebração da Santa Missa pelo Arcebispo.""Havia mais ou menos 500 religiosos. Três quartas partes da catedral eram ocupadas pelas religiosas e junioristas, e um quarto pelos religiosos e seminaristas. Do meio-dia às 2:00 da tarde houve o almoço na casa do bispo, mas a adoração continuava. No final do encontro, houve “Tchaia” – chá com leite – para todos.
                       
Considerações: (do padre)
1. Não houve debates, programas, discussões. Tudo isso pode ser útil, mas quem pode transformar o mundo, não somos nos, mas Cristo. Tudo estava concentrado num ponto, numa Pessoa, a Pessoa de Cristo Eucarístico. E isto é o essencial para as nossas reuniões, especialmente de religiosos. Muitas vezes nós colocamos no centro as nossas pessoas, os nossos programas, as nossas capacidades, enfim o nosso eu, e esquecemos Jesus, o verdadeiro mestre e guia de nossa vida, a luz a iluminar o nosso caminho, a força para as nossas fraquezas, a alegria para as nossas provações e cruzes.
 
João Paulo II disse: "Todo encontro com Cristo deixa marcas profundas". Por isto aqui não se discute sobre a Vida Religiosa. Tudo anda bem, seguindo a milenar tradição. Não há necessidade de modernização, como muitos predizem. Se há crises na comunidade, especialmente nas comunidades religiosas é crise de fé, de oração, de adoração Eucarística. Acredito que aqui descobriram o caminho certo. Esta reunião demonstrou mais uma vez.
                                                                                                                                  Recordo um retiro que participei em Fátima, Portugal. O pregador foi um bispo francês. Entre outras belas mensagens que nos deu, recordo muito esta. Foi um segredo. Ele  nos disse: querem que as vossas comunidades cristãs, as vossas paróquias –  éramos todos párocos – perseverem no bem, aumentem o fervor, e adquiram mais força e vigor? O segredo –  disse ele – está na ADORAÇÃO EUCARISTICA. Depois de 5:00 horas de adoração eu me senti revitalizado. O dia valeu por um retiro. E penso também para os demais meus colegas religiosos, seminaristas e junioristas que participaram do encontro.
 
2. Conseqüência da adoração Eucarística? A alegria, a fraternidade, a irmandade, e a transparente santidade expressa nos presentes. Observei após o encontro ao sair da catedral a alegria reinante. Foi um novo Pentecostes que se abateu sobre a Igreja. Todos exultantes, saindo do templo do Senhor com uma alegria indescritível.
 
3. Muito fraternal foi a presença do Senhor Arcebispo, durante todo o dia com as ovelhas do
seu rebanho. Com a sua simplicidade e santidade de carmelita, soube acompanhar nesse dia de encontro os seus filhos com o exemplo de sua paterna presença.
 
4.Um outro ponto positivo foi a generosidade da Diocese em oferecer almoço abundante para todos os participantes, religiosos, inclusive seminaristas e junioristas. E isto acontece cada vez que somos chamados para um encontro ou em festas e celebrações. Nunca falta almoço para todos. Em outros lugares se faz tanta dificuldade para dar refeição. Penso que Deus abençoa a parte econômica ­quando se põe Ele em primeiro lugar.
 
5.Durante a adoração muitos leigos entravam na catedral para rezar e adorar conosco. Outras tantas entravam para fazerem sua breve visita! Pensei comigo: Certamente essas pessoas deverão ficar edificadas vendo tantos sacerdotes e irmãs, pessoas consagradas rezando, adorando. Penso que se dermos atenção ao nosso mestre e guia, Jesus Cristo, ele nos guia, sem precisar de tantos mestres e assessores. Para mim é melhor ocupar o nosso tempo diante do tabernáculo do que tantas reuniões papéis e burocracia.
 
Disse um escritor: "No dia em que os religiosos e sacerdotes descobrirem o valor da oração diante do tabernáculo, a Igreja e o Mundo se transformarão". Temos um grande exemplo de devoção à Eucaristia em São João Maria Vianney. Como sabemos pela história, ele transformou a comunidade de Ars, na França com a oração. Uma pessoa atesta que o encontrou na mesma posição diante do sacrário rezando pela manhã, ao meio-dia, à tarde, e à noite. O único método que usava, o único plano de seu programa era Cristo e Cristo Eucarístico, que o transformou dia a dia em um "outro Cristo".
 
Conclusão: Quando uma pessoa, pai de família está para morrer, faz o seu testamento e nele diz a coisas que sabe serem importantes para seus filhos. O nosso Papa João Paulo lI, nos deixou este belo testamento: O ano Eucarístico, para podermos descobrir seu grande valor para a nossa vida cristã. Depende de nós valorizar seus ensinamentos. Disse-nos ele: "A Eucaristia, o grande mistério de fé e de amor. .. O Segredo da Santidade. Fonte inexaurível de graças e de bênçãos... o maior tesouro da Igreja." Realmente Jesus Cristo, nos tabernáculos, vive entre nós. Se quisermos realizar nossas vidas, nossas comunidades, nossas famílias, a Igreja, as Congregações, o mundo, o segredo está na Adoração Eucarística, a exemplo dos católicos na Índia. Assim seja... (Assina ilegível)
 
      Bem, depois desta carta, eu me sinto triste. Li e reli muitas vezes, e cada vez que volto a ler, mais aumenta a minha tristeza. Por saber que um exemplo destes acontece lá tão longe, num país que adora os animais, ratos, cobras, vacas, gatos, sapos e elefantes, quando aqui, no maior país católico do mundo, toma conta o descaso, a preguiça, e no extremo oposto um quase ódio a Jesus Eucarístico. Aqui, onde há Igrejas e sacrários por toda parte, deveria ser um local de bênçãos infinitas, entretanto se torna em alvo de castigo, porque poucos são os que realmente adoram ao Santíssimo Sacramento.
 
     Eu poderia aqui comentar cada um dos pontos negritados, do texto acima, mas peço ao leitor, que ao invés disso releia a carta deste sacerdote brasileiro, de uma missão tão distante. A carta fala por si só! Ela mostra claramente que se colocarmos Jesus na frente de tudo, falo de Jesus Eucarístico, tudo na terra muda, e muda rápido. Muda com a mesma rapidez de um pensamento; basta uma atitude concreta de todo o povo católico, nem falo de outros povos que não acreditam que Jesus é a Eucaristia Viva. Está na adoração a Jesus Eucarístico a solução para tudo, neste mundo conturbado.
 
     Sabem, pessoalmente devo confessar – já fiz isto antes – que existe ainda em mim uma grande barreira a ser vencida, entre aquilo que posso dizer, e aquilo que consigo viver. Não, não se trata de não tentar, antes de tentar e não conseguir. Na realida
de percebo que a pequenez da gente é incapaz de entender aquilo que se deveria viver. Somos vasos diminutos para comportar a imensidão deste Mistério de Amor. Mas sei, e por isso afirmo, com toda a força de meu coração, que se os homens realmente quisessem ver resolvidos todos os seus problemas, teriam na Adoração a Jesus Sacramentado, a solução.
 
     Antes, acima, mencionei as catástrofes, as desgraças, a tribulação que se avizinham. E repeti a pergunta de muitos: e se nós rezássemos? Não digo apenas rezássemos, mas vou substituir por outras palavras e pergunto: e se adorássemos a Jesus no Santíssimo Sacramento? Ó sim, aí viria a solução! Não somente a solução, mas mais que isso, uma mudança completa nos planos de Deus! Sim, nos planos de Deus, os homens podem muda-los, já mostramos isso em outros trabalhos, e o provamos. Bastaria que houvesse uma reposta geral, de todos os católicos unidos!
 
     Vou ser bem claro e bem direto: se, digo se, todos os católicos, cientes daquilo que nos espera, uníssonos, num só corpo e num só joelho, nos uníssemos como os irmãos da distante Índia, e permanecêssemos em oração, digamos, por três dias inteiros, pedindo – melhor, nem precisaríamos pedir nada – apenas adorando, nós todos, com amor profundo e fé, com toda a certeza no terceiro dia já o mundo estaria mudado. Os católicos, acordando como de um profundo êxtase, se encontrariam num mundo já modificado por completo. Deus mudaria o mundo em apenas três dias, se TODOS os católicos quisessem!
 
     E digo mais, se todos nós ficássemos uma semana em adoração perpétua, confiados apenas na mão do Altíssimo, adorando, glorificando e bendizendo a Jesus Sacramentado – digo e repito: numa só semana – já estaria novamente chovendo maná dos céus, nos rios correriam já águas cristalinas e puras, dos rochedos manaria leite e mel, a mais fina flor do trigo (Sl 82) encheria milhares de celeiros, e toda a natureza se teria mudado no paraíso que todos esperamos, depois, na Nova Terra. Sim, com jardins perfeitos, com novas árvores frutíferas, e ainda mais deliciosas, e uma fauna abundante e feliz a louvar ao Criador. Podem me achar maluco, sonhador, exaltado, o que queiram, mas não tenho medo de errar! Nunca li alguma profecia que predissesse a este respeito, digo apenas isso do mais fundo do meu coração: Seria assim! Deus adorado, faria isso por nós.
 
     E não haveria dor, nem mais pranto. E não haveria mais doenças nem desgraças! E não haveria mais guerras nem crimes! E não haveria mais corrupção nem partidos! Não haveria mais drogas, vícios, nem pecados. Sim, Deus exterminaria todos os pagãos e pecadores que não querem se converter, e prepararia um mundo fabuloso para seus filhos e filhas. Seria uma transformação completa! Isso com uma semana só de Adoração Eucarística, em estado de profundo arrependimento. Deus se derreteria em desvelos e carinhos, e choraria lágrimas de emoção que cobririam a terra com eflúvios e bênçãos. Acham que Seu Coração de Pai Amoroso não espera por este gesto? Acham que Ele não anseia por este momento? Acham que Ele não está disposto a dar esta solução? Ó, como se enganam aqueles que dividam disso! Como somos fracos na fé e minimizamos a Deus!
 
     Acima, o padre falou: não falta comida, embora a Índia seja um estado miserável! Lá, ao invés de longas discussões paroquianas que terminam como aqui numa sonolenta Missa, eles fazem um dia inteiro de adoração, e ao final, 15 minutos de reunião! Porque entenderam que quem resolve é Deus, não os homens! Eles que antes adoravam vacas, entendem melhor que nós, que sempre, e há séculos podemos adorar ao Deus verdadeiro, ainda não percebemos esta suprema verdade. Lá as refeições duram 15 minutos, mas a adoração é perpétua. E então se perguntará: por qual motivo não acontece o Milagre da conversão de todo aquele imenso povo? Porque ainda são poucos a adorar. Porque, nós aqui do Brasil, que somos 120 milhões de católicos, não fizemos nossa parte. 
 
     Milhares de vozes sac
erdotais hoje se levantam e gritam uníssonas que devemos mostrar obras, e obras físicas. Comunidade, trabalho nas periferias, cestas básicas, terra, casa, comida e trabalho para todos. Acham que isso é cumprir o Evangelho! Ó, como erram, como se desatinam! A vida do sacerdote santo, deve se desenvolver ao redor do Sacrário. Como fazia o Cura de Ars. Ele apenas adorava a Deus, dia e noite. E as obras físicas foram sendo executadas quase miraculosamente. Ele era apenas um, mas se hoje nós tivéssemos no mundo apenas uma centena de Curas, o mundo mudaria.
 
     Não compete ao homem o realizar, Deus é quem faz.  Sem Deus nada feito! Nada progride! Se tais obras avançam por um tempo, adiante morrem e desfalecem os seus autores. Quantas pastorais inócuas, que para nada servem, a não ser tumultuar a vida da Igreja? Viram as reuniões lá na Índia? Cinco horas de adoração antes e 15 minutos de reunião ao final? E aqui? Já fui em reuniões de pastorais  da Igreja, que começaram sem um sinal da cruz e terminaram sem um, boa noite. Onde está Deus, nesta igreja morta? Como querem que Ele realize a obra se não O invocam? Aliás, assim O expulsam!
 
     Da mesma forma as famílias! Se uma família qualquer, tiver um grande problema, que se diria impossível de resolver, e esta família se derramar diante de um Sacrário, toda ela, com ardor e fé, em estado de graça, e pedir a Deus a solução daquele problema, acaso, pensam que não seria resolvido? Três dias seriam suficientes para isso! Mas teria que ser todos, largando tudo o que é secundário e pedindo uníssonos apenas o principal. A graça virá com absoluta certeza, impossível não existe para Deus. Quantos bilhões de milagres Deus já realizou em favor dos seus? Às vezes, até pelo simples pedido de um pai, de uma mãe aflita! Como não atenderá os rogos de uma família que Lhe pertence, e que permaneça em estado de adoração?
 
     E se a solução para uma paróquia, uma diocese, uma cidade, um país, está na adoração a Jesus Eucarístico, também a solução para o mundo está na oração. Vejam, as previsões proféticas falam que um pedaço maior do astro cairá nas Antilhas. E Honduras fica bem próximo deste epicentro. Mas porque eles rezaram 1 milhão de Rosários a pedido do Papa, atendendo ao apelo do bispo local, no Ano do Rosário, Nossa Senhora disse que a Mão de Deus protegerá aquele país. Só por causa da obediência à Igreja verdadeira, e pela oração do Rosário nas famílias. Acham que seria diferente no mundo? Acreditam que Deus permitiria a destruição dos que rezam? E se faz isso em relação ao Rosário de Maria  mais ainda o fará se as pessoas caírem de joelhos em adoração e fé ao Santíssimo.
 
    Sim, ainda existe a solução: Deus nos apresenta ela diante dos olhos. Na realidade, o Novo Reino será Eucarístico, onde todos entenderão, e viverão, este profundo mistério do Amor de Deus. Quem não estiver preparado para amar e viver a Eucaristia, ainda aqui, não estará para morar na Nova Terra. Quem não amar, viver, e se imolar até pela divina Eucaristia, agora, e nos tempos que seguem, não terá chances de enfrentar os lobos que a querem destruir, e sucumbirá de fome no correr dos dias. Agarrar-se então, desde agora, e com todas as nossas forças em Jesus Sacramentado. Procurar estar sempre em estado de graça, pela confissão constante, isso é ser prudente e ter sempre cheia a lâmpada de azeite. Quando as trevas vierem, quando a noite desabar sobre o mundo, haverá sempre uma lâmpada a arder dentro destes corações, chama que nunca se apagará.
 
     Algumas famílias, serão indestrutíveis! Mesmo que milhões de exércitos se atirem sobre elas, ainda assim nada as derrubará. Porque um exército celeste, composto de anjos, santos e almas, estará posto em redor delas, escondendo-as da vista inimiga. Ali haverá um Sacrário! Ali haverá adoradores! Ali estará Deus Vivo e Verdadeiro! Somente as famílias que hoje se agarram ao Rosário e rezam unidas, receberão esta missão maior!
Aarão
(abaixo uma oração para Adoração ao Santíssimo: Adoro-Te, devote!)
PARA ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO

 
Composta por São Tomas de Aquino, a pedido do papa Urbano IV. 1263
 
1. Eu vos adoro devotamente, ó Divindade escondida, que verdadeiramente Se oculta sob estas aparências, a Vós, meu coração submete-se todo inteiro, porque, vos contemplando, tudo desfalece.
2. A vista, o tato, o gosto falham com relação a Vós mas, somente em vos ouvir em tudo creio. Creio em tudo aquilo que disse o Filho de Deus, nada mais verdadeiro que esta Palavra de Verdade.
3. Na Cruz, estava oculta somente a vossa Divindade, mas aqui, oculta-se também a vossa Humanidade. Eu, contudo, crendo e professando ambas, peço aquilo que pediu o ladrão arrependido.
4. Não vejo, como Tomé, as vossas chagas, entretanto, vos confesso meu Senhor e meu Deus. Faça que eu sempre creia mais em Vós, em vós esperar e vos amar.
5. Ó memorial da morte do Senhor, Pão vivo que dá vida aos homens, faça que minha alma viva de Vós, e que à ela seja sempre doce este saber.
6.Senhor Jesus, bondoso pelicano, lava-me, eu que sou imundo, em teu sangue, pois que uma única gota faz salvar todo o mundo e apagar todo pecado.
7. Ó Jesus, que velado agora vejo, peço que se realize aquilo que tanto desejo: Que eu veja claramente vossa face revelada; que eu seja feliz contemplando a vossa glória. Amem
 
Para os que sabem e gostam de rezar em latim, a mesma língua rezada pelo santo e por aquele Papa, segue abaixo. Não precisa entender, Deus entende tudo perfeitamente!
 
1.Adoro te devote, latens Deitas, quae sub his figúris vere látitas, Tíbi se cor méum tótum súbjicit, quia te contémplans tótum déficit.
2.Vísus, táctus, gústus in te fállitur, sed audítu sólo tuto creditur. Credo quídquid díxit Dei Fílius. Nil hoc verbo veritátis vérius.
3.In crúce latébat sola Deitas, at hic látet simul et humánitas, ambo tamen crédens atque cónfitens, péto quod petívit látro paénitens.
4.Plagas, sicut Thomas, non intúeor, Déus tamen méum te confiteor, fac me tíbi semper magis crédere, in te spem habére, te dilígere.
5.O memoriále mórtis Dómini, Pánis vívus vítam praéstans hómini, praésta méae ménti de te vívere, et te ílli semper dulce sápere.
6.Pie pellicáne Jésu Domine, me immundum munda túo sánguine, cújus una stílla sálvum fácere, tótum múndum quit ab ómni scélere.
7.Jesu, quem velátum nunc aspício, oro fiat illud quod tam sítio, ut te reveláta cérnens fácie, vísu sim beátus túae glóriae. Amem. (Extraído do site Montfort)
 
Que tal, tirarmos todos uma hora por dia para a Adoração? Lembre que todo aquele que não tem tempo, é exatamente aquele que sempre acha tempo para Deus. Sim, quem quer achar tempo para rezar, sempre acha! Quem não quer, mesmo que tenha o dia livre, nunca encontra. Mas estes também não ficarão na terra para contar a história! Deus não irá levar os que rezam, os que O adoram, deixando o presente do paraíso para os mortos vivos, para os mornos, os preguiçosos! A estes deus cuspirá da Sua boca. E não demorará...
 


 
 
 

Artigo Visto: 2039 - Impresso: 142 - Enviado: 14

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 694 - Total Visitas Únicas: 3.015.665 Usuários online: 46