Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título



 
 
26/09/2019
Alarme: A Eucaristia será simbólica?
A proposta do diabo reduz a Eucaristia a uma expressão "simbólica" da experiência de "comunidade":
 

 

OBS > Se todas as religiões salvam, então podemos afirmar com toda exatidão que Jesus foi um idiota se deixando matar na Cruz e o Pai Eterno um carrasco que exigiu o Sacrifício do Seu Filho para a redenção da humanidade. Cada um escolha de que lado quer estar: no lado de Bergoglio que afirma isso, ou de Bento XVI que na carta Dominus Yesus deixou bem claro: salvação eterna, somente através da Igreja Católica Apostólica Romana, por Cristo Jesus. Sem Eucaristia e sem conversão, sem salvação e quem diz o contrário é discípulo do cramunhão. (Aarão)

Alarme: A Eucaristia será simbólica na IL da Amazônia!



BOGOTÁ, Colômbia - O impacto da teologia da libertação no próximo Sínodo da Amazônia está atingindo seu pico.Preocupações com o Instrumentum Laboris do Sínodo da Amazônia são exacerbadas por um documento preparatório anterior "Rumo ao Sínodo Pan-Amazônico" : desafios e contribuições da América Latina e do Caribe. "Descoberto durante uma investigação recente do LifeSiteNews, o trabalho de 136 páginas vem de uma reunião de abril em Bogotá, Colômbia, co-organizada pela REPAM (Rede Eclesial Pan-Amazônica) e Amerindia, Dois importantes promotores da teologia da libertação O Instrumentum Laboris confirma a importância da reunião, referindo-se a ela como uma parte importante do processo preparatório do sínodo.

Cheio de declarações heréticas, o documento de Bogotá cumprimenta o ex-padre Leonardo Boff, um dos principais defensores da teologia da libertação censurado pelo Vaticano por seus ataques à doutrina católica. O documento despreza a missão salvadora da Igreja Católica, afirmando que não há fé verdadeira, que todas as religiões são capazes de trazer salvação aos seus seguidores. "Não é justo dizer que apenas uma religião é verdadeira e as outras são decadentes, porque todas elas revelam o mistério de Deus e revelam as muitas maneiras pelas quais andamos com fidelidade e amor a Deus", diz o documento.


Ele acrescenta que a Igreja Católica deve passar do "exclusivismo intolerante para uma atitude de respeito que aceita que o cristianismo não tem o monopólio histórico da salvação" e que "o pluralismo e a diversidade de religiões são expressões de uma sábia vontade divina". A obra não menciona a Eucaristia como corpo, sangue, alma e divindade de Jesus Cristo. Em vez disso, reduz a Eucaristia a uma expressão "simbólica" da experiência de "comunidade": uma heresia flagrante e modernista condenada pelo Papa Pio X em sua encíclica Pascendi Dominici Gregis de 1907. "Na liturgia, a Igreja expressa sua fé de uma maneira simbólico e comunitário ", lê o documento de Bogotá.

Ao se referir ao ensinamento de que a Eucaristia é a fonte e o cume da vida cristã, ele declara: A liturgia é o "cume", porque no final da tabela é apresentada a experiência do povo, o caminho da comunidade. e o contexto sociocultural em que atua. "Fonte", porque a partir da lembrança viva do amor de Cristo e do encontro com irmãs e irmãos, nasce o desejo e a capacidade de um discipulado mais coerente e um testemunho mais eficaz. 

Apesar de prestar atenção à fidelidade ao Magistério, o documento de Bogotá descreve o sacerdócio masculino não como um dogma fundamental, mas como uma "posição" flexível que se encaixa no espírito da época: recomendamos ... que os teólogos, respeitando reverentemente os dados da fé e em profunda comunhão com o Magistério, pode continuar com total liberdade de reflexão sobre a ordenação sacerdotal das mulheres, enriquecendo sua análise com recursos da psicologia, sociologia, antropologia, história, filosofia e hermenêutica, ser capaz de discernir a presença do Espírito naquele sinal dos tempos que são ... a presença de mulheres na vida pública. Ao solicitar o fim da "perspectiva patriarcal" da Igreja, o documento de Bogotá defende uma "teologia feminista e ecológica" completa com sacerdotisas. Dos 28 colaboradores do documento de Bogotá, quatro tiveram papel fundamental na construção do sínodo e dois são os principais autores do Instrumentum Laboris.

Ele também elogia as tradições indígenas pagãs, pedindo a compreensão e o reconhecimento das "virtudes, conhecimentos e visões de mundo existentes entre os grupos étnicos ancestrais, que ainda mantêm a capacidade de ler e conceber a natureza como a verdadeira mãe". Continuando seus elogios às tradições indígenas, o documento continua a descrever Deus como um "Criador-Criador" homem-mulher: eles têm suas histórias, línguas, conhecimentos, tradições, espiritualidades e teologias sagradas. Todos procuram construir uma "vida boa" e a comunhão das pessoas entre si, com o mundo, com os seres vivos e com o Criador-Criador. Eles sentem que vivem bem na "casa" que o Criador-Criador lhes deu na Terra.

Dos 28 colaboradores do documento de Bogotá, quatro desempenharam papéis importantes na construção do sínodo e dois são os principais autores do Instrumentum Laboris, conforme confirmado pelo conteúdo de ambas as obras, esses arquitetos do Sínodo Amazônico, de 6 a 27 de outubro. portadores da tocha da teologia da libertação. Através da oração e do jejum, os fiéis católicos se preparam para seu impacto na Igreja. 

https://www.churchmilitant.com/news/author/stephen-wynne

 

 

 
 
 

Artigo Visto: 510 - Impresso: 6 - Enviado: 1

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 633 - Total Visitas Únicas: 3.513.511 Usuários online: 50