Sejam Bem Vindos! Que Deus vos abençoe!

Página dedicada aos que amam as almas do Purgatório.
FAMÍLIA, FUNDAMENTO DA SALVAÇÃO
Documento sem título




 
 
06/07/2005
Fúria de satanás (1)
 
Trevas - 202 Fúria de satanás (1)
Trevas - 202 Fúria de satanás (1)

                                               A FÚRIA DE SATANÁS
 
   Está em Apocalipse 12,12: Mas, ó terra e mar, cuidado! Porque o demônio desceu para vós cheio de grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta.
 
    Noutro dia, num momento em que tentava de todas as formas me concentrar diante do computador para escrever, uma pequena mosca resolveu pousar no meu braço, no nariz, na boca, em qualquer lugar que não tivesse tapado por roupa, com uma insistência tamanha e tão fora do comum, como nunca havia visto. Por diversos minutos tive eu testada minha paciência até o extremo do limite. Pior, em cada lugar de meu corpo que o bichinho pousava, permanecia uma enorme coceira, como picada de pernilongo, que me incomodava demais. Insuportável!
 
    De repente parei de escrever e comecei a pensar. Será que dentro deste pobre bichinho não tem um pequeno demônio? E cheguei a conclusão que sim! (Até São Bento viu um demônio em um pássaro preto chamado melro. Também Santo Expedito o viu num corvo, etc.) Conclui que até nestes pequenos animais os espíritos das trevas tem condições de influir, seja para nos prejudicar, seja para nos por em prova de paciência. Como, infelizmente, ainda não consegui me iniciar neste maravilhoso dom – pois sou bastante explosivo - fui obrigado a pegar de um elástico e dar um fim no infeliz bichinho. (São Bento que me perdoe! Ele que expulsou o demônio com uma cruz – Mas Santo Expedito pisou o corvo com as botas!...) Imagine então, se eles tem condições de transtornar a vida de um simples inseto que não tem alma e para o qual nem ligam, quanto mais terão condições de infernizar a vida de um ser humano dotado de uma alma imortal que lhes interessa! 
 
     Mais um exemplo: Há anos que sou ministro extraordinário da Comunhão em minha comunidade.  Vocês não imaginam o tormento a que sou submetido em alguns dias, especialmente aqueles em que minha concentração é mais profunda. Eu normalmente não tenho problemas de saúde, não tenho tosse, apenas um velho e insistente pigarro adquirido já na infância. Pois basta ser meu dia de escala que imediatamente tenho problemas com o nariz. E só nos dias em que sou ministro e só nas horas que estou vestindo jaleco. Sinto uma coceira terrível no rosto, que só com insistentes e quase desesperadas Ave Maria, e gritos ao Pai, consigo me controlar.
 
     Pior que isso, no domingo que passou foi assim: Ao levantar e sabendo que era meu dia, lavei meu rosto com todo cuidado, com bastante água e sabonete, para não ter problema algum. Estava então discretamente perfumado e bem asseado. Mas, desespero, um verdadeiro enxame de minúsculos mosquitos começou a me pousar no rosto, a querer entrar nos ouvidos... Incrível, somente em mim os bichinhos pousavam e não nos outros ministros! Porque tal coisa? O leitor não é capaz de fazer idéia do desespero que é ter que suportar aquilo sem dar má impressão, sem ter que tirar o lenço do bolso e usa-lo, em especial depois da purificação das mãos. Terrível! E o leitor sabe quem é o autor disso! 
 
    Mas, considerações à parte, eu pergunto: por que, exatamente agora, me proponho a redigir este pequeno trabalho sobre o maligno? Porque decididamente, como nunca em nossas vidas, como jamais em todos os tempos passados, como nunca mais acontecerá em tempos futuros, a ação dos espíritos infernais, esta provocando e haverá de provocar imensos estragos em toda a humanidade e mesmo em toda a terra, como nos dias atuais e próximos que se seguirem.
 
      A frase bíblica que colocamos no topo deste texto, não é despropositada. Se São João, guiado pelo Espírito Santo a colocou no texto do Apocalipse, é exatamente porque, grande parte dos distúrbios e das catástrofes que se abatem hoje, e muito mais furiosamente se abaterão depois sobre os homens, tem a ver como esta batalha final. Com
esta luta entre os anjos bons e os anjos maus. Luta definitiva, onde ao final serão expulsos daqui da terra, para sempre, todos os espíritos malignos junto com todos aqueles humanos diabólicos que lhes servem, tendo fim, então, todo o mal, toda a maldade, porque terá fim todo o pecado.
 
     Nosso trabalho então, tem o principal interesse, de dar a todas as pessoas interessadas, alguns subsídios, algumas armas, colhidas principalmente de livros de grandes santos, estes que se saíram vitoriosos em suas lutas contra o poder das trevas. A maioria dos dados tiramos de um pequeno livro intitulado: O diabo, hoje – de Georges Huber. Todos o deveriam ler!
 
      Claro, não vamos aqui discorrer sobre a existência dos demônios nem sobre o inferno. Isso é afinal um dogma de fé da nossa Doutrina Católica, claramente definido em nosso Catecismo e, portanto, isso para nós e ponto pacífico. É um HEREGE, quem nega a existência dos demônios. Não se discute, então! Afinal, não diz a Bíblia que Jesus foi tentado e venceu o demônio? É também BLASFEMO, quem desmente Jesus! E a Bíblia não diz também claramente que Jesus expulsou muitos demônios, assim como também os apóstolos o fizeram?
 
      Então como é que pode existir gente tão escabrosamente enganada pelo diabo, capaz de negar a existência dele? O próprio Papa João Paulo II, em recente homilia sobre a tentação do demônio a Jesus, depois dos 40 dias de jejum, criticou duramente aos pregadores católicos que deixam de alertar sobre seus malefícios e pregou mais duramente ainda contra aqueles que chegam a negar sua existência.
 
     Vamos assim, procurar esclarecer algumas formas como ele atua para perturbar a nossa vida e tentar fazer perder a nossa alma. Também é nosso intuito, transmitir algumas regras, alguns princípios, onde o leitor poderá encontrar armas eficazes em seu combate particular contra as trevas. Todas estas regras, são meios eficazes de combate muitas já provadas por grandes santos da nossa querida Igreja Católica, eles que saíram vitoriosos destes confrontos, com a maior galhardia, embora a verdadeira fúria que o Pai permitiu que o maligno os atacasse.
 
     Assim, em Efésios 6,12 está: “não tendes de lutar somente contra os homens, mas também contra as potências do inferno”. E eu pergunto: onde é mesmo, em que setor, em que lugar, onde na terra inteira, que ainda não esteja contaminado com o pecado? Acaso ele acha que Deus está no pecado? Então se Deus não está, é certo que os espíritos infernais estão metidos em todo lugar em que houver pecado.
 
   Vamos dar alguns exemplos de suas táticas. Antes lembramos, que um dos seus maiores artifícios é se mostrar como um “anjo da luz”, através da “sugestão das coisas boas”, daquilo “que nos faz bem”, daquilo que “agrada aos sentidos”, que é “gostoso”, coisas estas aparentemente “inofensivas” e até mesmo “insuspeitas”. Dentro delas, porém, ele destila seu “doce veneno”, põe artifícios, cria véus, estabelece pequenas confusões, de modo a ir enredando as pessoas pouco a pouco. Você pode até duvidar, mas o demônio é tão terrível, que pode até “deixar” alguém rezar! Sim, dependendo da pessoa e dependendo do objetivo final que ele tem em mente, o demônio tudo faz para por a perder a alma. Sob a aparência de “bem” ele propõe a coisa malvada, diluída-a em doces atrativos, até você ser fisgado. Como uma bela isca atrai os peixes ao anzol.
 
      Vejamos alguns – não todos – exemplos desta ação diabólica:
 
1)      Sob pretexto de progresso espiritual, ele faz as pessoas desejarem sempre função diferente daquela que tem, ou são chamadas a fazer, achando que naquela outra serão mais úteis e produtivas. Resultado, elas acabam se tornando infelizes e insatisfeitas, ou não conseguem jamais terminar uma missão e se a fazem, fazem com má vontade. Fato: se você está em Deus, será sempre feliz onde está.
2)      A certas pessoas muito empreendedoras e dinâmicas, ele as leva a iniciar uma grande quantidade de obras, impossíveis para uma só pe
ssoa, incitando-as a uma pressa excessiva. Resultado: ou ela acaba angustiada por não fazer tudo o que queria, ou faz mal feito tudo o que começou. Fato: as coisas de Deus, sempre se resolvem na calma, na paz e na tranqüilidade.
3)      A outros ele sugere que tais obras – realmente boas – são muito difíceis de serem executadas. Resultado, estas pessoas acabam não fazendo quase nada de bom e de bem na vida inteira, facilmente desanimando de tudo, e inventando todo tipo de obstáculo para iniciar. Fato: são as pessoas que sempre dão o motivo da sua “incapacidade”, para não fazer nada.
4)      Para outras – geralmente pessoas muito atarefadas com o trabalho ou com as lides do lar – ele sugere também uma avalanche diária de orações (Claro que ele não manda rezar, apenas deixa que reze). Resultado, a pessoa acaba fazendo o seu trabalho angustiada pela “falta de tempo” para rezar e, enquanto reza, fica a pensar no resto do trabalho que ainda não foi feito, quando na verdade mesmo, o trabalho bem feito e com amor, é já uma grande oração! Fato: na vida em Deus, sempre há tempo para tudo. Portanto, trabalho demais não vem Dele.
5)      A algumas pessoas, que rezam muito, ele as faz sentirem certo orgulho do volume de suas preces. Sutilmente ele as faz sentir-se justas e ufanas de si mesmo. Resultado, a pessoa acha que já está santificada, até mesmo gosta de apregoar suas virtudes e acaba pegando grandes purgatórios mais tarde, quando não se perde eternamente, por não perceber a arapuca em que caiu. Fato: por mais que rezamos, ainda fazemos pouco e quase sempre mal.
6)      Noutras destas pessoas que rezam muito, às vezes o demônio consegue que elas passem a ambicionar os louvores do mundo e a exigir atenção de todos para seu grau elevado de santidade. Resultado, a alma acaba entrando num labirinto de angustia, capaz de levá-la a um volume crescente de sofrimentos. Encaixam-se aqui, algumas “baratas de sacristia”. Fato: muitas destas, são as que vivem a observar se os outros prestam atenção nelas. Isso não é viver para Deus!
7)      Há casos, em que ele faz as pessoas deixarem de fazer o bem, sob o pretexto de falsa modéstia ou pretensa humildade. Resultado a pessoa acaba perdendo inúmeras chances de crescer em graça e santidade, porque deixa de exercer o maior dos mandamentos: a caridade! Encaixa-se aqui, até mesmo o medo (ou a vergonha) de ser taxado de santo! Fato: há pessoas que têm vergonha de doar o que tem de sobra, achando que os outros irão pensar mal delas.
8)      Em outras pessoas, ele é capaz de suscitar a cólera contra o próximo, a pretexto de correção fraterna. Resultado, as pessoas, ao invés de levar os outros à correção, pelo exercício da caridade cristã, são capazes de se alterar por inteiro, pecando com isso gravemente, porque, de certa forma, já estão julgando e condenando àqueles a quem pretendem fazer mudar de vida. Fato: qualquer tipo de correção deve ser feito sempre com caridade e com amor. Mas só tem direito de corrigir, aquele que pratica e vive aos mandamentos.
9)      A certas pessoas, ele as faz julgarem-se santas, docemente piedosas, e grandemente devotas e sumamente orantes. Resultado, elas acabam mergulhas em sua pretensa santidade - nem sempre estas buscam os louvores do mundo - e vão até o fim da vida imersas nesta cegueira, pois todos somos pecadores, embora sim, em busca da santidade. Fato: tais pessoas, por incrível que pareça, podem chegar a perder sua alma.
10)  Um caso peculiar acontece em relação aos prosélitos, que seguem certos falsos videntes ou confidentes. O maligno os induz a segui-los, e cega-os de tal forma, que embora as falsas predições fazem e embora os erros que pregam, acima ou contra os ensinamentos da Igreja, e até mesmo da Palavra de Deus, embora sejam erros que raiam a loucura, estas pessoas não os conseguem enxergar. Resultado, estas pessoas chegam ao absurdo de quase matarem em defesa do “seu vidente”, fazendo-o único e “santo”. Para tanto, são capazes de sacar as mais estapafúrdias justificativas para o “seu confidente”, quando um
a das falsas predições não se realiza. (Leiam com atenção Dt 18,9-22)  Fato: se o profeta erra, é porque não vem de Deus!
11)  Outro caso tem a ver com as falsas religiões e seitas de conveniência. Elas pregam um Evangelho da tranqüilidade, da comodidade, da paz, do se dar bem, do sentir-se bem, do estar de bem com a vida e com todos e a pessoa acaba fazendo desta busca o sentido de sua vida. E fazem isso, aparentemente iludidos. Milhares hoje estão trilhando este caminho ilusório. Resultado, não bastasse irem eles pelo caminho da porta larga, acabam ainda se auto justificar, atacando aos católicos que pregam o caminho da Cruz e da porta estreita. Toda a doutrina da “nova era” segue neste caminho diabólico! Você católico fuja desta coisa hedionda! Fato: Jesus fundou uma só Igreja, e sob Pedro!
12)  Em mais um caso terrível, quando a pessoa é inteligente, que tem uma alta produção e é realmente digno de méritos e promoções o demônio sopra em seus ouvidos todas estas qualidades e faz pessoa ver o quanto ela é injustiçada. Resultado, cada vez que ela é deixada de lado, numa chance de promoção, mais angustia e até certo ódio, toma conta desta alma. Há casos tão profundos, que a pessoa chega a perder a alma. Cito aqui o caso de certos eclesiásticos, quando tem ânsias de ascender na hierarquia do clero. Fato: muitos há, que seguem odiando até a morte, e perdem a alma por causa disto.
 
      Assim, estabelecemos alguns tópicos principais, onde o maligno propõe às pessoas uma coisa aparentemente boa, entretanto, seu objetivo final é sempre malvado. Como diz Georges Huber: O objetivo apresentado é bom! Atividade febril, uma cascata de orações, atitudes de humildade, compromissos sociais, piedade sentimental, e zelo doutrinário... Mas o objetivo real do demônio é: ruína da vida espiritual, o câncer da falsa piedade, um simulacro de modéstia que alimente o orgulho, o amor aos homens separado do amor de Deus, devoções sem base dogmática, enfim, desânimo paralisante e opressivo, que leve a alma a enredar-se cada vez mais em suas perversas malhas. Sim, nem sempre ele consegue levar as almas à perdição eterna com isso, mas quanto sofrimento provoca? Quantos séculos de purgatório e de sofrimento mais tarde?   
 
    Como o leitor percebeu, não estamos aqui falando em pecado diretamente, mas sim indiretamente. Quer dizer, indicando os meios, os artifícios, que as trevas usam para de certa forma paralisar as pessoas e leva-las pouco a pouco à perdição de suas almas. Vamos agora citar outras formas, de atuação direta sobre o corpo e o ânimo das pessoas, levando-as, às vezes, até a sua completa imobilização espiritual. Os tópicos que citaremos a seguir referem-se mais ao que acontece quando as pessoas se dispõem a rezar.
 
1) SONO: Algumas pessoas, mal começam a rezar, sentem um sono terrível que as domina sempre mais e mais. Nestes casos, é preciso que ela mude seus horários de oração, quem sabe mude até suas orações ou a forma de rezar. Mas jamais se deixar dominar completamente pelas trevas. É isso que o demônio quer!
 
2) CANSAÇO: A outras pessoas, ele as leva a um inexplicável cansaço, que as leva a quase não conseguir rezar. É preciso que a pessoa então, descubra meios e formas de se manter a salvo destas investidas, quem sabe rezando às primeiras horas da manhã, de modo a vencer a insistência dele exatamente pelo cansaço.
 
3) DESÂNIMO: Muitas vezes ele consegue levar as pessoas ao desânimo, ao lhes sugerir que não adianta rezar, que suas orações não são “fortes” e até mesmo que nunca conseguirá nenhuma graça de Deus. Estas pessoas devem cuidar muito para não perderem suas almas, pois tal atitude pode leva-los a cometer o maior dos pecados, aquele contra o Espírito Santo, que é duvidar da Misericórdia de Deus. Sim, desânimo é uma espécie de preguiça!
 
4) TEMPO: Outro maléfico artifício – eu caía nele quando era criança – era o de ficar marcando o tempo de oração
. Há pessoas que, se a Santa Missa passar de uma hora, entram em verdadeiro frenesi. No fim até uma Ave Maria é demais. Cuidado, muito cuidado! Cada hora de oração a menos, pode significar um ano de purgatório depois! Interessante, via contrária, para ficar cinco ou seis horas em uma fila de espera, num terreiro espírita para receber passe mediúnicos ou as tais cirurgias espirituais, então a pessoa fica quietinha, calada e paciente!
 
5) NÁUSEAS: Algumas pessoas, ao penetrarem em certos ambientes, especialmente aqueles “carregados”, são acometidas de fortes náuseas e angustia. Este é um sinal dos mais claros da presença de espíritos maus, destes “que povoam os ares”. O interessante, nestes casos, seria descontaminar tais lugares, seja aspergindo água benta, seja rezando em grupo. Mas cuidado: nunca enfrente sozinho estas situações mais graves. Agarre-se sempre em Deus, muna-se de todas as armas e de preferência faça isso em grupo de pessoas não sozinho!
   
    Como se defender?
 
     Temos que deixar esta parte para o outro tópico (2) por causa do Editor!
 
     Não deixe de ler que é importantíssimo para saber como lutar contra isso.
      Arnaldo


 
 
 

Artigo Visto: 2382 - Impresso: 71 - Enviado: 14

ATENÇÃO! Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão desde que sempre sejam citados a fonte www.recadosdoaarao.com.br

 

 
Visitas Únicas Hoje: 211 - Total Visitas Únicas: 3.236.919 Usuários online: 59